Perdi o Selinho pro Professor

Há 11 meses Por 5 ★ 0.00

Oi, me chamo Alicia, tenho 22 anos sou loira, pele branquinha, olhos Azuis, tenho 1,65 de altura e peso 53 kg, tenho um corpo bem escultural, peitos rodondinhos nem muito grande mas tambem não muito pequenos, uma bunda bem empinada e branquinha, tambem não muito grande.
Vou contar uma história que eu vivi ha um tempo atrás, eu tinha 16 aninhos, ainda era virgem e estava no cio louca para dar, nunca tive esperiencias de sexo antes, pois tinha medo de ser chamada de vadia, pelas amigas, na escola eu sempre fui a garota mais gostosa e popular, aquela que tirava os olhares dos meninos e das invejosas, a "patricinha" como chamam.
Enfim, eu sempre fui bajulada por esses amigos da minha sala, eles estavam sempre dando em cima de mim, mas eu nunca dei bola, um dia minha professora tirou licença medica, e um professor a substituiu, Ederson, mas o chamavam de Ed, era um homem maduro tinha aproximadamente uns 35 anos, era Alto forte e muito gostoso, tinha cabelo preto curto, e olhos castanhos, uma barba rala e com uma mão bem grande e seu braço era bem peludo, eu me sentava na frente da mesa dele com uma amiga, com forme foi se passando os dias eu comecei a me atrair por ele, e aos poucos tentei demonstrar isso pra ele, quando ele chegava na sala eu o comprimentava com um beijo no rosto, sempre que eu via ele nos corredores eu o olhava fixamente, eu não parava de pensar nele, eu me masturbava toda noite pensando nele, eu durmo sempre de shortinho e blusinha sem sutiã e sem calcinha, aí quando eu pensava nele eu descia minha mão suavemente pela barriga e alisava minha xota por cima do shortinho, com a outra mão eu apertava meus peitos imaginando aquelas mãos grandes em mim, lambuzava meu dedinho com saliva e passava no meu cuzinho, apertando minha bunda com a outra mão, fiquei assim por semanas até que eu decidi abrir o jogo com ele.
No dia em que eu teria aula com ele eu fui com uma camisetinha babylook branca quase trasparente e coloquei um sutiã vermelho bem fininho de modo que desse para ele notar os bicos dos meus peitos, coloquei uma legging preta bem marcante para que ele pudesse ver minha calcinha fio dental, soltei o cabelo e passei um batom bem vermelho, naquele dia eu chamei muito a atenção, pois estava muito provocante, até minhas amigas estranharam, mas não liguei, quando ele entrou na sala fiz questão de ir cumprimentá-lo, eu estava bem perfumada.
– Bom dia prof.! Como vai?
-Bom dia! Bom dia classe, estou bem obrigado por perguntar! -Respondeu
-Disponha!
Me virei e fui para minha carteira rebolando imaginando que ele estivesse olhando para minha bunda, no meio da aula depois que ele havia terminado de escrever no quadro negro ele se sentou em sua mesa na minha frente, eu estiquei minha perna e com o pé eu alisava a perna dele, no mesmo instante ele me olhou seriamente e a puxou para tras, desviou o olhar e olhou de novo aí eu sorri levemente e pisquei o olho pra ele.
Depois que a aula acabou eu enrolei para guardar minhas coisas esperando ficar sozinha com ele na sala, minhas amigas ficaram no meu pé para irem embora comigo, mas eu insisti que não estava com pressa de ir, e fiz com que elas fossem sem mim, depois que todos foram embora eu olhei para ele e ele disfarçava que apagava o quadro negro, eu fiquei nervosa sem saber o que fazer, fui até ele e disse:
-Prof. Você poderia me dar uma carona pra casa?
-Acho que não vai dar…-Ele respondeu sem me olhar.
