Meu pai e minha Cunhada – Parte 3

Autor

Agora que estou com tempo, consegui digitar para vocês mais um flagra delicioso da minha cunhada de 15 anos com meu pai…

Hoje vou relatar como que o almoço de domingo quase que virou porrada… kkkk

Conforme tinha falado no relato passado Pamela posou na minha casa para assistir o filme e ela acabou dando para meu primo… Conforme eu tinha dito e para não deixar muito longo o texto eu acabei encerrando na parte que ela e meu pai se olhavam e davam risada sem minha mãe perceber, agora vou contar como que esse almoço quase terminou em tragédia…

Meu primo fez a prova no dia 15 de novembro e foi embora, meu pai fez questão de fazer um grande almoço de domingo com carne assada e tudo, estava bem alegre…

Eu acordei tarde com Renata e como estava um dia de sol bonito, elas resolveram que iam entrar na piscina, pronto eu ia ficar locou só de ver aquelas bundas, imagina meu pai que fazia 2 dias que não tinha comido ela kkkk estava explodindo…

Só que ai que estava o problema, Pamela não veio preparada para entrar na piscina, ela não tinha levado bikine e queria muito entrar na água…

Na hora que eu fui falar para levar ela na casa dela para pegar, meu pai entra na sala e fala para eu ir ver oque minha mãe queria que estava chamando… Chegando na cozinha, minha mãe pediu para que eu levasse ela no mercadinho que tinha a umas 10 quadra de casa para comprar uns ingredientes que deram errado e o mercadinho já ia fechar… Tirei o carro da garagem e perguntei se pamela queria aproveitar e passar na casa dela pegar um bikine, ela falou que não precisava que ela nao ia entrar na piscina mais, tinha perdido a vontade… Em quanto isso minha mãe entra no carro e minha namorada pediu para ir junto, que ela ia comprar umas coisas também… Renata chamou pamela para ir junto, até que ela veio na metade do caminho mais minha mãe pediu que se pamela poderia ficar para ver as panelas que estavam no fogão para não queimar…

Pronto, meu pai e pamela sozinhos na casa, não ia da certo… Parece que tudo era para ajudar, o tanque de combustível do carro estava quase vazio não daria para ir e voltar do mercado, na hora que falei isso dentro do carro, minha mãe tira a cabeça pra fora e fala para meu pai que estava na porta da garagem fechando que iamos demorar um pouco porque tinha que passar no posto ainda, ele deu uma risadinha e disse que tudo bem…

Passei no posto, abasteci e fui para o bendito mercadinho, chegando la, foi bem tranquilo, elas compraram oque queriam, demorou bastantinho por causa da fila no caixa, e fomos embora, antes de chegar na minha casa, minha mãe viu a minha tia, pediu para parar que queria falar com ela rapidinho… eu acabei deixando minha mãe ali mesmo e fui para casa, quando estava chegando perto eu pensei em entrar devagar para ver oque que tinha rolado, mais o problema que Renata tava comigo, então tive uma ideia, fingi que tinha dado problema no carro e fui diminuindo a velocidade até que parei 1 quadra da minha casa, desci do carro e abri o capo, falei que tinha esquentado o motor por causa do calor que fazia e tinha que pegar mais agua na minha casa para colocar no radiador… ela não entende nada acabou acreditando, pedi para ela ficar ali por causa do carro que já voltava com a água…

Chegando na minha casa estava tudo fechado na frente, fui devagar para os fundos e vi que a porta esta encostada e com um cabo de vassoura encostado, pra que alguem tentasse abrir fazia barulho… Só que fui mais esperto e na hora que eu abri a porta eu consegui colocar a mão mais para baixo e pegar a vassoura antes de cair no chão… Esse era o sinal que eu precisava…

Só para vocês terem uma idéia, minha mãe tinha deixado as panelas no fogão e era para ela cuidar, quando entrei pelo fundos e passei pela cozinha o arroz estava pipocando, o cheiro de queimado era forte, mas mesmo assim não desliguei nada, andei mais um pouco até chegar no corredor que divide a casa da parte da cozinha e dos fundos para a sala e a escada, chegando no começo do corredor só escutava o barulho bem baixinho de quando o pau ta entrando em uma buceta bem apertada e molhada…

– Pamela: aiiii, aiiiiiiii

Ela tava gemendo bem baixinho e meu pai só fazendo xiiii com a boca para ela fazer mais baixo:

– João (Meu pai): Calma, vamos devagar senão eu vou gozar…

– Pamela: Não quero devagar, quero bem fundo e rapidooooooo…. Ai que delicia…..

Fui um pouco mais para frente e o barulho começou a aumentar… percebi que eles estavam na sala, cheguei no pé da escada aonde tem umas flores da minha mãe e me ergui um pouco só para ver, consegui ver bem certinho, Pamela aquela gostosa com o shortzinho e a calcinha dela em uma perna só, e meu pai com a bermuda abaixada até o joelho sentado no sofá com ela cavalgando em cima, vi aquela bundinha morena do sol com marquinha cavalgando gostoso com o pau inteiro dentro da buceta, Meu pai a cada passo olhava para fora da janela para ver se não tinha ninguem vindo, deu para ver que ele não tava usando camisinha e ela estava muito excitada, a buceta dela tava muito molhada o barulho tomava conta da sala mais forte que na noite anterior quando deu para meu primo, que que no pau do meu pai já estava branco com o subir e descer da buceta dela, formando aquela gosminha branca, ela sentou fundo e rebolou bem jogando o corpo para frente e empinando a bunda para trás, seu cabelo preto comprido cobria um pouco a bunda dela… nossa que tesão que tava… Ela rebolou tanto que ele falou que ia gozar nao tava mais aguentando e bem na hora minha mãe aparece no portão, chamando na rua para abrir o portão, pamela deu um pulo que fez o barulho bem alto e nem na hora meu pai não segurou e gozou tudo no sofa e no chão…

Pamela no desespero ajeitou o sutiã, colocou o calção de qualquer jeito e saiu correndo pro banheiro, eu fui pros fundo e encostei a porta, corri pegar uma garrafa de refri e encher de água, esperei um pouco e ouvi o portão abrindo, esperei que ela entrasse e fui devagar saindo, corri pro carro, renata estava fudida da cara por causa da demora, dei uma desculpa falando que nao achava a chave de fenda para abrir a tampa, tive que revirar a casa… demorei um pouco para não dar na cara que tinha algo de errado e fui com o carro para casa, chegando la entrei, guardei o carro na garagem e fui tirando as compras do carro, renata me ajudou, quando entro na cozinha, minha mãe ta com uma cara de brava…

Perguntei oque tinha acontecido, ela falou que eu demorei com as coisas e que ela deixou os dois cuidando e não cuidaram de nada… Renata continuou tirando as sacolas, enquanto eu como quem não quer nada fui ver onde os dois estavam, meu pai estava deitando no sofá que tinha acabado de comer minha cunhada, Pamela estava saindo do banheiro, ela me dou Oi e saiu pra sala, minha mãe entrou na sala xingando meu pai e ele nem deu bola, ele não podia levantar, nao deu tempo dele limpar a porra no sofá, então tive um idéia, pedi para renata ajudar minha mãe na cozinha que ia assar carne na churrasqueira, foi o tempo do meu pai se levantar e limpar male mal, minha mãe tava fudida da cara com eles dois, acho que já estava desconfiando de algo mais não falava nada…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,25 de 12 votos)
Loading...