Labelly o filho desprezado porem o unico hetero

Ola galera, sou Labelly, hj tenho 44 anos, desde pequeno sempre fui alvo de chacota, zombarias, enfim, tudo devido ao meu nome feminino, somos em três irmãos, da mesma idade, mas eu sou filho de outra mulher com meu pai, minha mãe morreu, então eu fui criado num lar onde não havia amor pra mim, a mulher do meu pai, só me maltratava, e meu pai, só me xingava devido o fato de que eu sempre fiquei com as meninas, elas não tiravam tanto sarro de mim, em especial eu ficava mais com Barbara, que morava ao lado da casa da minha avó, onde eu sempre corria em busca de socorro, meus irmão seram pequenos e franzinos, eu era de estatura grande, e devido ao fato de que eu não gostava de futebol, meus irmãos me infernizavam a vida, meu pai me dava um tapão na cara, pois sempre meus irmãos contavam pra ele que eu estava junto com meninas, certo dia ainda na primeira série, eu e Barbara estávamos indo pra casa a pé, a escola era bem perto, foi quando meu pai passou de carro, ele não tinha ido trabalhar, ai desceu do carro e me deu um tapaço na cara, eu até cai pra traz, e fiquei sem ar, ai levante joguei a mochila no chão e fui correndo pra casa da minha avó, chegando la eu super nervoso, minha avó falou. O que foi? E eu contei tudo pra minha avó, minha avó me levou a delegacia, e denunciou meu pai, o delegado me levou pra fazer exame de corpo de delito e foi comprovado a agressão, ai foram busca-lo ele ficou preso por dois dias, e dai em diante eu passei a morar com minha avó, e meu pai tinha que me sustentar, la eu não apanhava mais, mas as zombarias na escola não paravam, na escola eu ficava com as meninas, mas Barbara morava ao lado a casa da minha avó, e sempre ficávamos juntos, brincávamos, as vezes até eu dormia na casa dela, era muito bom, certo dia eu e Barbara voltávamos pra casa, quando achamos uma fita de vídeo, sem rótulo, levamos pra casa e começamos a assistir, estávamos na casa de Barbara, eram cenas pornográficas, a mulher chupando o pau do rapaz, o rapaz chupando a buceta da mulher, a mulher sentada com a buceta na cara do rapaz. enfim, sexo de todas as formas, ficamos meio que jocados, mas assistimos varias vezes, mas com medo que alguém descobrisse a fita a quebramos e jogamos fora, na escola os meninos mais velhos ficavam com brincadeiras de passar a mão na bunda dos outros, falavam em pornografia, e ficavam falando pra mim. pra eu chupar o pau deles, falavam já que eu era viado, e eu nme dava atenção, mas meus irmãos falavam com meu pai que eu estava chupando os moleques, e meu pai ia a casa da minha avó e falava tudo, eu negava, e minha avó acreditava, mas eu e Barbara certo dia começamso a ter a ideia de nos beijar, e então colamos nossos lábios, ela enfiou a língua na minha boca, foi muito bom, ficamos cerca de uma semana só nos beijos na boca, até que um dia estavamso brincando no fundo do quintal da minah avó, la havia um balanço, onde sempre brincávamos, ai ela falou. Be, era como ela me chamava, deixa eu ver seu pinto. Eu deixei, abaixei o short e ela pegou no meu pinto, e ficou mexendo igual a mulher fazia no rapaz do filme, era bom demais, ai ela falou. Vou fazer do mesmo jeito que a mulher fez, ai depois vc faz em mim também. Ai ela engliu meu pinto, e mexeu com a língua, foi tao bom que eu até gemi, uma cocega muito boa, ela passando a língua e eu suando, derrepente algo fotte e depois uma coisa engraçada, e eu pedi pra ela prara, ai ela abaixou a calcinha ela estava de vestidinho, e sentou no balanço, eu ajoelehei e comecei a chupar, eu não sentia nada, só