# #

Descobrindo a safadeza com a namoradinha adolescente [9]

3395 palavras | 1 |4.71
Por

Um pouco mais tarde estávamos os três na cozinha, já vestidos e comendo um lanche que a mãe de Thays havia preparado, ambos conversavam animadamente e eu não falava muito, ficava apenas pensando sobre o que havia acabado de testemunhar. Como já havia falado tudo aquilo era muito novo pra mim, estávamos todos em idade de descobertas, e tudo estava acontecendo muito rápido, o que já tinha colocado na cabeça era que minha namorada era uma putinha mesmo, e ia entrar de cabeça e deixar rolar, e também aproveitar quando pudesse, mas até o momento tudo havia acontecido em uma “área segura” com apenas os parentes dela, meus primos, ou pessoas desconhecidas, quando envolvia um amigo meu dessa forma, da escola, da minha sala, as coisas eram um pouco diferentes.

Thays tinha se mostrado tão safadinha que eu nem conseguia ficar tão puto com João pelo que rolou, afinal eu mesmo já tinha comentado com ele como ela era putinha (sem muitos detalhes), éramos todos bem jovens, e pra ser sincero, ninguém no mundo iria resistir uma delicinha daquela de 14 anos se jogando pra cima. Como sempre, deixei esses pensamentos de lado e decidi apenas deixar rolar, e ver o que ia acontecer.

Thays me falou que aquele dia eu não poderia ficar ali pra dormir prque eles iam sair ou algo assim, mas ficou autorizado de nós três ficarmos mais um pouco se quiséssemos, assistir um filme ou algo assim. Se Thays já usava roupas escandalosas em público, imagina em casa, ela havia colocado uma calcinha de seda que era não muito pequena mas super fina, e por cima um shortinho desses de academia, meio velho, super colado, que desenhava perfeitamente os lábios de sua xotinha, e apenas um topzinho colado empinando seus peitinhos pequenos. João não perdia a oportunidade de encarar, e ela também se exibia, ficando em pé ao lado da mesa com a bucetinha desenhada bem à mostra, se curvando para empinar a bundinha, etc.

Depois de comer fomos ver um filme, Thays avisou a mãe que iríamos para o quarto dela por causa do ar condicionado, sua mãe nem deu bola e assim fomos. Ela tinha cama de casal e TV no quarto, entrei primeiro e decidi me deitar lá na ponta da cama, ao invés do meio, estava na minha só vendo no que ia dar. João se sentou na outra ponta da cama enquanto Thays ligava a TV e o DVD, então ela veio pela cama engatinhando pra deitar do meu lado, no meio, e falou pra João que não precisava ficar com vergonha e era pra se sentir em casa, então ele se deitou ao lado dela, na outra ponta. Assistimos uns 15 minutos de alguma comédia qualquer, rindo e conversando, quando o ar condicionado que Thays gostava de deixar no máximo, começou a deixar o quarto bem frio, ela ficou de 4 na cama se arreganhando toda e puxou um lençol para nos cobrirmos.

O clima era descontraído, entre amigos, sempre tive uma boa relação com Thays e sua familia, e vice-versa, ela era uma pessoa bem “física”e calorosa com as outras pessoas, então era de sua natureza beijos, abraços, carinhos e etc, mesmo que as vezes fosse sem segundas intenções (o que não era o caso). Então entre conversas descontraídas e piadas, nós três ficamos bem juntos quando ela puxou o lençol, eu não tinha abraçado ela, estava com minha mão repousando sobre suas coxas, sentindo o calor da xaninha, então não pude perceber muito bem qual era o nivel de aproximação dos dois por baixo do lençol, mas como João já tinha enchido a mão na bunda da minha namoradinha momentos antes, imaginei que nem faria sentido me preocupar.

Durante o filme pude perceber alguns poucos movimentos dos dois, tive a impressão que Thays repousava sua mão sobre o corpo dele de alguma forma, em um momento, mas não tive certeza. De vez em quando eu puxava ela pra uns beijos quentes só pra apimentar a situação, fazendo leves carinhos em sua bucetinha por cima do shorts pra deixar ela taradinha. João brincava que não gostava de ficar de vela, e estava sendo deixado de lado, nós só ríamos e Thays falava “Tadinho amor, para” mas logo me beijava de novo. O filme acabou, e como ainda estava cedo pensamos em ver mais um, Thays saiu de baixo do lençol para trocar o DVD, e nesse momento percebemos que seu shortinho estava extremamente enfiado na bundinha, era de um tecido bem fino então ficava extremamente sensual, marcado todos os formatos de sua bundinha e buceta. Thays era magrinha (não magrela), tinha barriga sequinha, bundinha naõ muito grande mas empinada e de formato perfeito, e possuía o famoso “tight gap”, que é quando as cochas são torneadas e ficam separadinhas na altura da bucetinha, dando pra ver tudo mesmo quando está de costas.

