# # # #

Minha enteada precisa me respeitar, de um jeito ou de outro

2789 palavras | 1 |3.65
Por

O problema de ser ter uma enteada tão gostosa, é que você acaba em algumas situações, se tornando um grande depravado… (CONTO COM VIDEO)

Eu sempre quis contar essa história sem mostrar quem sou, como moro atualmente na Alemanha e esse site quase não é lido aqui, essa é minha oportunidade, pois minha história é 100% real.

Vou tentar não me alongar muito para não aborrecê-lo, mas os detalhes são interessantes. Para que você me entenda, devo explicar a você que tenho 49 anos e sou casado com uma mulher de 35 anos que conheci como mãe solteira de uma linda garota que agora tem 19 anos. Amo minha esposa, embora como homem não posso deixar de admirar os magníficos encantos de minha enteada e sabia que um dia não resistiria mais à tentação como realmente aconteceu. Talvez se ela se comportasse bem comigo eu teria aprendido a vê-la como filha, mas desde que me casei com a mãe dela ela discordou e tentou tornar minha vida impossível. Por isso também a vejo como alguém que não é da minha família e mais de uma vez me contentei em me esconder para vê-la nua tomando banho.

A história começa em uma das noites que minha esposa tinha agendado sua tradicional noite de quinta-feira para ir ao bingo com seu grupo de amigas e mais uma vez Erika e eu estaríamos sozinhos em casa. Pelo menos foi o que eu pensei.
Minha cunhada chegou de viagem sem avisar, ela até tinha dito que viria, mas acabou vindo dois dias antes e pegou todos de surpresa.
Junto com ela e mais 3 malas de viagens, estava também seu filho Lucas. Minha enteada arregalou os olhos ao vê-los ali na porta, na hora me recordei de uma história que sua mãe me contou sobre eles dois. Sempre foram muito ligados e sedentos um pelo outro. Desde crianças…

Minha enteada estava com um namoradinho há pouco mais de 2 anos que eu não gostava muito e naquela noite, a vida iria me dar de presente algo que eu estava desejando há muito… o menino apareceu em casa. Como não gosto dele e minha enteada não gosta de mim, achei que o melhor seria me aposentar para assistir televisão na sala do segundo andar até minha esposa voltar, e assim fiz. Acomodei minha cunhada com seu filho em um dos quartos, saímos e deixamos o casal confortável na poltrona do primeiro andar. Minha enteada com aquele ar de que sempre apronta quando tem uma chance, me perguntou o que eu ia fazer e eu disse para ela que iria dormir, na intenção de deixarem eles mais à vontade.

Comecei a ver televisão e cochilei, acordei cerca de 45 minutos depois senti vontade de ir ao banheiro, por isso levantei-me, mas não sei porquê, tive a intuição de que devia ir dar uma vista de olhos aos amantes. Com toda cautela e discrição aproximei-me da escada e cutucando a cabeça do alto, que na verdade estava escuro e impedia que me vissem, encontrei a visão que inicialmente me deixou consternado: o garoto Lucas, primo de sangue dela estava sentado de frente para a poltrona, deitado confortavelmente no encosto e com as pernas esticadas para frente e levemente afastadas; Erika estava sentada ao lado dele, de lado no sofá com uma perna esticada no chão e a outra encostada no mesmo móvel, uma mão apoiada na barriga do menino e a outra agarrando o pau grande que saiu do zíper da calça do primo. Comecei a me perguntar onde estaria o namorado dela? Se ainda estivesse nos arredores da casa, aquilo seria perigoso. E minha esposa? Será que estava perto da hora de chegar? E a minha cunhada…? Meus pensamentos foram interrompidos quando olho pra frente… Lucas masturbando-a loucamente no mesmo ritmo que sua cabeça subia e descia, fazendo o falo desaparecer entre seus lábios. Resumindo, ela estava lhe dando uma baita chupada de pau e o menino com aquela cara de satisfeito enquanto com uma mão agarrou minha enteada pelo pescoço e empurrou sua cabeça para baixo forçando-a a engolir inteira e exigindo mais velocidade. Era fácil ver que eles estavam no trabalho há algum tempo porque sua blusa estava enfiada sob aqueles peitos nus enormes que eram grandes demais… mas firmes e redondos, e que eu podia ver molhado e corado com sinais claros de mordidas em seus mamilos, além disso a velocidade com que ela chupou o pau me fez ver que era hora de fazê-lo gozar.

