# #

De virgem e fogosa à putinha viciada em sexo (Parte 3) – Depois de escabaçada virei putinha! (Pt 2)

4737 palavras | 2 |4.33
Por

Como já havia contado no conto “Transei com 3 meninos do 9° ano!…”, eu já tive experiências lesbicas com minha melhor amiga Letícia que tinha 10 anos na época, eu tava com quase 11 e descobrindo sensação diferentes.

Tudo começou quando a gente tava no ônibus voltando pra casa, aí quando o ônibus parou em um sinal, eu vejo pela janela 2 garotas de uns 16/17 anos se beijando na parada de ônibus, aquela cena me deixou muito curiosa, eu que até aquele momento nunca me imaginava beijando nem sentindo atração por meninas, mas quando vi aquelas garotas, algo em mim mudou.

Aí olhei pra minha amiga e falei – Lêh?… Letícia olha lá. Aí ela olhou pra onde eu estava apontando e falou – São 2 meninas?. Eu – Ahã! rsrs… Vamos fazer igual?. Ela – Aqui no ônibus cheio?. Eu – Não… Quando a gente chegar na sua casa a gente faz tá?. Ela ficou uns segundos pensando, até achei que diria não, mas ela sorriu e falou – Tá bem.

Assim que chegamos na casa dela nós entramos e fomos correndo pro quarto dela, logo que entramos ela trancou a porta e sentou na cama, aí eu sentei ao seu lado. Nós ficamos uns 10 segundos nos olhando sem dizer uma palavra, até que ela aproximou seu rosto do meu bem rápido e me beijou toda desajeitada, sua testa bateu na minha e aí começamos a rir. Um tempo depois eu que já sabia perfeitamente beijar falei – Vamos devagar Lêh. Ela – Desculpa… Tô muito nervosa, rsrs.

Aí eu aproximei meu rosto do dela bem devagar e dei um selinho nela que sorriu, aí eu dei outro selinho nela, depois dei outro e mais outro nos ficamos uns 2 minutos trocando selinhos, aí eu comecei a chupar a boca de Letícia, fiz igual o menino que tirou meu BV fez comigo, eu ficava tentando colocar minha língua la dentro, aí ele abriu a boca e ficou me imitando, logo nossas línguas se encostaram num beijo bem molhado, desajeitado e verdade, mas muito gostoso também, pelo menos pra mim foi rsrs.

Uns 10 segundos depois eu finalmente larguei a boca de minha amiga, que tava com a respiração intensa, em seguida eu falei – Agora sim Lêh… Você acabou de aprender a beijar de língua rsrs… Que é como os adultos beijam, rsrs. Ele ainda ofegante sorriu e falou – Foi muito bom Anna!. Eu – Quer ir de novo?. Ela Vamos?. Eu – Tá bom. Em seguida nos beijamos de novo.

Assim foi que eu comecei a iniciar minha amiga que sempre soube da minha “fama”, porém nunca me perguntava como era a sensação que eu sentia, nunca até aquele dia.

Mais tarde gente tava jogando no PC dela que tava meio defeituoso, do nada ele desligava, mas isso acontecia com muita pouca frequência, aí eu tava jogando aquele joguinho do “Plantas vs. Zumbis”. Quando do nada ele pergunta – Anna… Porque você gosta tanto de fazer aquelas coisas com os garotos?. Eu – Quer mesmo saber?. Ela – Ahã!. Aí eu pauseu o jogo, em seguida falei – Deita na cama de barriga pra cima.

Logo ela deitou, aí eu sentei ao lado dela e comecei a alisar as coxas delas e fui subindo até chegar no shortinho dela, aí eu falei – Eu gosto de ser acarociada assim… Sentiu alguma coisa?. Ela – Sim!. Eu – Gostou – Ela – Acho que sim. Eu – E quando a gente de beijou sentiu uma coisa diferente?. Ela – Ahã… Senti uma coisa meio que “coçando” aqui ó!. (Disse apontando pra sua bucetinha). Eu – Isso que você tá sentindo se chama tesão Lêh… É quando a gente sente prazer ao fazer algo gostoso e também significa que sente-se vontade de fazer sexo?… Sabe o que é sexo?. Ela – Ahã… Já vi meu pai e minha mãe várias vezes fazendo sexo!.