Eu e João continuamos deitado na cama apenas apreciando aquela bundinha desfilando na nossa frente, até nos entreolhamos sorrindo safados em dado momento. Logo ela voltou, e quando se jogou deitando no meio de nós, parece ter ficado com a perna por cima da de João, pra desbaratinar, ela colocou a outra perna por cima da minha também, ficando com as pernas arreganhadinhas, mas por baixo do lençol. O segundo filme prosseguia com mais algumas safadezas, dava pra ver bastante proximidade por parte dos dois, disfarçado de brincadeiras. Eu não parava de acariciar e beijar Thays só pra zoar, então depois de eu ter dado mais um beijão de língua ouvimos mais protestos de João de brincadeira, reclamando que ele devia ter trazido alguém também.

“Ooh, tadinho dele” disse Thays, dando um beijo em sua bochecha, logo virou pra mim e falou “Amor, cada beijo nosso vou ter que dar um beijinho no rosto do João também pra ele não ficar tão triste”. Apenas dei risada da safadeza dela e levei como brincadeira. Dito e feito momentos depois, após outro beijo nosso, ela virou rapidamente pra João e deu um demorado beijo em seu rosto, próximo da boca, virou pra mim rindo e mostrando a língua e continuamos assistindo. Isso se repetiu mais umas três vezes, sendo cada beijo no rosto dele mais demorado e mais próximo da boca.

Mais ou menos na metade do filme, meu celular tocou, e era minha mãe precisando resolver algumas coisas comigo e talvez eu iria ter que ir pra casa (obviamente eu levaria João junto pra não deixar ali) pedi licença e saí do quarto pra atender, e falei que não precisava parar o filme. Passei pelo corredor e fui em direção a sala pra atender, e vi que talvez não precisaria voltar pra casa, poderia ajudar minha mãe pelo telefone mesmo (que estava tentando fazer algo pela internet) mas iria levar um tempinho.

O quarto de Thays tem um tipo de sacada/varandinha, que é facilmente acessável pelo quintal, é só sair pela sala na porta da frente, pular uma cerquinha pequena e já estava ali. Conversei com minha mãe encostado ali na porta da frente, tentando espiar os dois, e até que não demorou muito, quando desliguei o telefone, pulei rapidamente a cerquinha me posicionando na sacada. Já estava meio escuro, então a luz acesa do quarto o deixava bem exposto pra mim, além disso havia uma cortina grande na porta de vidro, com uma pequena fresta pra eu espiar. Naquele momento consegui ver os dois novamente conversando e rindo baixinho, bem próximos, estavam com apenas metade do corpo coberto pelo lençol, deitados na cama encostados na cabeceira. Pude perceber que João sem perder tempo já estava com mão na bucetinha de Thays, não sei se por cima ou por baixo do shorts, mas tinha minhas suspeitas. Eles umas duas vezes tinham se beijado de língua bem rapidamente, mas Thays ficava receosa olhando na direção da porta que estava encostada. Foi nesse momento que tive uma ideia.

Voltei ao quarto e falei pra Thays:

– Amor, vou ter que ir ali ajudar minha mãe em um negócio, mas é rápido e eu logo volto ok?

Ela até perguntou se queria que eu parasse o filme, ou que João fosse junto comigo, mas eu prontamente falei que não precisava e que em uns 30 minutos estaria de volta, e saí. Passei pela cozinha e avisei a mãe dela que logo eu voltava, pedi o controle do portão, peguei minha bicicleta e realmente saí na rua. Mas depois de o portão se fechar, entrei e deixei minha bicicleta no terreno baldio ao lado, pulei o muro lateral da casa, e voltei ao meu lugar na varanda, bem a tempo de ver Thays voltando em direção a cama, vindo da porta, provavelmente a putinha tinha ido trancar.

Como eu tinha falado 30 minutos, os dois safado nem perderam tempo, João já tinha tirado o lençol de cima do seu corpo e já estava com o pau pra fora, Thays veio engatinhando na cama pra cima dele e os dois se beijaram com voracidade, em segundos, Thays desceu e abocanhou o pau dele (mais ou menos do mesmo tamanho que o meu) e começou uma senhora gulosa. Os dois aparentemente não queriam perder tempo, porque em menos de um minuto, durante o boquete, João puxou a cintura de Thays em sua direção, baixou o shortinho revelando aquela bunda e bucetinha lisinhos, ficou admirando alguns segundos e caiu de boca, engatando os dois em um 69.

