Fui fazer um serviço na chácara de um amigo e bêbado ele me comeu

Envie seu conto… Bem amigos o que vou contar para você aconteceu no ano de 2012 numa chácara em Peruíbe, bem sou um cara casado, por sinal muito bem casado, minha esposa uma morena linda umas pernas bonitas, uma bunda saliente carnuda, muito gostosa mesmo, curte muito andar de roupas provocantes, eu sou bem de corpo moreno queimado de sol, com a marca da sunga, uma bunda carnuda pernas bonitas, bem gostoso também, não sou dotado não meu pau e pequeno 14 cm, eu trabalho com parte elétrica, residencial adoro beber umas cervejinhas mas não aguento muito bebida não logo fico de fogo, e ai deixo cair a peteca, me da um tesão danado, faço qualquer coisa.

Num final de semana um amigo meu me pediu se dava para fazer um serviço na chácara dele, pois ele havia feito uns cômodos a mais queria puxar luz, como minha esposa iria para a casa de minha sogra, e eu não se dou muito bem com ela acabei marcando com o Waldir, para irmos a chácara fazer o serviço, fomos no sábado bem cedo, chegamos lá comecei logo com o serviço, quando foi umas 17 horas eu acabei o serviço, um calor danado, resolvemos tomar uma ducha num chuveiro que tem no quintal, para irmos a um boteco ali perto para tomar algumas, ficamos pelados, nossa não acreditei, o Waldir tem uma rola enorme, 22 cm, por 9 cm, aquela rola não sai da minha cabeça, fomos para o boteco.

Sentamos lá pedimos umas cervejas uns petiscos, e conversa vai conversa vem, tome cerveja, já meios altos começamos falar de sexo, rolou tudo sobre sexo, ate perguntar se minha esposa deixava meter na bunda dela, eu respondi que sim pois eu sempre meto na bunda dela ela adora, nossa a conversa esta indo ao extremo, já bêbados resolvemos ir para a chácara, eu realmente estava bem alto mesmo, ele hoje eu penso que estava fingindo, assim que chegamos na chácara eu fui tomar uma chuveirada, peladinho no quintal, de baixo do chuveiro ele veio por trás e se encostou em mim, senti a rola dele na minha bunda, na brincadeira eu falei a ele tens vinte quatro horas para sair dai, ele riu e respondeu só, uma bunda desta requer mais horas. saímos dali, fui na sala um colchão de casal no chão me deitei peladinho, logo ele veio e se deitou também eu olhei para ele, ele alisando a rola que já estava dura, não aguentei acabei caindo de boca na rola dele, comecei a chupar a r ola dele, o saco, nossa eu lambia tudo passava a linguá no saco, nossa chupei muito, ele então começou a falar coisas, me chamando de vagabunda, mandou eu deitar que ele queria meter no meu cu, me deitei, ele chupou meu cu, lambuzou ele todinho de saliva e começou a tentar meter aquela rola dentro, nossa e muito grossa, doía muito, doeu para caralho mais entrou todinha, nossa ele ficava me chamando de vagabunda, e assim que vou arregaçar o cuzinho dele, vou meter minha rola todinha naquela bunda, na bocetinha, vou detonar aquela vagabunda, eu como estava em estado de embriagues não estava entendo nada, e ainda dizia isto mesmo, arregaça esta vagabunda, mete todinha lá dentro, mete, e ele perguntava você vai deixar não vai, eu respondia que sim, ele dizia a tempo que venho pensando em foder aquela bunda , pois ele conhece a minha esposa, eu sei que ele meteu muito em mim, gozou que nem louco, encheu meu cu de porra, pois ele meteu sem camisinha, acabamos desmaian do, no dia seguinte de manha e que pude sentir o drama, estava eu com meu cu dolorido e aquela porra seca dura, me levantei tomei um banho, fiz um café, e não sabia o que falar, ele veio conversamos um pouco, ele perguntou se eu lembrava o que tinha acontecido, eu respondi mais ou menos mais e melhor a gente esquecer e espero que você não vá comentar o que ocorreu, ele então me respondeu e claro que não vou comentar nada, mas também não podemos parar assim, foi muito bom, e disse e sobre a aposta, eu não me lembrava de aposta nenhuma , ele dizia que eu tinha perdido, eu então perguntei o que eu havia perdido, ele respondeu se ele ganhasse eu iria deixar ele foder com minha esposa, eu respondi tu esta louco, se minha esposa souber disso e capaz de me matar e ainda mais eu mandar ela dar para você, você ficou louco, ele respondeu se já fodi o seu cu porque não posso foder o dela, não e justo, só você curtir uma rola deste tamanho e oferecer para ela esta m iniatura ai, nossa aquilo me deixou constrangido, acabamos indo embora, passamos uns dias sem se falar.

