Roberto e seus moleques (Parte I)

05-05-18 Por 4 ★ 4.38

Olá, esse é meu 3o conto e vou relatar uma série de fatos que culminou em uma investigação criminal. Meu nome é Allan e hoje tenho 33 anos.
Na época, eu tinha 17 anos e trabalhava de 2a à 6a numa escola de idiomas do governo do meu Estado. Sempre aparentei ter menos idade que a minha biológica. Por exemplo: tinha 17 anos com cara de 13… E se eu mentisse, as pessoais acreditavam muito fácil pq era nítida a minha aparência de novinho ( cheirando a leite, como dizem aqui). Eu trabalhava de manhã, das 07h30 às 12h00, e neste dia estava meio atrasado e fui andando super rápido pro trabalho q ficava a 20min de casa a pé. Quando fui atravessar uma rua, um carro freou quase em cima d mim, com o susto recusei, olhei sério pro motora pela janela e fui atravessando bem devagar mirando pelo para-brisas sem tirar os olhos dele. Quando passei para o lado do motora, percebi que ele ainda me olhava atravessar a faixa. Então ele morde o lábio inferior, fecha o vidro e vai embora avançando o sinal. Eu havia entendido tudo aquilo! Desde meus 15 anos muitos caras davam em cima d mim na rua desse jeito. Mas geralmente no fim da tarde ou à noite. Eram mais de 07h30 e eu apressei o passo. Passando duas ruas o cara aparece novamente, para o carro e me olha. Eu finjo que não vejo nada e continuo. Quando chega na principal, ele estaciona o carro e ele me chama. Eu já tava de pau duro. Debrucei-me na janela e começamos a conversar: — Oi, tá indo pra onde? – ele começou.
– Tô indo pro trabalho.
– Você tão novinho já trabalha?
– Sim, é um estágio.
– Quer uma carona até lá?
– Acho que sim, pois estou atrasado.
– Entra aí que te deixo lá. – topei na hora pq já sabia o interesse do cara. Bom, ele era velho, uns 52 anos nas costas já pesavam, era bastante enrugado na cara e mãos, era magro mas com barriga de chopp, chamava-se Roberto e trabalhava no Tribunal de Contas da minha cidade. Estava todo de terno e gravata, o que me fez ficar com mais tesão.
Quando estávamos indo pro meu trabalho, ele ao largar a marcha, ficava apertando o pau e eu vi e apertei o meu também, fomos nisso por uns 2min até q ele não aguentou e perguntou se eu queria curtir, eu disse q toparia mas q estava atrasado, ele disse q também estava e q u.a fodazinha não mataria ninguém. É disse q seria rápido. Fazia uns 04 meses que eu não curtia com ninguém… topei na hora, pedindo q depois ele me deixasse na porta do trabalho.
Ele só fez se dirigir até sua casa, foi rápido. Era uma casa próximo à minha uns 10min andando. Era grande e bonita, vi q ele tinha grana. Entramos e ele me levou pro quarto. Foi tirando a gravata e eu disse q não que qeria ele td d roupa. Ele sorriu. Foi me deitando na cama enorme e me beijando, pra um velho, o beijo dele era muito gostoso, deixava qualquer homem bonito e novo no chinelo.
Tirou minha camisa e ficou admirando meu tórax: – Nossa, q corpinho lindo, lisinho, do jeito q eu gosto e abocanhou meu mamilo. Eu delirei. Tirou meus tênis e minha calça, deixando-me apenas de cueca exibindo meu volume dentro. Ele apertou admirado. ( pra um menino do meu tamanho, meu pau parece ser bem grande, mede 17cm e meio grosso), ele mordeu sobre a cueca e depois jogou minha pernas pra cima , lamber e mordeu td por cima da cueca, ele tirou e começou a pincelar meu cu, EU FIQUEI EM ESTADO DE ÊXTASE. Peguei meu pau e morei na boca dele – E não chupo – respondeu ele, então me virou d 4 e chupou mais aí da.meu cu qase lisinho. Ele, do nada pergunta, – Você tem q idade, meu bebê? – Eu não sabia o q dizer e do nada respondo q tinha 15, ele suspira o número 15 várias vezes, e fala:- Eu achava que você tinha menos, aí já nu e com uma pica de uns 15cm, ainda bem pois eu não aguentava as grandes, ele me fez chupá-la… pirei chupando, estava saindo da seca q me encontrava. Ele disse: – Nossa, nessa idade e já chupa assim bem gostoso!