Me senti uma garota fútil, então me irritei e saí rapidamente dali.
Eu estava na calçada da escola andando depressa quando ele parou o carro do meu lado:
-Ei! Entra aí… Eu levo você.. -Disse ele.
-Mudou de idéia? -Perguntei secamente.
-Desculpe por aquilo.. Entra aí! -Insistiu.
Dei a volta na frente do carro e entrei no carro, no caminho não nos falamos muito, paramos no sinal vermelho e eu olhei pra ele, ele me olhou de volta e perguntou:
-Que foi?
-Nada, você é bonitinho…
Ele não disse nada apenas ergueu as sombrancelhas se virou para frente e passou a lingua nos labios, o sinal abriu e ficamos em silencio, quando chegamos na minha casa ele parou o carro e disse:
-Ta aí…
-Pois é… -Respondi.
Fiquei parada no carro dele, pensando no que faria afinal era a chance que eu tanto queria.
-Você.. Quer.. Entrar um pouco..? -Perguntei.
-Entrar? -Respondeu surpreso.
-Sim! Meus pais ficam o dia todo fora e fico muito solitária aqui.. Você pode me fazer companhia? -Acrescentei.
Ele ficou pensativo, e virou-se para frente.
-Ah… Eu não sei…
-É só um pouco… -Insisti.
Ele então concordou acenando com a cabeça, saímos do carro fomos para dentro da minha casa, minha casa não é muito grande mas é bem espaçosa, estava quase sempre bem arrumada, afinal quase não paramos em casa.
-Licença! -Disse ele.
-Toda, fique a vontade…
-Bela casa…
-Obrigada, senta-se, quer beber alguma coisa? -Perguntei.
-Uma água tá ótima, por favor!
-Ok! Já volto…
Em vez de ir para cozinha eu corri para meu quarto me trocar, tirei meu sutiã, e fiquei com a mesma camiseta branca quase transparente, tirei meus tênis rosa, tirei a legging e vesti um dos meus shortinhos de dormir, só depois desci para cozinha pegar a água dele, fui até ele que estava sentado no sofá admirando um quadro com uma foto minha quando tinha 6 aninhos.
-Gostou? -Perguntei
Ele se assustou e sorriu, quando ele me viu vestida daquele jeito ele ficou serio na mesma hora…
-Eu tinha 6 aninhos nessa foto. -Falei pra ele.
-Era uma garotinha muito bonita!
-E agora eu sou….? -Perguntei lhe entregando a água e me sentando do seu lado.
-Agora você é uma moça muito bonita… -respondeu desconfortável.
-Jura? O que você mais gosta em mim? -perguntei tirando o cabelo dos meus ombros jogando-os para tras para deixar meus seios mais visiveis.
Ele paralisou e deu uma rápida olhada e disfarçou dando um gole de água.
-Seus olhos… São tão azuis..
-Ah é? Hum… Sabe o que eu mais gosto em você? -Confrontei.
-O quê?… -Arregalou os olhos.
-Suas mãos… São tão grandes.. -Peguei nas mãos deles alisando-as suavemente.
Ele notou que eu estava afim de ficar com ele, mas não tinha atitude, talvez estivesse com medo por eu ser muito nova e aluna dele, ou que meus pais chegassem e nos visse juntos. Então decidi ir em frente! Levei sua mão até os meus peitos, forçando ele a me alisar, ele deu umas apertadas de leve até que veio com a outra mão, soltei a minha mão da dele, daí ele apertava com gosto, puxou um deles para fora da camiseta e caiu de boca no meu peito, passava a língua por ele todo, dava umas mordidas de leve, depois levantou meus braços e tirou minha camiseta, e voltou a chupar meus peitos, chupava um e apertava o outro, era muito mais gostoso do que eu pensava, aquelas mãos grossas e grandes me tocando. Puxei ele pra perto de mim e beijei ele na boca, aqueles lábios carnudos, senti aquela aspereza no seu rosto devido a barba rala que ele tinha. Levantei e fiquei em pé na sua frente, comecei a abrir os botões da sua camisa enquanto ele passava a mão por todo meu corpo, ele foi até a minha bunda e deu aquela apalpada que eu tanto desejava, deixei ele sem camisa e ele me deixou só de calcinha fio dental, passou aqueles dedões na minha bucetinha por cima da calcinha, eu estava molhadinha por ele, mantinha sempre com um olhar de desejo pra mim.