Haviam se passado menos de 10 minutos desde minha saída, foi aí que tive uma idéia. Pulei o muro de novo, recolhi minha bicicleta, e fiz que estava chegando na casa, abrindo o portão com o controle. Passei pela cozinha e devolvi o controle falando que tinha sido mais rápido do que imagina, e fui em direção do quarto fazendo barulho. Meu coração batia forte pois nem eu sabia muito bem o que queria, se queria flagrar os dois ou não. Mas no momento que abri a porta, percebi que os dois safados eram rápidos e estavam atentos. Os dois já estavam cobertos até a cintura pelo lençol e fingindo que assistiam o filme, apesar de estarem um pouco ofegantes e suados fingi que não percebi, entrei do lado de Thays em baixo do lençol e já cheguei dando um beijão em sua boca, assim que nos separamos, ela me olhou safada dizendo “Amoor, sabe como é né kk” e se virou para João beijando a lateral de sua boca, meio que demoradamente.

– Eei, isso aí é pra ser no rosto ou selinho? – Fingi que protestei.

– Ahh não sei, não combinamos nada, não sei o que ele quer kkkk – Ela disse com seu tom de safada, eu só revirei os olhos e puxei ela pra mais um beijão.

Mais um protesto de João, mais um beijo que Thays se virou pra dar nele, dessa bez beijando quase metade da sua boca em um quase selinho mais demorado. Enquanto isso peguei o lençol que estava por cima de nossas cinturas e abaixei mais, deixando na altura de nossos joelhos. Safadamente e de um jeito brincalhão comecei a “ajeitar” o short de Thays ali na frente de João mesmo, dizendo “Você sabe como que eu gosto amor, deixa eu arrumar” e puxava pra cima, desenhando bem a sua bucetinha. “Amooor o João tá aqui” ela fingiu reclamar, ignorei e continuei “ajeitando”, puxando mais pra cima, fazendo até aparecer as laterais de sua bucetinha. Soltei e dei uma acariciada por cima, e falei “Tá sem calcinha amor? Que tecido fino” E puxei a barra do seu shorts pra cima, expondo toda a calcinha pequena aos nossos olhos.

– Para seu safado – Disse ela com um sorriso, sem convencer ninguém.
– Ué o que tem? Você tava com aquele biquini minúsculo até agora pouco desfilando pra gente, qual a diferença? Essa calcinha é até maior que o biquini. – Falei.
– Ahh seilá, tem diferença sim eu acho kkk.
– Nem tem, olha só – E puxei o shorts rapidamente até a altura de seus joelhos deixando ela só de calcinha para nosso deleite.
– Amorrrr – Ela fingiu protestar com aquele gemido de putinha, fez que ia puxar o shorts de novo mas eu nao deixei, e terminei de tirá-lo.
– Tudo bem ué você que sabe – Ela se encostou novamente na cabeceira, com cara de safada.

João só dava risada e encarava, me encostei novamente do lado dela, e fizemos que ainda estávamos assistindo o filme, mas o clima no ar era de pura putaria. Continuamos com as brincadeiras de nos agarrarmos e ela compensar a agarração com beijos em João, mas dessa vez os beijos já haviam se transformado em selinhos sem disfarce. Quando beijei ela novamente, dei uma leve mordida nos seus lábios, ela não gostava muito quando eu fazia isso, e logo protestou:

– Amorrrr, você sabe que eu não gosto – Disse ela levando a mão aos lábios – Se você fizer de novo vou beijar o João na boca – Ameaçou.

Apenas dei risada como quem não acreditava na ameaça, e sem erro, uns minutos depois, dei mais uma mordida no seu lábio inferior, testando-a.

– Amor!! Bom, eu avisei né. – E se virou pra João, tascando-lhe um beijão de língua de vários segundos. Logo se virou de volta pra mim – Viu, só pra você aprender a se comportar – E deu uma risadinha safada.

A putinha estava ali no nosso meio, só de calcinha, e já estava beijando meu amigo na boca. Decidi parar de matar tempo e parar de enrolação. Depois de uns 2 minutos de filme, ela levou a mão na minha coxa perto do meu pau. Sem disfarce, segurei a mão dela e coloquei em cima do meu pau por cima da roupa, ela olhou pra mim e deu uma risada, apertando. Sem demora João já veio protestar de novo, brincalhão, dizendo que mais uma vez estava ficando de vela e iria embora.

Thays olhou pra mim com cara de safada, e muito disfaçadamente acenei com a cabeça sorrindo, como quem dá autorização. Logo ela se virou pra ele falando “Calma João, não vamos te deixar de vela não kkk” E levou a outra mão pra cima do pau dele também.

