Do sonho à realidade dela(comigo junto)

Autor

No feriado da semana santa, minha mulher me enredou na sua conversa. Disse o quanto estava entusiasmada com toda a sacanagem que vivenciamos com nosso amigo. Já li alguns contos em que o marido pede a mulher para fazerem um encontro a três mas, uma mulher, minha mulher pedindo era arrasador. Nos dias que se seguiram, nas noites que transávamos, nas conversas que mantínhamos ela pedia. Foi minando minha resistência, foi me envolvendo, indaguei como pretendia fazer isso e se saísse de nosso convívio? Ela me assegurou: só faço a proposta pra ele se tiver certeza que não sairá daqui. Durante essa semana, ela manteve contatos com Carlos com conversas apimentadas, dito por ela. Finalmente me deixou a par que sexta-feira 06 ele viria em nossa casa para umas rodadas de bebidas. Ele chegou, pouca coisa antes das 6:00 e nos encontrou na área bebendo e conversando. Sentou, começou a beber junto conosco e em menos de 1 hora estávamos nas brincadeiras mais picantes, com piadas e casos contados mais insinuosos. Ela estava vestida até de modo comportado, no que descobri mais tarde que isso fazia parte do seu jogo de sedução. Conversa vai, conversa vem, insinuações maliciosas também, com aproximações as vezes em mim e as vezes nele deixando o corpo roçar estrategicamente. Com saídas sensacionais para a cozinha rebolando, sua marca de seduzir. Estávamos de paus duros e disfarçando, óbvio. Ela falou que ia tomar um banho na suíte e ele também falou que precisava de um e foi para o banheiro no corredor. Ele pediu uma bermuda, acompanhei ela até o quarto peguei, entreguei a ele que fechou a porta. Voltei ao quarto, perguntei se podia tomar banho junto, ela me beijou, me apalpou e disse, toma primeiro vá lá pra fora com ele que vou fazer uma surpresa pra vocês dois. Fiz isso, lá fora depois chega ele. Sentamos retornamos as conversas e bebemos. Conversa e bebemos. Ela demorou uns 20 minutos e voltou. Um perfume gostoso e uma camiseta branca até as coxas sobre o corpo, parou sob a luz que vinha da cozinha deixando ver, estava nua por baixo. Deu alguns passos até onde estávamos e perguntou? Tô bonita? Concordamos que sim e nós três sorrimos. E tome bebida, e tome conversas maliciosas. Ela passou então para a sedução, definitivamente. Sentou-se numa cadeira de frente pra nós dois e fingindo displicência cruzava as pernas, dava pequenas aberturas delas deixando aparecer por instantes sua xana. Ele não sei, eu suava e sentia um leve tremor no corpo. Ela levantava rondava em torno de nós dois e encostava em nossos ombros. Enchia nossos copos, dava em nossas bocas e encostava de novo. Eu com dificuldades de pensar, tentava imaginar o que ela faria. Ela saiu rebolando, ele comentou: Flávio ela tá linda, no que concordei. Ela voltou, sentou-se cruzou as pernas e começou a enrolar a camiseta um pouquinho sobre as pernas deixando a mostra mais ainda suas coxas. Dava pra notar que estávamos quase explodindo. Levanto e vou ao banheiro no quarto, pego o puf, coloco em baixo do basculhante e vou olhar os dois, Ela sabia que eu faria isso. Ele fala algo que não entendo, e ela malandramente responde de forma que eu escute, eu não vou deixar só você doido, vou deixar vocês dois e alisou o pau dele. Ele suspirou, ela falando pra eu ouvir, quero ter fazer uma proposta. Ele, qual? Ela, primeiro você tem que garantir que não sai daqui. Ele, não sai, não sai. Ela, certeza? Ele não sai. Ela, tá bom deixa ele voltar. Voltei e continuamos bebendo, ela levantou de novo, encheu o copo dela e deu na minha boca de forma que entornou no meu peito sem camisa e na bermuda. Riu e começou a me lamber. Carlos então reclamou, e eu? Ela encheu o copo deu na boca e entornou nele, riu e lambeu o peito dele. Ato contínuo disse, agora é minha vez. Derramou nas duas coxas, se aproximou de nós dois, arriou nossas cabeças, levantou levemente a camiseta centímetros abaixo da boceta e ordenou LAMBE. Nos perdemos ali, eu lambia sua coxa esquerda e ele a coxa direita. Subíamos até próximo sua xana, descíamos e voltávamos e ela levantava um pouquinhos mais a camiseta, e nós lambendo. Ela derramava mais um pouco de cerveja, e nós lambendo, ela levanta mais um pouco deixando a mostra metade da racha. Quando ele meteu a língua, ela se curvou e falou nos nossos ouvidos, vamos entrar que eu vou comer vocês dois. Fomos pro quarto, ela fez a festa dela e nossa. Nos mamou, foi chupada, gozou a primeira vez, subiu nele e me chupava, subiu em mim e o chupava, tomou no cu comigo, tomou no cu com ele, nos limpava, caía de boca na gente de novo, gozou, foi chupada de novo, gozou. Tentamos parar um pouco ela não deixou, me deitou subiu em mim encachou na boceta, curvou o corpo em cima de mim e mandou, come meu cu, quero sentir os dois. Carlos passou ky na vara, no cusinho dela foi enfiando. Ela começou a ficar alucinada, mete, mete, enfia tudo, enfia tudo. Nós dois enfiávamos, ela, mais, mais, e a gente socando. Ela vou gozar, gozou, rebolou, rebolou, vou gozar, gozou. E mais ordem, goza, vamos, vocês dois goza, eu quero, goza. Eu explodi, quase no mesmo instante ele também. Ela deu mais algumas reboladas, ele saiu de trás dela, ela saiu de cima mim, deitou entre nós dois e falou mais alto, puta que pariu isso é muito gostoso muito gostoso. Descansamos um pouco, fomos tomar banho juntos na suíte, enquanto a água caía ela chupava o Carlos e eu enfiava na bunda, depois ele enfiava na bunda e eu era chupado. Gozamos, nós três. Acabamos o banho, fomos lá pra fora beber e conversar com caras de surpresos, rimos muito. Passou um tempo, ele disse que ia embora. Ela o levou no portão, demorou e voltou. Sentou-se pediu pra encher o seu copo, bebeu olhou pra mim e perguntei, e aí. Ela riu, e disse, ele está nas nuvens, perguntou que loucura foi essa, disse que nunca teve gozos tão intensos e gostosos na vida. Perguntou como ficaríamos agora. E você disse o que perguntei? Ela, falei que foi maravilhoso e que outro dia conversaríamos sobre isso. Eu disse, tá mas e você? Ela, vou dizer de novo, você realiza todos os meus sonhos, se você deixar e quiser faremos de novo. Eu estou felicíssima, gozei como podia e queria e vou ainda dar uma foda contigo daqui a pouco, pois sei que você também tá feliz. Entramos e fudemos de novo. Vou descansar um pouco e mais tarde vou contar a vinda dele aqui, nessa quarta 11. Não podia ser diferente, ele tá alucinado com ela. continua.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,86 de 7 votos)
Loading...