# # # #

Lição na prima (parte-5 Final)

1487 palavras | 0 |4.25
Por

Esse conto é fictício e contém estupro se não gosta não leia

Essa é a continuação de quando eu e meu amigo arrumamos minha prima e a irmãzinha dele

Eu escrevo pelo celular, então desculpa se houver algum erro de digitação.

Continuação:
Era por volta das 4 da manhã acordei e não consegui mais dormir, levantei fui escovar os dentes e comi alguma coisa.
Voltei para o quarto e não tinha oque fazer, olhei para a Alana e quis brincar um pouco então peguei o celular coloquei pra filmar e uma fita e coloquei bem devagar na boca dela.
Tirei a coberta de cima dela e me posicionei colocando meu pau na buceta dela, começei enfiar bem devagar ela dava uns gemidos enquanto dormia até que comecei a enfiar um pouco mais, ela começou a se mexer e eu continuava enfiando até que ela acordou e começou a tentar ir para frente, até que eu enfiei tudo ela deu um grito abafado e eu deixei ele lá dentro um pouco e comecei a bombar, ela se mexia e chorava e eu bombava um pouco devagar para não fazer barulho.
Ficamos ali por uns 20 minutos, virei ela e meti meu pau no cuzinho dela, entrou um pouco fácil porque ainda estava meio aberto ela começou a se mexer mais e ficar movimentando o corpo para os lados.
Segurei a cintura dela e comecei a meter no rabinho apertado dela, ela dava uns gritos abafados mais nada que acordasse o Alex e a Larissa.
Quando deu umas 6 da manhã Alex acordou me olhou a disse
-Já tá arrombando a putinha mano?

-É mano, tinha nada pra fazer vou comer essa puta

-Ta aí a muito tempo?

-Dês das 4 da manhã mano.

-Eita, e a putinha só aguentando

-Se não aguentar ela vai desmaiar e eu vou continuar socando.

-Você não tem dó em

-Tem que acostumar elas na rola mano
Então ele saiu e foi escovar os dentes e comer alguma coisa.
Eu continuei socando no rabinho dela e ela olhava pra mim chorando dando e uns gemidos tentando sair dali, eu ia aproveitar bastante o tempo porque eu não ia ter muito tempo pra brincar com ela quando minha mãe chegasse.
Depois de uns 30 minutos Alex voltou para o quarto, ele tirou a roupa e disse
-Vou participar também

-Entra aí, essas putinhas vão ser arrombadas o dia inteiro

Ele deitou na cama tirei meu pau do cuizinho dela levantei ela e coloquei a buceta dela no pau dele, ela deu outro grito abafado e eu soquei meu pau no cuzinho dela de novo, ela deu um grito que até revirou os olhos.
-Aguenta sua putinha

-Vai gostar de pica querendo ou não
Ele começou a mecher ela no pau dele e disse pra ela continuar fazendo aquilo se não a gente ia fazer coisa pior com ela.
Ela fazia aquilo chorando enquanto eu socava no rabinho dela, o corpo dela ia pra frente e ela dava uns gemidos chorando a gente continuou fazendo aquilo sem parar.
Eu batia na bunda dela e dava uma socada com força, os braços e as pernas tremiam sem parar, soquei meu pau inteiro dentro e gozei ela abriu os olhos e deu um grito abafado que me encheu de tesão.
Continuamos ali ate dar umas 9 horas, até que a Larissa acordou.
-A outra putinha acordou

-Vou brincar um pouco com minha putinha
Alex então levantou a Alana e foi ate a Larissa que estava sonolenta ainda deitada, ele subiu na cama e sem dó abriu as pernas dela e meteu a rola no cuzinho dela de uma vez.
Ela gritou com a cara assustada, ele já começou bombando forte e rápido sem nem deixar ela se acostumar.
Deitei Alana na cama com o rabinho pra cima e meti o pau no cuzinho dela de novo. Ela dava uns gritos abafados e eu comecei a bombar rápido também, tirei a fita da boca dela e meti sem dó ela gritava.
-Aaai, para, aii, tá doendo, para

-Isso grita sua puta

Dava tapas na bunda dela e socava tudo sem dó. Larissa ainda não tinha se acostumado a dar o rabinho, desmaiou em 3 minutos enquanto Alex arrombava o cuzinho dela.
Alana não desmaiou mais ficou gritando e levantando a cabeça tentando correr, segurei o cabelo dela e bombava meu pau naquele rabinho apertado tava metendo mais rápido e colocava até o fundo, a barriga dela levantava a cada socada e eu metia sem parar.
-Aii, para, tá doendo

