# # #

Minha sogra me fodeu II

602 palavras | 10 |4.87
Por

Segunda vez que minha sogra ninfomaníaca se aproveitou de mim.

Desde que fui a casa da minha sogra pela primeira vez fiquei apavorada de lá voltar, a mulher é louca, ninfomaníaca, e pior, eu gozei gostoso com ela.

Resolvi não contar a ninguém nem ao Arthur (meu marido), não queria estragar o casamento de ninguém e muito menos a relação mãe e filho, mas isso custava a mim ter que resistir e fugir das investidas dela.

Ela estava sempre atrás de mim quando íamos a casa dela, apalpava minha bunda quando ninguém estava olhando, gemia no meu ouvido, chegou a ponto de passarmos por uma situação muito sexy e constrangedora no banheiro.

O banheiro que ficava na sala era social, grande, com duas pias e a sanita num lugar reservado, eu fui até a pia lavar as mãos e o rosto tentando fugir do calor, minha pele brilhava em suor, fiquei me olhando no espelho e em segundos a Isabel entrou, fechou a porta atrás de si e veio até mim, chegou por trás, sorrateira, cheirou meu pescoço, eu me virei e ia tentar fugir mas ela prendeu meu corpo entre o seu e a pia.

– Foge não morena, tá tão gostosa, essa pele negra brilhante, esse cheiro delicioso – Ela apertou minha coxa coberta por um shortinho branco e curto.

Eu respirei fundo e fechei os olhos, sentindo vibrações na minha buceta.

– Você me deixa louca, rebolando nesse short, acha que não percebo? Hmmm

Ela começou a beijar meu pescoço enquanto apertava minhas coxas e bunda, minha buceta já devia estar encharcada, eu nem capaz de falar era.

– Isabel, eles vão ouvir

Eu me tremia toda e minha voz saiu trêmula e fraca demais, eu estava entregue, ela percebeu.

Isabel ergueu meu corpo me fazendo sentar na pia, me puxou pelo cabelo e me tomou num beijo sexual, molhado, nossas línguas serpenteavam, brigavam entre si, e eu me derretia inteira com seus toques.

– Geme baixinho só pra mim putinha, me diz o que você precisa.

Ela disse e entrou com a mão dentro do meu short, o tecido era molinho e cedeu fácil acolhendo sua mão junto a minha buceta ainda por cima da calcinha.

Gemi com o contato raso com minha carne encharcada e pulsante, mordi seu lábio tamanho tesao, ela me puxou pelo cabelo e me olho séria

– Sem morder, vadia, garotinhas más não gozam

Ela me puxou para o chão e sentou onde eu estava, levantou o vestido curtinho e solto que usava e ordenou. – Chupa.

A visão era magnífica, uma buceta lisinha ali de cara pra mim, ela estava sem calcinha, eu não tinha mais nada a perder me joguei de boca naquela bucetinha gostosa, chupei com tanta vontade como nunca chupei nem o pau do meu marido, me deliciei com todo mel que saia dela, nunca havia chupado uma mulher mas só os gemidos dela me diziam que eu estava mandando bem.

Isabel segurou minha cabeça contra sua buceta e gemeu fino e longamente, suguei tudo o que ela me deu, todo seu gozo.

Ela respirava pesado, se levantou e me pegou pelo pescoço me puxando pra um beijo gostoso e gozado.

– Hoje era minha vez putinha, a noite eu te espero no quintal, às 3h da manhã, esteja lá e eu cuido de você.

E assim novamente ela saiu, me deixando desnorteada, com o rosto sujo com seu gozo, me deixando doida pelo seu toque, esperando ansiosamente pela hora marcada.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,87 de 30 votos)

Por # # #

10 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Melinda

    Cadê a continuação??

  • Responder Verme depravado

    Continua…

  • Responder pleaseI'mcrazykkk

    foto da sua sogra?

  • Responder Was

    Continua

  • Responder Tarso

    Como a minha sogra e uma delícia moro na casa dela…

  • Responder gatomg

    Que delicia

  • Responder Lanabi

    Quero uma sogra dessas

  • Responder Aninha

    Delicia,eu chuparia sa sogra

  • Responder Baiano

    Continua ,,,,,,

    • Do interior

      Sou louco para chupar minha sogra.