# #

Doces lembranças V – JP IV

1589 palavras | 2 |3.91
Por

Alguns dias após o JP meter gostoso no meu cu, no sofá da sala de sua casa, soube que em breve nós voltaríamos para o interior e teria pouco tempo morando no condomínio.
Pensava em dar o cu para o Marcelinho novamente (não desisti dele), comer o Vini de novo ou, o melhor que me aconteceu: dar mais uma vez o cu para o JP!
Além de querer sentir seu pau delicioso novamente dentro de mim, pensava no seu irmãozinho que nos cuidou na primeira vez que ele me comeu, queria que ele participasse de alguma forma na nossa transa. Nesse dia, arrisquei ligar pelo interfone, torcendo que JP atendesse, porém, quem atendeu foi Pedro Henrique com sua voz infantil:
PH – Alô! Quem fala?
Eu – César, amigo do JP… ele está? Ouvi-o gritar: – João Pedro! “Nosso” amigo do quarto andar! Acho que ele quer que tu comas ele de novo! (falou rindo). Saquei que, seu irmãozinho já havia entendido o que acontecera entre eu e o JP, quando ele me comeu a primeira vez!
JP – Fala César!
Eu – Seguinte…. Vamos voltar para o interior em breve, queria me encontrar contigo novamente… posso combinar aqui em casa, se quiseres trazer teu irmãozinho…
JP: – Beleza! Quarta ou quinta à tarde, ficaremos sozinhos novamente.
Eu: – Estou sempre sozinho à tarde, me avisa… podes trazer teu irmãozinho?
JP; Ele vai junto, já expliquei tudo para ele, é nosso segredinho de irmãos!
Perfeito! Era só esperar até quarta ou quinta! Corri para a varanda, esperando ver o Marcelinho, nada, a solução foi ir para meu quarto, para o meu colchão no chão e tocar um boa punheta! Quarta-feira, chegando da aula, encontro no elevador os irmãos com a mãe. Os meninos dizem olá, a mãe sorri e passa a mão na minha cabeça e, também abro um sorriso por aquele toque de carinho!
Terceiro andar, porta abrindo, JP fala alto: mãe, é hoje que a senhora vai na tia… (não entendi o nome), ela respondeu: sim! Entendi a mensagem: é hoje que JP me come novamente!
Entrei no apartamento, correndo, joguei os livros no sofá, fui na varanda, o Marcelinho estendia sua toalha, só de calção, peitinhos mais volumosos, não menos lindos, passei minha língua sobre meus lábios, ele sorriu e como sempre fazia quando me via, unia as mãos em concha segurando o pau junto com as bolas e me mostrava! Que vontade de dar para ele novamente! Almoço rápido, tentei me concentrar e adiantar algum tema da escola, não consegui, meu pensamento era um só: JP e seu irmãozinho. Corri para meu quarto, ajeitei meu colchão sempre no chão, dois travesseiros e mais uma almofada, tudo pronto, era só esperar o interfone tocar. Não tocou mas, ouço leves batidas na porta, eram os meninos… entram correndo, sorrisos largos, JP segurando seu pau sempre a meia bomba, nós três estávamos somente de calção, vamos para meu quarto, mostro o colchão no chão, os dois sentam lado a lado encostados na parede, JP abaixa um pouco seu calção e tira seu pau para fora começando uma punheta, mostra para seu irmão e manda ele fazer o mesmo. PH, bem à vontade, para minha surpresa tira seu calção de imediato, abre bem as pernas e mostra um pauzinho pequeno, não mais do que uns nove ou dez centímetros, diferente do JP, circuncisado, cabecinha vermelhinha, fecha seus dedos da mão direita em cunha sobre a base do seu pau e começa um punhetinha. Eu, de joelhos na sua frente, adorando aquela cena, sinto as mãos de JP sobre minha bunda, baixando meu calção, apertando minhas polpas sentindo um dedinho na porta do meu cuzinho suado que piscava querendo aquele pau! Eles não queriam perder tempo comigo!
Sentindo a pressão das mãos do JP, estirei-me ao comprido no colchão com minha cabeça entre as pernas do PH, que parou sua punhetinha e já mostrava um pauzinho bem durinho em riste e exalando um cheirinho de suor e urina, permanecia encostado contra a parede, mãos apoiadas e as pernas mais abertas ainda fazendo que o saquinho rosa e o pau ficassem mais protuberantes, aproximei minha boca e comecei a dar pequenos beijinhos no saquinho, no corpo do pauzinho, abocanhei a cabecinha, salivando bastante para dar mais prazer passando pelo pau todo, ia da cabeça ao corpo, ao saquinho, as bolas durinhas, olhei para cima, PH estava com olhos e boca bem aberta, deliciava-se com minha chupada.
