O Melhor Amigo do Homem 10

Autor

Para que entendam, sugiro lerem os demais contos O MELHOR AMIGO DO HOMEM em zoofilia.

Em uma quinta feira, Fátima me liga pedindo que passasse em sua casa à tarde como de costume, combinamos e na hora marcada cheguei.

Como sempre minha gordinha estava apetitosa, ela sabe me deixar tarado. Uma saia rodada de tecido fino nos joelhos, sandália de salto alto, que arribitava mais a sua bunda carnuda, mostrando a marca de uma calcinha pequena, mais não fio dental, do jeito que eu gosto .
Me beijou gostoso e sentiu o meu pau duro lhe cutucar o baixo ventre, por ser mais baixa que eu, meu pau lhe cutuca abaixo do umbigo.
Ela- Calma meu gostoso, eu também quero esse pauzão, mais não vamos fazer nada hoje, lhe chamei para avisar e convidar para o aniversário do Juliano, seu marido, e combinarmos como vamos fazer, lembra que te falei que o presente de aniversário dele seria oficializar o seu papel de corno?!, pois ele ja era fazia algum tempo.

Ela sentando com aquele rabo gostoso em cima da minha pica e entrelaçando seus braços em meu pescoço me dando um beijo de língua demorado, passou a me falar como seria:
Eu ontem arretei bastante o Juliano aqui na piscina, deixei ele doido para me fuder, chupei seu pau lembrando desse que está cutucando a minha bunda, o cara ficou doido, me levou para a cama e meteu em mim, mau deixou eu tirar a calcinha, se não estivesse meladinha tinha me machucado de tão tarado que estava, fiz de propósito, queria ele assim para falar que ele seria corno.

Quis saber como foi a conversa, estava curioso e muito exitado.

ela:- deitei ele de costa e sentei no pau dele e fiquei mexendo devagar, ele adora assim, como sempre não demorou a gozar, quando senti seus jatos na minha buceta, fui falando direto sem pensar nas consequências. Apesar das indiretas dele sempre que transavamos, não tinha certeza que ele queria realmente ser corno ou era apenas fantasias na hora para dar mais clima. Amor resolvi lhe atender e lhe presentear como sempre você falou quando transamos, você vai ser corno. Ele ficou me olhando absorvendo a notícia, e eu dengosamente fui lhe beijando e sentindo que seu pau não amoleceu, nunca isso tinha acontecido, sempre quando goza logo seu pau amolece. Falei no seu ouvido, você deixa amor?, sempre lhe falei que queria experimentar uma pica maior e mais grossa que a sua!, eu já tenho a pessoa certa.
Sem dizer nenhuma palavra ele me virou, ficou em cima de mim e me fudeu gostoso e desta vez não gozou logo.

Terminamos, ele foi para o banheiro me deixando na cama pensativa, será que ele não vai aceitar ? Será que era só fantasia dele? Fiquei apreensiva com o que poderia acontecer quando ele saísse do banheiro, não sei quanto tempo passou aquele momento, ele saiu do banheiro e eu entrei quase correndo, tomei um longo banho, queria saber do resultado, mais como iria perguntar!?, pois sempre falamos durante as transas e não assim, de cara limpa.

Sai do banheiro de toalha, ele estava sentado na beira da cama de cueca, de cabeça baixa. Não sabia o que fazer para encaralo, achava que tinha estragado tudo, e próximo do seu aniversário, o clima iria ficar muito esquisito, como ele deveria estar se sentindo?, eu nunca tinha dado motivos nenhum para ele desconfiar da minha fidelidade, e realmente eu fui fiel a ele até conhecer você que mudou a minha vida, não que esteja arrependida, não sei o que vai ser de mim no dia que você não me quiser mais.
Eu- pare com isso, nunca vou largar você e fiquei dando beijinhos nos seus fartos seios.

