Final de semana com vovô

Ola pessoal! Vou relatar um final de semana q minha netinha passou comigo e eu não me contive e me aproveite da inocência de minha netinha.
Sou um avô ainda jovem, só tenho 58 anos e minha netinha 10 anos, vou chamá-la de Jane.
Tudo começou quando meu filho e sua esposa, precisaram fazer uma viagem de negócios e pediram para que Jane ficasse lá em casa. Eu e minha esposa concordamos na hora, pois já era de costume ela ficar com a gente. Jane, por ser filha única, era muito dengosa e muito apegada a mim, Gostava sempre de fazer as coisa com ela. Moro em uma casa bem espaçosa. ela foi construída em dois terrenos, tipo casa de chácara. Toda na varanda e cheia de árvores frutíferas. Quando minha netinha vem pra cá a nossa diversão é brincar no balanço, subir nas árvores, pegar frutas nos pés, em fim brincávamos o tempo tudo. Umas das coisa que ela mais gostava era depois de um banho deitarmos na rede na varanda e ficamos em altos balanços.
Bem vamos ao que interessa.
Jane chegou na sexta por volta de meio-dia, não perdemos tempo e caímos nas brincadeiras. Por volta de 5hrs pedir pra ela ir tomar banho, com seu 10 anos ela já tomava banho sozinha e assim ela foi para o quarto da gente, pois lá tem o banheiro do casal. Quando ela chega ao banheiro minha esposa estava banhando, ela meio envergonhada quis volta, mas minha esposa a chama para tomarem banhos juntos. Ao entra no quarto escuto as conversas delas. Fico imaginando como pode ser, as duas juntas, já que minha netinha é muito vergonhada. Me aproximei e vir a porta aberta,não aguentei a curiosidade e fiquei olhando ás duas se divertido, quando elas perceberam deram um grito de susto. Eu estava bestificado com o corpinho da minha netinha. Perninhas torneadas, cinturinha bem definida, dois peitinhos em desenvolvimento, uma bundinha empinadinha e uma xerequinha como jamais tinha visto, estava empenujando. Fiquei louco de tesão pela minha neta, foi automático, meu pau subiu na hora.
Minha esposa depois do susto, perguntou; o que foi homem, nunca viu duas mulheres tomando banho não? Duas mulheres já, mas não uma menina de 10 anos e com um corpinho tão tesudo daquele jeito, não. Abrir um sorriso meio tímido e continuei olhando. Minha esposa me surpreendeu e chama para eu ir tomar banho junto, só assim terminamos todos juntos, diz ela.
Meu pau ainda duro, mas não podia perde essa oportunidade, tirei o short e entrei só de sunga, meio de lado para elas não perceberem o volume, entrei logo na água, depois tirei a sunga, meu pau ainda estava meio duro, não com aquela intensidade. Minha netinha quando viu, olhou e desviou o olhar, pedir a minha esposa para ensaboar minha costas, fiquei de frente para Jane, ela olhava e tirava a vista quando eu olhava pra ela.
Pedir a Jane que ficasse de costas pra eu passar o sabonete nela também, ela se virou, ai eu aproveitei, dei uma encostada nela pra ela sentir meu pênis, foi rápido, mas notei que ela sentiu.
Terminamos o banho e fomos troca de roupa depois jantamos, assistimos a um filme os três. Minha esposa dormi cedo e logo falou que ia pra cama, Jane falou que ia também. Como eu não tirava da cabeça o que tinha visto e o banho que tomamos juntos, resolvi ficar para me masturbar na intensão de minha netinha. Dei um tempinho para as duas dormirem. Mas meu pau não amolecia, duro como uma rocha. Não sei quanto tempo foi, Mas na hora que me preparava, noto que vem alguém do quarto, me recomponho, era a Jane. Estava vestida em um vestidinho estampado bem acima do joelho, quando levantava os braços a calcinha aparecia.
Perguntei por que ela não ficou com avó. Ela falou que estava sem sono. Perguntei se ela queria fica na sala com vovô, ela falou que queria meio tímida e me olhando por baixo sem em encara.
Como eu já estava mal intencionado. Fui pegar um coução de solteiro para a gente se deita juntos. Falei espere que vovô vai aqui volta já. peguei o colchão
e um lençol. coloquei em frente da TV. Chamei,; venha meu amor vamos deita aqui que o sono vai chegar. Me deitei e ela veio e se deitou ao meu lado, ela fez o jeito de conchinha, aproveitei e encostei nela, como meu pau estava duro, ela sentiu de imediato, não reagiu, ficou quietinha, apertei ela mais um pouco em meu pau para ver se ela dizia algo, nada foi falado. Então, coloquei minha mão entre suas pernas e fui acariciando por cima da calcinha sua xerequinha, depois coloquei a mão para dentro da calcinha e fui procurando sua raxinha, para acariciar seu clítores, as perninhas estavam juntas e atrapalhando, então fui forçando a entrada e ela foi abrindo aos pouco, consegui colocar o dedo em sua raxinha, fui acariciando, já estava um pouco molhadinha, sua respiração foi ficando ofegante ela já abriu mais as perninhas, minha mão ficou mais a vontade para os movimento, cada vez mais ela ficava molhadinha. Não me contive, puxei meu pau e coloquei em suas perninhas por traz, pedi para ela fecha as perninhas e assim ela fez. Comecei movimento de vai e vem, ela parecia que estava louca de tesão, pois apertava as perninhas que meu pau chegar a doer. Falei pra ela que íamos mudar de posição, ela só balançou a cabeça concordando. se levantamos, tirei sua calcinha e tirei toda minha roupa, ela quando viu de vdd o tamanho do meu pau, ficou meio que paralisada. Peguei as duas mãos dela e coloquei uma de cada lado do pênis e fui fazendo o movimento de pra frente e pra traz, ela estava de olhos arregalados, deixei ela fazer os movimentos só. Vamos fazer outra posição e vovô vai mostra a vc meu amor o leitinho que sai daqui de dentro. Pedir pra ela ficar de casta pra mim e a dobrei na perna do sofá, de modo que ficasse quase de joelho. Falei; vovô vai colocar em sua bundinha, vai doer um pouco, mas vovô vai passa uma pomada para aliviar. pegue o lençol se meu amor ver que vai gritar morda o lençol se não vovó acorda viu, ela só confirmou com a cabeça. Passei o gel em seu buraquinho e fui colocando o dedo para abrir caminho, ela deu um pulinho pra frente, ensopei bastante seu cursinho e meu pau. segurei meu pau na portinha do cursinho e fui forçando, quando a cabeça começou a entrar ela já segurou o lençol com força, forcei mais um pouquinho e a cabeça rompeu o buraco, ela gemeu e soutou um ai vô, falei não grite amor, morda o lençol que vô vai força mais um pouco, ela colocou o lençol na boca, isso só aumentou meu tesão. Então forcei com mais força que entrou ate a metade de meu pau, ela mordeu o lençol e como também apetava o lençol com as duas mãos, O pau já estava ate a metade, ate então eu segurava ele para dá mais firmeza. Soltei e encostei petinho de seu ouvido e peguntei. Já entrou ate a metade, vc deixa vovô colocar o resto? ela com os dentes trincados no lençol, só balançou a cabeça confirmado. Minha tesão era sem explicação. fiquei na posição, segurei pela cintura e fui empurrando lentamente, eu olhava meu pau sumindo naquele cursinho, ela gemia e mordia o lençol. Quando chegou no fim, que eu não o via, fiquei quieto, só ouvindo os gemidos de minha netinha, depois fui movimentando devagar e depois aumentei, fui dando estocadas e ela da dor passou a sentir prazer, soutou o lençol e levantou a cabeça, já não gemia, respirava ofegante. Acelerei as estocadas e gozei como louco dentro daquele cursinho. Depois fomos tomar juntos e eu pedir para não contar para ninguém e ela me prometeu que não ia fala pra ninguém.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 2 votos)
Loading...