Eu como era abusada perguntei – Quer fazer sexo comigo?. Ela – Dá pra fazer?. Eu – Claro que sim!. Ela – Pensei que só menino conseguia fazer sexo com menina. Eu – Menina também consegue fazer sexo com outra menina, mas é diferente. Ela – Diferente como?. Eu – Vou te mostrar um vídeo… Vem cá.

Em seguida sentamos em frente ao PC dela, eu na cadeira e ela na cama, aí abri o “xvideos” e digitei “sexo entre meninas”, em seguida cliquei no primeiro vídeo que era de 2 meninas esfregando suas bucetas uma na outra, aí eu falei – É assim que meninas fazem sexo!. Ela – Vamos tentar?. Eu – Outro dia tá… Preciso ir pra casa se não minha mãe me mata, porque não contei pra ela que viria da escola direto pra cá. Ela – Tá bom thau. Eu – Tchau Lêh. Aí eu fui pra minha casa toda pensativa com o que tinha acontecido entre eu e minha amiga naquela tarde.

Alguns meses se passaram, eu já estava com 11 anos. Um dia a gente tava no quarto dela deitadas na cama dela, eu estava ensinando ela tudo que eu sabia sobre sentir prazer. A gente já estava se beijando, enquanto isso eu ficava passando as minhas mãos por todo o corpo dela que já estava com a respiração mais intensa.

Eu ficava alisando a barriga dela e subia até seus peitinhos que ainda não existiam, só tinha os biquinho que estavam bem pontudinhos, em seguida eu desci a mão por sua barriga até chegar no shortinho rosa que ela usava.

Logo eu enfiei minha mão por dentro do shortinho e comecei a alisar a sua bucetinha por cima da calcinha que ela tava usando, minha amiga gemia baixinho e se contorcia todinha, ela olhou pra mim com cara de prazer linda misturada com surpresa, aí falou – Que isso Anna?. Eu – Tô te masturbando sua bobinha… Não gostou?. Ela – Não, eu gostei sim, gostei muito Anna… Pode continuar.

Eu então continuei masturbando minha amiguinha, aí eu peguei a mão dela e coloquei dentro do meu shortinho e da minha calcinha e falei pra ela me masturbar também, assim nós ficamos uma masturbando a outra por um tempão, até que ouvimos a mãe dela batendo na porta e dizer que minha mãe estava me chamando. Eu então me ajeitei e ela também, em seguida me despedi de minha amiga e aí voltei pra minha casa.

Sempre que eu ia na casa dela eu mostrava algo novo pra ela, as vezes ela vinha aqui e eu mostrava mais coisas, algumas vezes ela dormia aqui e outras eu dormia na casa dela, e nessa vezes que “dormiamos” juntas a gente ficava bastante tempo “namorando”, já peladinhas, pois assim era melhor, rsrs.

Nós ficávamos a madrugada quase toda se beijando e masturbando uma a outra. Foi nesse tempo que descobri que eu também sentia atração por meninas, foi algo muito confuso pra mim, mas foi também muito bom, muito bom mesmo rsrs. Eu estava prontinha pra virar uma menina lésbica, adorava namorar com minha amiguinha, rsrs, mas aí o irmão da minha amiga me lembrou o quão bom era bom ser tocada por um “homem” e porque eu tinha virado tal putinha.

Foi assim: Uma vez eu fui fazer um trabalho da escola na casa de uma amiga, e o irmão dela, Matheus que tinha 16 anos também sabia da minha fama, rsrs.

Um tempo se passou e a minha amiga teve de sair para comprar mais folha A4, porque os que ela tinha haviam acabado. Uns minutos depois vejo o Matheus na porta do quarto que era dele, pois eu e minha amiga estávamos usando seu PC, já que o da minha amiga tinha dado defeito.

