# #

A mulher feia da praia – parte 4

1419 palavras | 5 |4.00
Por

Não se esqueçam, escrevo pelo celular, então teremos erros de português por conta do “abençoado” corretor automático. Também não reviso nada mesmo. Se estiver incomodado fique a vontade para corrigir e me encaminhar, agradecerei de verdade.

Leiam os anteriores para entender…

Queria sair aquele mesmo dia para São Paulo, mas com a ideia do rapaz virar um novo escravo , tivemos que atrasar os planos para que ele pudesse convencer o pai sobre mudar conosco. Tive de prometer ao pai que cuidariamos bem dele, já sairia empregado e voltaria sempre para nós visitar.

Durante a semana mantivemos uma rotina o de passeavamos, transavamos muito e doutrinavamos o rapaz. Deixo bem claro que não sou viado, não como homem, então a ideia foi transformar ele em um corninho e fazer dele alguém satisfeito com isso. Comia ela forte na frente dele e ele se masturbava muito, não deixava que a tocasse, estava proibido de beija-la, isso apenas eu. Mas ao terminar sempre deixava ele limpar a buceta dela com a língua enquanto gozava de masturbando.

Terminada a semana seguimos para São Paulo onde nós instalamos em minha casa. Claudia achou lindo o lugar, algo grande e espaçoso, com piscina e um playground que eu havia mandado construir, quando ainda estava com eles em Santos, para acomodar a criança. Precisou de pouco tempo para que nos tornassemos uma família de fato. Eu cada dia mais apaixonado por Cláudia e pela pequena criança, que agora me chamava de papai e me dava amor, tanto quanto recebia e, admirado com Ramon, pois este se mostrou extremamente útil e parceiro conosco.

Tão logo chegamos já coloquei a criança para estudar, arranjei emprego para Ramon com um de meus amigos e fiz de Cláudia funcionária da minha empresa. Era interessante como os homens a cobiçavam e como ela já se sentia confortável com isso. Todas as tardes, após o almoço ela vinha a minha sala para contar as cantadas que recebia, até mesmo as encoxadas ou passadas de mão. Ela já vinha molhada e eu fazia questão de chupar aquela buceta babada com gosto. Nosso maior desafio era fazer silêncio, pois ela era escandalosa quando gozava, então resolvemos que seria todos os dias no meu carro.

Eu estacionava em um local privativo, onde somente o ronda tinha acesso, porém já o havia orientado a não se aproximar da área no horário estipulado, pois eu estaria arrombando alguém. Isso já era um acordo antigo, ele já me conhecia e sabia que várias mulheres da empresa já conheciam aquele pedacinho de chão. Ele até já participou de algumas aventuras, mas isso é outra estória.

No estacionamento eu mantinha um colchão e um frigobar colocados de forma discreta e praticamente imperceptível. Como o local era isolado, era perfeito para Cláudia se soltar. Então todas as tardes íamos para lá e já arrancava sua roupa e caia para dentro daquela puta, ela amava tanto dar para mim que já ia de vestido e sem calcinhas todos os dias e todos os dias tinha que colocar Tampax para evitar de sair com a porra escorrendo pelas pernas.

Houve um dia em especial que marcou nossas vidas, nesse dia estava ocorrendo uma reforma na faxada da empresa, eram rapazes novos, entre 20 e 30 anos trabalhando. Neste dia Cláudia foi exuberante, pois teríamos um evento a noite e não poderíamos passar em casa para nós trocarmos, seria, inclusive, o dia em que eu a apresentaria a todos como minha esposa, pois até então éramos discretos e ninguém, além do segurança, sabia que estávamos juntos.

Os rapazes que faziam a reforma piraram ao verem Cláudia, eles literalmente pararam de trabalhar ao vê-la e isso me excitou. Não sou do tipo corninho, mas adoro saber que o que é meu é tão bom a ponto dos outros quase morrerem. Neste dia fiquei muito excitado e sabia que ela também, então resolvemos sair mais cedo para nosso canto e fui logo deixando ela nua e caindo de boca na sua buceta. Ela estava muito excitada, bastou botar a língua pra ela gritar e jorrar na minha cara. Estávamos muito excitados de verdade, então quando a ajeitei de quatro no colchão e comecei a lamber seu cu pude ver que havia alguém olhando tudo por um buraco feito no portão para a sua reforma, era um dos operários.