chupava, e ela falava que era bom, chupei tanto até que começou um gostinho amargo, meio salgado, e ela falou pra eu parar, que ela queria fazer xixi, ali mesmo ela fez, e eu também, mas ai ela falou pa eu continuar chupando e eu continuei, muito bom. depois fiquei passando o pinto na bunda dela, era muito bom, ai todos os dias fazíamos nossas brincadeiras sexuais, combinamos de não falar pra ninguém, e sempre ficávamos brincando de marido e mulher, o tempo passou e nossas brincadeiras sempre se intensificando, com 12 anos na sexta série eu já ejaculava, mas não havíamos penetrado, eu só ficava esfregando o pênis na bunda dela, estavamso no fim do ano, e eu e Barbara já tínhamos passado direto, mas meus irmãos e a maioria dos outros alunos ficaram de recuperação, eles estavam planejando fazer varias colas, e começaram a preparar, Barbara tinha um gravador de reportagem, e gravamos todas as conversas deles, eles iam sempre a casa de Caio um dos que estavam de recuperação, eu e Barbara ficamos no lado de fora e gravamos todas as conversas, e levamso a prefessora, que agradeceu e promedeu fazer um surpresa pra eles, no dia do provão a professora colocou varias mini câmeras espalhadas pela sala de aula, mas não deixou que ninguém soubesse, e o resultado não foi outro, todos foram pegos colando e foram reprovados, estavamso de férias, meus irmãos mesmo tendo sido reprovados ganharam bicicletas novas do meu pai, nas férias eu e Barbara passamos o dia inteiro juntos, certa vez estavamso sozinhos e ela me pediu pra chupa-la, eu comecei a chupar, e ela falou aperta a língua mais ai, na linguinha e eu apertava, ela gemia e suspirava, e falava e tao bom isso Be. e ela falou aperta mais e a língua começou a entrar, e ela se contorcendo toda, aquele pentelhos começando a nascer me aranhavam a cara toda, mas era muito bom, derrepente a língua entrou toda, e ela se contorcendo foi muito bom, derrepente ela segura minha cabeça contra a bucetinah dela, enfiando mais minah língua, saiu muito melado e ela toda molhada de suor, foi soltando minha cabeça, ai ela falou, que deu um dorzinha, mais foi boa, quando eu levantei estava até torto, veio vesgo, e havia sangue na bucetinha dela, ai ela disse acho que perdi a virgindade, ai ela foi ao banheiro, mijou e colocou um papalzinho na calcinha, no outro dia ela falou que parou de sangrar, ai eu a chupei denovo, e ela gozou muito, depois ela me chupou e foi muito bom, ai resolvemos andar de bicicleta na rua, e fomos andando até perto do campinho, dentro do mato, la os meninso jogavam bola, soltavam pipa, mas nesse dia, eu e Barbara escutamos vozes de moleques la, não estavam jogando bola, nos subimos num morrinho que fica bem perto do campo, forma tipo um barranco, não é tao alto, mas se cair machuca bem, ficamos la olhando e os meninos estavam fazendo troca troca, meus irmãos e vários moleques, tinha um chupando o pau de outros, depois revesavam, alguns ficavam colocando o pinto na bunda de um depois revesavam ai eu e Barbara descemos e fomos embora, em casa eu a chupei de novo, e ela também me chupou, foi muito bom, no dia seguinte fomos de bicicleta de novo no campinho, e os moleques estavam la de novo fazendo troca troca, quando estavamso voltando meu pai e os amigos deles estavam vindo a pé, ai eu me escodi e Barbara falou. Be vamos falar que esta acontecendo um briga la no campinho, imagina se teu pai pega teus irmãos la? Ai rimos e resolvemos que iriamos dizer pra meu pai que estavam batendo nos meus irmãos la no campinho, mas Barbara foi sozinha e falou com meu pai, um doa amigos de