Ela contínuo: – fui chegando próximo a ele que me puxou e me colocou sentada em sua perna, me beijou demorado e falou:- é isso mesmo que eu ouvi? Você já tem a pessoa certa para me trair? Ela:- não considero traição, porque só vai acontecer com a sua presença, e é um fetiche nosso, foi você que me despertou para isso, você é o culpado por dispertar essa minha curiosidade. Ele:- você disse que tem a pessoa certa, como você conheceu? Ela :- você também conhece só não está lembrando, ele é o Paulo amigo da
Karla e do Fernando, você já cruzou com ele nas festinhas deles.
Ele:- e porque ele? Ela:- porque ele tem um pauzão do jeito que sonho! Ele:- e como você sabe disso?, Ela – em uma conversa banal com a Karla, surgiu o assunto de fetiche e eu falei para ela que tinha a curiosidade de fuder com um cara de pau grande e grosso, e ela deu uma risada e falou que esse ela já tinha realizado, perguntei com quem e ela falou que tinha sido com ele, pois já foram namorados no passado, antes de
casar com o Fernando, e ele sabe da história deles, para ele não é segredo, e eu me interessei e como não querendo nada, fiz perguntas sobre ele, e ela falou que é de confiança e discreto, o Fernando gosta muito dele.

Não falei que lhe convidaria para o aniversário dele e que seria seu grande presente, presenciar você me comer.

Mulher realmente consegui tudo que quer com o homem.

Eu:- e o Juliano engoliu essa sua história? Ela: – Direitinho, e ainda me perguntou qual era o fetiche da Karla, falei que era zoofilia, que tinha vontade de transar com o barão (seu pastor alemão), que vivia no cio, e ela não tem coragem de colocar para cruzar com uma cadela com medo de ele adquirir doença, ele ainda me falou que realmente era perigoso, já que o barão é tratado como uma criança, eu aproveitei e falei que esse era o meu segundo fetiche. Ele me olhou incrédulo e perguntou se eu tinha realmente coragem, falei que também não iria deixar o Zeus pegar cadela nenhuma.
Já preparei também para o próximo passo.

A se ele soubesse que até a filhinha querida dele já deu para o Zeus.

Aí você vem para o aniversário dele como se nada soubesse e aqui agente cria o clima.
Eu:- e como você vai justificar a minha presença no aniversário dele?
Ela:- se ele perguntar, vou dizer que foi a Karla e o Fernando que lhe chamaram.

Toda essa conversa eu chupando seus peitões e dedando sua buceta suculenta, mais ela não me deu, disse que iria me dar só no sábado, no aniversário dele, para eu me contentar e ficar com muito tesão nela, que era assim que ela me queria.

No sábado, cheguei por volta das 21hrs, quase todos os poucos convidados já estavam presentes, inclusive Karla e Fernando, que a me ver falou, você veio? Sorte que o Juliano estava afastado dele conversando com um casal, sorri e desconversei puxando outro assunto, logo a Fátima chega com um copo de whisky e me ofereceu, ela sabia o que eu gostava, me fiz de surpreso e falei, olha Fernando a Fátima acertou o meu gosto e rimos todos.

A Karla me fulminava com o olhar, como se perguntasse, o que você faz aqui, para ela o meu envolvimento com a Fátima tinha sido só na iniciação dela com o Zeus na zoofilia e pronto, não imaginava que eu tinha me tornado mais íntimo para fazer parte daquele círculo de amigos. Eu na minha, não dei oportunidade para ela ficar só comigo e me encher de perguntas ali mesmo, sabia que iria acontecer, mais não podia ser ali, ela fechou a cara e ficou na dela, quase não falava nada.

Fátima estava deslumbrante, tinha caprichado a baixinha, com um vestido florido, apertado até a cintura que deixava seus fartos seios parecendo que iriam saltar a qualquer momento do seu decote, um cinto largo do mesmo tecido que separava da saia larga de pregas também largas, ia até um pouco abaixo dos joelhos, e atrás, um decote em “U” que lhe deixava a costa toda nua, quase aparecendo o cós da minúscula calcinha, que desenhava bem naquele bundão firme apesar da idade e dos dois filhos, sapatos bem altos vermelhos como seus lábios, estava vestida para me matar, kkkkkk, ela sabia meus gostos.
O Fernando que tinha intimidade com eles falou, você caprichou, hem! Coitado do meu amigo Juliano hoje, deve acordar Amanhã bem tarde e todos rimos, menos Karla que estava de cara fechada sendo percebida pela Fátima que sacarticamente, sabendo do motivo perguntou, você não está legal hoje amiga? Ela falou que não era nada só impressão dela, resposta que fez Fernando comentar que ela em casa estava muito bem e direpente mudou. Karla, não é nada querido é só impressão de vocês e deu um beijo na boca dele chupando sua língua como se quisesse me atingir, realmente eu adoro chupar sua língua e todo o seu corpo, afinal ela também é sensacional e gostosa.

