# #

Priscila, Cláudio e Eu

968 palavras | 3 |5.00

Hoje é sábado, e para amanhecer esta noite de sexta-feira para sábado, o amante de minha esposa, o Cláudio, me telefonou às 20:00 horas mais ou menos, me perguntando se poderia ir na minha casa. Pedi que ele esperasse um pouco na linha, e fui perguntar para a Priscila, se ela concordava que o Cláudio, viesse até nossa casa. Ela ficou radiante e disse que não se importava, assim, voltei ao telefone e disse que ele poderia vir sim, que seria um prazer. Nem dei bola se algum vizinho iria cismar alguma coisa ou não, pois eu adoro ser corno e se todos souberem, estou pouco me importando.
As 22:00 horas em ponto, a campainha tocou, sendo que a Priscila, estava tomando uma ducha, assim, eu fui abrir a porta. O Cláudio trouxe o porta malas do carro, quase cheio de todos os tipos de bebidas. Fiquei até admirado e perguntei para ele se, ele iria montar um bar em minha casa. Ele sorriu e disse: Isto é para fazermos alguns drinks vez em quando. Nisso a Priscila saiu do banho e veio enrolada numa toalha até nós e foi direta para o Cláudio, abraçando-o e beijando-o, instante em que a toalha caiu do corpo dela, deixando-a nua. Eu sentado no sofá, fiquei deslumbrado com a beleza de minha esposa. Bundinha da hora, peitinhos de médios para pequenos e um corpo torneado, além do rosto lindo e olhos claros que ela possui. Para dizer a verdade, na rua onde ela passa, os homens olham mesmo para ela. A toalha no chão, ela não se baixou para pegá-la, o Cláudio, também não fez esta gentileza e eu menos ainda. Fiquei extasiado vendo os dois se beijarem na minha frente. O Cláudio pegou-a no colo e a levou até o sofá, onde eu estava. Olhei os pelinhos da vagina dela estavam aparadinhos, um tesão. O Cláudio, perguntou se poderia usar a cozinha para preparar umas bebidas e o que nós queriamos beber. A Priscila, disparou quero tomar cuba libre, eu também disse o mesmo, assim ele preparou três copos de cuba e trouxe na sala onde estavamos e, como esta noite estava fazendo calor, a Priscila continuou deitada no sofá toda nua. Meu pênis estava quase quebrando de duro e eu notei que o mastro avantajado do Cláudio, também estava duro.
Começamos a beber e comer uns tubinhos de queijo. O Cláudio pediu para que a Priscila deitasse de bruços, e de momento ele começou a chupar o cusinho dela. Caramba, eu nunca havia feito isso para ela. Enquanto o Cláudio a chupava, ela se auto masturbava. Momentaneamente ele também se desfez das roupas, ficando a mostra aquele imenso pênis duro feito uma pedra. Os dois pelados na minha frente, e ele sem parar chupando o cusinho delicadamente. Não me fiz de rogado, tirei minhas roupas e também fiquei nú, deixando meu pequeno pênis a mostra. Dava até vergonha ver o pênis dele em comparação com o meu, mais fazer o que, cada um caça com a arma que tem.
Já estavamos quase terminando a segunda rodada de cuba, e já até meios grogues; a Priscila mais ainda, pois não está acostumada a muita bebida. Com a mão esquerda a Priscila se masturbava, com isto, o Cláudio pegou a mão direita dela e ela começou a bater punheta para ele. Em dado momento, o Cláudio me falou: José Roberto, hoje eu vou comer o cusinho da sua esposa. Eu fiquei espantado e temeroso e disse a ele, isso não Cláudio, seu pau é muito grande e mais grosso que o meu, você poderá machuca-la. Ele pegou a calça que estava do chão e mostrou um tubo de KY, passou no pênis dele e também no cusinho dela e em seguida, ele deitou de costas no sofá e pediu para que ela deitasse de costas sobre ele. Fiquei petrificado, mais aquele imenso pênis, foi penetrando de leve no cusinho dela… ela gemia de dor, mais dizia a ele, doi mais é super gostoso, coloca tudo meu amor. ( ele amor e eu o corno ). Ela massageando o clítoris e gemendo, eu não aguentei aquilo, tirei a mão dela e cai de boca na buceta. Eu nunca tinha engolido tanto mel de uma mulher, como eu estava engolindo ali naquele momento. A excitação era tanta que ele e ela, entraram no clima rapidamente e gozaram feito doidos. Do clítoris dela, saiu tanta porra que, encheu minha boca e até enlameou meu rosto. Nunca tinha visto minha esposa chorar e nem falar tantas coisas ao gozar. Ela pediu para que, ele fosse tirando o pênis de dentro dela bem devagarinho e pediu para que eu continuasse chupando a sua buceta. Eu continuei até ela mandar eu parar e o Cláudio, rapidamente enfiar aquele imenso mastro naquela bucetinha toda ensopada. Gozamos os três juntos, ela e o Cláudio unidos corpo a corpo e eu numa punheta maravilhosa, onde sujei todo o piso da sala de porra. Depois para finalizar, o Cláudio com o pau todo enlameado de porra, mandou ela fazer uma chupeta para ele, e foi até gozar na boca dela e ela gozou numa siririca e para completar eu me masturbei e ao mesmo tempo, gozamos os três juntos. Agora qualquer noite destas vou tentar fazer sexo anal com minha mulher, mais o que eu gosto mesmo, é ver ela transando com o Cláudio, e eu gozando numa punheta. Adoro bater punheta é uma delícia !!!

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 2 votos)

# #
Comente e avalie para incentivar o autor

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Mirella esposa feliz . ID:8ds77kjqrd

    delicia quando o marido aprova os métodos de poliamor junto com um amigo a sua esposa deve estar amando esse romance parabéns queria estar no lugar dela bjs …

  • Responder DOMINADOR ID:8p6h53gzrc

    Putz q tesão
    Adoraria fuder o cuainjo de sua mulher

  • Responder Anderson ID:2xbuy5nnoic

    Nossa quero muito colocar meu pau todo dentro do cuzinho dela e na gozada quero que vc olhe bem de perto e sinta o cheiro do tesão de outro homem.