# #

Dona Marta me pagou de um jeito especial (primeira parte)

849 palavras | 1 |3.80
Por

O sonho de todo adolescente é encontrar uma mulher madura e liberal para ser sua professora na arte do sexo. Veja como tudo aconteceu

Quem fica parado é poste. E só chuva cai do céu.
Meu nome é José Roberto e com 16 anos, já fazia meus corre pra defender um troquinho.
Nos dias de feira ficava próximo as barracas. Ajudava as senhoras escolhendo frutas e verduras, colocando no saquinho e levando os pacotes até suas casas.
As velhinhas eram bem generosas. E se você fosse bom de lábias a gorjeta era sempre gorda.
Uma das frequentadoras desta feira é a Dona Marta. Uma mulher linda, elegante na faixa dos seus 45 anos.
Corpo violão toda malhada. Uma verdadeira gata. Tinha um perfume delicioso e uma pele linda.
Estava sempre muito elegante. Usava salto alto, roupas finas e maquiagem impecável.
Realmente ela se destacava na multidão. Geralmente as mulheres se vestiam de maneira mais simples
E algumas até pareciam a dona Florinda do chaves com bobs na cabeça.
A gente olhava e desejava. Mas ninguém se arriscava a falar com ela.
Afinal profissionalismo em primeiro lugar.
Eu não queria me queimar nem com os feirantes muito menos com minhas clientes.
Me aproximei educadamente e perguntei se poderia ajudar. Ela disse que sim.
Comecei abrir os saquinhos e escolher os melhores produtos.
Até dei uns toques. Pra ela comprar a batata em outra banca que estava em promoção.
Terminada as compras, carreguei tudo até sua casa.
Coloquei os alimentos na mesa e depois cuidadosamente fui desembalando e guardando na geladeira.
Ela ficou olhando de longe. Elogiando meu trabalho.
Dona Marta – Você é um garoto tão forte e bonito.
Acho incrível ser tão novo e tão maduro.
José Roberto – Obrigado. Mas eu sou normal como todos os outros. Só quero ter meu dinheiro pra dar menos gasto pra minha mãe. Ela faz faxina e a vida não é fácil. Mas trabalho não mata ninguém. E eu gosto de ajudar as pessoas.
Ela usava um vestido lindo. Com um decote bem generoso. Seus seios eram fartos.
Ela bebia água e deixava gotinhas escorrendo pela sua boca, pescoço, deslizando por entre seus seios
Até molhava um pouco seu vestido deixando ele ainda mais colado na pele e transparente.
Eu tentava não olhar. Tinha que me concentrar no serviço
Dona Marta – Nossa como eu sou desastrada.
Dizia isso passando a mão no seu colo. Com a intenção de secar ela baixava ainda mais o decote. E eu juro. Consegui ver seu mamilo rosadinho.
Cara nesse momento eu ganhei o dia… o mês… acho que o ano.
Meu pau ficou duro na hora. E eu fiquei vermelho como um pimentão
Tentei disfarçar mantendo o ritmo do trabalho
Ela começou a se aproximar de mim.
Eu fiquei com receio e fui caminhando pra traz. Até encostar na parede.
Ela tinha me acuado.
Colocou a mão no meu peito e começou a me acariciar.
Você é um belo rapaz e muito forte para 16 anos.
A mão dela alisava minha pele sentindo meus músculos.
José Roberto. – Dona Marta obrigado. Mas acho que já está na hora de ir.
Ela desliza a mão suavemente até o meu pau. Apalpando por cima da calça.
Dona Marta – O que é isso garoto. O que você tem ai dentro?
José Roberto – Não é nada não dona. Preciso ir.
A mão dela subia e descia pelas minhas coxas. Acariciando meu pau.
Ela apalpava com vontade. E aquilo estava me deixando louco.
Ela pegou uma nota de R$ 10 reais. Perguntou se estava bom aquele valor.
Eu disse que sim.
Então ela coloca o dinheiro dentro do seu decote e diz: – É todo seu José. Pode pegar.
Eu não acreditava naquilo. Ela estava me provocando. Me seduzindo.
Se eu fosse mulher diria que estaria me assediando.
Mas caralho. Qual garoto de 16 anos não iria querer receber esse assédio.
Com a mão um pouco trêmula segui em direção ao seu decote.
Com cuidado para não tocar nos seus seios fui puxando seu vestido afim de pegar o dinheiro.
Ela se movimentou. Está fazendo cocegas garoto. Nisso ela colocou sua mão em cima da minha
Fazendo com que eu aperte seus seios.
Dona Marta – Você não gosta de sentir eles meu doce menino?
Eu digo que sim. Que é muito bom. São durinhos, firmes e redondinhos.
Ela então disse. Então pega com vontade. Acho que nunca pegou um desses antes.
Quando uma mulher deixa você tocá-la é pra tocar e não pra ficar parado igual a um idiota.
Comecei a massagear seus seios. Baixando a alça do vestido.
Fiquei tão empolgado que o dinheiro caiu no chão e eu nem percebi.
Já aconteceu algo parecido com você? As mulheres maduras são realmente insaciáveis?
Você curte uma milf. Responde ai nos comentários.

Quem quiser ler a segunda e última parte e ver todas as fotos.
Acesse: jovenslindaseinocentes.blogspot.com
Postagem: Dona Marta me pagou de um jeito especial (final)

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,80 de 10 votos)

Por # #

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder InuYasha

    Parece mentira