# #

Criei um monstro insaciável… e irresistível (parte 13)

3657 palavras | 7 |5.00
Por

Realmente a ele estava lá, lindo mais forte, com aquela mesma sunga apertada, cercada de mulheres, mães e filhas, fiquei olhando um pouquinho.

Criei um monstro insaciável… e irresistível (parte 13)

Simone Safada

Essa é a continuação, “Criei um monstro insaciável… e irresistível – parte 12”

Oi gente, desculpa a parte 12, ficou muito grande e resolvi dividir com a parte 13, Ribeiro meu gostoso, a gente só dá valor ao que tem quando perde e assim aconteceu, vc vai ver, Pau_lo, meu lindo obrigado pelos comentários que bom vcs estão gostando, Bjs., mais um obrigado, eu não conseguia buscar uma palavra para a definição para aquele momento do Jr., “arrongante”, isso mesmo, obrigado, Bjs, Si.

Terminei a parte 12 assim: “Começou a fazer a academia do condomínio, e sempre está se exibindo na piscina, pode olhar que ele está lá.”

Realmente a ele estava lá, lindo mais forte, com aquela mesma sunga apertada, cercada de mulheres, mães e filhas, fiquei olhando um pouquinho, recordando tudo que passamos, comecei a ficar molhadinha, estava com saudades daquele pirocão, Aninha e Say também, não contei tudo a elas, mas elas se sentiram traidas, estavam tristes, mamãe foi trabalhar e eu resolvi levantar o astral, claro piscina, falei com as meninas para não darem confiança pro Jr. podem falar com ele, afinal é nosso irmão.

Chegamos arrazando pra variar, a ideia é deixar o Jr. com agua na boca, claro veio falar as duas, eu, nem dei ideia, mas as duas voltaram e ficaram do meu lado, dessa vez teve um coleguinha da Say, que ficou zuando ela, era um influenciador e os outros vão com ele, ela tava quase chorando e querendo subir, mas teve um que chegou e pediu para passar bronzeador nela, percebeu que tava quase chorando.

– Amiguinho – Claudinha, fica assim não, são uns bobos.

E começou a passar bronzeador na Say, ela gostou, veio o muleque e jogou água na Say, “viadinho…” e saiu rindo, esse amiguinho levantou e deu um soco no garoto.

– Amiguinho – Ela não é viadinho, ela é menina e vc tava batendo punheta pra ela lá em casa, deixa ela em paz.

A Say ficou encantada com o seu macho protetor, mas o que fiquei mais puta foi que o Jr. viu tudo e não defendeu a irmã, Aninha percebeu e falou comigo reclamando, ele tava lá deitado numa cadeira, tinha uma mulher casada passando bronzeador nele, até que o marido chegou, pegou ela pelo braço, o Jr. levantou pra reclamar, tomou um soco na boca do estômago (não mexa com minha mulher, nem com minha filha…), e foi embora, algumas meninas foram socorrer, a Yukimi e a Denize não foram, teve uma que levou ele até o banheiro, demorou bastante, percebi saindo ajeitando o biquine e uma gosma branca na perna. Vi ele ajeitando o pirocão com a sunga manchada, pegou a Yukimi e a D e subiram, elas foram sem reclamar, submissas a ele.

Depois que eles subiram o clima ficou mais leve, fiquei ouvindo umas peruas falando, “há eu dou mesmo, aquele pirocão, faz um estrago, adoro…”, “safado, ta comendo a mãe e os filhos, só quero ver quando o marido voltar, vai dar merda”, “eu acho que a Norminha tá grávida, quando o pai dela souber, vai matar ele”, “não sei como é que a Yukimi e D, aguentam ele”, “é pq fode muito com aquele pauzão, se não quizerem mais, joga no lixo la em casa”, “deixa de ser safada, entrar lá vai comer o cabacinho da sua filha”, “eu deixo, ela vai gostar…” e assim por diante, subimos e encontro a Titia no elevador, deu um beijinho e passou direto pelo nosso andar, deixei as meninas em casa e subi pelas escadas, comecei ouvir atrás da porta.