meu pai era tio de Barbara, e outro era pai e um dos moleques que estavam no campinho, Barbara foi desesperada la e falou com eles, eles foram correndo pro campinho, nós os seguimos de longe, la perto havia mais vizinhos e amigos dele, ele chamou-os e foram bastante gente, inclusive mulheres, mães ddos moleques, eles foram pelo morro, pois era mais rápido, quando chegaram no alto do morro, eles ficaram parados, só ouvimos os gritos, do meu pai, das mães e um alvoroço se formou, muito gente começou a chegar la, eu a Barbara começamso a voltar rindo, ai só vimos meus irmãos passando correndo chorando com o rosot sangrando, ai formos até perto da casa do meu pai, derrepente vem meu pai, com as bicicletas, ele quebrou as bicicletas destruiu-as, depois entrou em casa e só escutamso os gritos, do meu pai, espancando eles, da mae dels, ai resolvemos ir pra casa, no caminho vinha outro amigo do meu pai, espancando o filho, vizinho foram ver e eu e Barbara só rindo todo tempo, em casa minah avó falou, almocem, eu vou a casa de teu pai ver o que esta acontecendo, almoçamos e transamos e dessa vez eu penetrei Barbara, fui muito bom a primeira vez, ai ela falou que me amava, eu eu também, nos beijamos e depois a mãe de Barbara chega a casa da minha avó, que ainda estava na casa do meu pai, ela perguntou o que estava acontecendo, e eu e Barbara contamos tudo, contamos até que foi nós quem fez com que os meninos fossem descobertos, a mãe de Barbara riu muito, não se falava em mais nada, só sobre o ocorrido, e foi também caso de policia, pois tinha caras maiores envolvidos, e um dos moleques falou que eles faziam já a algum tempo, meu pai ficou arrasado, meus irmãos não saia mais de casa, pincharam a casa do meu pai, alguns caras que eram maiores foram presos, foi uma confusão horrível, na sétima série eu e Barbara entramos no SENAI, numa multinacional, eramos aprendises, mas ganhavamso salario e benefícios, nesse ano aconteceu que eu e Barbra assumimos nosso namoro, e eu fazia questão de passar com ela pela casa do meu pai, e gritava bem alto, eu namoro mulher e não homem, na escola eles eram agora o motivo das chacotas, até que Barbara engravidou, a mãe dela ficou feliz, e aceitou bem, minha avó ficou meio brava mais depois aceitou, meu pai foi la outro dia e falou, não conte comigo, e eu fiz questão de dizer, não precisa, pai, cuida dos viados dos seus filhos, ele ia me batendo quando a mãe de Barbara chegou e falou, se bater nesse menino eu te denuncio, e minha avó também o ameaçou, ai ele foi embora, e eu fiz questão de falar bem alto, vai cuidar dos seus filhos viados, os caras que estavam na rua ficaram zuando meu pai, que foi embora até chorando, minha filha nasceu, uma menina linda, eu e Barbara com 14 anos, pais, aos 16 anos fomos efetivados na empresa, e nosso salario aumentou, entramos na universidade, mas Barbara engravidou de novo, e teve que deixar a faculdade, aos 18 anos estava nascendo meu terceiro filho, meus irmãos nem estudavam mais, eles eram servente de pedreiro, com meu pai, que agora era pedreiro, mas ainda se falavam muito no ocorrido, aos 20 anos nasceu meu quarto filho, hj aos 44 anos eu e Barbara temos 6 filhos maravilhosos, minha filha mais velha esta com 30 anos, meus irmãos hj são mesmo homossexuais, muitos falavam isso depois do ocorrido, mas depois tivemos a comprovação, meu pai hj vive depressivo, e me pede perdão direto, a mulher dele foi embora, ela já traia meu pai a muito tempo, bom essa é minah historia espero que gostem.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 2 votos)
Loading...