Irmãzinhas do interior da Bahia – Mãe Bêbada, filhas abusadas – Parte 2

Autor

Olá colegas, segue a continuação:
Após conversar com a Raimunda, ainda dei para ela algumas cervejas e umas doses de wisk.
Ela é resistente na bebida. Eu queria mesmo que ela fosse embora para eu ficar com a Fran.
Eu tinha no meu quarto, coberto com um lençol a bicicleta novinha que daria para a menina, mas queria estar sozinho com ela e aproveitar da menina.
Já com bastante álcool, a Raimunda resolveu ir embora.
Na saída eu pedi:
– Raimunda, deixa a Fran ficar aqui comigo ?
– Deixo sim Roberto
Foi o que queria ouvir. Logo que a Raimunda indo para o bar, na certa para encontrar algum macho, eu tranquei o portão e peguei na mão da Fran e falei:
– Venha meu amor
Meu pau já estava duro e ver a menina ao meu lado foi muito bom.
Ao entrar em casa eu tranquei a porta e aumentei o volume do som.
Abracei a Fran e pedi um beijo. Mesmo sem saber beijar direito ela me atendeu e logo senti sua pequena língua na minha boa.
Enquanto beija a pequena coloquei minhas mãos na sua bermuda e fui abaixando até sentir que a bocetinha estava na minha mão. Dedilhei com carinho.
Coloquei ela deitada no sofá e chupei gostoso. Cheirinho e sabor de xixi. A menina não seca a bocetinha e isto gera um aroma e sabor sem igual. Uma delicia de bocetinha.
Até que ela falou:
– Tio, o senhor vai me dar a bicicleta ?
Mesmo com o pau doendo de tão duro, resolvi dar o presente da menina. Parei e pedi para ela tirar a roupa e fechar os olhinhos. Fiquei pelado atrás dela e coloquei minha mão nos olhinhos dela. Fui levando ela peladinha até o quarto.
Logo que entramos eu tirei as mãos dos olhos dela e pedi para ela tirar o lençol da bike.
A menina até chorou ao ver a bike branca com detalhes rosa.
Confesso que vi ali uma criança frágil, humilde e muito carente.
Ela nem sabia o que fazer primeiro. Mexeu em tudo na bike, enquanto eu fiquei sentado na cama.
Passados uns 15 minutos, ela me deu um abraço e agradeceu.
Coloquei ela deitada na cama e perguntei se ela queria mesmo fazer as coisas comigo.
– Fran, eu gosto muito de você… mas se você não quiser fazer estas coisas pode ir embora.
– Não tio… eu quero fazer sim
– Olha eu não quero te forçar a fazer nada… só vamos fazer se você quiser também
– eu quero tio
– Mas você gosta de fazer ?
– Eu gosto sim
– O que sua mãe falou para você ?
– Ela falou que o senhor é um homem bom, e que eu devia agradar o senhor
– Mas é isto que você quer ? – perguntei
– Sim tio, eu gosto do senhor
Beijei a boquinha dela, descendo minha boca por seu pescoço. Chupei os inexistentes peitinhos, lambi a barriguinha da menina. Passei minha língua no umbiguinho e na virilha dela. A pequena ria e se contorcia num misto de cócegas e prazer.
Vi que ela gosta de ser estimulada sexualmente, acho que todas as crianças nesta faixa etária gostam de conhecer o sexo e o prazer que nos dá.
Olhei sua bocetinha com mais calma. Abri os lábios vaginas e vi um pequeno orifício do canal vagina. Pensei: Será que ali passa meu cacete ?
Notei que mesmo sendo uma criancinha ainda, ela estava úmida internamente e isto não era minha saliva, até porque eu chupei ela e suguei o maximo que pude. Certamente aquela secreção vaginal é a seiva que toda mulher produz quando fica exitada. Lambi com carinho e amor. Chupei cada pedacinho dela.
Eu já estava com meu pau doendo e querendo gozar.
Me posicionei na cama deixando ela em posição de frango assado. Pincelei meu pau na sua bocetinha. Segurei meu pau e dei batidas na bocetinha. Senti um calor natural que vinha daquela criança. Esfreguei com força querendo encontrar um caminho para penetrá-la. Fiquei uns 10 minutos e explodi num gozo delicioso. Foi porra até no peitinho dela.
Vi que ela passou a mão na sua bocetinha e espalhou minha porra por seu pequenino corpo.
Me deitei e coloquei ela deitada no meu peito. Estava calor e liguei o ar condicionado.
Senti seu coração batendo acelerado e a apertei com carinho e amor.
– Fran eu te amo – Falei
– Eu também te amo – ela disse
Ficamos calados alguns tempo e logo percebi que ela dormiu.
Fiquei ali observando cada detalhe dela. Seus cabelos, sua boquinha, bumbum redondinho e macio.
Deixei ela dormir por quase 1 hora. Até que meu pau deu sinal de vida.
Toquei suas costas e chacoalhei para acordá-la e nada.
Passei meu pau na boquinha e nada dela acordar.
Coloquei meu pau na bundinha e comecei a esfregar. Cheguei a quase gozar por fora na bunda dela e nada dela acordar. Percebi que crianças tem sono pesado.
Até que beijei a boquinha e ela acordou.
– Oi meu amor, você é linda até quando dorme !!
– Oi tio.. eu dormi bastante né ?
– Dormiu sim.
Nos beijamos e senti um bafinho gostoso. Boquinha fresca e pequena.
Levantei e liguei o chuveiro.