Ela pegou o pênis com as duas mãos na base e começou a movê-los em círculo sobre o pênis enquanto não parava nem por um segundo movendo a cabeça descontroladamente para cima e para baixo, deixando o pênis deslizar entre os lábios. De repente, o menino colocou as duas mãos na parte de trás da cabeça dela, forçando-a a colocar o máximo que podia na boca e mantendo tudo dentro. Ela parou de subir e descer, mas continuou movendo as mãos no momento em que os gestos e movimentos do cara indicaram claramente para mim que ele estava gozando em sua boca.

Fiquei pasmo. Eu não sabia o que fazer então só esperei ela terminar carinhosamente de limpar o pau dele com a língua, então os dois se aprontaram e conversaram por não mais que 3 minutos. Eles então tiveram um beijo longo e apaixonado e o menino se levantou e começou a sair indo em direção ao quarto onde acredito eu, que sua mãe devia estar dormindo em sono profundo. Na hora fiquei com raiva porque me parecia que ele só a tinha usado para descarregar a febre, mas ela estava muito feliz. Subi até a sala de TV e fiquei lá, mas não conseguia tirar a cabeça da cena que acabara de presenciar. como podia a noite ter tomado tal proporção? Menos de uma hora atrás, ela estava com o namorado, tempos depois a vejo mamando o primo de sangue…

Eu estava muito desorientada porque não achava que mesmo tendo o corpo espetacular de mulher que ela tem, minha enteada seria avançada em assuntos sexuais, pois sempre teve uma vida regrada pela mãe, justamente pelo acontecido na infância entre ela e o primo. Mas pelo jeito, o garoto tem influencias pesadas sobre ela… Mas também nunca tinha sentido Erika como filha. Talvez por isso continuei voltando para mim como ela chupou aquele pau e eu não pude deixar de imaginar o que o garoto sentiu. Também me surpreendi quando percebi que com a mão acariciava suavemente meu pau duro como ferro; quando de repente ouvi os passos dela que já estava subindo para seu quarto e liguei para ela.

Ela chegou ao quarto claramente assustada porque certamente não esperava que eu estivesse acordado, mas com um rosto tremendamente angelical que quem não a tivesse visto engolindo sêmen há 5 minutos nunca acreditaria que ela fosse capaz disso.

– Errr o que você está fazendo aqui?

– Você se lembra que eu moro aqui…?

– Claro… é só… eu pensei… que estivesse dormindo.

– Sim… isso é o que eu pude perceber, que você pensou também que tudo bem fazer coisas sujas…

Naquele momento eu a vi empalidecer e ela agarrou suas mãos tentando esconder seus nervos.

– Por que você me diz isso?

– Por quê?, você não sabe por quê? … Eu vi você Erika, eu vi vocês. Eu vi tudo o que aconteceu lá embaixo!!
Vi você mamando o cacete do seu próprio primo… Como é isso? Eu levei os dois para o quarto de hóspedes, deixei você com seu namorado sozinho, e quando desço me deparo com aquilo…
Você caindo de boca no pau de outro, pior, seu parente….
Nessa hora fui interrompido por sua pronuncia em prantos tentando me explicar que o namorado recebeu uma ligação de amigos e teve que sair, que isso a deixou chateada… Uma coisa levou a outra…

Na verdade, agora não sei se todos aqueles sentimentos era porque me senti realmente ofendida na minha própria casa, ou porque meu subconsciente já estava começando a deixar a outra ideia tomar conta, mas falei com ela com muita energia e rapidamente a vi assustada .