Já era quase onze horas e não via a Juliana no local, só via o Marcos que me olhava sempre, eu tinha medo dele falar para o pai o que tinha visto, mais como a Fátima disse que dele ela cuidaria, eu fiquei mais tranquilo, estava sentindo a falta dela mais não podia perguntar.
Um certo tempo depois entra a Juliana de mãos dadas com um carinha que imaginei ser o seu namoradinho e corno,kkkk, cara de nerd, realmente ela era muita mulher para aquele muleque, apesar da idade, não iria durar muito, mesmo ela falando que gosta dele, faz tudo que ela pede, acho que ele tem ela como um prêmio para exibir para os colegas.
Ela é linda nos seus quinze anos, estava com uma blusa de seda azul de alcinha, sem sutiã, os bicos dos peitos parecia que iriam furar a blusa a qualquer momento, tremiam quando ela andava, parecia que tinham duas molas, uma calça jeans branca apertada, mostrando a marca da minúscula calcinha também branca e sapatos de salto alto que arrebitava a sua deliciosa bunda. Os cabelos bem escovados ligeiramente louros sobre os ombros, uma deusa cabocla, por ser do Amazonas, tem uma deliciosa mistura de traços indígenas.
Fiquei embasbacado com tanta beleza e ao mesmo tempo lisonjeado por tê-la para mim, sempre que eu quero. Me encarou e deu um leve sorriso só percebido por mim. Em um momento que fui até a mesa de salgados, ele se aproximou e como se estivesse se servindo falou, ou gostoso!, sei que você hoje vai fuder a mamãe na frete do papai! Uma pena não poder estar presente para me deliciar, mais não vai faltar oportunidade, e para me vingar de você, vou dormir na casa do meu namorado, e saiu com um sorriso naqueles lábios carnudos e gostosos .
A metade dos convidados já tinham ido, Fernando chegou com a Karla, Oi Paulo, já estamos indo! a Karla realmente não está bem, quer ir descansar.
Falei é uma pena, mais espero que você melhore, e fiz questão de comprimenta-la com dois beijinhos no rosto, chegando o mais perto possível dela, sentindo seu perfume gostoso, ela a princípio relutou, mais como fui com decisão, não teve escolha, eu era acostumado a lhe comprimentar assim. Mais se ela podesse me dar um empurrão naquele momento, tinha feito, conheço minha ferinha quando está com raiva.

Estou sentado na beira da piscina, olhando o movimento, a Fátima me encarava de longe e a Juliana aos beijos com aquela moleque, me causando ciúmes, ela iria me pagar quando eu lhe pegasse.
Estou disperso nos meus pensamentos, chega a Fátima de mãos dadas com o Juliano, e fala: amor esse é o Paulo, amigo do Fernando e da Karla, eles o convidaram para o seu aniversário!
Eu levantei e lhe dei parabéns, e elogiei a festa, e a comida que estava deliciosa.
Ele: você tem que agradecer a Fátima, tudo foi coordenado por ela, que sabe como ninguém a agradar um homem, sou feliz por isso. Eu dei novamente parabéns por ter uma esposa dedica, ela aproveitou a deixa e nos deixou a sóis e disse que iria na cozinha fazer algo que não identifiquei bem. Ele, então você é o Paulo amigo do Fernando? Me assustei com a entonação da sua voz. Eu:- não sabia que era famoso por aqui! Kkkk.
Quis saber o que eu fazia, se era casado, do que eu gostava e muitas outras perguntas.

Me ofereceu uma latinha, aceitei de pronto, foi buscar e voltou com duas, a Juliana e a Fátima me olhavam de longe com sorriso no rosto.

