#

Meu amigo macetou minha mãe aqui em casa (Parte 3)

2329 palavras | 14 |3.81
Por

Não acredito que a minha mãe e meu amigo fez isso

A parte 1 e 2 do meu relato já foram postadas aqui. Entrem no meu perfil para lerem as duas antes de ler essa e entenderem mais sobre como foi esse final de semana pra mim. Recapitulando, meu amigo estava aqui em casa desde a noite anterior com a minha mãe e tinha acabado de assistir os dois transando na piscina. Resolvi ir pro quarto dela. Entrando, já senti um cheiro bem forte de sexo. Joguei a coberta pro lado pra ver como estava o lençol. Não tinha como negar que o sexo tinha sido violento. Na ponta da cama tinham manchas de sangue, mais pea cima uma mancha que imaginei que era do gozo dele que escorreu da buceta dela, manchas do gozo dela também. Ela provavelmente teria que jogar fora o lençol. Aproveitei e coloquei meu rosto nele pra dar uma bela fungada. Que cheiro gostoso. Fui direto pro meu quarto e bati uma.

Ela chamou pra descer porque a pizza que ela tinha pedido estava chegando. Sentei na mesa da varanda com eles. Do nada, o Ricardo subiu bem rápido e quando voltou tirou do bolso seda e começou a bolar um beck na nossa frente.

Ric (pra minha mãe): Tem problema?

Mãe: Claro que não.

Só não tinha problema porque era ele fazendo. Se fosse eu, imagino como eu ia tomar esporro por sequer pensar em uma ideia dessas. Mas já tinha percebido que aqui em casa ele podia fazer tudo, e ela ia achar lindo. Ficou olhando pra ele com cara de apaixonada e safada enquanto ele bolava o beck, sendo que sempre teve tanto preconceito com maconha.

A pizza chegou e ela foi lá pegar. Quando levantou de biquini reparei pela primeira vez na perna dela, toda roxa. Principalmente a bunda, cheia de marcas. Ele tinha deixado minha mãe toda marcada com a mão dele, deixando bem claro que ela era dele e de mais ninguém. A buceta também estava bem inchada, conseguia ver ela marcada na calcinha. Imagino como devia estar toda gozada por dentro também. Quando voltou com as pizzas, reparei que até sua bochecha esquerda estava mais vermelha que o normal.

Ela começou a cortar a pizza e ele ascendeu o beck. Começou a fumar. Virou pra minha mãe e disse:

Ric: Dá uma puxada.

Ela pegou o beck e deu um trago forte. Fiquei boquiaberto. Minha mãe é ex-fumante, e não fumava há uns 8 anos. Bastou 3 palavras dele e ela estava fumando novamente, sem nenhum questionamento nem nada. Só obedeceu o que ele falou, como a verdadeira putinha que eu não sabia que ela era. Ela estava mostrando cada vez mais que agora tá em servidão total pra esse macho. Maconha eu acho que ela nunca tinha nem fumado. Ela começou a tossir bastante e ele deu risada dela.

Ric: Pô, que fofa, toda mal acostumada.

Ele fumou mais um pouco e mandou ela dar o segundo trago. Ela deu. Tossiu menos dessa vez.

Ric: Que linda você fumando.

Ele apagou o beck sem hora nenhuma me oferecer, como se eu nem estivesse lá, e começamos a comer. Eu já tava no segundo pedaço de pizza quando percebi que os dois já tavam chapados, com os olhos pequenos e vermelhos e rindo fácil. Se já não conseguiam tirar a mão uns dos outros sóbrios, imagina chapados. Ele falava coisas no ouvido dela e os dois ficavam rindo. Ele não tirava a mão da coxa dela, ficava acariciando. Algumas coisas que ele sussurrava eu conseguia ouvir, mas fingia costume (“Vai querer de novo?”, “Já tá com saudade”, “Gostosa”).