– Eu queria muito saber como seu namorado iria agir se soubesse do que aconteceu…
Eu não gostava e nem fazia questão de falar com o “namoradinho” dela, mas ali não me importaria de me aproximar pra levar vantagem..

Nesse momento as lágrimas começaram a escorrer por suas bochechas. Não sei, não sei o que aconteceu comigo, mas novamente as imagens do pênis desaparecendo em sua boca e agora a evidência diante de minhas mãos… me fizeram sentir tremendamente excitado.

Nesse momento me levantei e me aproximei dela, que permaneceu de pé sem dizer uma palavra e sem olhar para cima. Eu a peguei pelo queixo e a fiz olhar nos meus olhos:

– Você quer que ele saiba disso? Ou sua mãe, imagina o quanto ela ficaria decepcionada contigo…

– Não por favor!!! Não diga nada a ele e nem a ela, ele mataria o Lucas, minha mãe ficaria enfurecida comigo e me impediria de ver ele!!
– Você deve gostar mesmo desse seu primo né?
– Gosto.
– E o seu namorado? Gosta dele?
– Pode não parecer, mas eu amo meu namorado… Por isso estou chorando e com medo.
– Bem, você deveria ter pensado nisso antes de fazer o que fez…
– Por favor, não diga a ele… não seja malvado comigo… eu farei qualquer coisa!!!

A chicotada atingiu minha libido com força: “Eu farei qualquer coisa.” Silêncio. Ela me olha nos olhos; olha para baixo. Mais silêncio.

– Tem certeza? Qualquer coisa?

Ela não responde. Eu levanto seu queixo novamente e digo:

Você sabe que não é minha filha e eu nunca a vi como tal. Se você realmente quer que eu guarde seu segredo, você terá que merecê-lo.

– Que quer …?

– Eu quero… saber o que seu primo sentiu enquanto você o chupava.

Ela se mostrou um pouco confusa.

– Mas como? Você quer que eu pergunte a ele?

– Não querida, você não quer me entender… Eu quero “sentir” o que seu primo sentiu enquanto você o chupava.

Isso não era esperado. Sua boca caiu aberta e ela olhou para mim como se não tivesse certeza, mas no fundo ela entendeu a mensagem.

A conversa que se seguiu ocuparia espaço desnecessário nesta narrativa, então vou apenas explicar. Claro, a princípio ela recusou. Ela me disse que eu estava louco, que estava doente, que não a provoquei, que ela não era qualquer uma… Respondi a cada uma de suas defesas com outra ameaça, com outra provocação e assegurei-lhe que sua mãe nunca iria acreditar nela mais do que em mim. Ela chorou inconsolavelmente, me implorou; mas para mim a situação estava me deixando cada vez mais excitado e acho que depois de chorar e implorar, mas me vendo inflexível na minha determinação, ela acabou se convencendo de que não estava em condições de exigir e estava em condições de dar dentro.

e… se eu fizer… você não vai contar a ninguém?

– Ninguém, querida…

– Nem mãe nem meu namorado?

– A ninguém ….

– Bem… tudo bem… mas… seja rápido

Não podia acreditar !! ela tinha aceitado! O resto era como se fôssemos fazer um trabalho escolar entre pai e filha. Tirei completamente o short que estava vestindo e deitei na cadeira com as pernas esticadas e separadas. Ela se aproximou timidamente e se acomodou de joelhos entre as minhas pernas descansando as nádegas nos calcanhares. Ela agarrou meu pau com as duas mãos e olhou para ele por um momento, provavelmente pensando que era maior do que o que ela tinha acabado de chupar 10 minutos atrás.

Então, sem dizer nada, ele começou seu trabalho. Ele começou passando a língua suavemente ao redor de sua cabeça e para cima e para baixo suavemente ao longo de todo o seu corpo enquanto a segurava com a mão.