-Ai que cuzinho gostoso, aguenta que você só vai descansar a noite.
Novamente meti tudo oque deu e gozei, o rabinho dela começou a vazar porra, peguei o celular e aproximei bem do rabinho dela tirei meu pau de dentro e filmei bem, o rabo dela estava arrombado vazando porra. Mais não tinha acabado, coloquei o celular em um ângulo melhor virei Alana e meti meu pau na bucetinha dela, ela revirou os olhos gritando, soquei tudo até o fundo o quadril dela subiu.
-Que bucetinha gostosa.

A irmã do Alex acordou, ele já estava metendo na buceta dela ela começou a chorar de novo e ele metia com força.
-Se eu soubesse que minha irmã tinha um cu e uma buceta boa dessas eu já teria arrombado ela antes.

A gente ficou Ali metendo até dar meio dia, Alana tava com o cuzinho aberto e com a buceta cheia de porra, a boca tava tão cheia que as bochechas estavam lotadas com porra vazando pelos cantos da boca, ela não tava nem aguentando engolir tudo.
Larissa estava com o cu arrombado vazando porra e sangue, a buceta dela transbordava porra e a cara dela tava toda melada.
Até que bateu a fome mandamos elas irem tomar banho, Alana foi bem devagar se segurando nas paredes com porra caindo do cu e da buceta.
Larissa não conseguia nem ficar em pé e foi de 4.
Enquanto elas tomavam banho a gente comeu umas fatias de pizza que o Alex tinha pedido mais cedo.
Levamos a pizza para a sala e comemos lá, elas saíram do banheiro e foram para a sala de segurando nas paredes.
-pronto tomaram banho agora podem comer

Alana e Larissa as sentaram com cara de choro e comeram, quando acabaram eu e o Alex levamos tudo para a cozinha e voltamos.
Elas estavam deitadas no sofá de bruços, deitei em cima da Alana e meti a rola no cuzinho dela de novo e tampei a boca dela pra ela não gritar alto, ela deu um grito abafado e eu comecei a bombar.
-Sem descanso pra você sua putinha

E fiquei metendo nela sem parar, Alex pegou a irmãzinha levantou uma perna e ficou metendo pica na buceta dela tampando a boca dela pra ela não gritar.
Elas reviravam os olhos, e se esticavam todas, eu metia na Alana sem dó com força e bem rápido.
Ficamos metendo nelas por 40 minutos, até que fui gozar soquei meu pau fundo nela dei um urro e gozei.
Ela respirava bem ofegante, virei ela e meti meu pau inteiro na bucetinha dela, tirei fora até cabeça e soquei de novo ela levantava o quadril gritando.
-Vou te fuder toda sua putinha

Alex metia na irmã dele igual louco, ela só gritava bem abafado com os olhos abertos e esticando os braços tentando sair dali.
-Sua safada, vou meter pica em você em casa também

A gente metia sem parar, passou uma hora senti vontade de jogar de novo enfiei meu pau fundo e gozei naquela bucetinha quente e apertada.
Continuei metendo nela e o Alex na irmã, tirei meu pau da buceta dela e voltei a socar no rabinho dela, e ela só gritava chorando, eu batia na bunda dela falando
-Sua putinha, vou continuar metendo em você até me cansar

Alex socou tudo no rabinho da irmã bem forte, ela se levantou na parte dos braços e gritava chorando, ele metia sem parar.
Ficamos nessa até 6 horas, elas estavam cobertas de porra elas desmaiaram de novo.
Abri a boca da Alana e dei a última gozada, preenchi a boca dela com porra e ela engoliu tudo mesmo desacordada.
Pegamos elas no colo e fomos tomar banho, brincamos com elas um pouco no banheiro também.
Acabamos e saímos colocamos nossas roupas e arrumamos tudo, Alex foi embora com a irmãzinha e eu coloquei a Alana na cama, minha mãe chegou e eu fiquei normal durante as madrugadas eu acordava e brincava um pouco com a Alana até ela ir embora.
As vezes eu ia na casa do Alex e a gente arrombava a irmãzinha dele.

Esse é o final do conto.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,25 de 8 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos