Segredo de Vizinhos

Sou casado, tinha 36 anos, minha esposa 31 anos e um filho de 4 anos. Moramos num edifício em Porto Alegre e somos vizinho de porta duma mulher separada com 40 anos e sua filha de 16 anos. Somente cumprimentava ele e só sabia que a mãe se chamava Claúdia e a filha Rose. Rose tinha um namoradinho chamado Diego, que mora na nossa rua, que vivia no seu apartamento, eu falava mais com ele do que com elas, ele sempre pedia pra eu abrir a porta pra ele quando eu chegava do passeio com meu cachorro. Encontrava eles namorando em todas ruas do bairro e no supermercado, pareciam muito apaixonados, coisa de casal novinho. No domingo pela manhã fui andar de bicicleta na praça com minha família e encontro o casalzinho no maior love no banco da praça, demos bom dia a eles, minha mulher comenta comigo que faziam um bonito casal e eu concordo. Como o domingo era da família, não tive tempo de passear com o cachorro, minha mulher pede pra eu levar o coitadinho pois tinha acostumado a levar ele para passear, reclamei que já era quase 23h e levaria ele só amanhã, ela manda eu olhar pro cachorro e ver sua cara de triste, dou razão a minha mulher, me visto e saio com o bichinho. Vou até a praça e chegando lá solto o cachorro da guia, ele caminha ao meu lado até completarmos a volta na praça, avisto um casal no maior amasso encostado num carro, próximo do casal o meu cachorro vai perto deles e faz uma festa pra eles, a moça faz carinho nele e quando vou pega-lo, ela se vira para mim e vejo que é minha vizinha Rose com um homem bem mais velho que ela, dou boa noite a eles e coloco a guia no cachorro e falo pro cachorro que ta na hora de ir pra casa, Rose solta do homem e diz que também vai e pede pra eu acompanha-la já que vamos para o mesmo lugar, o homem sai com seu carro e desaparece de nossas vistas. Rose pede pra pararmos para me falar do que acabo de presenciar e pede segredo, pois gosta muito do seu namorado mas acha ele muito criança, só podia ficar a noite até as 21h e ela queria ficar até mais tarde, que sua mãe também estava com seu namorado e ela não queria incomoda-los, e se o namorado não soubesse, não ia causar nenhum mal, e o amante Luís era casado e não ia querer fazer escândalo também. Perguntei a Rose se ela gostava de cara mais velho, e ela disse que eles passavam muitas experiências pra ela e só se encontravam um domingo por mês e cada um ficava na sua. Me enchi de coragem e perguntei se eu tinha alguma chance com ela, só como pagamento pra guardar segredo. Ela sorriu, me chamou de safadinho e iria pensar no caso, falei pra pensar com carinho, dentro do prédio perguntei se ela ia me dar a chance, que ela não ia se arrepender, ela levou um susto e disse: aqui não né, por essa resposta vi que ela tinha aceitado. Convidei ela para subir mais um andar para conversar e dei um beijo na boca, ai foi minha vez de me surpreender com a desenvoltura de sua língua na minha boca, cada um entrou em sua casa e minha mente começou a trabalhar para o próximo encontro. No meio da semana nos encontramos na mesma praça, ela tinha acabado de deixar o namorado em casa, então tínhamos uma hora e meia pra ser feliz, soltei o cachorro e sentei no banco com ela, ela montou no meu colo e disse que eu já estava durinho, me beijou muito e lambeu todo meu pescoço, levantei para tirar o pau pra fora, ela pensou que era pra chupar e chupou muito bem, e eu achando que ela nunca tinha chupado antes, perguntei onde ela tinha aprendido fazer essas coisas. Ela parou um pouco e disse que tinha sido com um coroa de outro bairro que moravam e seu namorado só dava um gozada na sua buceta e já guardava o pau e ela tinha vergonha de pedir pra chupar, então quando tinha oportunidade dava uma boa chupada. Tornei a sentar e Rose sentou no meu colo já com a calcinha afastada, levantei o vestido e apertei a bundinha branquinha, fechei os olhos e deixei com ela, sussurrando no meu ouvido ela disse que queria gritar que tava gozando, estremeceu de gozo e disse que agora queria que gozasse dento dela, não aguentando mais atendi seu pedido, ela só saiu de cima da mim quando o pau já estava mole. Levantamos e fomos em direção a nossas casas. Ela disse que tinha pago o segredinho e eu falei que era apenas a primeira prestação, ela somente riu e entrou, dei um tempinho e entrei e graças minha mulher já havia dormido, tomei banho e dormi agarradinho nela. Na sexta feira quando chegava do passeio com meu cachorro, encontro Rose na porta do prédio com o namorado, se despedem e Rose diz pra ele ir em bora que sua mãe não esta e não fica bem uma moça de família ficar com um rapaz sozinha. O namorado ri e da um beijo de despedida, eu rio por entender a mensagem de ela estar