# # # #

Segunda noite de Carnaval

907 palavras | 8 |4.77

A filha ficou assistindo enquanto eu fazia a mãe dela de puta.

Eu havia ido em uma festa de Carnaval com alguns amigos para curtir e tentar arrumar uma transa para a noite. Eis que lá pelas 2 da madrugada eu encontro uma loira, aparentava ter uns 35 anos, tinha peitos grandes e pernas definidas, de academia. Ela estava usando a parte de cima de um biquíni e um short jeans e usava uma tiara com orelhinhas de gato. Resolvi chegar nela. De início percebi que rolou um clima, batemos um papo e então começamos a nos pegar no meio da multidão, ficamos nos beijos por um bom tempo. Paramos um pouco para respirar, então a pedido dela, abracei ela por trás e ficamos assistindo o show. Naquela altura meu pau já estava duro como pedra, eu ficava encoxando ela, e ela dava umas reboladinhas, meio que tentando encaixar minha rola na bunda dela. Meu tesão era tanto que eu estava quase botando o pau pra fora e metendo nela ali mesmo, no meio de todo mundo, mas acabei não fazendo. Então comecei a dar uns beijinhos no pescoço dela, ela se arrepiou toda, cheguei no ouvido dela e disse que não aguentava mais o tesão e precisava fude-la. Ela concordou e me disse que iria chamar a filha para irmos embora, então andou em direção a um grupo de jovens e chamou uma menina que aparentava ter uns 11 ou 12 anos, ela era magrinha e de cabelos ondulados castanhos, mas as feições do rosto eram idênticas às da mãe. Estava vestindo um short jeans e um top preto, ela também usava uma tiara com orelhinhas. Acenei com a cabeça para a menina como forma de cumprimento e então saímos os três da festa que acontecia na avenida principal, andamos por umas três ruas procurando um lugar, por um momento eu até havia esquecido que a menina estava com a gente. Encontramos uma casa que tinha um pequeno beco que dava em uma outra casa nos fundos do terreno, ela estava com as luzes apagadas e parecia não haver ninguém. Fomos até o beco e a mulher perguntou se tinha algum problema para mim se a menina ficasse ali, pois a casa dela ainda estava longe para mandar a menina ir sozinha naquele horário. Confesso que achei um pouco estranho, mas não me importava, e como elas também não pareciam se importar acabei concordando.
Ela disse para a menina ir pro canto, e então se abaixou e começou a chupar o meu pau, enquanto a garota mexia no celular. Em um determinado momento eu olhei para o lado e vi que a menina havia desligado o celular e estava observando enquanto a mãe dela me mamava, aquilo me excitou de uma forma que não sei explicar, então coloquei a mão na nuca da mulher e comecei a socar meu pau na boca dela, como se estivesse metendo na buceta, até ela engasgar. A menina continuava olhando com uma cara de assustada e curiosa ao mesmo tempo. A mãe dela se le levantou e se apoiou na parede, rapidamente coloquei uma camisinha e comecei a abrir os botões do short dela, quando tirei vi que ela havia ido sem calcinha para a festa, certamente já estava preparada para algo assim. Dei uma balançada na rola na direção da menina, que olhava atentamente tudo aquilo, e então comecei a comer aquela gostosa. Enquanto ela gemia gostoso eu metia com força e constantemente olhava na direção da menina para ver se ela ainda assistia a própria mãe transando como uma puta, e ela estava. Aquilo me deixava cheio de tesão, eu dava tapas na bunda dela e olhava para a menina, que estava boquiaberta. Enrolei a mão nos cabelos da loira e comecei a socar com ainda mais força. Então acabei tendo uma ideia: fiz um sinal com o dedo para chamar a menina para perto, ela veio meio desconfiada, então comecei a meter mais devagar e tirei meu pau de dentro da loira, peguei a mão da garota e levei até ele, e então fiz um sinal dizendo para ela punhetar. A menina começou a mexer meio desajeitada mas demonstrava estar gostando, e peguei na mão dela outra vez e ensinei ela a encaixar meu pau na buceta da mãe dela. Eu metia um pouco, tirava o pau pra fora e a menina colocava de volta na buceta enquanto me punhetava. Depois mandei agora voltar pra onde estava e comecei a meter com força novamente até a loira gozar.
Eu que também já estava quase gozando, tirei a camisinha e falei pra mulher se abaixar e mamar minha rola, coloquei ela de um jeito em que a garota pudesse ver claramente a mãe dela me chupando. Depois enchi o rosto da mulher de porra e fiquei batendo na cara dela com a rola e passando na sua boca como se fosse um batom. Ela se levantou e tirou o excesso com a mão, então se vestiu e saímos andando. A menina dava uns sorrisinhos e me olhava disfarçadamente. Acompanhei elas por algumas ruas e então fomos cada um pro seu canto.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,77 de 35 votos)

# # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

8 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Andrews ID:mn1ngo9nlo7

    A mãe esperava que vc colocasse a filha dela pra mamar.

  • Responder AmigaPortugal ID:e8go5tfij

    Gostei muito dessa história…muita vontade de um dia ganhar coragem e fazer tambem

    • Lolah ID:1ehsshrxdg0i

      De qualquer lugar de Portugal vc é?

    • AmigaPortugal ID:e8go5tfij

      Lisboa

    • Italia ID:2xn8nw2y209

      Tem filha? Manda contato venha conhecer Milão

  • Responder Taradao ID:19hrjts0adfm

    Cara, seria legal se tivesse foto.

  • Responder antonio carlos ID:1cr6us3nxpyu

    entre ai no meu skp tenho uma estoria assim tb podemos trocar ideias se vc quiser logico
    live:.cid.5161a7bcb7cc5340

  • Responder Will ID:mt9qeo78m

    Logo tu come a pirralha