# # #

Padrasto descobre que enteada de 9 anos está sendo comida pelo pai – 2

1832 palavras | 24 |4.48
Por

Padrasto não sabe o que fazer ao ver o estado da pepeka de sua enteada depois de passar uma semana com o pai.

———– Identidade Bourne é meu codinome ———–
Continuação da história de Renato e sua enteada de 9 anos.

link: /2020/06/padrasto-descobre-que-enteada-de-9-anos-esta-sendo-comida-pelo-pai/

Sugestões, dicas, comente! Valeu

Henrique ficou sentado de frente pra ela e abriu seu Jeans, sua mão puxou com força seu pau que estava grosso e preso na cueca, e também puxou seu saco pra fora. Ela ficou parada olhando e mexendo na pepeka. O pau de Henrique dava uns pulos, e ela estava gostando de ver ele mexer, dava risadinhas. Eu também tirei o meu pra fora, e pedimos pra ela comparar qual era maior e mais bonito, tinha virado uma brincadeira excitante.
– Não cobre a pepeka Tayná, só segura aberta com seus dedinhos! – eu pedi pra ela abrir sua vulva o máximo possivel, Henrique e eu ficavamos babando.
Eu havia explicado pro Henrique que não tocaríamos nela nem gozariamos na frente dela, eu não queria me aproveitar, estava preocupado com ela, e ao mesmo tempo tentando me conter.
– Parece o bilau do meu pai rssss! – riu Tayná apontando pro membro de Henrique, que abriu um sorrisão.
– Tayná, você não tá se sentindo triste por mostrar sua pepeka, tá? Nem de ver nossos bilaus, se você não quiser não peço mais! – eu não queria que ela se sentisse abusada por mim, nem maltratada.
Ela balançou a cabeça dizendo que não, parecia gostar de mostrar de ser admirada.
– Então você gosta de mostrar sua pepeka e ver bilaus? – eu quis confirmar.
Ela disse sim com a cabeça e um sorrisinho.
– Eu gosto! Mas.. mas… – ela gaguejou um pouquinho – meu pai não gosta de deixar ninguém mais ver ela! Só ele e o amigo dele!
– Mas e você gosta que ele faça isso? – perguntei diretamente.
– Eu gosto ué! Ele é meu pai! – ela respondeu como se fosse uma coisa mais óbvia do mundo. – Só a namorada dele nem mamãe podem saber que ele é meu, ha ha ha! – disse com tom de gozação, toda menina deseja o pai e compete com a mãe, ela se sentia vencedora, ficamos com inveja.
– Mas não gosto dela, ela quer dormir com ele, e ela diz pra ele me mandar dormir na minha cama. Mas de noite eu volto pra cama! – ela tenta segurar a risada com a mão. – Daíii eu mamo no bilau dele, ela não vê porque fica só dormindo, ha ha ha!

– Você é mais inteligente mesmo! Né Tayná! – eu disse puxando saco. – Semana que vem você pode contar mais pra gente!
– E no buraquinho do bumbum, seu pai já brincou lá? – Henrique perguntou num impulso.
Tayná dobrou seu corpo tentando ver seu próprio anus, seus cabelos lisos negros eram curto até o pescoço e foi todo pra frente, então eu levantei uma de sua perna pra expor melhor.
– Ele brincou!!! Mas doeu na primeira vez, mas depois só ficava coçando, parecia que tinha bixinho dentro, ele passou pomadinha com o dedo, e não brincou maishhhh! – ela mostrou seu cuzinho piscando.
Henrique cobriu seu penis com as mãos pra Tayná não ver sua ejaculação e correu pro banheiro de baixo. Tayná riu dele dizendo que ele fez pipi. Eu guardei meu pau e disse pra ela não contar pra ninguém e ir dormir, ela me deu beijo no rosto e subiu as escadas.
Meu primo voltou do banheiro indignado com o pai dela, mas também como eu, devia ser mais inveja mesmo.
-Temos que ficar de olho nisso Renato!

