Nao aguentei e chupei meu filho!

Autor

Sou Lucia, tenho 35 anos, dedicada ao meu esposo, e fiel sou magra, seios e bunda pequenos, cintura fina e quadril largo, não tenho corpo de quem pratica academia, mas o pouco q tenho esta td em cima e sou bem vaidosa, gosto de me cuidar.
O meu problema é que tenho um desejo ao qual meu marido não satisfaz, tenho muita vontade de experimentar sexo oral, e meu marido diz q isso é coisa de puta e não me deixa fazer, ou receber. Então sempre fico com vontade e essa vontade aumentava a cada dia e a cada vez q fazíamos sexo. Bastava eu olhar meu marido e já ficava com agua na boca, mesmo assim me controlei e apenas comprei um consolo de borracha ao qual eu chupo e mantenho escondido de meu esposo. Sempre q sozinha eu praticava e ficava toda excitada, chupava e ficava imaginando como seria com um de verdade, como seria receber uma gozada na boca.
O tempo passou e eu continuava fazendo as mesmas coisas, ate q um dia fui acordar meu filho pra tomar banho e ir a escola, como ele ainda não tinha levantado achei q ele tivesse perdido hora, e com meu marido trabalhando la fui eu, ele estava sentado na beira da cama e não havia me notado, estava se masturbando e ele com seus 17 anos, moreno, muito bonito e me da um orgulho enorme dizer q é meu filho, com um pau maior q o de seu pai, devia ter uns 18cm. So neste momento percebi q meu filho havia crescido, meu bebe já era homem. Ele estava de olhos fechado, e começou a gozar logo em seguida, eu resolvi sair dali pra não dar flagra, mesmo assim aquilo mexeu cmg, passei a chupar meu consolo de borracha fantasiando com o pau de meu filho na boca, aquele semem escorrendo, e pensava q deveria estar ficando louca, as vezes chorava a noite por ter tais pensamentos.
Com o tempo passei a observar ele com mais cuidado, e notei q aquilo q presenciei era quase uma rotina, quase todo dia ele fazia a mesma coisa, e eu passei a espia-lo escondida, toda vez eu espiava e chupava meus dedos imaginando aquela coisa entrando pela minha boca, sentia minha saliva aumentar, agua na boca de vontade q eu estava. Eu já havia percebido como ele agia, sempre olhava algo no celular enquanto se masturbava, e depois jogava o celular de lado e fechava os olhos, quando ele fechava os olhos ele levava pouco tempo para gozar, pois se perdia em suas fantasias, em sua mente, se limpava com um papel e ia pro banho. E eu que não estava me aguentando de tesão, resolvi q precisava sentir o gostinho daquela rola na boca.
No dia seguinte eu estava tão ansiosa q quando me dei conta ele já havia entrado no banho, mas isso apenas me fez esperar e aumentar meu libido. Na manha seguinte, o vi acordar, desligar o despertador e depois de um tempo mexendo no celular começou a se masturbar dnv. Logo ele estava sentado na beira da cama, fiquei observando, aqueles momentos pareciam não acabar, ele se masturbava e não parava, longos minutos ate q ele colocou o celular de lado e fechou os olhos, essa era minha oportunidade, respirei fundo, tomei coragem, e fui engatinhando pra ele não perceber, eu já havia prendido o cabelo pra não atrapalhar, e quando cheguei na frente dele q estava delirando, não pensei duas vezes, abri bem a boca e abocanhei aquela rola gostosa, e comecei freneticamente os movimentos chupando rapidamente como fazia com meu consolo.
– MASS O Q…- falou meu filho assim q comecei a chupar ele, e tentou se afastar no susto. Eu não permiti q ele saísse, assim q se afastou eu acompanhei e continuei chupando rapidamente, sem parar, sem dar ouvidos ao q ele me pedia pra parar. Eu não podia parar, não sabia se teria outra oportunidade de saciar meu desejo, então eu chupava com gosto, fazia a rola dele deslizar em minha língua e bater no fundo de minha boca.
– MÃÃÃÃEEE, PARAAA!- gritava ele e eu não dava ouvidos, era muito saborosa, dura, eu sentia pulsar em minha língua. Ele já tinha se afastado para o canto da cama, e eu não tinha tirado seu pau da boca, chupava como se fosse a ultima coisa q faria. Ele tentou empurrar minha cabeça, mas peguei em suas mãos e segurei para os lados enquanto continuava a chupar aquela rola. Eu pensava “é meu filho, meu, então a rola dele é minha tbm”. Mas foi quando ele anunciou pra eu parar pq ele ia gozar, q eu pensei: “agora q eu não paro mesmo, pode gozar”. Ele começou a se contorcer, dobrava e esticava as pernas, e foi quando eu senti o primeiro jato dentro de minha boca q eu comecei a “garganta profunda”, sentia algo viscoso e salgado descendo no fundo da minha garganta.
Ele delirava, gemia e se contorcia, eu confesso q cheguei a engasgar um pouco, mas não desperdicei nada, quando ele terminou, eu continuei chupando ele como se estivesse sugando todo o melado de seu pau, ele ainda me pedia para parar, mas não tentava me tirar. Chupar uma rola era muito mais gostoso do q imaginei, eu poderia ficar ali o dia todo, mas aos poucos me recompus. Eu já tinha feito td, agora não sabia como sair da situação constrangedora, tentei ser firme, então parei de chupar ele, e falei.
– Vai tomar seu banho filho, vc vai se atrasar pra escola assim. – ele ainda em choque balançou a cabeça e foi pro banho. Ele foi pra aula me olhando assustado, nem se despediu.
A noite mal falou cmg, ainda bem, pois seu pai estava em casa, na hora de dormir, minha consciência pesava, dizendo q eu não deveria ter feito aquilo, mesmo tenho gostado e me masturbado imaginando a situação durante a tarde (q estava sozinha, com o consolo). Na manha seguinte ele levantou mais cedo, eu estava na cozinha quando o senti me abraçar por traz e me encoxar se esfregando em mim. Sou fiel ao meu marido e jamais transaria com outra pessoa, então dei um balde de agua fria nele, e não voltou a fazer isso. Passei a notar (espiando) q ele agora não usava o celular, apenas se masturbava com os olhos fechados, então pensei em repetir a dose, e voltei a engatinhar ate ele. Quando cheguei e comecei a chupar, ele não recuou, apenas disso: “isso, assim mesmo do jeito q eu gosto putinha”.
Pensei no que meu marido falou: “chupar é coisa de puta”, e no meu filho me chamando de putinha enquanto eu o chupava, e comecei a ver q eu era putinha mesmo, afinal eu estava adorando chupar ele, e quase todos os dias de manha meu filho me chama de putinha, mas eu nunca respondo de boca cheia.

Esse foi mais leve, mas espero q tenham gostado!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,81 de 26 votos)
Loading...