# #

Minha cunhada Diana e as novas experiências 3

1005 palavras | 0 |2.00
Por

Tivemos nossa noite de despedida, combinamos eu e minha cunhada que a partir dali não teríamos mais.nosso relacionamento, será que a carne é forte?

Diana achou melhor pararmos com nossas transas e canalizar nosso tesão para outras pessoas, então como minha mulher estava viajando, ela iria passar a última noite na minha cama. Diana foi buscar Ângela, minha filhinha e quando chegaram do colégio eu estava de banho tomado e pronto para dar uma volta com minha filha e com minha cunhada Diana. Elas foram banhar-se e se arrumarem. Diana botou um vestido curto e rodado , suas lindas coxas amostra, como o decote mostrava grande parte dos seios médios, ela prendeu o cabelo para cima e mostrava seu lindo pescoço e a nuca. Aproximadamente 20 horas fomos a um restaurante com musica ao vivo . Tomamos algumas cervejas enquanto não chegava nosso pedido. Diana já estava bem soltinha.
– pai dança com a tia!
– Boa ideia filha! Diana vamos dançar?
– eu não sei! Estou meia tonta!
Levantei e a peguei pela mão, passei meu braço pelas suas costas e a conduzi para a pista de dança. Diana se abraçou no meu pescoço, juntei ela contra mim é dançamos bem juntinhos.
– Não aperta muito que sou tua cunhada! Kkkk
– Hoje você é minha amante!
– Tu enlouqueceu, é? Quem disse que vou ficar contigo?
Como tinha mais casais dançando e minha filha não nos enxergava, comecei a beijar o pescoço dela e passar a língua na sua orelha.
– para! Estou ficando toda arrepiada!
– Com tesão também? Kkkk
Diana me beliscou rindo, meu pau estava duro então coloquei entre suas coxas e no movimento da dança cutucava sua buceta.
– Humm! Minha gostosa!
– Aí pára! Parece tarado!
– Não está gostando?
– Cala a boca! Kkkk
Dançamos duas músicas e como minha filhinha estava sozinha na mesa voltamos. Jantamos tomamos mais umas cervejas e como a Ângela (minha filha) estava com sono , fomos para casa. Coloquei Ângela na cama, Diana foi trocar de roupa no seu quarto e eu fui tomar um banho. Daí a pouco minha cunhada entrou no banheiro totalmente nua.
– Dá espaço pra mim!
– Huum! Que bom que vamos dividir o chuveiro!
Diana ficou a minha frente se molhando , abracei ela por trás levando minhas mãos na virilha dela e ajeitando meu pau entre suas coxas enquanto eu beijava sua nuca e pescoço, Diana virou o rosto e me beijou por alguns segundos, depois pegou o shampoo curvando-se para lavar o cabelo, baixei e tive a visão mais linda, seu cuzinho e sua buceta expostos para mim, segurei seus quadris e passei a chupar sua buceta e lambida seu cuzinho. Diana excitada rebolava e gemia deliciosamente.
– Me chupa tarado! Mete a língua!
– Tu gosta né minha putinha?
– Adoro!
Depois de chupá-la até ela gozar na minha boca, levantei e pincele com a cabeça do meu pau na bucetinha dela. Diana se posicionou com as duas mãos na parede e numa estocada só enfiei todo o meu pênis.
– Aaah! Tarado gostoso! Bruto!
– Mexe gostoso cunhadinha! Mexe!
Segurando-a pelos seios bombei forte até gozamos juntos. Terminamos nosso banho e fomos para a cama e deitamos de conchinha. Conversamos um pouco e passei a beijar ela todinha e encher minha boca com seus seios onde de vez enquando eu passava somente a língua em movimento circular no seu mamilo, provocando muito tesão. Após algum tempo ela disse:
– Agora é minha vez, quero esse pirulito!
Diana começou a chupar meu pau com muita vontade, lambida a cabeça, engolia todo o meu pênis e depois chupava minhas bolas.
– Adoro você bem vadia!
– vadia é? Nem comecei!
– Huum! Assim vou gozar muito gostoso!
– Não! Não goza! Quero esse leite em mim!
Minha cunhada babou bastante meu pau, veio e colocando meu mastro duro na entrada do cuzinho dela sentou em cima do meu pau absorvendo todo e cavalgando com muito prazer.
– Quero que goze nas minhas entranhas! Adoro quando tu faz isso!
– Isso cunhadinha! Cavalga no teu macho!
Ela curvou-se, me beijou mordendo meus lábios e rebolando ensandecida me fez gozar e continuou no mesmo ritmo até ter um orgasmo.
Ficamos abraçados, ela sobre meu corpo, nossos rostos colados curtindo nossa transe adormecemos. Quando acordei ela continuava imóvel, eu já tinha relaxado e meu pau já tinha saído e estava todo melecado com nossos líquidos. Ao ver aquela mulher maravilhosa com o corpo nu sobre mim meu pênis endureceu e voltou a tocar seus grandes lábios, com muito jeito fiz com que meu pau invadisse sua vagina. Ao sentir meu pau duro ela despertou, me olhou nos olhos, deu um sorriso, me beijou e começou a mexer suavemente, entrei no ritmo entrando e saindo, enquanto nossa respiração ia ficando mais ofegante, o prazer nos dominando até que culminamos com um orgasmo. Ficamos encaixados mais um tempo nos beijando, até que tocou o celular dela( então descobrimos que era oito e meia da manhã), era seu noivo dando bom dia.
– Bom dia amor! Hoje meu dia começou maravilhoso!
– Que bom! Que está fazendo?
– Me deliciando na Cama! kkkk
– Huum! Como eu queria estar aí!
– Não dá! Estou muito esparramada! Kkkkk.
Diana largou o celular ligado e voltou a me beijar me mordiscando.
– Meu gostoso!
– Vamos ficar mais aqui aproveitando!
– E ser flagrados pela mana? Kkkk
– Poxa é mesmo! Daqui a pouco ela chega! Mas vamos aguardar atendermos a oportunidade de aproveitar mais!
– Não sei não! Kkkk
– Tu sabe que não resistimos um ao outro! Kkkkk
– Tu que fica virando minha cabeça! Se aproveitando das minhas fraquezas!kkk.
Levantamos, nos banhamos e fomos tomar café, pois eu tinha que buscar minha amada e minha outra filha na rodoviária.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 2,00 de 3 votos)

Por # #

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos