# #

Visita na casa do vovô

3149 palavras | 8 |4.09
Por

Este é meu primeiro conto que vou escrever e vou contar como tive a minha primeira experiencia, vou se educada e dizer que não foi por vontade própria

Oiii amores,

Este é meu primeiro conto que vou escrever e vou contar como tive a minha primeira experiencia, vou se educada e dizer que não foi por vontade própria e que acredito que tenha doido mais do que o necessário. Mas me ensinou a gostar de ser assanhadinha assim com eu sou hoje,

Vamos começar com o básico, meu nome é Ellen, posso dizer que sou novinha, ainda estou na escola(facu) eu amo ler contos e por isso estou aqui começando minha careira de escritora de conto, me ajudem a escrever melhor. Todos na escola me chamam de Japa, eu não gosto muito mas acho que vai ajudar a você me imaginar. Tenho 1,45 de altura 35 Kilos e sou toda pequeninha, seios, coxas e bumbum, tudo é pequenininho e apertado hihihihi.

Tudo começou em uma segunda feira quando minha mãe me acordou como de costume, mas havia uma mudança normalmente eu tomaria café da manha, um banho e iria para a aula, Mas desta vês minha mãe disse que meu avô (pai dela) estava doente novamente e eu teria que faltar na aula para cuidar dele por um tempo. Isso não era um problema pra minhas notas, sempre gostei de estudar e minhas notas sempre foram altas, e eu amava ficar na casa do vovô, ele era “japonês de verdade” nasceu la, mas veio para o Brasil.

Ele era bem serio, mas eu adorava ficar la brincando a casa dele era bem maior que a minha e ele não ligava para barulhos e brincadeiras.

Então tomei um café da manha delicioso, e tomei um banho bem rapidinho, meu vovô não podia esperar muito, meu pai me levou de carro mas tinha que trabalhar e não chegou a entrar na casa, mas me disse para ser comportada me deu um dinheiro para eu pagar a enfermeira que fica com ele de noite, e antes de ir para o trabalho, falou que eu tinha que cuidar muito bem dele e saiu com o carro.

Toquei a campainha a enfermeira veio abrir o portão para eu entrar mas assim que mostrei que ia pagar ela, já pegou o dinheiro agradeceu e foi embora, depois que eu vi que ela já estava com a bolsa e tudo pronto, ela devia estar muito cansada ou com pressa de chegar em algum lugar, Então entrei e fui direto para o quarto dele, ele estava todo quietinho assistindo um filme na TV, eu entrei sem fazer muito barulho e fui cumprimentar ele, dei um Beijinho na mão dele e ele me puxou para me dar um beijo na testa, perguntei se ele estava com fome, e me disse que sim, prontamente fui fazer um otimo café da manha apra ele,

Fui até a cozinha e fiz, torrada, café e ovos mexidos, eu era nova mas minhas mãe já me criava apra ser uma boa esposa, hihihihi,

acabei de perceber que não falei como estava vestida então vou falara agora.)

Quando estrei no quarto do meu avô ele me viu a netinha dele toda pequena carregando com um pouco de dificuldade uma bandeja bem grande com o café da minha dele e vestindo, um short jeans, blusinha regata branca(na época ainda não usava sutien), e para você seu safadinho eu conto como era minha calcinha. era uma de algodão bem normalzinha, tamanho P e rosinha, mas já era velinha, então estava meio larguinha já e como eu tomei banho com alguma pressa eu não tive tempo de trocar a calcinha, então estava com ela desdo domingo quando tomei banho.

Nós tomamos o café da manha juntos na cama dele, eu sentada igual indio com as pernas “cruzadas” e ele deitado recebendo comida que a netinha dava pra ele. eu não sei qual era o filme que ele assitia, mas tinha umas caras correndo com unas corras e umas mulheres com uns shorts que até pareciam com o que eu estava usando,mas era MUITO pequenos e minha mãe nunca deixaria eu usar. hihihihi

Eu não via muito graça e ver aquele filme mas prometi para meu pai que cuidaria do vovô então depois que comemos ele disse para eu ficar com ele, por que o remédio deixava ele meio fraco, então eu fiquei la na cama com ele, mas fiquei deitada de barriga pra baixo na cama e de frente para a tv, minha cabeça estava próxima aos joelhos dele e meus já descalços balançando no ar. assistimos tudo e no final um homem careca do filme bateu o carro. mas era muito chato, ainda bem que tinha terminado,

Eu e ele estávamos cansados de ficar na cama, e ele me pediu para levar ele para o quintal. (eu posso ser pequena, mas eu aguento, eu sou bem forte, hihihih ) eu sai da cama foi ao lado do meu avô e o ajudei a sentar na cadeira de roda, e fui levando ele pelo corredor, então ele segurou as rodas e pediu para parar, eu claro que obedeci meu avô foi quando ele me disse que tinha bebido muito café e com a voz tremula disse que precisava ir ao banheiro. Eu não liguei e disse claro vovô vou levar a senhor então, porem quando voltei a enpura-lo não andou pois ainda segurava as rodas e se cabeça baixa disse bem baixinho, que achava melhor ele ir sozinho.

Nesse momento já tava com a imagem no meu pai e minha mãe me falando para não deixar ele fazer nada sozinho, por que o remédio deixava ele fraco, falei alto e claro que eu não ia deixar ele fazer nada sozinho, que eu era uma boa neta e ia ajudar ele em tudo oque ele precisar. Neste momento ele soltou as rodas e voltamos a andar até o banheiro e não tinha a menos ideia de como eu ia ajudar ele a fazer xixi, pensei em deixar ele sentar no vaso igual quando eu uso, mas achei que meu avô não ia gostar,

Mas para minha sorte o banheiro dele tinha umas barras que ajudava ele a segurar, cheguei o mais próximo possível com a cadeira no vaso e prendi as rodas para meu vovô ter mais apoio eu corri para o lado dele e ajudei ele a levantar, e como eu disse que sou forte apesar de pequena foi fácil ajudar ele a ficar em pé. Quando ele segurou nas barrar eu percebi que iamos ter um problema, por que ele nao poderia mais soltar, eu vi ele tentando mais desequilibrando e mais uma ves com a voz autoritaria disse, pare de tentar vovô eu vou te ajuda com isso.

Você não tem noção de como foi a cara dele neste momento, olhou pra min com os olhos arregalados que foi muito engraçado… mas voltando ao foco. Eu disse para meu pai e mãe que ia ajudar o senhor no que precisar e eu vou fazer isso, sem pensar muito em como ia realmente fazer isso, que digo hoje que foi muito complicado. Por que meu vovô já era viuvo a muito anos e apesar de ser sua neta, era uma menina que ia pegar nela hihihi,

Então comecei a fazer oque precisava. Abaixei a calça do pijama do meu vovõzinho (neste momento poderia mais uma vês mentir e falar que estava duro como pedra e era gigante, mas assumi um compromisso de falar a verdade), era um pau normal, e claro que estava mole, eu pensei que isso era o suficiente e disso pronto vovo pode fazer xixi, porque comigo é assim eu abeixo minha calça ou short e calcinha e faço, mas esqueci que quando meninos fazer xixi tem que mirar, então quando percebi eu peguei de uma ves que ele até assuntou e tremeu as pernas.

Eu fiquei apavorada e rapidamente ajoelhei para segurar que não ia cair, pedi muitas desculpas por assuntar ele e expliquei que tinha esquecido que tem que segurar, ainda abracada nas pernas dele voltei a segurar para ajudar a mirar, mas como estava de beixo pra cima foi a primeira que deu uma movimentada diferente e a cabeça do pau dele apareceu e esta sim era grande

Voltei a falar Pronto agora já pode fazer xixi, e depois de uma tempinho ele começou a fazer soltando quase que um gemido de alivio, eu em nenhum momento fiquei quieta e fui falando isso vai xixi faz que é bom, depois vamos la pra fora brincar muito. o xixi demorou muuuuiito ele realmente estava apertado, e quando terminou eu soltei e ficou parado na ar, hihihi parecia magica quando eu peguei tava todo momenga e depois do xixi ficou paradinho no ar ele não cresceu quase nada mas ficou duro, quando eu olhei pra cima ele setava muito vermelho e pediu desculpa, e não sabia o por que mas falei que tudo bem, eu sorri e com o papel higiênico que peguei comecei a passar para limpar, pois ficou um pouco de xixi, principalmente no final.

enquanto passava o papel ele voltou a gemer, mas desta ves eu ja sabia que era por que ele estava apertado né então disse se tiver mais vovô pode soltar eu não me importo. tentei mais de uma ves colocar a ponta pra dentro da pele puxando mas sempre soltava pra fora, mas depois de um tempinho ele gemeu muito mais alto e disse :

– “la vai”

Eu ainda segurando o papel na ponta falei:

– “pode soltar vovô”

Mas antes de que minhas palavras focem terminadas ele expluiu, em tremidas e em leite acumulado por meses eu acho, mas eu fiquei muito preocupada e enquanto ele ainda soltava jatos de prazer eu tentava entender oque acontecia, quando ele parou de soltar oque eu viria a descobrir depois que era sêmen, ele sentou com um sorisso no rosto que a muito tempo não via, e uma disposição renovada, por que da mesma hora que sentou ficou um segundo e já levantou colocando a mão na minha cabeça agradecendo pelo remédio que deu para o vovô e que se sentia muito melhor, mas NUNCA deveria contar oque aconteceu ali para ninguém.

Eu concordei com a cabeça ainda sem entender muito oque tinha acontecido e oque era aquela “gosma” na minha mão, ele não fez questão nenhuma de explicar nada mas disse que eu tinha que tomar banho, eu neguei por que prometi que não ia deixar ele sozinho, então ele disse que ficaria ali esperando eu tomar banho.

Não vi nada demais nisso e aceitei, tirei a blusa que era mais fácil porque ainda não usava sutien, claro que fiquei de costas pra ele não ver nada, desabituei meu short jeans e ainda de costa tirei junto com a calcinha me abaixando sem dobrar os joelhos, hoje eu sei que não deveria ter feito isso, por que ele deve ter visto muitas coisas que ninguém tinha visto hihihi.

Novamente poderia enfeitar oque aconteceu, mas foi um banho bem normal, apresar do foco em lavar as mãos e dele to lado de fora me esperando do lado de fora com a toalha e me enxugou MUITO bem e em lugares “estranhos” como minha ppk e ele me fez ficar na posição que tirei o short para secar com um papel higiênico la atrás e ele demorou muito tempo.

Depois que eu reclamar de dor um pouco ele parou e deixou e ir no quarto pegar uma roupa, mas me fez prometer que não ia colocar calcinha. Mais um erro meu de aceitar por que eu não tinha muitas roupas na casa dele, então tique que colocar uma saia azul com pregas que minha mãe deixou la um dia por que eu tinha crescido e não ia usar mais. era pra doar, mais ficou por la. então coloquei, então já vestida fui buscar ele no banheiro onde deixei ele, mas não encontrei la. somente a caideira de rodas , eu fiquei mais brinca do que já sou, e gritei e corri por toda a casa até achar ele na cozinha ja fazendo almoço, MUITO mais disposto do que antes, entre uma mexida na panela e uma cortada de legumes ele vinha até min me dava um beijinho e agradecia pelo remédio.

Nós almoçamos uma comida deliciosa feita pelo vovô e depois eu lavei a louça mas fiz ele prometer ficar quietinho ali perto, ele ficou na sala de jantar me vendo lavar a louça toda, quando terminei eu estava muito cansada e perguntei se ele também estava, (eu queria dormir). ele disse que a anos não se sentia tão animado e feliz, eu achei bem estranho por que antes ele estava muito cansado e doente, mas me explicou que o que estava deixando ele doente era o acumulo da “gosminha” que ele chamou de leitinho.

E me disse mais uma coisa, que a mesma coisa que deixa o homem cansado é oque da forças e deixa a mulher feliz a animada, o leitinho, Claro que eu fiz muuuitas perguntas por que nunca tinha ouvido falar de um remédio deste que deixa-se a mulher feliz e animada. Ele me levou para o quarto de volta e sentado junto comigo na cama me tirou todas as duvidas, falando termos que eu não entendia e palavras complicadas. mas não via por que duvidar dele. Ele só queria eu animada e feliz, mas o fator que fez ele me convencer foi quando ele disse que eu precisava estar feliz para cuidar dele.

Neste momento eu estava completamente e cegamente convencida, e eu precisava do remédio do vovô, mas ainda com duvida de como conseguiria tirar dele o leitinho, perguntei se iamos no banheiro para fazer igual a ultima ves, ele voltou a usar palavas que eu não conhecia para explicar para explicar que eu precisava de uma dose concentrada por estar muito cansada.

Fiz mas alguma perguntas e depois de um tempo estava com o short abaixado ate o joelho, naquela posição de quando ele secava meu bumbum, eu vi ele quando olhei pra traz e estava com o pau pra fora, fazendo movimentos estranhos, mas quando percebeu que eu estava observando soltou e ficou no ar coo antes, perguntei se ia ser gostoso ou ia ser igual aos remédios que doem, ele veio até pertinho de min e disse que esse era dos que doem, mas ia prometeu que no final eu ia estar feliz e animada.

Neste momento ele começou a abaixar minha calcinha também, mas tirou só até sair o bumbum, me disse para ficar quietinha e bem parada, quando mais eu me mexe-se mais dor eu sentiria, então eu segurei o travesseiro bem próximo como se estivesse abraçando ele bem forte, e falei para ele começar a dar o remédio que estava pronta.

senti o corpo gelado dele encostando em min, e la falando que ia preparar o meu buraquinho para receber o remédio, concordei com um “Uhum” tímido e um pouco amedrontado, foi quando senti o seu dedo na entradinha do meu buraquinho de traz já esta molhada com algum liquido e isso ajudou a o dedo dele entrar, ele dizia:

– Não vai ser fácil netinha, é bem apertado aqui atrás

– Vou deixar você acostumar com meu dedo, e depois coloco o remédio.

Eu não conseguia mais olhar pra traz, estava paralisada, mas ouvia um “puf, puf” e sentia ele tremer no ritmo do som.

Meu buraquinho realmente foi acostumando antes estava apertando o dedo e pulsando, mas não fazia mas, então começou os movimentos e entrar e sair, ele tirava por complete e colocava todo, nas primeiras vezes devagar, mas logo colocou a entrar e sair cada vês mais rápido e rápido, até que um movimento não voltou.

Pude sentir as duas mãos me segurando pela cintura, as mãos dele quase davam a volta nela, e pude também sentir o pau dele apontando em min, onde em momentos atrás tinha o dedo, ele me segurou com força e sem nenhuma palavra começou a forçar para entrar com uma dor que eu nunca tinha sentido antes entrou um pedaço de uma vês, se ele não me segurasse com certeza teria fugido, mas estava pressa ali, antes de eu pedir para parar ele não fez mais nenhum movimento, mas disse:

– Aguenta mais um pouco que o leitinho ta vindo

Mas antes de que eu pudesse falar ou fazer qualquer coisa pra me defender, voltei a sentir uma pressão conta meu corpinho e uma dor alucinante do pau dele entrando o mais fundo que podia, em apenas uma entrada forte e firme, alem da dor as lagrimas caindo dos meus olhos e uma vontade muito grande fazer coco. Por mais um tempo ficamos imóveis mas desta vês pude sentir o leitinho dentro de min. Um alivio e felicidade tomaram conta de min por imaginar que todo meu sofrimento estava perto do fim que soltei uma gargalhada.

Quando meu vôzinho saiu de dentro de min, cai no chão quase sem forçar mais como meu avô me disse antes estava bem feliz e aliviada, que durou pouco tempo pois a vergonha veio forte quando sem eu perceber eu soltei um “PUM” muito alto e melado e na sequencia soltei muito to leitinho que estava dentro de min.

– Desculpe, eu to sujando e chão.

Ele riu muito e me tranquilizou falando que era só limpara depois, mas não podia desperdiçar mais o remedio que ele fez para min. e me mandou colocar a Calcinha e o Short de volta para não vazar mais.

Eu coloquei devolta e vou falar que o restante do dia foi bem normal. apenar da dor no bumbum e de que quando cheguei em casa depois que meu pai foi me buscar, durante o banho soltei muitos outros “PUM” melados.

Espero que tenham gostados, e gosados hihihih
se gostaram deixem comentários lindos elogiando
Se não gostou deixa comentario me dando dicas.

ou me manda um Email [email protected]
vou tentar responder todos.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,09 de 22 votos)

Por # #

8 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Anônima

    Que tesão. Meus Pais trabalhavam fora e minha avó que cuidava de mim. Mas eu passava o tempo todo atras do meu vô, militar aposentado. Sempre fui muito manhosa e vivia no colo dele. Aos poucos com 6 este anos ele ja colocava o pau pra fora e esfregava na minha bucetinha e eu adorava o colo dele entao nao ligava. Eu obedecia pois ele era bravo apesar de dar carinho.
    Quando minha vó saía ele metia o pau em mim, aos 8 dava a buceta quase todo dia, nunca contei, ninguém nunca desconfiou. Se a menina sentir medo do homem ele pode comer sempre pois a gente não conta

  • Responder Ellen

    Oi pessoal eu tive um problema com o email e perdi, mais pode me mandar no [email protected]

  • Responder ...

    35 kilos…

  • Responder Fernando

    Gostei muito Ellen conta mais, quer ser minha netinha kkk. @Fernando1970

  • Responder FABIO

    muito bom ellen maravilhoso

  • Responder Andy

    Delicia … adoro japinhas …e-mail [email protected]

  • Responder Doza.

    Estava de saia sem calcinha e apareceu de short e calcinha. Estranho.

  • Responder Negroeamor

    Muito bom mesmo, queria eu ser seu vovô
    [email protected]