Então depois agaixei na frente dele e fui passar a mão no caralho dele, estava duraço, era grande, grosso e cabeçudo, abri sua calça, tirei junto com a cueca boxe preta, ele era muito peludo, mas era podado, como se tivesse raspado há um tempo e os pelos estivessem crescendo de novo, caí de boca naquele pauzão! Ele tirava o meu cabelo da frente para que pudesse me ver chupando sua piroca, lambuzei o pau todo deixando-o bem babado, ele sentia um tesão enorme, pude ver pelas caretas que fazia, tempo depois ele me levantou tirou minha calcinha e me fez ficar de joelhos sob ele, segurou na piroca e sarrou na minha bucetinha virgem:
-aqui que você quer?
-É… -Respondi ofegante.
-Então pode sentar… Devagarinho..
Eu fui devagarinho sentando, sentia uma dor muito forte, ardia um pouco, mas insisti em sentar. Quando finalmente entrou me doeu muito e eu vi que estava sangrando, eu já sabia que era normal as mulheres sangrarem na primeira vez então não me assustei apenas dei uma breve limpada e continuei subindo e descendo, aos poucos fui acelarando e não sentia mais dor alguma, pelo contrario eu queria ser fodida cada vez mais, ele chupava meus peitos e apertava minha bunda enquanto eu sentava naquela piroca gostosa.
Um bom tempo depois ele me pôs sentada no sofá com as pernas arreganhadas, e ficou em pé, encaixou na minha xoxota, segurou minhas pernas para deixá-las bem abertas e fodia bem rapido, eu não podia evitar gemer, ele me comia de modo tão viciante, eu queria ficar ali para sempre. Depois ele me colocou de quatro apoiada na cabeceira do sofá, e meteu rola com força, segurava na minha cinturinha fina e puxava contra seu pau, bombava bem gostoso que eu senti uma coisa deliciosa, um tesão incontrolável me fez gozar na piroca dele, eu gemi bem alto, ele acelerou mais e mais, até que gemeu com força e tirou o pau para fora deu uma rapida punhetada e gozou na minha bunda, deu varios jatos deixando minha bunda meladinha, esfregou o pau para espalhar a porra por toda minha bunda.
Depois eu me levantei e fiquei em na sua frente e ele me puxou pra perto me beijando agressivamente.
Em seguida recolhi nossas roupas e o levei até o banheiro, onde tomamos um banho juntinhos, sem dizer nada um ao outro.
Depois de nos trocarmos o levei até a porta, só aí eu falei:
-Até amanhã… Professor…
-Até.. -Disse sorrindo maliciosamente.
Me deu um selinho rapido e foi para seu carro, dei tchau para ele e entrei, fechei a porta e depois me encostei nela me lembrando de tudo que havia rolado.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(0 Votos)
Loading...

Por

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. tio

    alguma mocinha quer me mandar fotos?? [email protected]

  2. Seu titio

    NINGUÉM SE LIGA NESSES CONTOS TODAS SÃO LINDA BRANQUINHA OLHOS CLAROS NOVINHAS E GOSTOSA KKKKKKKKKK

  3. Papai da Filhinha!!!!!!

    [email protected]

    me manda sua foto pra ti imaginar!

  4. Admirador do Amor

    Foi um conto deliciosos.
    A melhor forma de praticar educação sexual.

  5. Mich

    você ja leu “o namorado da minha mãe comeu minha namorada”?