Na próxima semana Tayna ficou quase todos os dias com o pai, minha esposa que pediu pro pai dela, porque eu tive campeonato pra comandar, ainda minha esposa pra acompanhar, minha sogra ficou com ela uns dias e minha cunhada outros dias. Fiquei imaginando o estado em que a pepeka dela ficaria depois de quase uma semana surrada pelo pai.
Minha esposa me disse que Tayná não ficará contente em saber que o pai dela ia viajar com a namorada dele na próxima semana e que talvez minha sogra poderia ficar com Tayná enquanto ela teria que passar noites de sexta a domingo no hospital, pra não me sobre carregar. Eu prontamente disse que não, minha sogra e cunhada moram longe, eu poderia cuidar a Tayná enquanto ela ficasse no hospital de novo pra verificar o porque de seu sangramento e o risco de aborto, eu poderia tirar uns dois dias de folga. Ela ficou de contar pra Tayná pouco antes de eu deixa-la no hospital e eu disse que poderia lidar com a reação dela, e que ela não esquentasse a cabeça. Quando a menina voltou do pai dela, eu pedi pra ver como estava sua pepeka, foi seu pior estado que já vi! Perguntei se não estava doendo, porque era isso que parecia, ela murmurou dizendo que doia um pouco, mas não queria que seu pai usasse a pepeka da namorada, e que foi bom porque a mulher saiu braba e assim ela pôde ter o pai só pra ela, quando ele não queria ela colocava banana ou pepino, então ele teve que por nela tempo todo.
– Ele brigou comigo, tio, disse que banana e pepino tem sujeira e veneno! – que pai preocupado, pensei.

Então foi assim, minha esposa contou pra Tayná no carro, que caiu aos berros, dizendo que odeia o pai dela, que não ia mais brincar com ele de palhaço, mas minha esposa tentou não prestar atenção. Ficou chorando até deixar minha esposa na enfermaria do hospital, eu cochichei pra Tayná pra ficar quietinha, que eu tinha surpresa.  Aos poucos ela foi parando de chorar no carro, quando minha esposa ligou para ver como ela estava, Tayná já estava mais conformada.

Fiquei puto com Henrique porque ele insistiu em contar pra um amigo dele que é médico que ele deveria ver isso também, então disse que poderia ser no sábado. Era sexta-feira e Tayná não iria pro pai dela, ficou resmungando, raivosa, não saia do quarto. Eu tomei meu banho no banheiro do quarto, estava fazendo minha barba ainda nu, quando ouço ela entrar no quarto e pular na cama.
– To aqui querida, gostou da janta? – eu gritei do banheiro.
Vi ela empurrando a porta e pedi pra ela esperar, enrolei-me na toalha e sai pra pegar uma cueca nas gavetas.
– É amanhá tio?? Vai ser legal??
– Sim, como te falei, é segredo, tem mais bilau pra você ver? – eu disse vestindo uma cueca branca.
– Obá! – ela vestia de novo indecentemente e se jogou na cama vendo a Tv ligada.
Eu me deixei ao lado dela relaxando e esticando minha pernas.

– Tio, seu primo tem filha?
Senti um interesse na curiosidade dela relação a Henrique.
– Não! Ele tem namorada! Por que?
– Não sei! Mas ele perguntou se meu pai brincava com meu bumbum. Pensei que ele brincasse com a filha dele no bumbum.
Meu pau cresceu dentro da cueca, eu apaguei as luzes ficando só a luz da tv. Por várias vezes ela resmungou do pai dela e eu tive que distrair mudando o assunto.
– Não quero que você fique triste, seu pai é um bobo né? Quero poder fazer você se sentir bem e contente, lembre-se que sou seu segundo pai! – eu disse dando um beijinho na bochecha dela e expandi minhas pernas deixando minha ereção à mostra, ela olhava de canto de olho.
Fiquei meio que cochilando, meu pau deus um pulo dentro da cueca e pude ver que Tayná na hora virou o rosto pra olhar, tinha um sorrisinho no rosto e via meu pau como se fosse um amigo imaginário, começou a cochichar com ele. Eu fazia meu pau mexer como se estivesse comunicando com ela, e ela caindo na brincadeira. Eu disfarcei um movimento brusco e puxei a cabeça dele pra fora da cueca e fingi cochilar. Ela estava adorando ver meu pau se mexer, chegou de pertinho pra conversar até que fiz ele encostar no rosto dela, ela se afastou e sorriu, viu que eu estava de olhos fechados, e voltou pra perto e eu mexi meu quadril até encostar na boquinha dela, ela achava engraçado, empurrei mais entendendo que queria beijo, ela beijou a cabeçona vermelha do meu pau, eu estava alucinado. A partir daí foi como instinto, ela beijou mais, eu empurrei mais, até que com minha mão tirei tudo pra fora oferecendo pra ela, e com outra mão fui empurrando sua nuca, ela sabia o que fazer, abocanhou igual uma mamadeira.