Ela passava a mão nos braços dele. Uma hora passou a mão nos peitorais fortes dele. Ele ficou brincando com o biquini apertado dela, quase passando a mão nos peitos, que tavam bem vermelhos das beliscadas que ele tinha dado antes. Cada hora chegava com a mão que tava na coxa dela mais pra perto da buceta. Eles só conseguiam se olhar, nem pra pizza que tava comendo olhavam muito. Uma hora, lembraram que eu tava lá, e minha mãe, bem chapada, disse:

Mãe: Pedro, diz o Ricardo que não fica com muitas meninas, que é comportado. É verdade ou mentira?

Eu ri sem graça.

Eu: Ele tava namorando, né, então ficava só com uma.

Mentira. Ele já tinha traído ela algumas vezes. Mas ia respeitar o cara, e não ia contar pra mulher que ele tava comendo como ele era babaca. Apesar de que eu acho que ela já sabia, e até gostava disso.

Mãe: Mas já terminou, ué. Aposto que deu tempo de pegar várias meninas. Ele deve fazer maior sucesso.

O rosto do Ricardo era de pura arrogância. Ele sabia que ela falava a verdade, que ele fazia sucesso. E sabia que tinha motivo pra fazer esse sucesso.

Eu: As meninas ficam atrás dele, mas ele é seletivo até.

Eu conseguia ver o braço dele mexendo por cima da mesa, parecia que tava acariciando a calcinha do biquini dela na minha frente. Ela respirava mais rápido. Pegou a mão dele e ficou de mão dadas com ele por cima da mesa pra ele parar de provocar ela.

Mãe: Seletivo… Mas já pegou muitas depois que terminou?

Eu: Ah, acho que uma quantidade boa.

Ric: Não foram muitas não. É que o parâmetro do Pedrin é mais baixo, né.

Ele começou a rir muito, numa onda de maconha. Ela segurou o riso por um tempo mas depois começou a rir. Os dois tiveram uma rápida crise de risos juntos. Depois ele soltou a mão dela e voltou a acaricias a bucetinha.

Terminei de comer a pizza enquanto ele provocava ela e ela se segurava muito pra não gemer ali mesmo, conseguia ver na cara dela.

Eu me levantei.

Eu: Vou pro meu quarto.

Ric: Pega uma água pra mim e pra sua mãe antes.

Ele nunca pede por favor. Só manda eu fazer. Enchi um jarro de água e levei pra eles, junto de dois copos. Minha mãe agradeceu, mas ele não.

Subi pro quarto.

Passou um tempo e ouvi os dois subindo também, e a água do chuveiro ligando. Os gemidos dela de dentro do banheiro eram mais baixos. Fiquei imaginando ela com o rabo empinadinho pra ele de novo enquanto ele metia nela mais uma vez, a quarta vez no final de semana. Será que ele tava comendo a bucetinha ou o cuzinho? Só sei que tava bem forte. E ela gemia de dor como se fosse uma virgem, provavelmente nunca tinha dado pra um pau tão grande.

Eles terminaram e vi ela descendo com o lençol pra levar pra lavanderia. Fiquei imaginando que se ela não estivesse aqui pra fazer isso, o Ric provavelmente ia mandar eu fazer. Ela apareceu no meu quarto.

Mãe: Deixa o Ricardo em casa, por favor.

Disse que deixava e ela me devolveu o short que eu tinha emprestado pra ele, todo alargado. Falou pra eu emprestar uma camisa pra ele porque a dele tava suja, nem imagino do que.

Ele apareceu no meu quarto, vestiu a camisa e despediu dela com um beijão de língua, lento e provocativo. O beijo era tão sensual que parecia que eles tavam quase transando na minha frente. Ele deu uma apalpada na bundona dela. Fomos pra garagem pegar o carro. Eu tava entrando no banco do motorista.

Ric: Passa a chave aí. Acha que eu confio na sua direção assim.

Eu: Você tá chapado, pô.

Ric: Te garanto que sou mais piloto chapado que você sóbrio. Bora, passa aí.

Dei a chave pra ele e entrei no banco do passageiro. Ele ligou o carro e tirou da garagem. Me olhou e deve ter percebido que eu tava bem encolhido no banco do passageiro, nervoso por estar novamente só nós dois, sem minha mãe pra me proteger. Não que isso mudasse alguma coisa depois da forma que ela se entregou totalmente pra ele.