Aí ele chegou por trás de mim e começou a me alisar, foi direto em meus peitinhos, eu nada falei, aí ele foi descendo por minha barriga até chegar em minha bucetinha, ele ficou alisando ela por cima da minha calcinha, pois eu estava com um vestidinho bem curtinho rsrs.

Em seguida Matheus fez-me ficar de joelhos na cadeira, aí ele desceu a minha calcinha e ficou rodeando meu cuzinho com seus dedos, enquanto isso beijava meu pescoço e mordia as minhas orelhas, fazendo eu me arrepiar todinha.

Aí ele começou a me xingar, dizendo – Sua putinha, vadiazinha, tão novinha e já é um piranha… Eu sei o que você e minha irmã andam fazendo sua safadinha lésbica.

Depois ele começou a enfiar um dedo em meu cu e ficou fodendo ele por um tempinho, eu gemia e dizia – Aaah, sabe é?. Ele começou a dar mordidinhas em meu pescoço e falou – Sei sim… Você tá querendo levar minha irmã pro mesmo caminho que o seu?… Quer fazer dela uma putinha igual você é?.

Ao mesmo tempo que dizia isso dava tapas em minha bunda e me arranhava de leve. Eu que tava começando a gostar daquela “agressividade” dizia – Aaah, me fode logo seu putinho. Aí eu senti seu pau roçando em minhas costas, em seguida ele girou a cadeira, me fazendo ficar de frente pra ele, logo que vi aquele seu pau todo duro na minha frente eu não pensei 2 vezes, coloquei ele na minha boca e comecei a chupá-lo, aí Matheus sorri e diz – Sabia que você ia fazer isso, sua safadinha.

Eu fiquei pouco tempo chupando ele que tava cheio de tesão, ele logo me pegou pela cintura e me colocou em cima da mesa de frente pra ele que se abaixou na minha frente e começou a chupar a minha bucetinha.

Em seguida ele enfiou seu pau de uma vez na minha bucetinha, logo começou a me foder, e assim ficou por mais de 10 minutos, (isso só foi possível porque a papelaria ficava longe e minha amiga ainda era uma lerda, rsrs). Trajeto esse que eu faço em 15/20 minutos ela fazia em mais de meia-hora, e isso foi muito bom rsrs.

Logo aquele safado falou que tava gozando, aí eu pedi pra gozar na minha boca pois adorava beber leitinho, rsrs. Ele então me sentou em sua cama e ficou bem na minha frente, logo comecei a chupar seu pau que tava bastante babado, em menos de 1 minuto ele gozou e eu engoli tudinho, engasguei um pouquinho, mas não deixei uma gota sequer cair no chão.

Em seguida ele deitou na cama e me chamou pra cavalgar nele, eu logo subi em cima dele, aí coloquei seu pau na direção da minha bucetinha e desci de uma vez, fiquei um tempinho cavalgando no pau dele, gozei 2 vezes, mesmo assim continuava cavalgando, aí ele pediu pra eu parar, em seguida me ergueu um pouquinho e começou e foder minha bucetinha com força.

Aí quando eu olho pra baixo vejo seu pau entrando e saindo da minha bucetinha numa velocidade bem rápida, enquanto isso ele dava tapas em meu rosto, e também me beijava, ele ficava alternando entre um tapa e um beijo.

Um tempo depois ele me fez deitar de bruços na sua cama, aí ele se ajeitou atrás de mim, enfiou seu pau na minha bucetinha e continuou me fodendo com força e até com um pouquinho de agressividade.

Ele me dava tapas um pouco fortes, me arranhava todinha e dava mordidas em meu pescoço e em minha bunda também, mas ele não fazia aquilo para me punir, eu achava isso, rsrs.