Nessa hora eu me senti pai dela, com muita ternura eu dava de mamar. Tirei a cueca e fiquei nú ajeitando ela confortavel entre minhas pernas como se fosse minha bebê, sua cabecinha na minha coxa, com meu pau pulsando tendo a metade na boquinha quente dela, era como se meu membro estivesse bombando alimento pra dentro da garganta dela. Ela massageava meu saco com sua mãozinha, apalpava minhas bolas pra cima e pra baixo e acho que o pai dela que ensinou. Eu precisava saciar a ausencia do pai dela e deixa-la contente. A mãozinha dela acariciava meu abdomen, deus dedinhos brincavam enrolando os pelos da minha barriga e pelos pubianos.

– É gostoso Tayná?
– Uh hum! – ele não tirou a cabeça da rola da boca, mamava e esfregava sua pepeka na minha perna. Eu ainda não queria avançar e não sabia se deveria tocar na pepeka dela.
– Tayná! Devagar querida… espera.. deixa o tio ir fazer pipi! – eu estava prestes a gozar e não queria ter a chance de fazer algo que desse nojo e ela não quisesse mais, não sabia como ela agiria ao leite.
Puxei rápido da boca dela em tudo gozei na minha cueca. Ela assistiu eufórica!
– Tio, ele solta leite como o bilau do meu pai!!!
– Mas e você gosta?!
– Mas você tinha que guardar pra por na minha vitamina de banana, é assim que meu pai faz, ele disse que assim eu não vomito!!

Ela não me deixava de surpreender. A partir de amanha ela ia ter muita vitamina, disse só pra ela ficar curiosa. Eu já estava meio apreensivo,  já tinha convidado Henrique e o amigo dele, e eu também tinha um amigo do ginásio, com quem eu precisa conversar e me abrir sobre essa situação complicada, pessoal o chama de Montanha.

—- Identidade Bourne ——-

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,48 de 46 votos)

Por # # #

24 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Bruna gp

    Delicia… É bom ser desejada, sendo novinha ou madura, tenho o prazer de ver minha filha sendo mulher do meu namorado, pena ela não curtir um bi

    • Itooh

      Que delícia fala cmg

    • Tony Alves 100

      Bruna, adoro seus contos, me chama no telegram @tonyalves100 ,tenho vídeos iguais seus contos.

  • Responder Ebannus

    Porra, que povo fofoqueiro..
    Não sabe guardar um segredo, depois todo mundo é preso e não sabe porque foi..

  • Responder Crentelho Hipócrita

    Isso. Vai avisado todo mundo que daqui a pouco você aparece no fantástico.

  • Responder Ze

    Legal.

  • Responder Rafaella

    Estoria interessante.. vamos ver até onde vai.

    • Eddy - Vovo safado

      Boa noite Rafaella eu também estou achando interessante demais e morrendo de tesão, meu cacete esta duro eu querendo bater uma e gozar gostoso quer conversar me mande uma mensgem: “[email protected];br”.

  • Responder Matheus

    Você poderia dizer os tamanhos dos paus (em cm) e podia incluir o pai dela na brincadeira pois ele tem pau grande.

  • Responder ada

    O Bourne , tem muita gente olhando a bucetinha da sua enteada, se segura , você não precisa provar nada a ninguém.
    Continua que o conto tá muito bom

  • Responder O comentador

    O conto e a narrativa são boas, mas quando vc começa a envolver muita gente, vc se perde e a história fica inverossímil. Mas boa sorte aí.

    • Identidade Bourne

      Você tem razão, e também cansa pra escrever. Não farei mais sequências .

  • Responder Paulinha

    Hum conto bom demais, minha bucetinha ficou molhadinha com tesao. @paulinha14

    • Mauro

      Paulinha posso te ajudar

    • Eddy - Vovo safado

      Boa noite Paulinha eu também estou com muita tesão, meu cacete esta duro eu querendo bater uma e gozar gostoso quer conversar me mande uma mensagem: “[email protected];br”.

    • Paparabus

      Posso chamar você

  • Responder Luísa

    Confuso demais …

    • Identidade Bourne

      Que parte ficou confuso?

  • Responder Pachecao

    Delícia tá cada vez mais Gostoso tô quase gosando vou tocar uma gostosa punheta pensando em vocês. Continue

  • Responder Jairo

    Ta ficando bom demais. Inclua o Pai ela na história. Ficaria sensacional, espero que o médico seja um negão.

  • Responder Bruno_Gaucho

    Otimo conto se alguem quiser conversar [email protected]

    • casal e filhas parana

      continua logo

    • Eddy - Vovo safado

      Sim muto excitante esse conto, adoraria falar com esse “casal e filhas parana”, mandem uma mensagem pra mim: “[email protected]”.

  • Responder JOSIMAR

    rapaz, que nao demore a publicar o restante da historia, esta sendo muito bom o conto