sozinha, subimos junto e pedi pra entrar que queria falar com ela, ela diz com uma cara de safada que é só para conversar. Entro com cachorro e tudo e torno a perguntar por sua mãe e Rose diz que foram ao cinema na sessão das 22h, era tudo que precisava saber. Avancei nos peitos dela e levantei seu vestidinho de ficar em casa, estava sem calcinha, perguntei se o namorado tinha comido ela bem, a safada disse que arretou ele bem e quando ele não aguentava mais disse que só ia bater uma punhetinha pra ele, que tinha medo de sua mãe chegar, e ele saiu bem satisfeito, e que ela era agora só pra mim. Deitei ela no sofá e comecei a chupar sua bucetinha, logo ela gozou, já que tava arretada pelo namorado. Mesmo assim não parei, somente após o segundo gozo que enfiei o pau na buceta dela, ela tava gozando pela terceira vez, ai foi minha vez de gozar, tirei o pau todo melado e pus em sua boca, que deixou ele limpinho e murcho, quis colocar o dedo em seu cuzinho e ela deu um pulo e disse que ali não. Eu que nunca tinha lambido um cuzinho antes, pedi para somente lamber, pois aquele cuzinho merecia um carinho destes, ela também disse não. Pedi para dar uma lambidinha antes de ir em bora, ela concordou mas que seria só um pouquinho. Na primeira linguada ela deu uma gemidinha, eu também não tinha experiência no assunto e fui de vagar, depois de algum tempo já estava íntimo do anelzinho e ela não reclamava mais, só se contorcia, parei e perguntei se tinha gostado, ela respondeu que não sabia ao certo, antes de ir em bora ela me deu uma grande notícia, sua mãe ia viajar uma semana e que ela ficaria sozinha e desamparada. Eu e a minha mulher encontramos eles saindo de malas prontas e a mãe da Rose pede para nos dar uma reparadinha na sua menininha enquanto eles ficariam fora. Minha mulher disse que não tinha nenhum problema, pois sua filha era obediente. Quando eu, minha mulher e meu filho passamos por Rose no corredor, minha mulher ia na frente com cachorro acuando e ela ralhando com o cachorro, com todo aquele barulho, Rose ao passar por mim diz baixinho que estava desesperada. Minha mente deu varias voltas, segunda feira pedi pra sair do serviço mais cedo para cuidar dela, como sua mãe tinha pedido. As 14h bati na sua porta e nada, quando abri a porta do meu apartamento, ela abriu a porta e perguntou se ia deixa-la sozinha e indefesa. Pulei pra dentro de sua casa, arranquei sua saia e a blusinha e ela tava como veio ao mundo, lambi todo seu corpinho e virei sua bundinha pra eu lamber seu cuzinho, a safada tinha gostado e não tinha dito. Tinha lambido muito e ela fazendo uma siririca gozou e disse como estava bom. No maior tesão pedi para comer seu cuzinho, ela saltou longe e disse que não, perguntei se não tinha gostado das lambidas, ela respondeu que sim mas não queria, que o cuzinho ela só daria pro amor de sua vida, me obriguei a dizer que era o amor de sua vida e sugeri colocar só o dedinho pra ela sentir como era bom e que pararia quando ela quisesse, antes que ela respondesse coloquei ela de bundinha pra cima e lambi mais um pouco cuspi bem na entradinha e fui enfiando de vagarinho, o dedo todo dentro, beijei-a e disse pra ela ser obediente como sua mãe disse. Pedi pra ela fazer uma siririca enquanto eu acostumava sua rodinha lisinha e rosinha, tirei meu dedo e novamente dei uma cuspida no seu cuzinho, cuspi também no meu pau e encostei na portinha, fiz uma pressãozinha e a cabeça entrou, tranquilizei-a e fui empurrando mais, entrou todo e disse: bom menina, tirei e coloquei uma vez e perguntei se podia continuar, ela afirmou pra ir com cuidado, falei que ia deixar ela fazer o movimento pra não machucar, ela iniciou o vai e vem e como estava com muito tesão, gozei e não avisei porque queria continuar, acho que minha porra lubrificou o canal dela que passou a deslizar com menos dor, que ela disse que agora não ta doendo muito, para não deixar o pau amolecer, passei a acelerar o ritmo. Pau durão novamente, agora era só esperar o próximo gozo, a demora foi boa para nós dois, fez com que ela gostasse da novidade e eu relembrasse da minha outra mulher, pois a atual não deixava em hipótese alguma. Cuidei do cuzinho dela a semana inteira, ela só queria atrás e na noite na praça dava leitinho quente na boquinha dela. Tinha dias que ela pegava os três homens para satisfazer seu tesão. Ficamos fazendo isso por 4 meses até que ela disse que ia fazer um exame de gravidez que me assustou. As vezes ela dizia para seu namorado que ia ficar sozinha só para eu ouvir, mas me segurava e não ia, o exame deu negativo e tudo se normalizou, fiquei só com minha família mas ainda pensava naquele cuzinho gostoso.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...