“Vc não pode vir aqui pra ficar dando pra ele”, [ele tá aqui, então venho aqui, cade ele?], “tá lá na cama comendo minha mãe”.

Eu bati na porta, a Denize atendeu, olhou pra mim, me abraçou e começou a chorar.

– Denize – Si, eu gosto dele, mas não quer ficar comigo, ele só quer fuder agente, ele quer fuder todo mundo, eu não quero mais dar pra ele, minha mãe também, mas agente acaba dando e gozando, mas depois se arrepende, tira ele daqui.

Vi pela porta as duas brigarem por ele, puxando cabelo e ele deitado na cama punhetando aquele pirocão e rindo, até que “chega”, levantou colocou as duas na beira da cama sentadas e mijou na boca das duas. E saiu, foi pro banheiro. Vi a titia, lambendo a urina do rosto e chupando os dedos. Abracei ela a Denize, mas não podia fazer nada.

O dia seguinte era meu aniversário, meus 18 aninhos, mas o clima estava péssimo, fiquei mais alegre, a Lê chegou e trouxe o Lucas a tira colo, gente esqueci de falar do Lucas, sabe aquela semana que fomos pra casa da Lê, então, chegando lá, foi uma festa, Lê morrendo de saudades, os pais da Lê, são quase idosos, não ficam no pé dela, então tem a casa toda praticamente para ela. As meninas correram pros seus braços, beijaram muito ela.

– Lê – Si, esse é o Lu…

– Lucas – Minha Deuza, senti sua falta.

Me puxou deu um beijão de lingua, me pegou pelo colo e me levou direto pro seu quarto, que fica no anexo fora da casa, eu me derreti toda, envolvida naqueles braços fortes musculosos, como eu estava carente, querendo atenção e uma pica grossa na minha buceta, olhei pra que homão gostoso de chocolate, arranquei sua camisa, mordi aquele peitoral cheio de músculos, puxei seu chorte senti na mão aquela pica grande, não tão grossa quanto a do Jr., fez um “toim” quando pulou do chorte, curvada pra cima, comecei a chupar, minha buceta já tinha começando a vazar, gente que macho gostoso, aquela boca carnuda, passou um linguão na minha xerequinha, [que delícia de bucetinha], ele tava nas preliminares, mas eu queria era tudo dentro, pedi pra ele colocar a camisinha e meteu gostoso, eu já estava gozando, sentia ele duro, parecia uma barra de ferro, chegava a me levantar, como era bom dar minha xerequinha, ele enfiava, eu agarrei aquele beição, me colocou sentada começou a mamar minhas tetinhas pontudas, que chupada gostosa, que beiço gostoso, apertava meu peito e chupava com vontade, daqui a pouco me puxou com muita força, enfiou até o fundo [aháaa…], gozou como um touro, ficou me beijando eu molinha em seu colo. Pegou um roupão, pra mim colocou uma sunga, me pegou no colo, eu não largava aquela boca e fomos em direção a piscina, as meninas estavam lá, já de biquines e curtindo a piscina. Ele sentou comigo no colo.

– Lê – Dá pra explicar?

– Lucas – Sabe o que é, naquela semana que eu vim ver sua escola, então, eu vi essa Deuza no ônibus, não resisti, tive que ficar perto dela.

A Lê ja tinha contado sobre as meninas, e como vinha ajudando a Say na sua transição.

– Lucas – O onibus estava cheio, tinha um baixinho se aproveitando dela, dei um chega pra lá nele, mas não resisti essa bundinha, estava muito cheio, como ela tava gostosa naquele dia, mas ela escapou, andei naquele ônibus todos os dias, no mesmo e em outros horários, até que um dia achei, mesmo que o onibus não estivesse cheio, eu tinha que sentir seu cheiro denovo, cheguei e falei, “bom dia minha Deuza, sentiu minha falta?” mas aí ela escapou denovo, kkkk.

A Aninha e Say começaram a rir, fui colocar um biquine.

– Aninha – Vcs se conheceram no ônibus.

