# # # #

eu e meu irmão gemeo, escravos sexuais parte 2

2004 palavras | 2 |4.09
Por

bem vindo leitores a segunda parte desta historia, esse é um conto ficticio, espero que gostem.

Como eu estava dizendo no ultimo conto….
Após nossa mãe nos fazer ficar peladinhos diante da toda a escola ela nos lavou mais ou menos, em seguida ela nos pegou pelas orelhas e foi nos levando embora caminhando pelas ruas com nois dois peladinhos para quem quisesse ver a vontade, pelo menos a vontade de cagar passou, até porque nóis já cagamos tudo o que tinha na escola.
Ao chegar em casa, ela nos levou direto para o banheiro e nos esfregou bem, nos deixando bem limpinhos, até nossos cus ela enfiou a mangueira e limpou tudinho, quando terminou ela nos levou para a sala.
Mãe= eu vou enfiar o dedo nos cus de vocês dois.
Eu=não mãe, não precisa disto.
Mãe= cala boca, quem manda sou eu, vai, abre as pernas.
Sem escolhas eu a obedeci, então ela foi introduzindo seu dedo no meu cu e começou a fazer vai e vem, ela enfiava e tirava, ela ficou nisso por uma meia hora.
Mãe= vem Thales, agora é sua vez.
Então o thales foi abrindo suas pernas e ela enfiou seu dedo no cu dele e ficou fazendo vai e vem no cu dele uma meia hora também, até que ela parou e disse:
Mãe= vem Thiago, chupa o pinto do seu irmão até deixar ele bem durinho.
Eu= não mãe, por favor, isso não é coisa de homem fazer.
Mãe= eu decido o que é e o que não é, agora me obedece senão vocês dois vão entrar no couro até cortar suas peles.
Thales= mas mãe, porque você está fazendo com a gente?
Mãe=eu estou fazendo isto, porque o castigo de vocês ainda não acabou, e eu decidi que não quero filhos homens mais, a partir de hoje vocês vão ser viadinhos, e ai de vocês dois não me obedecer, agora vai Thiago, chupa logo o pinto do seu irmão que eu já estou perdendo as paciência.
Não tinha jeito, ela estava irredutível, como eu disse no primeiro conto, minha mãe tinha grau moderado de esquizofrenia o que faz com que ela não meça o nível de suas ações.
Então sem escolhas eu fui me ajoelhando diante de meu irmão e fui aproximando minha boca de seu pinto que estava mole, eu o fui engolindo, tinha um gosto meio forte com um pouquinho de xixi, eu comecei a chupa-lo com timidez, e ele foi endurecendo na minha boca.
Mãe= vai Thiago, capricha bem nesta chupeta, chupa o saco dele também.
Eu fui intensificando o ritmo das minhas chupadas alternado entre seu pinto e seu saco, eu chupava e chupava sem opção de parar.
Mãe= já está bom, agora fica de quatro ai que seu irmão vai te comer.
Eu= não mãe, eu não quero fazer isto, por favor.
Mãe= vocês não tem que querer, vão me obedecer por bem ou por mal, vocês escolhem.
Não tinha jeito, eu tinha que obedece-la, eu fui ficando de quatro.
Mãe= vai thales, enfia seu pinto no cu dele.
O thales foi aproximando seu pinto durinho no meu cu, senti quando a cabeça tocou meu cuzinho, nesta hora até me arrepiei, ele foi forçando e eu senti quando seu pinto foi abrindo caminho no meu cu.
Eu= ai ai, para thales está doendo.
Mãe= não para thales, continua enfiando até entrar tudinho.
E o thales foi enfiando tudo até o talo, senti quando seu saco bateu na minha bunda, ele começou o vai e vem, ele metia e metia, o lazarento ainda me segurou pelos cabelos, e ele não parava , ele tirava quase tudo seu pinto do meu cu e enfiava de-novo, até que ele me puxou bem forte e gozou no meu cu, eu senti quando sua porrinha quente despejou no meu cu.
Mãe= gozou thales?
Thales= sim mãe.
Mãe= que bom, agora é sua vez, vai, chupa o pinto do Thiago.
Então o thales começou a chupar meu pinto, a sensação até que era gostosa, ele chupava e chupava até que nossa mãe disse:
Mãe= já esta bom, fica de quatro ai que o Thiago vai te comer.
Sem escolhas o thales foi ficando de quatro e eu fui colocando meu pinto no cu dele, eu fui forçando, o thales reclamava que estava doendo, mas eu não podia parar, eu continuei forçando meu pinto até entrar tudinho, então eu comecei com o vai vem, seu cu estava quentinho, que delicia, eu metia e metia e como ele fez comigo, eu segurei seus cabelos e mandei ver no cu dele com vontade, eu metia forte fazendo meu saco bater na sua bunda e fazer barulhos, eu bombava e bombava até que minhas pernas começaram a tremer e eu gozei no cu dele.
Mãe= gozou Thiago?
Eu= sim mãe.
Que bom, agora podem ficar ai na sala assistindo televisão, vou arrumar a bagunça e terminar de lavar suas roupas para vocês irem na escola amanhã.
Eu= mas mãe, a gente está pelado.
Mãe= e vão continuar assim, a partir de hoje vocês não usar mais roupas, vocês só vão usar roupas quando forem na escola, agora descansem por que mais tarde vocês vão transar de-novo, disse ela saindo.
Eu e meu irmão ficamos lá assistindo televisão, nenhum de nóis conversava com o outro, estávamos envergonhados, até que depois de muito tempo eu resolvi falar.
Eu= nossa em thales, nóis estamos fudidos.
Thales= e põe fudido nisso.
Eu= como a gente vai sair disto?
Thales= não dá, você sabe como nossa mãe é louca.
Eu= cara, ela está nos obrigando a fazer sexo entre nóis dois.
Thales= é, ela está sim, a gente não tem escolhas, temos que fazer, querendo ou não.
Eu= quer dizer então que a gente agora somos viados?
Thales= pois é, eu não queria, mas o que a gente pode fazer?- mas nem é isso que me preocupa.
Eu= é o que é que te preocupa thales?
Thales= você esqueceu pelo que passamos na escola?
Eu= pior em cara, a gente passou maior vergonha com aquela cagança na escola.
Thales= é verdade, e ainda todo mundo nos viu pelados.
Eu= puta merda em cara, a gente vai ser motivo de chacota para todo mundo lá.
Thales= com certeza, eles vão nos zoar muito, a gente vai ser motivo de piada para todos eles.
Eu=cara, eu estou até com medo de voltar para a escola.
Thales= eu também, mas o que a gente pode fazer, se não formos nossa mãe nos mata.