Eu fui logo direto, me desculpe a ousadia, mais você tem uma família linda, sua esposa e sua filha são maravilhosas, qualquer homem gostaria de ter uma esposa e uma filha assim, lindas, você deve fazer de tudo para agradalas!, Ele ficou me olhando e falou:- eu faço qualquer coisa para fazer minha esposa feliz, eu:- em tom de brincadeira, olha o que você está falando, qualquer coisa?, Ele:- e eu faço qualquer coisa, ela é minha deusa, sabe eu casei com ela virgem, eu fui o primeiro em tudo, tivemos nossos dois filhos que são maravilhosos, A Juliana é meu bebê grande, tudo que quer e pede eu faço, eu realmente tenho uma bela família.
Depois de muito papo fui levando a conversa para o lado do sexo, e ele acompanhou sem desviar os assuntos, como eu queria, sou dominador e adoro dominar o casal, já sabia que era questão de tempo para ter eles na mesma cama, ou melhor na cama deles, rrrrr, sem ele saber eu já tinha a mulher e a filha dele, só que ele não sabia é que consegui tudo com a ajuda do Zeus, seu rottiwailer.
Como estava conduzindo a conversa fui fundo, inventei que tinha um amigo que adorava dividir a esposa comigo e que tinha me surpreendido quando ele me propôs.
Ele olhou para mim por instantes e falou: você curti isso?, Eu:- cara vou ser sincero com você, eu adoro tudo que é fora do convencional no sexo, até zoo eu topo, tenho cachorro e até já ajudei uma amiga a entrar na zoofilia, senti que ele ligou logo com a estória da Karla, pois a Fátima já tinha falado para ele da preferência dela no fetiche.

Continuei, mais cara, sou muito discreto, não é qualquer um também, só com quem confio e são amigos, tem que ser assim para não ter problemas no futuro.

Ele:- o que você acha da Fátima, ela é bonita?
Eu – meu irmão, a Fátima é maravilhosa, é linda, gostosa, você é um privilegiado de ter uma esposa como ela.

Ela estava numa posição por trás dele mais de frente para mim, eu discretamente dei um aperto no cacete, ela viu, e entendeu que o assunto estava rolando.

Perguntei para ele, você tem muito ciumes dela? Ele:- eu morro de ciúmes dela e da minha filha, mais como te falei para deixar ela feliz faço qualquer coisa.

A Fátima chegou, sentou no colo dele é lhe beijou, no ato suas pernas ficaram de fora até as grossas coxas, enquanto lhe beijava puxou a saia até quase aparecer a calcinha, de propósito, dei um aperto na caceta demonstrando o quanto já estava exitado, ele viu.
Ela graças a Deus amor, o povo já está indo embora, estou doida para ficar avontade e tirar esses sapatos que estão maltratando os meus pés, eu:- mais uma princesa não pode ter os pés maltratados, tenho certeza que o Juliano vai dar uma gostosa massagem neles, e falei para conferir, deixa eu ir também, para vocês ficarem livre desses convidados chatos rrrrrrr.
Ele:- negativo, gostei de você e o nosso papo está agradável, fique mais um pouco para continuarmos a conversa e tomar mais umas geladas juntos, fazia tempo que eu não tinha um papo tão interessante .
Eu:- se não for atrapalhar, tudo bem fico, ela:- que atrapalhar nada, ainda bem que o Juliano gostou de você, ele não é de fazer muitos amigos, e foi levantado e indo atender os últimos convidados que saiam, e voltou trazendo a Juliana é o namorado.
Juliana:- tô vendo que a conversa estar boa, também com todas essas latinhas, rrrrr, pai! vou dormir na casa do Ricardo, amanhã vamos para o clube bem cedinho com a irmã dele para não pegarmos o sol muito quente, Ele:- ole lá hem! Juízo nessas cabecinhas,! o bestão do namorado, pode deixar seu Juliano, ela vai dormir com a minha irmã e o pai e a mãe estão lá também.
Dei um sorriso para ela e perguntei, posso dar um beijinho na princesinha? A Fátima, claro que pode, o Ricardo não vai se importar, afinal você é nosso amigo, levantei segurei com as mãos uma de cada lado da cintura apertando de leve, beijei no rosto, um de cada lado e falei para o Ricardo, cuidado com a princesinha do Juliano, ele é muito ciumento e brabo!, e eu ajudo ele, kkkkkk. E eles saíram.

O Juliano saiu para pegar mais cerveja, a Fátima ficou sentada na minha frente, e falou:- estou muito feliz por estar dando certo o meu plano, não aguento mais esperar para ter esse pauzão dentro de mim. logo ele voltou com três latinhas, pronto estamos sós, o Marquinho está dormindo, não desligou nem a tv, Fátima:- fiquem aí que vou tomar um banho rápido e vestir algo mais leve, e saiu, mais antes jogou um beijo por trás dele.