Até porque eu não sentia nenhum pouquinho de dor quando ele me batia, arranhava ou mordia, eu sentia apenas prazer, tanto que eu gemia e pedia mais, eu dizia – Aaah, me arranha mais Matheus, me bate e morde meu pescoço também… Me chama de tua putinha e me fode com força. Ele – Você é minha putinha… Eu – Sou sim. Ele me bateu por o interromper e falou – …Cala a boca sua putinha, você vai ser muito fodia hoje, quem mandou levar a minha irmãzinha inocente pro mal caminho.

Ele ficou por um bom tempo me fodendo e me batendo, eu gemia e pedia “mais forte”. Logo Matheus gozou, mas antes ele tirou seu pau e gozou em mim todinha, gozou na minha bunda e em meus cabelos, eu fiquei toda coberta com a porra dele.

Depois de me foder e bater bastante Matheus saiu do quarto, acho que foi ao banheiro, enquanto isso eu me vesti e voltei à fazer o 1° dos 2 trabalhos que eu e minha amiga precisávamos fazer naquele dia, onde só faltava colocar o título.

Logo que coloquei o título vejo minha amiga entrando pela porta, aí ela olhou pra mim e falou – Porque você tá toda suada?. Eu – Fecha a porta. Assim que ela fechou a porta eu falei – Seu irmão… Ela – O que que tem ele?. Eu – …Ele entrou aqui e falou que sabia das coisas que a gente fazia… Aí ele me comeu… Nossa tô toda dolorida amiga, ele tava tão agressivo, eu to cansada demais rsrs.

Ela de olhos arregalados apenas falou – É O QUEEEE?. Aí eu tirei minha blusa pra mostra os arranhões e falei – Tá vendo o que ele fez?. Ela – Ele te bateu Anna?. Eu -Ahã, mas não foi desse jeito que você tá pensando não, e outro bater, e eu gosto de apanhar rsrs. Ela – Você é doida demais viu. Eu apenas sorri e falei – Vamos terminar o trabalho vamos.

Aí nós rimos um pouco e começamos a fazer o 2° trabalho que só terminamos quando já era 20h, aí como já era tarde pra voltar pra minha casa, pois moro longe da casa da minha amiga, eu fiquei para dormir lá.

É assim até hoje, meu irmão me come todo dia, sempre que meus primos vêm aqui ele me comem também, na rua eu dou pros garotos durante as brincadeiras, quando vou na casa da minha amiga a gente namora um pouco, em seguida eu dou pro Irmão dela.

Eu ia pro quarto do meu irmão toda noite, aí deitava com ele, logo começavámos a namorar, ficávamos nos beijando por bastante tempo, em seguida eu chupava seu pau e ele chupava minha bucetinha, depois eu ficava de 4 e ele comia meu cuzinho e minha bucetinha, aí eu pedia pra ele deitar na cama, em seguida eu colocava seu pau na minha bucetinha e descia de uma vez, aí eu começava a cavalgar e ali ficava até o sono chegar, várias vezes o sono demorava a vir e a gente ficava transando por horas. Teve uma vez que nós dois ficamos a madrugada inteira transando, nós só fomos parar quando já estava amanhecendo.

Uma vez até meu o Paizinho querido não consegiu resistir às minha provocações. Eu tinha acordado de madrugada e tava caindo uma tempestade, trovejava e ventava bastante, aí eu fui até o quarto dos meu pais, mas antes de sair do meu quarto eu tirei meu shortinho e minha blusinha e entrei no quarto só dos meu pais só calcinha, aí eu falei que queria dormir com eles, pois eu tava assustada com os raios (tudo mentira), eu só queria dormir agarradinho com meu papai que logo disse para eu subir.

Aí eu subi e me coloquei entre o meu pai e a minha mãe, aí eu me virei de costas pro meu pai que se ajeitou atrás de mim, logo a gente estava de conchinha, aí eu peguei a mão direita dele e a coloquei na minha barriga.