E foi então que nossa mãe chegou na sala e disse:
Mãe= chega de conversa, e comecem a se beijar na boca.
Eu= beijar na boca mãe?
Mãe= sim, vocês agora são namorados, e namorados beijam.
Sem escolhas eu e meu irmão fomos se aproximando, nossos lábios foram se tocando.
Mãe= e para enfiar a língua na boca um do outro.
Então eu fui introduzindo minha língua na boca do meu irmão, e depois eu tirava e ele colocava sua língua dentro da minha boca, nossos lábios se enroscavam com nosso beijo, nossas salivas se misturavam.
Mãe= vai Thiago, lambe o corpo do seu irmão todinho.
Então eu tive que lamber tudinho meu irmão, sua orelhas sua barriga pernas costas seu pinto suas bolas.
Mãe= o cu dele tambem.
Eu=credo mãe, isso é nojento.
Mãe=não quero saber, vai, chupa logo o cu dele.
Sem opção eu fui lambendo sua bunda, então eu a abri bem e comecei a chupar seu cu, eu chupava e chupava aquele cu babando nele todo.
Mãe= já está bom, agora pode meter.
Eu fui introduzindo meu pinto em seu cu, fazendo o vai e vem, desta vez eu demorei mais a gozar, meti tanto que cheguei até soar muito, até que depois de tanto tempo eu gozei.
Mãe= muito bem, agora é sua vez thales, faz igualzinho seu irmão fez.
Então o thales foi me lambendo todinho, ele lambeu minhas orelhas minha barriga minhas pernas costas meu pinto, minha bolas, e meu cu, e em seguida e foi metendo seu pinto no meu cu, ele metia e metia muito, a assim como eu ele também demorou a gozar, ele meteu por bastante tempo até que gozou, e até que enfim nossa mãe nos deu sossego.

Mãe= está bom, por hoje chega de sexo, agora vamos assistir tv.
E assim se passou o resto desse dia sofrido, já estava noite.

Mãe= vão dormir, que amanhã vocês tem que levantar cedo para ir para escola.
Eu= mãe, amanhã é sexta feira, a senhora podia deixar a gente faltar na aula amanhã.
Mãe= mas porque?
Eu= porque estamos com vergonha, ele vão nos zoar muito lá, depois do que aconteceu.
Mãe= problema de vocês, por mim eu quero que eles zoam muito vocês, e ai de vocês reagir a zoação deles.
Thales= os culpados de tudo isso é o vitinho e o Luizinho, eu vou matar eles.
Mãe= não senhor, se vocês encostar um dedos neles eu vou saber, e olha que sou capaz até de mandar capar vocês dois.
Eu= não mãe, a gente não vai fazer nada, a gente promete.
Mãe= hum! Bom assim, agora vão dormir.
Thales= está bem, vem Thiago, vamos ao banheiro mijar primeiro.
Mãe= de jeito nenhum.
Thales=mas mãe, a gente precisa ir no banheiro, estamos apertados para mijar.
Mãe= mijem um na boca do outro.
Eu=credo mãe, que nojo, eu não vou beber xixi.
Mãe= vocês vão sim.
Thales= a gente não vai fazer isto.
Então minha mãe pegou o chinelo e começou a nos bater bastante.
Eu=para mãe, a gente faz.
Mãe= é bom assim, a partir de hoje quando estiverem com vontade de fazer xixi, vocês vão mijar um na boca do outro sempre, estamos entendido?
Thales= sim mãe, a gente entendeu.
Mãe=muito bem, então vai thales, se ajoelha ai e póe o pinto do seu irmão na boca, e ai de você se deixar derramar uma gotinha sequer no chão.
Então o thales foi se ajoelhando na minha frente e colocando meu pinto em sua boca, e eu fui fazendo força para mijar até que comecei a fazer xixi em sua boca, a medida que eu ia mijando ele ia engolindo tudinho, quando terminei minha mãe disse:
Mãe= agora é sua vez Thiago.
Então eu fui colocando o pinto do meu irmão na boca e ele foi mijando, a medida que ele mijava eu ia engolindo, o gosto não era bom, era amargo um poquinho fedido, mas eu não tinha escolhas, eu tinha que beber tudinho, meu gogó chegava até se mover a medida que ele mijava, mas por fim acabou.
Mãe= muito bem, agora que já estão aliviados podem ir dormir, e se a noite algum de vocês sentirem vontade de mijar mijem na boca do outro, vocês entenderam?
Nois= sim mãe, entendemos.
Então nois fomos dormir, mas a noite foi tensa, mal conseguimos pegar no sono pensando como iria ser o dia na escola amanhã…… continua

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,09 de 11 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder X ID:3ynzgkug499

    Execelente, continua, faz mais longo por favor

  • Responder Jovem putinho ID:ona0orot0j

    Muito bom msm. Continua assim!!!!!