Não resisti ao charme do titio Carlos da Mercearia

Autor

Meu nome é Ingrid e tinha 13anos quando comecei a mudar um pouco, já não era mais uma menininha como meus pais queriam. Por onde passava ouvia muitas cantadas, principalmente de homens muito bens mais velhos. Onde eu passava tinha uns senhorzinhos jogando dama na praça, as vezes eu parava para ver as partidas deles, mas parecia que eu desconcentrava eles porque sempre perdiam dependendo do lado que eu estava. Meus dias passaram a ser comum e isso pra mim era um tédio, tinha uns garotos que sempre que queriam sair comigo, mas eu não dava muita bola, eram muito crianças mesmo sendo bonitos. Na verdade não queria só beleza, mas queria um homem que me pegasse de jeito, que não me olhasse como criança, mas sim como mulher.
Minha mãe fazia faxina na casa do seu Carlos, era um senhor de 45 anos, tinha uma mercearia no bairro, sempre que eu ia lá comprar uma coisa, ele me dava bombom, biscoito, coisinhas bobas, mas adorava os presentinhos. Muitas vezes eu ia só para dizer um oi mesmo, gostava como ele me tratava. Passei a semana toda praticamente assim, no domingo ele fechava sempre ao meio dia e ficava na praça com os outros senhores conversando.
As vezes eu ia na casa da minha amiga Leticia nos domingos a tarde, mas nesse dia ela saiu com a mãe dela. Como não tinha jeito mesmo voltei pela pracinha, quando encontrei com seu Carlos. Ele me perguntou para onde eu ia com a cara tristinha, falei que ia na casa de uma amiga, mas ela não estava em casa. Ele me olhava de cima a baixo, também ne, estava com uma sainha bem curtinha e uma blusinha fininha que mostrava bem meus peitinhos de pera. Conversei com ele um pouco, mas como a praça estava cheia resolvi ir embora, ele me chamou para ir na casa dele, já que ele estava sozinho e ia gostar da minha companhia, já que minha amiga não estava em casa, ele ia adorar me dar atenção.
Combinei com ele para ir na frente que eu ia logo em seguida, não queria que ninguém ficasse falando algo sem acontecer… fiquei alguns minutos na praça e fui em direção a casa dele. O portão estava encostado, quando entrei eu fechei por dentro e entrei na casa. Ele estava sem camisa no sofá me esperando, entrei e se levantou para fechar a porta. Ele me pegou pelas mãos e me levou pra quarto dele… ele sempre foi gentil comigo, pq não dar pra ele. Deixei ele me tocar em todo meu corpo, estava gostando do jeito que ele me tocava… ele foi me deixando nua e me deitou na cama, como ele chupava minha bucetinha. Foi a primeira vez que um homem me pegava assim desse jeito, adorava quando ele me beijava todo o corpo.
Ele me virou e colocou um travesseiro embaixo de mim, fiquei com minha bundinha toda exposta pra ele. Ele enfiava a língua toda praticamente no meu cuzinho, ficava toda arrepiada do jeito que ele fazia… tentava rebolar gostoso na cara dele e cada vez mais ele era bem safado. Ele se levantou e tirou a bermuda. Quando vi o mastro dele, quase pulei da cama, na época nem sabia direito, mas com certeza devia ter uns 20cm, não era apenas comprida e era um pouco grossa, cheio de veias saltando, a cabeça era grande, mas a base era mais grossa, parecia alargador. Ele voltou pra cima de mim e me beijava da minha bundinha ate minha nuca… só faltava dar um pulo de tanto que eu ficava arrepiada.
Carlos se ajeitou atrás de mim e foi forçando na minha bucetinha, ele ia com jeitinho, tentou uma, duas vezes ate que ele perguntou se eu era virgem ainda. Balancei a cabeça e disse que sim, ele foi ate o guarda roupa e pegou um spray, ele deixou minha bunda e minha bucetinha toda melada com aquilo, no começo era geladinho mais depois esquentava, aquele calorzinho que você sente quando sabe que vai fuder gostoso. Foi assim que me sentia, ele voltou e forçou um pouco mais. Segurei forte o lençol da cama e mordia outro travesseiro, ate que entrou a metade, cheguei dar um gritinho e voltei a morder o travesseiro. Ele claro foi aumentando o ritmo bem devagar bem gostoso.
Ele tentou ser mais carinhoso possível comigo, adora o jeito dele em cima de mim. Primeira vez com um homem de verdade em cima de mim, metendo bem gostoso. Ele acelerou e avisou que ia gozar, pedi pra ele não gozar dentro… ele tirou e gozou tudo na minha bunda e nas minhas costas.
Era bem quente a porra dele, depois que ele gozou voltou a meter na minha bucetinha mais um pouco ate o pau dele amolecer…
Depois desse dia, quando podia eu ia na casa dele levar rola…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...