Sorte de caminhonero 2

SORTE DE CAMINHONEIRO- 2
Como no 1ª parte escrevi, depois de gozar na entrada da bundinha do Raimundo, passei um pano no rabinho dele e encerramos por ai, ele tava bem faceirinhoOutro dia de manha, acordamos as 5, para partir cedo , eu na direção e ele do lado, me olhava sempre com aquela carinha de safadeza, perguntava da estrada ,como era dirigir até que tivemos que parar para fazer um almoço.Era um posto de gasolina imenso, cheio de companheiros de estrada , alguns conhecidos.Abri minha cozinha e mandei Raimundo ajudar, um arroz carreteiro saiu rápido, apesar do calorão, foi gostoso e Raimundo se fartou. lavou a louça toda e eu fui ajeitando a camisa, para dar uma pequena cochilada e seguir viegem, deitei na cama e o Raimundo sentou no banco brincando de motorista de caminhão.Perguntou se podia deitar também, liberei e ele passou por cima de mim e se deitou de bruços , me olhando com a cara sapeca, entendi como que queria alguma coisa mais.Resolvi mexer com ele:”Tira essa bermuda, quero ver tua bndinha”!ordenei, ele pronto atendeu.Fiquei olhando o rabinho, passei a mão, perguentei se ele tinha gostado, logo disse que sim com uma risadinha , segui no papo, fixando o indicador no olhinho do cu dele, “e ai, quantos já furaram esse cuzinho , perguntei, forçando o indicador ,que entrou um pouco.Ah ,tio, não sei não, na roça meu primo foi o 1º, eu tinha uns 7 anos e ele 10, mas depois sempre que tinha vontade ia no Valmir, vizinho que gostava de comer e dar .Mas tinha o Nando, Alcides, tudo coleguinha meu de escola.Nenhum pirocudo como você,falou,meu pau já tava estourando, tirei o dedo, dei uma molhada nele e voltei a introduzir no cu dele ,comecei a mexer no meu pau, punhetinha de leve , pensei comigo, bom vou encarar logo esse cuzinho!Parei com tudo, peguei meu pote de vasilina, virei pra ele e disse que agora ele iria então sentir algo mais grosso nesse rabo.Ele meio se levantou e ficou olhano pro meu pau, comecei a lambuzar bem com vasilina, não poupei, mandei ele ficar de lado, comecei a recheiar o cuzinho om vasilina , não tinha como não entrar meu pau naquele furinho.Tudo feito, puxei bem a cortina do caminhão, fquei de barriga pra cima e mandei ele vir ,de frente para mim, sentar no meu caralho.Ele se aninhou encima d emim, com minhas duas maõs arregacei as nadegas e ele encaixou meu pau no cuzinho, sem entrar, esperou um pouco e deu uma sentada, parou por ai, eu olhando a carinha dele, um pouco tensa, fiquei rebolando na entrada do cu dele, ele se apoiando no meu peito, e mandei ele ir baixando a bunda e assim entrou a cabeça, sem um gritinho dele e piscou aquele cuzinho que quase esguelou meu pau, mandei ele relaxar, conversei mais um pouco , e ai foi o resto, ele se despencou em cima de mim, mas era tarde, dizia, “aih, devagar, aih devagar”!Tava tudo atolado naquela rabinho apertado , deixei ele se acostumar e ai começou a foda, lenta mas gostosa, nem deu uns 2 minutos me acabei todo !ele não saia de cima de mim, fui deitando ele pro lado, tirando devagar, quando saiu tudo, vi a porra vazando, e não tinha mais um furinho, era agora um buraco bem considerável.Ele ficou u tempo encolhido, recuperando a alegria, perguntou se eu tinha gostado , logico que sim e ele também disse que doeu mas o bom era a porra quente entrou no cuzinho dele !A partir daí, seguimos a viagem e os próximos 2 dias, aquele cuzinho não me deu folga, Raimundo queria ser socado forte , tinha trechos da estrada com pouco movimento, ele vinha e sentava pelado no meu pau, eu na boleia e assim enterrado todo meu pau nele e aguentava tudo na boa , e as vezes resolvi mamar n minha pica , eu dirigindo ele deitado me chupando e eu com o dedo no cu dele, masturbando ele.Deixei o cuzinho bem alargado já pronto para o próximo comedor dele.Quando deixei ele na casa do pai, tava meio triste porque queria seguir comigo, mas eu já tava me prejudicando, atrasando meu frete por esse rabinho.Os pais tavam felizes que o Rimundo tinha conhecido o porto e as estradas, prometi que na minha prxima vinda iria passar por ai e levar a próxima carona , me aguardem que esse conto é muito bom e surpreendente.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 2 votos)
Loading...