Então ela o empurrou em sua boca deixando-o deslizar entre os cantos de seus lábios e eu senti um choque de saliva quente correndo por todo o meu corpo. Ela começou a mover a cabeça para frente e para trás, deixando meu pau entrar e sair daquela boquinha e fazendo barulhos altos com sua saliva, enquanto com uma mão ela corria suavemente as unhas sobre minhas bolas e com a outra me masturbava o mesmo ritmo do boquete. Senti-me na glória… Olhei para baixo e vi aquela linda criatura chupando meu pau com dedicação fazendo barulhos altos e soltando gemidos suaves de vez em quando que me fizeram entender que ela também tinha começado a gostar. Aos poucos ela foi aumentando a velocidade do boquete e eu vi como ela ficou desesperado com o pau na boca;

Começou a lambê-los, passando de um para o outro e colocando-os na boca; então ela voltou para acomodar a ponta do pênis em sua boca e novamente continuou a mover a mão e a cabeça no membro. Ela o tirou novamente e levantou um pouco a cabeça, separando cerca de 5 centímetros da ponta do pau e soltou uma descarga de saliva da boca e observou enquanto ela escorria por sua cabeça, então ela levantou a mão e regou o resto… pingou no corpo do pênis e novamente o espetou em sua boca, chupando em um ritmo diabólico. Ela continuou assim por muito tempo, movendo a cabeça às vezes em movimento circular, às vezes para o lado, colocando a cabeça do pênis entre os molares de um lado para que eu pudesse ver como sua bochecha inflava do lado de fora.

Então ela se endireitou um pouco mais e pegou com as 2 mãos, aumentando o ritmo do boquete a uma velocidade que eu nunca pensei que aquela garota pudesse alcançar e percebi que ela estava pronta para terminar o trabalho. Ele continuou chupando e bombeando até eu não aguentar mais; Agarrei-a pelos cabelos e a puxei 10 centímetros para longe do meu rosto enquanto com a outra mão peguei meu pau e continuei me masturbando apontando para o rosto dela. Ela fechou os olhos e abriu um pouco a boca, timidamente esticando a ponta da língua… Soltei um tremendo fluxo de leite que a atingiu bem na testa e escorreu pelo nariz. Ela imediatamente abriu os olhos e chegou um pouco mais perto para receber mais três choques entre suas bochechas e um que foi direto para sua boca. Deixei seu rosto completamente cheio do meu leite,

Não há muito mais a dizer depois disso. Ela se arrumou e foi dormir e eu fiquei mais um pouco na frente da televisão pensando no que tinha acontecido. Não consegui dormir e até pensei que se já tivéssemos feito isso talvez ela me deixasse entrar no quarto e transar com ela, mas achei que era demais e antes de ir para a cama preferi me masturbar de novo logo antes da minha esposa chegar. Ao vê-la chegar, não pude deixar de pensar que sua filha era uma puta muito melhor do que ela. Talvez ela também seja uma foda melhor, mas vou ter que verificar isso mais tarde.

As coisas tomaram proporções deliciosas depois disso. Erika virou minha putinha particular!
Em uma dada ocasião especial, como hoje ando pelado pela minha casa quando é conveniente e exijo que ela não use nunca calcinha (pois amo passar a mão em sua bunda).
Decidi esconder uma câmera próximo ao banheiro e registrei um momento pra lá de diferente.
Consegui fode-la enquanto ela falava com o corninho do namorado ao telefone…
quer ver o vídeo?

É só copiar o link abaixo e colar em seu navegador…

sexoamadorx.com/padrasto-depravado-levantou-a-saia-da-enteada/

Me tornei mesmo um depravado

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,65 de 20 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder loucoporputaria ID:8ldl3wvt0a

    Puta que delícia e eu queria uma putinha assim pra mim tambem. Cara de solte