Com isso tudo, JP não perdeu tempo, tirou meu calção por completo, esticou bem minhas pernas, abriu-as e com suas mãos abriu minha bunda, senti aquela cuspida bem no centro do meu cu, uma, duas vezes, seu ventre junto a minha bunda, seu pau percorrendo meu rego, de cima para baixo e vice-versa, uma, duas, três vezes… aquela parada bem no centro do cu, uma cravada para ter certeza se estava bem posicionado, retiro minha boca do pau do PH, olho para trás a tempo de ver JP cuspir na sua mão direita e lambuzar bem a cabeça do pau, que parecia maior, mais grosso, nesse breve momento PH puxa minha cabeça para abocanhar seu pau, o garotinho estava inebriado com minha chupada, senti JP abrir novamente minha bunda e encostar a cabeça do pau bem no centro do meu cu, forçou um pouquinho, não tive nem a reação natural de tentar travar o cu, pois, com meu cu e seu pau bem lubrificados senti a cabeça entrar um pouquinho, JP parou, ouvi um suspiro de prazer e, ele deitar o seu corpo em toda a extensão sobre o meu, ajeitei minha bunda com uma pequena mexida no quadril e, senti o pau deslizar completamente para dentro até suas bolas travarem junto a minha bunda, com calma e como quem sabia agora como dar e ter prazer em me comer, passou suas mãos sobre minhas axilas, sua cabeça de lado sobre a minha e, lentamente começa a meter e puxar o pau, sua pelve sobre minha bunda que acompanhava o ritmo, seu pau estava mais grosso, sentia preencher meu cu por completo, minha boca já doía de continuar chupando PH que agora segurava minha cabeça com as mãos seguindo o ritmo de minha chupada e a metida do JP no meu cu, seu olhar agora estava direcionado para as costas e a bunda do seu irmão, extasiado com o vai e vem de nossos corpos.
Que delícia, meu pau duríssimo entre minha barriga e o colchão, boca na pica do PH e cu no pau do JP, era uma despedida que não seria esquecida tão cedo.
PH cansou, retirou minha boca do seu pau que estava mais vermelho de tanto eu chupar, fixou-se agora a olhar seu irmão me comendo, me ajeitei melhor, fechei as pernas, JP pediu para abrir novamente, obedeci, senti uma fincada maior, JP levantou devagar tirando o pau por completo de meu cu segurando e mostrando para seu irmão que não fechava a boca de curiosidade e felicidade, JP pediu eu abrir minha bunda, cuspiu novamente no meu cu, olhava e sorria para seu irmão, apoiou sua mão esquerda no colchão, com direita segurou seu pau, encostou a cabeça no centro do meu cu, olhou para o irmão e disse: é assim! Desta vez enfiou com vontade, eu não esperava ser dessa forma, doeu, dei um leve grito, mas a tesão falou mais alto, me ajeitei melhor entendendo que, essa seria a metida que ele queria. Ele pegou a almofada e colocou sob minha pelve levantando minha bunda que, mais arqueada facilitou a metida, suas mãos sobre meus ombros juntando fortemente nossos corpos enquanto metia, gemia alto em um mete, puxa, mete, puxa, mexo minha bunda freneticamente, seu irmão de quatro olhando fixamente para o que fazíamos, JP sussurra no meu ouvido: vou gozar, César!
Desce suas mãos para minha cintura e puxa mais forte minha bunda contra sua pelve, seu pau e suas bolas aumentando o ritmo, tento acompanhar, gozo sem tocar no meu pau, uma, duas, três fincadas, segura minha cintura sem deixar voltar, sinto seu pau intumescer dentro do meu cu e o primeiro jato quente e forte a me inundar, mais um, dois, leves e, JP desaba seu corpo sobre o meu. Aperto meu cu sobre seu pau, tento prender por mais tempo dentro de mim, não quero que saia de dentro, ficamos ainda entalados, penso que ele vai corresponder e tentar dar mais uma sem tirar do cu, me engano, ele começa a levantar, seu pau desliza para fora, também coberto com sua porra, o restante escoa para fora do meu cu lambuzando minha bunda, olho para o PH que já está em pé, havia colocado o calção e nos olhava ainda sorrindo, JP também colocou seu calção e disse: nós já vamos!
Apenas concordei, não tinha o que dizer, o cu ardia, a boca doía…. mas, eu estava muito, muito feliz!

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,91 de 11 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Kainho ID:gsus5s8rk

    Que delícia de conto! Já li teus outro contos, acho massa.
    Tem continuação?

  • Responder Matheo ID:gsus5s8rk

    Gosto muito dos teus contos, César! E afinal, teve mais um encontro com Marcelinho?
    Aguardando a sequência.