Um tempo depois ele a alisá-la, o suficiente pra me deixar excitada, logo eu comecei à rebolar no pau do meu pai que ja estava duro igual uma barra de ferro, aí ele murmurou em meu ouvido – Para Anninha, por favor, eu não quero fazer isso. Eu não parei, aí eu peguei na mão dele e enfiei dentro da minha calcinha e aí falei – Ela tá molhadinha papai!… Tá querendo o seu pau paizinho.

Aí ele começou a esfregar o seu pau na minha bunda, ao mesmo tempo ele começou a me masturbar, aí eu sem querer soltei um gemidinho, nisso meu pai tapou minha boca rapidamente e sussurrou em meu ouvido – Silêncio Anninha, quer que tua mão acorde?. Eu falei baixinho – Me desculpa papai. Ele – Tá tudo bem minha princesa. Aí eu sussurrei – Me come papai.

Aí ele tirou seu pau pra fora e ficou esfregando ele na minha bucetinha por um tempão, eu acho até que tava acontecendo um guerra sangrenta na cabeça dele, pois ele por várias vezes chegou a colocar a cabeça pra dentro, mas logo tirava, até que numa dessas vezes que ele enfiou a cabeça do seu pau na minha bucetinha, eu joguei minha cintura pra trás fazendo o pau do meu pai entrar mais da metade em minha bucetinha, nisso eu ouvi ele urrar deliciosamente em meu ouvido.

Ele ficou uns segundos parado, só beijando o meu pescoço e me masturbando, aí ele começou a empurrar o restante do seu pau que logo estava todo enfiado dentro de mim, pois eu pude sentir sua barriga encostar em minhas costas, aí ele ficou mais um tempinho parado.

Um tempo depois ele começou o vai-e-vem, no começo ele foi bem devagarinho, ao mesmo tempo ficava beijando o meu pescoço e acariava meu rosto, me chamava de minha princesa linda e tals, aí eu disse pra ele ir mais rápido, ele logo atendeu meu pedido e acelerou as bombadas.

Meu paizinho ficou por mais de meia-hora me fodendo, eu gemia bem baixinho pra minha mãe não acordar e ver o seu homem comendo a sua filhinha, logo eu disse – Papaizinho, eu tô gozando. Aí ele acelerou ainda mais, e segundos depois eu gozei e disse – Aann, eu gozei papai, eu gozei no teu pau.

Um tempo depois foi a vez do meu pai anunciar que tava gozando, ele disse – Eu vou gozar Anninha. Em seguia ele tirou seu pau de dentro de mim, aí me fez ficar de barriga pra cima e começou a se masturbar, em segundos ele gozou bem em cima da minha bucetinha.

Um tempo depois eu fiquei de joelhos 3 vesti minha calcinha, em seguida meu pai pegou seu celular que estava na cabeceira da cama, aí ele apontou a luz na minha direção, depois apontou pro lençol que estava melado com o gozo que havia saído de mim.

Depois eu aproximei meu rosto do rosto do meu pau, aí dei um selinho nele e disse – Te amo. Aí ele disse – Também te amo minha princesa. Em seguida eu saí da cama e fui na diração da porta, aí abri e quando tava fechando eu vi meu pai fazendo gesto de silêncio com o dedo indicador na boca, pra eu não contar pra ninguém, eu apenas sorri e pisquei pra ele, em seguida fechei a porta e fui pro meu quarto.

Uns dias depois, minha mãe que trabalhava com enfermeira em um hospital teve de ficar de plantão a madrugada inteira, aí quando era umas 22h, estávamos eu meu pai e meu irmão Igor na sala assistindo um filme, naquele dia meu irmão mais velho tinha ido até a casa de sua namorada e disse que ficaria para dormir lá.

Um tempo depois meu pai disse que estava na hora da gente dormir, aí eu falei – Posso dormir com você?. Ele olhou pra mim e ficou uns segundos em silêncio, devia estar pensando no que tinha ocorrido dias atrás, rsrs, aí eu pensei que ele diria não, então falei – I Igor pode dormir lá também?. Aí ele sorriu e falou – Claro que pode, vamos.