Só que aquilo não saia da minha cabeça, quando eu ia transar com ela ficava pensando no Waldir, ele fodendo com ela e eu chupando a rola dele toda melada de porra, minha esposa e bem fogosa, eu sempre a chamo de puta, vagabunda, quando estamos transando, ela e bem liberal em relação a sexo, chupa meu cu, mete o dedo, a gente brinca legal, um dia na cama eu acabei deixando escapar, acabei falando da rola do Waldir que ele tem uma rola grande e grossa, ela disse e mesmo, nossa e enorme mesmo, iria arrombar esta bocetinha, e falei mais ele adora um cu, já perguntou para mim se eu fode seu cu, ela perguntou o que você respondeu, eu disse que sim que você adora dar o cu, ela perguntou e o que foi que ele disse, eu respondi ele disse que iria arrombar este cu, ela então voltou a me perguntar e o que foi que você respondeu, eu disse não respondi nada, o cu não e meu, ela então perguntou sim o cu e meu, mais você deixaria ele arrombar, eu disse depende, ela perguntou depende do que, eu disse deu participar junto, ela perguntou você vai querer que ele coma você também, eu respondi por que não, assim já arromba nos dois, ela então me respondeu eu topo, por mim tudo bem, se você deixar eu dar eu também não importo que você de.

Passou uns dias eu acabei encontrando o Waldir, ele me convidou para tomar umas cervejas, batemos um papo ele perguntou e ai quando eu vou comer este cuzinho de novo, eu perguntei porque você esta querendo, nossa claro que sim, eu então perguntei e sobre a aposta que eu perdi, ele respondeu quando você quiser pagar eu aceito, eu disse então na sexta a noite você vai lá em casa, vai ter que meter nos dois, nossa ele abriu um sorriso e ficou marcado, acertei com minha esposa nossa ela ficou nervosa, eu perguntei quer desistir ela disse claro que não.

Na Sexta ele apareceu em casa 20 horas, nossa ela estava com uma roupa provocante, uma delicia, uma sainha curtinha, uma blusinha bem a vontade, uma putinha mesmo, ficamos na sala conversando e bebendo, ela cruzava as pernas mostrava as calcinhas, eu dei uma saidinha deixei os dois sozinho fui buscar uma bebida quando voltei os doios já estavam pelados ela chupando a rola dele, eu tirei minha roupa e fui chupar a rola junto com ela, nossa que delicia eu beijava a boca dela com gosto de rola, ela pegou levou ele para a nossa cama, e pediu para colocar devagarinho, ela e apertadinha minha rola e pequena, a rola dele dava quasse duas da minha principalmente na grossura, nossa ela gemia muito se contorcia toda recebendo aquela rola na boceta, entrou todinha ela cavalgou na rola dele, meteu de frango assado, de quatro, nossa que delicia, quando ele gozou, eu aparei a rola melada de porra chupando ela todinha e a boceta dela cheia de porra, nossa que delicia, ficamos deitados e u comecei a chupar a rola dele em quanto ele beijava ela na boca, deixei a rola dura de novo, ai ele lambuzou de creme e começou a tentar meter na bunda dela, foi difícil ela gemeu muito chorou, reclamou mais ele não quis saber não sem dó nem piedade fez ela chorar gritar mais socou a rola todinha lá dentro, nossa ate sangue saiu, arrombou mesmo, gozou bem no fundo do cu dela, mais demorou para gozar judiou deixou o cu dela todo assado, eu pensei este cu ele não come mais, mais que nada nem uma semana ela já estava pedindo para ligar para ele, ela queria mais e assim estamos ate hoje metendo com ele, ele judia do cu dela e do meu também, que delicia, hoje somos mais felizes, curtimos bem a vida. espero que tenha gostado.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...