Ele vai até uma gaveta e pega um lubrificante já usado pela metade. Peço a camisinha e ele diz q não usa pq adora sentir a pele do cu d um novinho, eu na excitação, concordei com o ato arriscado. Ele lambuza meu pau e vai metendo bem devagar mesmo… parecia q estava tirando meu cabaço. Ele meti a cm por cm e gemia, demorava, e eu estava adorando, nunca tinha sido tratado e comido da pele jeito, ele entrou td de frango assado em mim, eu dei um gemido d dor mas deixei, peguei na bunda dele e puxei contra mim pra sentir mais fundo. Ele me beijou… Eu estava sentindo um tesão incomum. Ele me foder de um jeito q era único. Pediu pra eu me punhetar pois qeria gozar junto. Comecei. Ele ia metendo e me falando coisas excitantes. É eu louco batendo aquela punhetar incrível.
– Deixa eu gozar dentro de você? Tô doido pra engravidar um bebê.
– Deixo, faz o q quiser comigo, sou teu – eu estava fora de si, se ele pedisse pra me matar, eu deixaria ( risos).
– Adoro gozar num cuzinho novo. Apertadinho assim. Tirar cabaço. Garotos de corpo sem pelos. Garotos bem novos. – eu apenas gemia pesado e concordava deixando ele mais louco.
Ele acelera, eu apressei a punhetar. Estávamos suados. Meu cu apertava mais o pau dele. Eu sentia aquela sensação de gozo aproximando. Fiquei louco. Ele diz q vai gozar e eu rebolo feito louco esperando o leite. Ele goza, sinto o pau dilatar, ele geme Alto e grita um aaaaahh longo e encaixa pesadamente em mim, estou perto também, ele me olha e diz: – Goza com essa pica no cuzinho, vai! … Eu, então, entro em um transe maravilhoso, sinto o meu cu ter contrações, me entortou todo e gozo abafando minha voz mesmo querendo gritar feito um lobo. Comecei a me tremer, sinto o leite na cara e no tórax, ele me olha e me beija pegando um pouco d fala e depois me beijando.
– Você gostou? Já tinha feito isso?
– Adorei, fiz algumas vezes, mas não assim.
– Se você quiser podemos fazer outras vezes, gostei do teu cuzinho e acho q os outros vão gostar também.
– Que outros?
– Os meus outros garotos q trago pra casa. Eles são novos. O mais velho tem 18. Eles vêm sempre aqui dar pra mim ou comer alguém pq eles não têm local, mas a condição é: " Tem que trazer um novinho pra mim" .
– Eu topo mas não conheço garotos novos.
– É os teus amigos?
– Eles não curtem e se souberem de mim, me matam.
– Que nada.
Ele se.levantou d cima d mim e me puxou pois as.minhas pernas estavam fracas. Me levou ao banheiro e pediu q eu me lavasse q ele já estava atrasado. Eu tbm estava. Senti o leite escorrer pela perna e me lavei. Ele como me foder d terno. Apenas trocou a camisa d dentro q estava suada. Me foder com apenas o pau pra fora pelo zíper. Ele me deu seu número e me deixou no trabalho. Dinei doido de tesão. Três dias depois não resisti e liguei pra ele.
CONTINUA.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,38 de 26 votos)
Loading...

Por

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. K

    e ao autor, bom conto, espero que continue historia

  2. John Deere,Matador de Veados

    Qual estado da federação,veado,mantém escola de idiomas?Me poupa veado,fala qual estado que é,que eu vou conferir pra saber se é verdade,e aproveito pra dar um jeito nessa sua veadagem!

    • K

      homofobia eh sinal de q eh enrustido e n tem coragem de assumir ta? cuidado ai kkkk

  3. Carlos

    Continue, está muito bom.