# #

Caminhos do coração #9

1217 palavras | 1 |4.14
Por

UM BEIJO ROUBADO

Enquanto caminhamos para a minha casa, ele me fez algumas perguntas sobre o Pedro, sobre aquele assunto que sem querer eu deixei escapar, ele estava curioso e eu tive que explicar.

—CLARINHAAA …..acho que ela saiu.
Eu disse e empurrei a porta que só estava encostada, cidade pequena como a nossa não se preocupamos mais com isto …aqui o pessoal é de muita confiança.

—melhor assim né.
—porque você diz isto?
—eu quero dizer que é melhor que sua irmã tenha saído, assim vocês não ficam implicando um com o outro.
—engraçadinho! …vem, vamos entrar, os carrinhos estão no meu quarto.
—Eu sei que estão lá.
—há é. Eu já te mostrei uma vez.
—Faz muito tempo, por isso quero vê-los de novo.
—Então vamos – eu disse e fomos para o meu quarto, onde meus carrinhos ficavam em uma prateleira de madeira bem rústica que o meu pai fez pra mim.
Assim que entramos em meu quarto ele ficou a admirar a coleção de carrinhos, não era carrinhos caros e nem tão raros, era o que conseguimos nesse fim de mundo, nas poucas vezes em que íamos junto com meu pai ou minha

mãe a cidade grande aí sim eu conseguia comprar alguns legais …eu fiquei imensamente feliz.
—cara. Esse universo da hot wheels é o máximo né? – ele perguntou enquanto segurava um em suas mãos.
—Sim. Eu sou super fã, mas cuidado para não quebrá-lo, você disse que ia só olhar.
—calma Zezinho, não vou quebrar, eu sou cuidadoso – ele disse e o colocou no lugar novamente.
—me desculpe Junior, mas é que eu tenho muito ciúmes desses carrinhos – eu disse e me sentei na minha cama, ele se sentou ao meu lado.
—posso te fazer uma pergunta Zezinho?
—pois faça.
—Porque mente pra si mesmo?
—sobre?
—eu pensei sobre o que conversamos, sobre você ter falado do Pedro e tenho certeza que você está mentindo, pois seus olhos dizem o contrário.
-Você está querendo dizer que eu gosto de você?
—diga você Zezinho.
—eu já disse Junior, eu gosto de você como amigo.
—QUE DROGA ZEZINHO, você continua mentindo pra você e pra mim, por que não admite logo que gosta de mim?
—admita você então! – eu disse com meu coração acelerado.
—Você QUER MESMO SABER?

—Eu quero.
—Então tome a sua resposta – ele disse e pôs sua mão na minha nuca e então me puxou de encontro a ele e sem que eu esperasse ele me pegou de surpresa me roubando um beijo apaixonado.
será que era real mesmo ou eu estava sonhando? …quando acontece aquilo que a gente mais deseja o nosso cérebro demora alguns segundos para processar …enquanto eu custava a acreditar eu sentia seus lábios nos meus …espera! é real! O Junior está me beijando, ele está me beijando …está acontecendo.
—agora você sabe …eu amo você – ele disse ao encerrarmos o nosso beijo e me olhando nos olhos …eu vi uma lágrima caindo dele e descendo por seu rosto.
—eu também te amo – eu disse e passei o meu dedo indicador perto do seu olho enxugando a sua lágrimas.
Ele me abraçou forte, tão forte que senti meu pescoço apertado por seus braços, retribui a esse gesto de amor e tentei o abraçar mais forte ainda.
—porque perdemos tanto tempo? – eu disse ainda abraçado com ele minha cabeça apoiada em seu ombro.
—não sei – ele respondeu sem me soltar de seu abraço e com sua cabeça apoiada sobre meu ombro também – talvez porque éramos muito novos e não sabíamos que o que sentíamos um pelo outro era mais forte do que amizade.

Encerramos o nosso abraço, mas sem tirar os braços dos ombros um do outro, ficamos a nos olhar olho no olho novamente, eu comecei a chorar.
—Porque está chorando?
-Porque eu desejo isto há bastante tempo e tudo esta parecendo ser apenas um sonho, sei que vou acordar e nada disto vai ser real.
—pois é muito real, estamos vivendo esse momento aqui e agora.
—será que eu posso te beijar de novo?

—Zezinho! Não peça, apenas faça – ele disse e ficou esperando que eu tomasse a iniciativa desta vez.
Fui encostando meus lábios nos seus, eu não sabia beijar, ele também não, apenas estávamos esfregando nossos lábios uns nos outros, mas para mim esse beijo representava a evolução a minha vida toda eu sempre eu sempre esperei por esse dia em que eu olharia para a pessoa que eu mais amo neste mundo e eu farei de tudo para ter uma linda amizade se transformando em um incrível amor.
Meu único e primeiro amor.
—o que vocês estão fazendo? – disse a Clarinha em é na porta do meu quarto que estava aberta, por sorte ela não nos flagrou.

—Estava mostrando a minha coleção de carrinhos para o Junior.
—e você Clarinha, tem algum robe também? – perguntou o Júnior olhando pra ela.
—tenho. As minhas bonecas.
—você quer dizer aquelas bonecas idiotas sua né – eu disse rindo ironicamente.
—não fala mal das minhas bonecas, você tem a sua coleção de carrinhos e eu tenho a minha coleção de bonecas.
—pelo menos vocês dois tem alguma coisa em comum – disse o Junior – acho que deve se algum tipo de conexão entre irmãos gêmeos.
—Eu tenho algum tipo de conexão com essa chata – eu disse e dei uma gargalhada alta – prefiro morrer do que ter isso.
—eu também prefiro pular de um precipício do que ter algum tipo de sintonia com você Zezinho, não sei de onde esse seu amigo estupido tirou essa maluquice.
—hei! …não chama ele de estupido, o nome dele é Junior.
– Está tudo bem Zezinho, tenho certeza que a Clarinha não disse por mal, afinal foi eu que provoquei.
—tá …desculpe Zezinho por te chamar assim, é que as vezes esse idiota do meu irmão me faz perder a cabeça.
—quem você está chamando de idio…………….

—crianças, eu cheguei – disse a minha mãe me interrompendo – há …oi Junior – ela o cumprimentou ao vê-lo.
—Oi dona Joana, eu já estava de saída.
—que isso menino! …só porque eu cheguei? …pode ficar brincando com o Zezinho.
—é que eu preciso ir mesmo joana, meus pais devem estar chegando também, eu gosto de estar em casa para recebê-los.

O Júnior se despediu e foi embora, eu até queria ir à sua casa, mas tudo que aconteceu eu estava no mundo da lua preferi não sair mais hoje, apesar de estar muito feliz era muita coisa para se pensar, tanto que demorei para pegar no sono a noite, acredito que o Junior também estava na mesma situação de amigos a quase namorados e agora o que pensar o que dizer pra falar a verdade minha ficha ainda não tinha caído fechei meus olhos e tudo foi escurecendo e não vi mais nada .

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,14 de 7 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder paulo cesar fã boy. ID:g62bi29v3

    o primeiro beijo a gente nunca esquece. é tão especial quanto perder a virgindade.