– Lê – Não Aninha, ele quase comeu a Si no onibus duas vezes, kkk.

Ele ficou cheio de vergonha, a Monstrinha resolveu aparecer.

– Monstrinha – Si, o pinto dele é grande?

Ele não estava acostumado com isso, não sabia aonde enfiar a cara. Para ele eram só crianças.

– Eu – Monstrinha fica quieta, deixa o lucas em paz, mas é grande sim e bem bonito, kkkk.

Todas rimos, menos ele, tadinho. Caímos na piscina, todas nós ficamos encantadas com ele, aquele homão pegou as meninas colocou elas penduradas no “MUK” dele e ficou fazendo exercícios, claro que a Monstrinha e a Say ficaram toda hora esbarrando no caralhão dele, apertando o Muk, o peitoral, foi uma farra.

Fomos dormir a Lê levou suas meninas para o seu quarto e eu fui curtir meu novo macho, contei pra ele, o que aconteceu no nosso “primeiro” esbarrão.

– Lucas – Nossa quer dizer que vc deixou todo mundo louco pra te comer, eu, a novinha, seu porteiro e os muleques do elevador? nossa, sua bucetinha fica assim mesmo? [sim, é meu feromônio], deixa eu sentir denovo, nossa que delícia, é cheirinho de vem cá meu nego… [Vem cá meu nego…].

E começamos denovo, ficou quase 15 min só na minha xerequinha, eu gozava e ele passava o linguão do meu cuzinho a minha bucetinha, aquela lingua é tão larga que lambia tudo de uma vez só, que delícia, botei ele deitado na cama, montei em cima curtindo aquela delícia, logo começou a querer gozar.

– Eu – Meu negão, meu Ebannus, kkkk, coloca no meu cuzinho.

Porra o troço ficou uma pedra, sentei gostoso, fiquei rebolando naquela pica curva, cheia de veias, maravilhosa, senti ela inchar [aháaa…] e gozar muito, que delícia de foda, que delícia de macho, acho que dava duas Simones naquele peitoral, eu ficava pequenininha perto dele, dormi literalmente emcima dele, com aquela piroca enorme no meu cuzinho.

Acordei sentindo ele começando a comer meu cuzinho, ainda não tinha saido, diferente a pica do Jr. a dele fica mole só que grande, preenchendo a sunga, não cresce tando, mas fica muito dura apontando pra cima, uma delícia, fiquei ali namorando ele, com aquela pica na minha bundinha.

– Lucas – Si, a Lê me contou uma história maluca sobre suas irmãs serem noivinhas dela, claro que não acreditei.

– Eu – É mesmo então vem cá olhar.

Olhamos pela janela que dava pro quintal, a Say com a bundinha arrebitada, levando ferro da Lê e a Aninha com as pernas arreganhadas e a lingua da Say na sua xerequinha.

– Lucas – Caralho, que delícia, será que aguentam o negão aqui? (pensei, sabe de nada inocente…)

– Eu – Quem sabe amanhã, hoje vc é todo meu, vamos que eu ainda nem comecei.

No dia seguinte, a mesma história, a Aninha e a Say sentadas no colo da Lê dando comida na boquinha, Lucas ficou admirando.

– Lucas – Nossa parece mesmo que se amam.

Contei então dos dois primeiros encontros entre elas.

– Lucas – Mas isso foi lindo, queria estar lá pra ver.

Fomos pra piscina, brincadeiras até que, a Monstrinha surgiu.

– Monstrinha – Si, vc empresta o Lucas pra mim, minha xerequinha queria experimentar ele.

O Lucas quase se afogou, claro seu pau ficou duro na hora.

– Eu – Se o Lucas quiser eu empresto ele um pouquinho.

– Say – Lucas vc gostaria de comer meu cusinho e da Aninha?

– Lucas – Se sua noiva permitir, vai ser um prazer.

As duas se penduraram no braço do Lucas e foram pro quarto dele, claro a Lê veio pra cima de mim.