Dei um banho gostoso nela. Lavei o cuzinho e a bocetinha.
Dei o sabonete e pedi para ela me lavar. Até que ela falou quando segurou meu pau:
– Tio eu sei como chama isto – Falou e já foi iniciando uma punheta
– Ahhh você sabe né… como que chama ?
– É punheta
– Acertou… mas como você sabe ?
– Ahhh eu sei né
– Hummm já bateu punhera para alguém né ?
Ela só deu um sorrisinho tímido que me deu a certeza que ela já tinha segurado outro pau.
Mas até onde ela sabe sobre sexo ?
Decidi esclarecer e ir até onde ela já tinha ido.
– Fran, eu te amo e sempre vou te amar. Mas me conte mais… o que vc já fez com outras pessoas ?
– Ahhh tio eu só bati punheta pro Sr. Juvenal
– Juvenal… aquele velho que fica no bar o dia todo ?
– É ele mesmo tio.
– Nossa como foi isto… me conte.
– Ahh ele foi lá em casa com minha mãe e eles fizeram coisas, o senhor sabe né ?
– Sei e você viu ??
– Não. Quando tem homem em casa eu fico na porta esperando ele sair para poder entrar. Mas como estava demorando muito eu achei que ele e mainha estavam dormindo.
– E eles estavam transando ?
– Já tinham parado e mainha pediu para eu deitar na cama com eles. Eu não quis mas ela disse que ia me bater. Até que ela segurou o pinto do Sr. Juvenal e mandou eu fazer igual.
– E você gostou ?
– Não. Ele é fede muito. Acho que nem banho aquele velho toma.
– Ele tentou fazer mais coisas com você ?
– Ele queria sim, mas eu corri quando ele começou a gozar na minha mão.
– E sua mãe ?
– Ahh.. depois que ele foi embora, ela me bateu e disse que eu tinha que agradar os homens para ter as coisas.
Fiquei chocado com tudo aquilo e notei que a Raimunda quer lucrar com as filhas.
– Fran… e a Maria… ela já fez alguma coisa ?
– Aiii tio… e eu contar mainha vai me matar
– Eu não conto meu amor.. é nosso segredo
– Aiii tio, eu não quero falar…
Não perguntei mais e deixei o tempo dela. Em outra oportunidade ela me contou o que a Maria tinha feito com outro homem.
Saímos do banho e ela queria andar de bike. Nos vestimos e fomos para o quintal no fundo da minha casa. É um quintal grande, com algumas árvores e um espaço que daria para ela brincar.
Peguei um gelada e fiquei observando ela com o presente.
A todo momento ela vinha e me agradecia. Brincou um bom tempo até que ela foi ver se a mãe já estava em casa.
O terreno da minha casa é todo com muros altos. No fundo tem um portão pequeno que dá para a rua de trás, onde já começa uma área de mata e cercas. Pedi para a Fran sair e depois voltar por ali. Ela teria que andar um pouco mais, mas ninguém iria ver. Fiquei olhando até ela dar a volta na quadra.
Deixei o portão aberto e esperei. Sabia que ela iria voltar, até porque a bike estava comigo.
Passados alguns minutos ela chegou e trouxe a irmã.
– Oi Maria, tudo bem com você ?
– Oi tio – respondeu já vindo me dar um beijinho no rosto.
Logo as duas estavam brincando com a Bike. Chamei a Fran e perguntei porque ela trouxe a Maria.
– Tio, minha mãe está com o Sr. Juvenal lá em casa…. e se ela ficar lá ele vai mexer de novo com ela.
– Ahhh… então ele já mexeu com ela né ??
– Tio não conta ta, é segredo. Mas a Maria já chupou o pinto dele
– Nossa
Pensei rápido e conversei com a Fran. Pedi para ela só fazer estas coisas comigo.
Mesmo com a Maria ali brincando do nosso lado a Fran veio e sem falar nada me deu um beijo na boca. Abracei a pequena e retribui o beijo até ouvir a Maria:
– Tá namorando… ta namorando… ta namorando
– Tô mesmo – disse a Fran – Pelo menos ele me ama, não sou igual você que chupa pinto de veio.
Resolvi interferir para evitar que elas brigassem.
Deixei a Fran brincando com a Bike e entrei para preparar um lanche para nós.
Logo a Maria entrou e ficou conversando comigo.
Pensei:
– Será que ela é virgem ??
– Tão pequena assim, será que agüenta ??

Logo dei o lanche para elas e a Fran já quis ir andar na bike.
Fiquei arrumando a cozinha e a Maria comigo. Até que ela falou:
– Tio o senhor pode me dar uma bicicleta igual para mim também ?
– Meu amor, esta bike custa caro…
– Ahhh tio… eu faço qualquer coisa para ganhar uma… me dá por favor
– Maria como te disse, esta bicicleta novinha custa caro… mas o que você faria para ganhar uma igual ?
– Tio eu faço qualquer coisa com o senhor
– Faz mesmo Maria ?
– Faço sim.. prometo
– Ate me dar o ximbiu ?
– Eu dou minha ximbiu pro senhor
– Você já deu para alguém ?
– Aiii tio, melhor não contar.
– Já deu né – falei rindo do jeitinho safadinho dela.
Com 8 anos a menina é mais safada que a irmã de 9. Desculpem os SANTINHOS de plantão aqui, mas a menina tem tudo de puta. Carinha de puta, jeito de falar de puta, veste roupas de puta, se pinta igual uma puta… ela é o quê ?

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,91 de 11 votos)
Loading...