Falei, sua esposa é realmente maravilhosa, está me tirando do sério, se você não fosse o marido dela eu te juro que já tinha esperimentado o sabor desse batom dela. Ele fez um ar de riso, e me agradeceu pelo elogio, é realmente você não é o primeiro que vejo comendo a Fátima com os olhos mais só você na maior cara de pau expressou diretamente assim, não tem medo por eu ser o marido dela?
Eu:- não, afinal só estou fazendo um elogio a uma mulher deliciosa, e não para ela, para o seu marido!

Logo ela voltou ainda com os cabelos molhados, desta vez com uma saia jeans curta, uma blusa fina visivelmente sem sutiã, e folgada e uma sandália rasteira nos pés, ainda vinha escorrendo os cabelos, ele lhe puxou para o seu colo juntando suas pernas sobre as dele, e dessa vez eu vi aquele triângulo branca no meio de suas pernas.
Ele surpreendeu, beijou sua boca alisando suas coxas metendo a mão por baixo de sua saia até chegar perto da calcinha, com apertões, como se tivesse só os dois naquele Hambiente. Quando lhe largou do beijo surpreendeu novamente, sabe Fátima o que o Paulo me falou? Ela:- o que ele pode ter falado?, ele :- ele me falou que se você não fosse minha esposa, ele gostaria de conhecer o sabor do seu batom direto dos seus lábios!
Ela encenando, se mostrando supresa, você não acha muito atrevimento? Sou sua esposa e ele é um estranho e você vem me falar isso assim, você não me ama não? Ele:- eu te amo mais que tudo, e amo lhe fazer feliz a qualquer preço, você permiti que ele prove?

Ela ficou de cabeça baixa ainda sentada em seu colo, ele olha para mim e diz, aproveita, não era isso que você queria?

Levantei devagar deixando ele perceber toda a dureza do meu cacete que fazia um vinco na calça apertada, lhe peguei pela mão fazendo ela ficar de pé, a princípio, fui lhe puxando devagar para o meu corpo ao mesmo tempo que grudava a minha boca na dela, ela não reagiu de início, estava fazendo um teatrinho, mais quando lhe chupei a língua como de costume se soltou. Grudou totalmente em mim sentindo meu pau pulsar em sua barriga, foi um beijo quente, gostoso e intenso.

Lhe soltei e ela voltou a sentar no colo dele, ele falou, parece que gostou do sabor, quase não larga, e pelo que eu saiba ela não passa batom na língua kkkkkk, eu:- como eu pensava, o seu gosto é indiscritivel, por mim não largaria tão cedo, se o beijo é tudo isso, imagina o resto! Ele, kkkk, assim você está querendo abusar, era só o sabor do batom, agora que provar outros sabores! Ela, pelo que estou vendo e sentindo você gostou do que viu! Ele:- nunca pensei que um dia lhe falaria isso, mais gostei sim e estou gostando de tudo isso, seja feliz.

Levantei, à peguei nos braços e levei para a cadeira espreguiçadeira da piscina, fui chupando sua boca, seu pescoço até chegar nos seios que estavam com os bicos muito duros, mamei mordendo seus bicos tirando gemidos da Fátima, quando ia tirar sua blusa, Juliano chegou e pediu para irmos para seu quarto, porque o Marquinho poderia nos pegar no flagra.

Cheguei no quarto, retirei sua blusa sempre chupando seus peitões, ela arfava de prazer, tirei sua saia, ficou só com a calcinha branca transparente e apertada, marcando sua gorda buceta bem depilada de lábio grossos e rosados parecia de um bebê. Voltei a chupar a sua língua e pedi para ele retirar sua calcinha, que obedeceu de imediato e ficou cheirando, estava ensopada dos seus fluidos, fui chupando e lambendo suavemente sua barriga metendo a língua em seu umbigo, ela delirava e dizia que amava ele por lhe proporcionar tanto prazer.

Grudei minha boca em sua buceta chupando seu clitóris que estava inturmecido e duro, parecia um pintinho, ainda não tinha visto daquele jeito.
Ela empurrava sua buceta no meu rosto, queria eu dentro dela, chorando dengosamente e gemendo.