– Lê – Nossa que história doida, eu não entendi nada, só depois que ele explicou, ele tava fazendo levantamento das faculdades naquela semana, agora veio passar a férias e fazer a matrícula, cadê o Jr.? pq não veio? [contei pra ela], quê filho da puta, vamos lá vou meter a porrada nele, vou fazer de viado, vai sair falando fininho. [mamãe ta resolvendo isso], ai…, “suspiro” aquela Deuza, ainda pego ela de jeito [ó tu me respeita sua safada, eu sou sua Deuza], claro que é, eu te amo.

Começamos a tranzar na piscina, estava com saudades da minha chocolate, mas ficamos curiosas com o Lucas e fomos ver.

Lucas estava comendo a bucetinha da Monstrinha que conseguiu finalmente colocar uma pica inteira pra dentro.

– Aninha – Ai… é gostosa, mete gostoso, é tão bom…, vc é tão forte, Lucas pode colocar mais, pode me comer, vai… mete, vai mete com força, eu aguento, isso…, como é bom, vai mais…, aháaa… to gozando, ai, vc é muito gostoso, aháaa…, Lucas come agora o cuzinho da Say.

Enfiou tudo de uma vez, a Say foi a loucura, começou a rebolar e masticar com o cuzinho, Lucas ficou maluco.

– Lucas – Caralho, que rabinho gostoso, que delícia, vem cá.

Lucas pegou ela por trás engatado, começou a fuder ela no alto, parecia uma boneca de costas pra ele com os braços abertos, [aháaa…] gozou absurdamente, deitaram, a Monstrinha, tirou a camisinha do pau do Lucas e bebeu toda porra.

– Monstrinha – Say é docinha também, na próxima vc bebe.

E foi fazer a limpeza com a boca no pau do Lucas. deitaram as duas emcima do Lucas, aquele peitoral travesseiro, acho que cabia mais uma ali, kkkk.

A Lê sabia que eu também queria ele, então fomos todos pra mesma cama, juntos, foi uma loucura boa, ele já vinha comendo a Lê, claro que ela não ia deixar passar, teve dia que o Lucas pediu permissão para Lê deixar ele me comer, pq quando ela nos vê, ela nem liga pra homem.

– Lucas – Si, suas maninhas são uma delícia, e não dá sossego, eu adorei…

Foi uma semana inesquecível, para todas nós.

Voltando, fiquei muito feliz por virem, mamãe comprou um bolinho, não estávamos no clima, mas a Lê e o Lucas, fizeram daquela noite, uma noite alegre. O Lucas quando viu minha mãe, a Lê apresentou [essa é a Deuza Mor, a Rainha das Rainhas], a Lê tava doida pela minha mãe, Lucas ficou de boca aberta e de pau duro na hora, ela estava deslubrante um vestidinho vermelho curto com um decote absurdamente generoso com aqueles peitos grandes saltando pra fora, se espirrasse, eles pulariam, kkk.

– Lucas – [engasgado] Prazer, nossa que genética, eu morri? entrei céu? com certeza aqui é o paraíso…

Derrepente, Jr. entra pela porta, as gêmeas ficaram sem saber o que fazer, elas queriam pular nele, eu olhei com frieza.

– Jr – Ô maninha meus parabens, vim comemorar com vc…

– Eu – Obrigada, que bom que veio, cadê sua chave? (aqui…), vc não precisa mais dela [tomei sua chave], e eu não quero que vc comemore meu aniversário, não posso botar vc pra fora, mas hoje eu não quero vc aqui.

– Jr – Mãe? vc vai deixar?

– Katherine – Eu sou sua mãe? essas são suas irmãs? não sei não, acho que vc virou japonês, a Si já falou que vc pode ir embora, respeita a vontade da sua irmã no niver dela.

– Jr – E quem é esse, é seu novo macho? é ele que está te arrombando agora?

Lucas veio, olhou pra cara dele, cresceu pra cima dele, só deu soco na cara, arrebentou todo ele e jogou porta fora. Tadinha das meninas e da mamãe, ficaram desoladas, chorando, mas não criticaram o Lucas, após todo mundo se acalmar, conseguimos comemorar o meu aniversário.

