# #

Queria ser mulher logo

1058 palavras | 9 |4.33
Por

Eu tinha pressa, me apaixonei, viciei e não me arrependo.

Moro de apartamento, um bem pequeno com minha avó idosa e minha tia só vem às vezes e tarde da noite porque dorme na casa do namorado. Tudo começou quando eu tinha 10 e comecei a entender melhor as coisas.

As meninas da minha escola eram todas gostosinhas, precoces e umas já menstruavam eu sentia inveja porque o corpo delas de mulher se desenvolvia mais rápido enquanto o meu ia devagar, mas talvez por conta do dna eu tinha curvas. Tentei me insinuar para os meninos mas todos eram muito bobões e a conversa chegaria na minha avó, eu queria todos, queria ser adorada pelos machos e ter atenção dessa forma, mas só um menino, de 12 topou “”brincar”” escondido comigo foi desajeitado, ele ficou abraçado se roçando em mim na escada e eu mal pude sentir o pau dele dentro do short mas fiquei excitada.

Talvez o segredo fosse um menino mais velho mas eu tinha vergonha de falar com eles, não sabia bem o que fazer e não conseguia chamar atenção de nenhum. Fiquei triste, me masturbava com meu grande urso de pelúcia mas queria ser mulher…

Até que um dia voltando para o apartamento vi meu vizinho de frente, um coroa lindo demais, branco, cabelo grisalho mas todo malhado. Ele estava entrando com compras, sorriu para mim e meio automaticamente fui querer ajudar, mesmo ele não tendo deixado, peguei uma sacola leve e ajudei a até a porta, ele me pediu para entrar.

Neguei mas… Fiz, ele tinha um charme, um magnetismo não sei. Entrei lá e ele puxou uma cadeira, foi abrindo as sacolas e guardando as coisas puxando conversa, falando que eu era muito simpática e bacana, com aquele sotaque carioca gostoso e mole. Depois tirou uma barra de chocolate da sacola e me entregou, agradeci e fui saindo ele me olhando até que sai, era meu vizinho do lado, a mulher dele chegava de noite e ele tinha negócio próprio tinha pinta de rico.

Voltei pra casa com o chocolate escondido e fui pro quarto. Na hora que fui sair pra brincar a porta do apartamento dele estava aberta, espiei e ele abriu, me puxou para dentro rindo e eu ri junto.

– Que saudade..! – sorriu galã.

– Mas eu vim aqui ontem. – respondi.

– É. – se distraiu com algo – Mas já senti saudades, posso ganhar um abraço?

Achei estranho mas… Fiz. Ele era tão legal. Eu era muito mais baixa, minha cabeça encostou na barriga dele e ele abraçou forte, senti outra coisa encostar em mim no abraço.

– É muito baixinha, perai! – e me levantou no braço pegando pelas coxas. Eu ri porque me pegou de surpresa, ele era muito divertido. – Tem que fazer assim com você, menina. – passou a segurar na minha bunda e eu percebi e quis sair ainda na brincadeira.

– Tira a mão daí! Tira as mãos.

Ele colocou de volta nas minhas pernas e me levantou, nunca fiquei tão feliz com toda atenção que estava recebendo dele depois foi me descendo ainda no colo dele até que me segurava com as pernas abertas bem na cintura dele, pelo short fino eu sentia onde ele estava me colocando.

— Tá quente uma hora dessas pra descer pro parquinho, não posso deixar. Fica comigo, a gente põe um filme. – enquanto falava ele me esfregava ali como se fosse um objeto, eu não tinha muita noção do que era e o coração batia rápido, mas deixei.

– Só um pouco.

— Só um pouco, prometo. – ele foi comigo no colo e sentou no sofá me puxando para outro abraço esquisito. – Ah, você é um doce, Ju.

Depois ele me deixou no sofá, foi fazer pipoca e voltou sem camisa da cozinha, praticamente babei no quão gostoso ele era, tinha um peitoral definido.

– Se quiser ficar mais a vontade, tudo bem.

Ele sentou do meu lado, mas não fiz nada. Me deu o balde de pipoca e comeu comigo enquanto víamos um filme de ação que eu não conhecia, depois de pegar uma pipoca ele passava a mão na minha coxa, até que me entregou um copo de refrigerante e eu bebi. Deu bastante sono depois e fui fechando os olhos, antes de apagar eu senti ele me beijando na boca.

Acordei a noite confusa em casa, sem saber onde estava, minha vó disse que cochilei no parquinho, ou desmaiei pelo calor lá e o vizinho trouxe para casa.

No dia seguinte, voltando da escola achei ele na porta com cara triste, perguntei o que era e ele disse que era segredo, não queria falar no corredor. Entramos. Ele sentou no sofá e fiquei na frente.

– É minha esposa, ela não fica aqui e eu fico muito sozinho, eu estou triste e queria muito um beijo…

Senti dó ele era um homem bom, passei a gostar dele e com o possível “”sonho”” que tive no dia anterior eu gostava mesmo dele, como… Homem.

Inocentemente dei um beijo na bochecha dele bem rápido e ele sorriu mas depois fechou a cara de novo.

– Deixa eu te mostrar como é.

Pegou na minha mão e me puxou pra perto, deu um selinho demorado e começou a mover os lábios eu fui acompanhando como conseguia e ele continuou por bastante tempo. Até colocar a língua na minha boca, me puxou no colo dele para continuar o beijo, eu sentia bem aquela rola tesa na minha bunda e minha bucetinha molhar de estar beijando ele, eu me sentia ótima. Ele pegou a minha bunda e apertou, a farda da escola era short frouxinho.

— Você é ótima, eu quero só você.. vem ser minha namoradinha em segredo, a gente pode brincar tanto. – agora ele beijava meu pescoço.

— Eu queria, você é lindo.

– Agora a gente é namorado e não pode falar pra ninguém. – selou nosso segredo com mais beijos e mãos bobas, agora eu deixava melhor, gostava.

Por vários dias eu ia lá pra gente se beijar, na mesa, no sofá, na cama da mulher dele.

Parte 2, se gostarem…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,33 de 21 votos)

Por # #

9 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Professor rj

    Bom demais

  • Responder Nathalia (NATY)

    Delícia , essas meninas … Continue logo . Beijos.

  • Responder Carla

    Continue…
    Mas, fique atenta aos diálogos, não esqueça que é entre uma garotinha de dez anos e um adulto. E evite o uso de diminutivos, pq fica estranho. No mais, a idéia é ótima, e tem potencial pra ser um belo conto.

  • Responder Digital sin

    Muito bom

  • Responder Roger

    nossa bom demais

  • Responder Rafaella

    Bem contado. Beijos !

    • Roger

      adorei esse relato, gostou também?

  • Responder @outlanderoutsider

    Ok continua

  • Responder Anonimo

    Continua