A coelhinha!

12-10-17 Por 2 ★ 0.00

Desde minha adolescência que sou tarado por foder fêmeas de animais, descobri o sexo na buceta de uma égua aos 12 anos, depois disso não parei mais, era égua, terneira, ovelha, cabrita, cadela são as que eu mais gosto, galinha, gansas, veadinhas, o que pintasse na área eu fodia, depois descobri alguns cuzinhos de guri, aí foi o ápice.
Um dia meu avô trouxe da cidade duas coelhas e um coelho, achou bonito e comprou, fez um gaiolão e colocou os coelhos lá. As vezes eu ia dar comida à eles e ficava olhando o macho toda hora trepando naquelas coelhas, e aquilo me deixava com tesão, um dia estava só eu, minha avó e uma criada em casa,meu avô tinha ido para a cidade e os peões estavam na lavoura, me deu uma vontade de foder uma coelha branquinha, bonitinha que era a maior das coelhas, peguei a coelha na gaiola, e levei para uma despensa, tipo de um galpão que tinha afastado da casa onde guardávamos lenha e outras tralhas, tinha umas mesas também. Coloquei a coelha em cima de uma mesa sempre segurando firme com uma das mãos para ela não escapar, levantei a cola dela e lá estava aquela bucetinha vermelhinha, pequeninha, vi logo que meu pau não entraria, se tentasse ia arrebentar toda a coelha, enfiei o dedo minguinho na bucetinha, entrou meio forçado, a coelha se debateu bastante, eu tenho um pau de grossura média, 17 cm. mas a cabeça é fina e pontuda e vai engrossando até emparelhar com o resto do pau, tirei o dedo da bucetinha cuspi bastante naquela coisinha, e botei o pau, enfiei só a pontinha, mas assim mesmo deu para sentir o calor gostoso que vinha daquele rabinho, comecei uma foda gostosa só com a pontinha do pau dentro, que loucura, que delícia, aquele calorzinho na ponta do pau me dava uma tesão danada, comecei a acelerar e ás vezes ia um pouquinho mais e a coelhinha grunia e se debatia, quando veio a vontade de gozar eu enlouqueci, urrava, gemia, minhas pernas tremiam, gozei como um louco, era tanto leite que nem parecia que eu tinha fudido uma terneira de noite, fiquei um tempo ali, apreciando o calor daquela bucetinha, até o pau amolecer, esfreguei o pau no pelo da coelha para limpar e levei ela de volta para a gaiola, quando larguei ela lá o coelho veio, começou a cheirar ela, sentiu o cheiro da minha porra e trepou nela e mandou vara.
Fiquei viciado na coelhinha, sempre que podia eu fodia ela, as vezes a tesão era tanta que eu tinha vontade de enfiar o pau, arrombar a bichinha, mas desde que comecei a foder eu sou contra machucar um animal ou uma pessoa só para ter prazer, fiquei com remorso uma vez que comi uma galinha e ela morreu, aprendi depois a foder galinha sem judiar, sem matar. Depois de um tempo meu avô se desinteressou pelos coelhos e deu para um vizinho que gostou dos bichinhos quando viu. Foi uma das melhores experiências sexuais da minha vida, foder, sentir prazer, fodendo só com a pontinha do pau, e a coelhinha acho que começou a gostar pois já não se debatia tanto.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(0 Votos)

Por

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Otavio

    Deixe seu contato tido, queria conversa cm VC.

  2. mente aberta

    gostei!