Aí nós fomos pro quarto, logo eu me deitei no meio da cama, naquele dia eu tava usando uma camisa do meu Irmão mais velho que em mim ficou parecendo um vestidinho curto, e eu deitei de forma que meu pai podia ver que eu tava sem calcinha, rsrs.

Em seguida meu irmão subiu na cama e deitou à minha esquerda, onde minha mãe costuvama se deitar, enquanto meu pai de deitou à minha direita, aí eu logo virei-me de ladinho com minha bunda virada para o meu pau que logo se ajeitou atrás de mim e ficou abraçado à mim, fazendo a gente ficar de conchinha, logo eu pude sentir seu pau já meio duro encaixado perfeitamente no meio da minha bunda, enquanto isso eu puxei meu irmãozinho para bem pertinho de mim e aí comecei à fazer carinhos nele.

Um tempo depois eu levantei a camisa, aí eu peguei na mão do meu pau e à coloquei em minha bucetinha, em segundos o pau do meu pai já tava duro igual uma rocha e já tava pra fora do short dele que dizia em meu ouvido – É bom que tua mãe nunca saiba que a filhinha dela é uma menina safadinha, caso contrário ela ficará muito triste, ouviu Anninha?. Eu – Ouvi sim papai.

Logo ele começou a enfiar seu pau na minha bucetinha, em segundos ele já tava todo enfiado em mim que gemia baixinho e agarrava os lençóis da cama, pois, por mais rodada que eu fosse, aquela era apenas a segunda vez que eu tava sendo penetrada por um pau de alguém adulto, eu até sentia uma dorzinha, mas que logo sumiu.

Aí meu pai percebendo que minha bucetinha já tinha reacostumado com seu membro, começou o vai-e-vem, e enquanto meu pai me comia eu que tava “acariciando” meu irmão, tirei seu pinto já durinho pra fora e comecei a masturbar ele.

Logo meu pai viu e falou – O que é isso Anna?. Eu – Ele gosta quando eu faço isso nele pai! O senhor deixa?. Ele – Mas filha seu irmão é muito novinho pra tá experimentando isso?. Eu – Mas ele tá gostando pai, olha. Aí ele olhou e viu a carinha de prazer que seu filhinho fazia e disse – Tá bem, mas não conta nada disso pra ninguém tá filho?… Nem pra mamãe, tá?. Aí meu irmão apenas acenou positivo com a cabeça.

Aí nós continuamos com a nossa putariazinha, em menos de 2 minutos senti que o pintinho do meu irmãozinho amoleceu assim como ele que tinha caído no sono, e segundos depois eu gozei, aí meu pai tirou seu pau de dentro de mim e gozou em minhas coxas e bunda, mesmo assim eu senti que o seu pau continuava duro, pois ficava me cutucando, aí eu falei – Papai, eu posso cavalgar em ti?. Ele – Como que você sabe disso Anna?. Eu – Ah pai, eu vejo na internet. Aí eu falei novamente, dessa vez com a voz levemente alterada pelo tesão que eu tava sentindo naquele momento – Posso cavalgar papai?. Ele – Vem logo sua safadinha.

Aí eu subi em cima do meu pai que encaixou seu pau na minha bucetinha e enfiou de uma só vez, novamente senti uma dorzinha que logo sumiu, aí eu comecei a cavalgar, mas eu fiquei pouco fiquei pouquíssimo tempo cavalgando no pau dele, logo que gozei eu perdi minhas forças, mesmo assim tentei continuar, eu comecei a cavalgar de novo, mas não aguentei nem 5 segundos.

Aí meu pai percebendo que eu queria continuar, mas tava sem força nenhuma, então ele falou – Para um pouquinho e deixa comigo tá?. Eu – Tá bem papai. Aí dei um selinho nele e me abracei à ele que me ergueu um pouquinho e começou e foder minha bucetinha com, e assim ficou por uns 5 minutos.