Claudia também viu e quis parar, mas não deixei, resolvi dar um show especial para aquele rapaz, então meti a língua mais fundo e vi a timidez dela ir pro brejo, nessa hora ela gritou e gozou novamente. Foi a deixa, subi nela e sem qualquer medo soquei tudo com força enquanto puxava seu cabelo. Foi um grito tão forte que o rapaz do lado de fora chegou a se assustar, então comecei a socar com brutalidade fazendo aquela puta ter orgasmos múltiplos. Eu que comecei pelo cu logo não sabia mais onde estava meu pau, foi tanta troca de buracos que na hora de gozar eu só enterrei fundo e quis mais que se fizesse o mundo, gozei gritando e deixando tudo dentro.

Caímos cansados mas ela queria mais, então veio com a boca fazer o menininho subir novamente, nessa hora ela virou o bundão para o portão dando a visão do paraíso ao rapaz. Quando olhei já não tinha só um, mas os 3 ali observando. Novos buracos foram abertos sem que percebessemos, então o show agora tinha uma bela plateia. Vendo aquilo o pau cresceu mais que antes, então deitei e fiz ela cavalgar voltada para eles, o espetáculo estava armado.

Variamos as posições com vontade, mas sem nunca deixar que ela ficasse de frente para eles, não queria que tivessem qualquer oportunidade de filmar seu rosto e criar problemas. Mas eles não puderam reclamar, pois depois de duas horas ela tinha porra em todos os buracos, estava toda suja e exausta. Nessa brincadeira não nos lembramos que ela havia parado o anticoncepcional para um tratamento e que não tinha o corninho para tirar o leite de dentro dela. Enfim, a merda já estava feita.

Nós trocamos e entramos no carro, pois nosso evento seria umas 16h e já eram 14h. Então ao abrirmos o portão para sair com o carro nos separamos com os rapazes com ar sorridente e abatido, afinal foram duas horas de show. Seguimos nosso caminho e resolvi parar em um motel para tomarmos um banho e nos arrumarmos, tinha muito suor e cheiro de sexo em nossos corpos, assim tomamos um banho, com direito a mais meia hora de cu, afinal o cu dela era só meu, fui o primeiro e único dentro dele, e era muito apertadinho. Na hora de gozar botei na buceta e soltei um rio lá dentro, nem eu sabia que poderia ter tanto ainda, mesmo depois das três gozadas que dei a pouco. Então ela, depois de gozar comigo, pega em meu rosto e faz olhar para ela, então me beija e pergunta.

– Você é louco? Estou sem remédio e sabe que somos muito férteis. Quando estamos em casa o Ramon ainda bebe tudo, ele vai lá no fundo caçar a menor hora que tenha, mas hoje não temos ele e nem posso tomar remédio.
– Está querendo ser pai novamente?

Aquele papo me deixou de pau duro novamente, então a retirei do banheiro e joguei na cama já engatado nela, foram 1h de foda com mais uma gozada dentro. Nem preciso dizer que nós atrasamos para o evento, mas todos disseram que não havia mulher mais bonita. As mulheres elogiaram sua pele e seu sorriso, só não imaginavam que a causa daquilo tudo estava presa no meio das minhas pernas kkk…

Depois contarei o que houve naquela festa, pois coloquei um vibrador com controle remoto nela e brinquei bastante enquanto a festa rolava. Nem preciso dizer que ela teve de ir ao banheiro diversas vezes se limpar…

[email protected]
Telegran @negroeamor

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 4 votos)

Por # #

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder ...

    Você tinha acabado de chegar em São Paulo e já colocou a criança para estudar.Mas a criança não era só um bebê? E essa Claudia deve de ter feito plastica no rosto para ficar tão bela? Porque no primeiro conto vc disse que ela era feia.E quando a mulher é muito feia,nem maquiagem resolve.É só lavar o rosto,tirar a maquiagem que volta a ser a feinha que era antes.Mas o conto é bom.Afinal é só ficção mesmo!

  • Responder Anônimo

    Vc começa uma história e não termina já começou outras KD o fim desse conto ?

  • Responder Suzi

    Buracos abertos, buracos satisfeitos!
    Oh trem bom é gozar!

  • Responder caminhoneiro gaúcho

    Ótimo relato.
    sou caminhoneiro e já tice varias experiência com casais.
    sou casado mas infelizmente minha esposa não curte minhas fantasias.
    Já tentei convencer ela a fazer a três.
    meu sonho é ver outro cara comendo minha esposa junto comigo.
    se vc é casal e curte sexo a três poderiamos conversar e trocar umas idéias.
    e quem quiser saber mais só chamar no telegram.
    caminhoneiro gaúcho