Aí a putaria já estava liberada, menos de um minuto depois eu já tinha levantado o top dela e beijava e lambia seus peitinhos, enquando ela gemia beijando João e apertando seu pau. Não demorou muito para todos nos livramos de nossas partes de baixo da roupa, e ela masturbava os dois, alternando os beijos. Logo, se abaixou e começou a chupar nós dois alternadamente. Enquanto ela chupava, fui puxando suas roupas para terminar de despi-la, e logo ela veio pra cima de mim primeiro, sentando lentamente no meu pau e enfiando inteiro, enquanto ainda dava um jeito de dar uma chupada no pau de João, que se posicionava melhor.

Minha namoradinha quicava no meu caralho, toda peladinha, na frente do nosso amigo, o tesão era demais, e quando percebi, vi João se posicionando atrás dela. Será que ela finalmente iria ter uma dp real? com certeza estava com o cuzinho treinado pra isso, apesar de só termos feito dessa forma com seu priminho mais novo com o pinto bem menor. Eu já bombava sua bucetinha com movimentos mais curtos, indo até o talo pra deixar ela completamente preenchida, e não balançar muito para João se posicinar atrás, logo vi que ele foi pincelando o cuzinho e tentando colocar, mas vi que encontrava uma certa dificuldade, percebi que ela com a a mão tentava lubrificar ele um pouco melhor mãs não era o suficiente.

Então eu tirei meu pau de dentro da bucetinha dela, e sinalizei pra ela colocar o dele dentro. Ele enfiou até o fim com um longo gemido abafado dela, a ideia era penas lubrificar, mas João, penetrando pela primeira vez aquela bucetinha linda, com certeza queria aproveitar mais um pouco, e comia ela de quatro, enquanto eu por baixo dela, beijava e chupava seus peitinhos. Depois de um tempo ele tirou, e começou a posicionar no cuzinho novamente, eu penetrei o meu pau até o fundo da bucetinha e voltei a bombar devagar enquanto ele penetrava.

Levou algum tempo, com algumas tentativas, mas logo percebi que ele conseguiu enfiar mais ou menos até a metade. Thays apertava os olhos e fazia cara de um pouco de dor, mas não parava, era sua primeira DP com dois paus médios e certamente ainda precisava se acostumar. Paramos um pouco de bombar e voltamos a nos movimentar bem devagar, ela voltava a gemer baixinho indicando que gostava, e aos poucos fomos aumentando a velocidade. Em dado momento João tentou dar uma cravada bem funda mas ela soltou uma exclamação de dor e levou a mão pra trás empurrando-o um pouco, e voltamos ao ritmo que estava antes.

Não demorou muito pra eu gozar no fundo daquela bucetinha que tanto amava, mas João que estava fazendo movimentos mais curtos ainda não havia gozado, dei um longo beijo nela, e logo sapi um pouco da cama deixando os dois se divertiram mais. Peguei uma garrafa de água que tinha em sua escrivaninha e sentei na cadeira, pelado, me masturbando levemente e assistindo ao show.

Não demorou nem 2 minutos pra ela se aninhar no colo dele, engatar a cabeça do pau na entrada de sua bucetinha, e descer com tudo devagar até o talo, a putinha estava transando com outro dentro de seu próprio quarto, com sua mãe em casa. Ela rebolava com destreza, quicando no seu pau, dava pra perceber os dois cuidando um pouco para a cama não fazer barulho, mas ainda assim se deixando levar pelo tesão. Os dois se beijavam apaixonadamente enquanto transavam (coisa que Thays não costumava fazer quando estava com outros) e parecia haver até uma certa química entre os dois, me perguntei até se essa seria mesmo a primeira vez que os dois faziam alguma safadeza. Movido pelo tesão, tirei meu celular e fiz algumas fotos e vídeos dos dois, as câmeras dos smartphones naquela época não eram muito boas mas já dava pro gasto.

Os dois pareciam realmente querer aproveitar, logo ela saiu do colo dele, ficando de 4 na cama, empinando a bundinha e o convidando para ir atrás dela, João nem perdeu tempo e logo começou a bombar naquela bucetinha, segurando em sua cintura com firmeza. Poucos minutos depois, ela se deitou de costas na cama, e ele foi pra cima dela, elevando suas perninhas pra cima na altura de sua cabeça, e enfiando seu pau até o fundo naquela bucetinha linda, essa era uma das posições favoritas de Thays pois sentia a penetração máxima, e os dois sem parar de se beijar em nenhum momento.

Não demorou muito pra os dois gozarem, ainda naquela posição, quase que sincronizadamente. Eles relaxaram o corpo, ele ainda em cima dela, e descansaram suspirando pesadamente, ainda dando mais beijos apaixonados de língua. Minha putinha estava ficando bem treinada.

Continua.

– – –

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,71 de 14 votos)

Por # #

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Snow

    Nossa
    Quando vai sair o próximo