Logo eu já tava gozando de novo, em segundos meu pai gozou também, mas antes ele me levantou fazendo seu pau sair da minha bucetinha, e assim que saiu voaram 3 esporros do seu gozo direto na minha cara, em seguida ele limpou o meu rosto e me deitou na cama, ele queria me lavar para tomar banho, mas eu tava muito cansada, então ele me fez ficar abraçada com meu irmãozinho, enquanto ele ia pro banheiro tomar seu banho, eu nem lembro de ver ele voltando e deitando na cama, dormi uns 30 segundos depois que vi ele entrar no banheiro do quarto.

Uns dias atrás eu estava no clube onde faço natação (só faço pra ficar mais gostosinha pros meu garotos, rsrs). As aulas começavam as 13h e iam até as 14:30h, e eu ainda ficava uma meia-hora à mais. Aí eu tava no vestiário tomando meu banho, quando senti ser abraçada, aí quando olho pra trás vejo meu irmão que estava ali para me buscar, ele estava completamente e de pau duro.

Aí eu me ajoelhei e comecei a chupar seu pau, e assim fiquei pro uns minutos, em seguida eu fiquei de 4 na frente dele que se ajoelhou atrás de mim, se ajeitou, aí enfiou seu pau na minha bucetinha e ficou um bom tempo me fodendo. Logo ele tirou seu pau de dentro de mim e gozou na minha bunda, em seguida tomamos um banho bem rápido e fomos pra casa.

Hoje mesmo (16/6/2020), eu tava nadando na piscina aqui em casa, aí do nada veio em minha mente a idéia de chamar a minha amiga, aí eu entrei em casa e liguei pra ela que topou na hora. Logo eu voltei pra piscina, dessa vez tirei meu biquíni e entrei peladinha, rsrs.

Uns 20 minutos depois minha amiga chegou, aí eu falei – Entra aqui comigo. Ela – Não trouxe biquíni. Eu – Entra pelada então… Eu to pelada. Ela – E se alguém nos ver?. Eu – Eu to sozinha… Quer dizer nós estamos sozinhas, rsrs. Aí ela começou a se despir e enquanto tirava sua roupa fui ficando com tesão, quando percebi já tava me masturbando. Logo ela tava peladinha e aí entrou na piscina, aí eu comecei a jogar agua nela que fez o mesmo.

Um tempo depois eu me aproximei dela e comecei a alisar seus braços enquanto olhava nos seus olhos, em seguida à beijei (selinho), ela sorriu e me beijou de volta, em segundos já estávamos nos beijando de língua, ao mesmo tempo uma masturbava a outra.

Nós ficamos um tempinho namorando na piscina, aí eu falei – Vamos pro meu quarto?. Ela – Vamos. Então nós fomos pro meu quarto e lá ficamos a tarde inteira namorando até minha mãe chegar do trabalho.

Até hoje a minha querida mãe acha que eu ainda sou virgem, rsrs… Ela vive me contando várias coisas, tipo: filha seu corpo tá passando por mudanças, e os garotos vão começar a te olhar diferente, não é pra eu deixar eles te tocarem e nem pra fazer as coisas que eles lhe pedirem, e etc… Eu até rio um pouquinho, porque chega até ser engraçado ela achar que eu sou virgem, eu uma putinha de 11 aninhos bastante rodada e com minhas inúmeras “experiências”, rsrs.

Minha mãezinha mal sabe que eu adoro ser tocada e fodida pelos garotos rsrs, que eu sou uma putinha, que o meu irmão mais velho, filho querido dela me toca e me fode também, e que o seu caçulinha de 8 aninhos tão amado e mimado já foi chupado e descabaçado por mim, e por fim, até o seu marido já comeu a sua filhinha também, rsrs.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,33 de 3 votos)

Por # #

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Rafaella

    Que delicia de puteenha.. mas não chupou a ppk da amiga ? que desperdicio.
    Beijos

    • PestinhaCR

      Você é uma delicinha. Vamos trocar emails.. Quero te mostrar umas coisas.
      [email protected]