Passamos um tempo em silêncio até que:

Ric: Caralho, que mãezona que cê tem, ein, mano.

Eu ri, sem graça. Ele me olhou com desdém.

Ric: Você sabe o que aconteceu né?

Eu: Como assim?

Ric: Sabe que eu comi ela, várias vezes.

Eu: Sei, né. Não tem nem como eu não saber.

Ric: E tá de boa?

Eu: Você pararia de comer se eu não tivesse.

Ric (dando risada): Nem fudendo. Ela é gostosa demais pra isso.

Eu: Então tô de boa, mano. Se vocês dois tão aproveitando. Considero muito nossa amizade pra ficar puto porque você e ela tão aproveitando a vida.

Ric: Boa, filhote.

Ele voltou a dar risada.

Ric: Os meninos vão rachar quando souberem disso.

Eu tomei um susto.

Eu: Você vai contar pra eles?

Ric: Vou, ué. A gente sempre conta das minas que a gente come uns pros outros, não? Você não conta porque não tem nenhum caso. Eu, depois de ontem, tô cheio de caso.

Eu só fiquei em silêncio. Ele viu que eu não ia contestar, reclamar dele contar pro resto dos nossos amigos que ele comeu minha mãe.

Ric: Mas conversa de brother fica entre os brothers, você sabe né? Tem que saber separar. Quando eu contar essas paradas da sua mãe tem que pensar nela como uma mina que eu tô comendo, e não como sua mãe. Se não vai acabar atrapalhando nossa amizade, mano.

Eu: Eu boto fé, mano. Relaxa.

Ele sabe que eu sou covarde. Que vou continuar sendo amigo ele porque ele é um cara que eu admiro muito. E agora sabe como minha mãe é fácil de comer e como é obediente na cama. Claro que ele vai se aproveitar disso. E eu vou respeitar ele e separar bem as relações, afinal é direito dele contar pra quem quiser sobre quem ele comeu. E, tudo que eu ouvi e vi dois fazendo, era difícil não contar.

Chegamos na casa dele. Ele desceu no carro e eu também. Nos despedimos e ele entrou na casa dele e eu no banco do motorista. Fiquei assistindo ele entrar em casa. O comedor da minha mãe. Gozou nela 4 vezes de ontem pra hoje. Comeu o cuzinho dela que ela estava há 23 anos sem dar. Chegou lá em casa pra mostrar quem mandava. Fez minha mãe autoritária de puta e virou o homem da casa só de pisar lá dentro. Eu sei que ele sabe que agora ela tá na mão dele, e ele vai poder usar ela quando quiser. E sei que sabe que eu nunca vou ter coragem de ficar puto com ele por isso. Um cara forte, controlador, que impõe suas opiniões e o que quer. Ele é tudo que eu sonhei em ser a vida toda, e que eu nunca vou conseguir ser. E agora ele era o homem da minha casa, coisa que estava em falta lá tinham alguns anos. Fiquei vendo o ombro largo dele de costas, alargando minha camisa apertada. A presença dele era sempre muito imponente. Ele entrou em casa e eu voltei pra minha.

Cheguei lá minha mãe já tava dormindo. Depois de um tempo vi que ele me chamou no Whatsapp.

– Lek.

– Manda o tel da sua mãe.

Eu mandei e ele não respondeu nem um obrigado. Deve ter chamado ela com prontidão. Ia ser mais uma das várias minas que ele tava de papinho no Whatsapp. Eu tô louco pra saber sobre o que eles já conversaram desde domingo. Será que ela também se humilha pra ele por Whatsapp? Deixa provas digitais do tanto que ela é putinha, do tanto que ele controla ela. Provas que ele pode mostrar pros outros quando quiser.

Depois que mandei pra ele o contato dela, mostrando que eu tava conivente com ele se aproveitar dela o máximo que conseguisse, entrei no grupo dos meus amigos. No grupo tem eu, ele e mais 8 amigos nossos, a maioria com esse perfil de cara babaca e pegador igual ele.