Ele sentado na beirada da cama segurava em sua mão, não perdoei, só parei quando ela em gritos gozou pela primeira vez e na minha boca, deixei ela na cama com uma respiração pesada e fui tirando a minha roupa, primeira a camisa e ele me olhando, como se quisesse conferir o que a Fátima já tinha lhe falado, fiz um certo charme para tirar a calça ficando só de cueca branca que marcava bem o meu pau virado ligeiramente para a direita e com a cabeça quase saindo pelo cós, senti que ele ficou com um misto de surpresa e espanto, falei vem minha putinha gostosa tirar a minha cueca, ela sentou na cama, pegou nas laterais da cueca e foi baixando devagar, ele foi precionado para baixo, quando se soltou deu uma chicotada quase lhe atingindo o rosto, ela pegou pela base e falou para ele:- olha amor que coisa linda, bem que a Karla falou que era lindo, e começou a chupar indo até sua garganta, era tudo que conseguia colocar, forçando ia um pouco mais da metade, ela chupou deixando ele todo babado, enquanto me chupava mandei ele dar um trato na sua buceta para lubrificar, e ele caprichou na chupada, misturando sua saliva com o néctar que escorria da buceta da esposa.
Voltei a chupar seus seios e ao mesmo tempo tentei colocar, não entrava, escorregava da entrada, estava muito melada, direpente senti uma mão segurando o meu pau encostando a cabeça na entrada da buceta da Fátima, era ele, empurrei e passou a cabeça, ela reclamou que estava lhe abrindo, não tive pena, fui empurrando devagar até sentir seu útero na ponta do meu cacete, ela segurou na minha barriga e pediu calma pois estava machucando, aliviei um pouco a pressão dando mais conforto para ela, deixei acostumar e fiquei lhe fudendo, quando entrava ela soltava um gemido rouco de dor e prazer, eu sabia que ela gostava de sentir dor na hora de ser fudida, só ele que não, por isso empurrava toda até o fim. E ele segurando sua mão e acariciava seu rosto, fiz ela gozar no meu pau gritando feito uma desvairada, ela:- mete fundo me peenche toda faz eu sentir o seu pau empurrando o meu útero, que dor gostosa!, me fode!, estou feliz.! coloquei ela de quatro, ele ficou me olhando, e falou:- ela não vai aguentar, eu:- cala a boca e fica na tua, ela é minha e eu faço o que quiser, chupei sua buceta por trás que já estava inchada, coloquei de uma vez, ela pulou de dor, eu lhe segurei pelos ombros e não deixei ela ir para a frente, encaixando todinho dentro, claro já estava acostumado com ela, sabia que ela gostava de sentir dor, tirei o pau e dei uma chupada nela, tinha gozado mais uma vez, meti o pau na buceta para lubrificar, segurei com a cabeça em seu rabo e empurrei, foi menos da metade e ela deu um berro, parei, ela chorava e ele não sabia o que fazer para amparala, empurrei mais um pouco, deixei acostumar e empurrei o resto até o fim e segurei, chorava mais não reclamava, nisso eu adimirava ela, foi a única que recebeu todinha sem reclamar.
Fiquei bombando devagar, foi ficando gostoso, quando vi que iria gozar, retirei do seu rabo e meti de uma vez na buceta e segurei dentro gozando direito no seu útero como ela gostava.

Ela chorava baixinho, suas carnes tremiam toda e o suor fazia nossos corpos brilharem, apesar do condicionador de ar está ligado, fomos baixando a respiração e ela caiu na cama fazendo meu pau sair da sua buceta que escorria minha porra, cai para o lado e ele veio amparala pois estava desfalecida.
Quando olhei vi ele chupando sua buceta encharcado com a minha porra grossa, não sei se ele ligou as coisas, mais ela foi enrabada muito fácil, apesar dele já ter comido algumas vezes, sempre reclamava de doer, apesar dele ter um pau não tão menor que o meu, mais na grossura era evidente a diferença.
Adormeci acordando pela madrugada, só estava eu e ela na cama, despertei e à acordei metendo minha pica na sua bucetinha, do jeito que ela estava deitada de bruços com as pernas abertas, não resisti aquela bucetona inchada pelo tratamento que dei mais cedo.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,33 de 6 votos)
Loading...