o meu viadinho

Autor

Deixo-o passar a mão sobre o meu pau, alisa-o o que aumenta o meu desejo.
Puxa-me o slip e liberta a vara dura de tesão, inicia um punheta lenta.
Puxo-lhe cabeça em direção do pau, já sabe satisfazer um macho, começa logo a lamber a cabeça da vara, depois enfia-a na boca e inicia um vai e vem delicioso, aperta a vara com os lábios e suga como um bezerrinho..
Fode bem com a boca e eu ajudo, meto e tiro o caralho da boca quente e gostosa. Não demoro a explodir , ele segura-a e engole até a última gota, é uma loucura total sentir o chupar deste viadinho doido por pica.
Deixo-me cair sobre a cama, saciado mas não tenho tempo para repousar e saborear o momento soberbo daquela mamada , o viadinho avança para mim, mostra-me a bundinha branquinha, tem as minhas iniciais tatuadas, é minha e está no ponto para ser comida.
Sento-me na borda da cama, cuidadosamente ele começa a sentar-se , aos poucos o cuzinho ainda adolescente, mas já experiente, vai alojando o caralho dentro dele.
Solta gemidinhos de prazer, rebola as nádegas e desce até se sentar inteiramente no meu colo. Abraço-o por trás com os meus braços firmes e beijo-lhe o pescoço . Ele rebola sobre o meu pau, num movimento que que me deixa louco.
Deixo-o gozar o sobe e desce mete a vara toda dentro do rabinho, mas eu quero o meu putinho de quatro, para ver melhor a bundinha, ele fica mais submisso, não o quero deixar pisar em ramo verde, domino bem este viadinho, submisso como eu quero.
Dou-lhe umas tapas na bunda e digo-lhe:
Putinho gostoso, adora comer o meu pau se guloso.
Quem é o teu dono? Quem te come gostoso ? Quem?
É você, diz ele com voz efeminada.
Os gemidos da bichinha são tão tão intensos que eu vi que ele ia gozar e obrigo-o a levantar-se e colocar o corpinho de quatro , já por trás, fico a brincar com meu pau na portinha do cuzinho quente, seguro-o na cinturinha e beijo-o no pescoço.
Totalmente entregue e submisso , meto o pau no cuzinho quente e guloso devagar mas firme, até ao talo.
Ele solta gemidos profundos e joga o rabinho para trás, sinto-me dono daquele putinho
aperto-lhe a cintura, mordo-lhe o ombro e começo a socar.
Aquela bundinha parece um forno , o pau desliza dentro dele como se fosse veludo, mantenho um ritmo lento mas com estocada profunda, obrigo-o a soltar gemidos cada vez que enterro a verga toda dentro dele.

Ele aceita tudo, totalmente submisso, tiro o pau de dentro dele e roço-o entre a nádegas, ele geme baixinho.
Quer mais putinho ?
Simmmm…mete todo… todo geme ele, coloca a cabeça sobre a cama,abre a bundinha com as mãos , seguro-o pela cintura, e começo a meter com mais força,agora geme forte com a intensidade da estocadas que leva e eu tenho vontade de arrombar e esporrar bem no fundo naquele rabo.
Sinto o gozo chegar , meto a vara bem funda e esporro em golfadas quentes no interior do rabinho, caio sobre ele obrigo-o a deitar-se com a vara bem enterrada, solta um gritou profundo , contorce-se debaixo de mim e solta gemidos de pazer.
Ficamos ali, eu cima dele, na cama, encharcados de suor.