Ele tinha mandado uma selfie dele com minha mãe no grupo. Provavelmente da noite anterior. Ela usando uma camisola azul clara de seda, com um decote que mostrava bem os peitos dela. Ele sem camisa. Os dois deitados na cama dela, provavelmente logo depois do banho que tomaram juntos mais cedo. Fiquei de pau duro na hora imaginando como os dois deviam estar satisfeitos na hora da foto, depois de um dia inteiro transando. Fiquei pensando como ela fazia tudo que ele mandava sem nem pensar. Deixou ele tirar uma selfie com ele na cama sem nem ligar para o que ele poderia fazer com a foto. Ela sempre rebateu tanto as pessoas, mandava e desmandava no meu pai enquanto estavam casados. Com ele ela pedia a postura.

E, a partir daí, meus amigos ficaram sabendo que ele tinha comido minha mãe. O que já era humilhante só com o Ricardo e minha mãe sabendo, ficou ainda mais com os meus amigos me zoando no grupo.

Hoje é quarta. Já tem 3 dias desde domingo, quando eu deixei ele em casa. Ele ainda não voltou aqui em casa, mas tenho certeza que estão conversando no Whatsapp e uma hora vai voltar. O que vocês acham? Será que ela vai se arrepender? Ou que vai tornar cada vez mais puta, cada vez mais safada na mão dele? Será que ele vai virar mesmo meu padrasto, o homem da casa?

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,81 de 16 votos)

Por #
Comente e avalie para incentivar o autor

14 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder nico ID:16oqamouj3rf

    posta a parte 4 por favor!!

  • Responder Areias ID:2ql0lbu43

    Posta a continuação… O conto está ótimo.

  • Responder Jr 16 ID:bf9dce2v9a

    @ Pedro
    Amigo, o que Roberto Falcão cita no comentários dele, também acho que, o Ric vai sim colocar a sua mãe nas mãos de amigos dele, para comerem também.

  • Responder Roberto Falcão ID:gzgf0w7mg7c

    Acho que o Ric vai trazer alguns amigos para traçarem sua mãe também, vai ser foda.
    Muito bom seus relatos, aguardando os próximos.
    Parabéns pela bela, gostosa e putona mãe que vc tem.

  • Responder Areias ID:2ql0lbuhl

    Cara, muito bom seus contos.. eu acrescentaria um dos colegas que fazem parte do grupo de whatsapp.. coloca o retorno do Ric com um desses colegas, ou seja, dois amigos agora comendo a mãe do coitado, kkkkkkkkkkk

    Os contos estão tops.

  • Responder DOM ORFHEU ID:41ih3i0ov9d

    Pra mim essa admiração que vc tem por ele sendo esse macho alfa que vc nunca vai ser e ele fazendo de sua mãe uma cadela no cio submissa que ela tanto quis ser só precisava de um macho de verdade para domina-la vai acabar com ela sendo a vadiazinha da galera vc assistindo tudo bem submisso e vc vai acabar sendo feito de putinha como ela e vai amar, escreva o que eu digo

  • Responder Pqpp ID:81rd3cf741

    Melhor conto q ja li

  • Responder jontadelho ID:1eol5vc15lcn

    gostei continua

  • Responder Leitor077 ID:dloelf7d1

    CONTO DE FROUXO

  • Responder Leitor077 ID:dloelf7d1

    Vsf frouxo do krl, vira homem porra, conto de merda

  • Responder Tom ID:1ehlyzwhhzbk

    Seja homem cara , ao menos 1 X
    To c Ódio só de ler isso!! Amizade de Bosta que vc tem!! Tudo lixo

  • Responder Tom ID:1ehlyzwhhzbk

    Realmente vc é um frouxo, sua mãe , sua casa , seu carro… coloca esse desgraçado p fora logo, seja homem ao menos 1x .. amizade dele é a pior do 🌎 FDP isso sim.. nao vai achar que os BROTHERS são seus amigos, são cambada de FDPUTAS ISSO SIM

  • Responder fabia ID:1ecxvzvjcd33

    faltou uma foto da mamae

  • Responder Observador ID:1e9d6k06ucrb

    O que eu acho que você é um otario, um capacho, um paga lanche, um imbecil