Fiquei sabendo depois que ele também não conseguiu entrar na casa da Denize, mesmo sua mãe querendo, ouvi os berros, brigaram feio, a Yukimi tava viciada nele, mas a Denize a controlou, depois foi se lavar no banheiro do play, aquela safada que tinha dado pra ele no banheiro o acolheu. Minha tia veio procurar ele aqui em casa, depois de bater lá na casa da Denize, falei que era meu aniversário [ótimo, meus parabéns, mas cadê o Jr.], falamos que não sabiamos, mas ela conseguiu descobrir, foi lá pegar sua dose de porra, só que ele já estava tranzando com a safada, teve porrada, xingamento, ele parou de tranzar com a sua nova puta, pegou a titia, enfiou a piroca goela abaixo e mijou na sua boca, depois ela foi embora.

A Lê queria foder a mamãe, e já estava quase agarrando ela ali mesmo, só que a mamãe, ainda tentava respeitar os filhos principalmente as gêmeas, e conseguiu contornar, quando foram embora, mamãe chamou a Lê no quarto dela, claro fui de mansinho ouvir.

– Katherine – Lê, acho vc muito linda, sei que vcs já bincaram muito aqui, mas eu não quero que minha casa vire um bordel [a Lê ficou cabisbaixo], nós vamos ter oportunidade pra isso.

E tascou um beijão de tirar o fôlego, como eu também queria aquele beijo, até fiquei com inveja. A Lê saiu nas nuvens, saiu sem se depedir olhando pra ontem, as meninas riram do jeito que ela foi embora, Lucas também foi mas antes me beijou com aquele beição maravilhoso, o pau dele querendo me comer por cima da roupa, abraçou a mamãe que também sentiu a pressão, se despediu das gêmeas, só que as duas resolveram se ajoelhar vendo aquele pauzão duro, deram um beijinho nele, e deram tchau… Ele colocou a mão entre as pernas, fui leva-los a porta.

– Lucas – Si, preciso ir no banheiro, eu tô todo gozado, o que foi aquilo, nooosssaaa.

E assim foi se limpar, eu acho que bateu umazinha pela demora, kkkk, e foi embora.

– Katherine – Olha que safadinhas vcs estam, pelo visto eu sou a mais santa aqui da casa.

– Say – Mamãe, vc nunca tranzou com agente, só com a Si, agente também quer…

Mamãe pegou as duas levou pra sua cama e começaram a farra, apareci com um strap on e fomos pra cima da mamãe.

– Katherine – Noossaaa, que delícia vcs mamando no meu peito denovo, que saudades que eu tenho dessa época, ficava molhadinha com vcs mamando.

Realmente a mamãe, estava molhadinha, a Aninha ouvindo isso, largou o peito e foi direto cheirar a bucetinha da mamãe.

– Aninha – Si, tem o mesmo cheirinho que a nossa e é limãozinho também.

Vi Say pela primeira vez com o pintinho duro, acho que tinha um 5cm, lindinho todo raspadinho rosinha, caí de boca no caralhinho, ela começou logo a gozar na minha boca, a Monstrinha não queria perder nada, veio me beijar pra sentir o gosto, noossaaa como ela gosta de gozo, uma delícia de taradinha, mamãe abismada com as atitudes e as “tiradas” da Monstrinha, [falei, mãe vc não viu nada], comecei a beijar a mamãe, a Say não saia do seu peitão hora um hora outro, a Monstrinha voltou pra xerequinha da mamãe, fudendo com os dedinhos, quase colocando o pulso, na boquinha da Monstrinha mamãe começou a ter orgasmos multiplos, ficou toda dura, ela se tremia toda, também caí de boca e ela [aháaa…] gozava sem parar, até que não aguentou mais e começou a mijar, caiu desfalecida, quase desacordada, a Say ficou preocupada, foi pegar uma água, a Aninha foi limpar a mamãe com toalhas, tivemos que virar o colchão ao contrário, dormimos todas abraçadas com a mamãe, depois tivemos que botar ele no sol na sala pra secar.

Pela manhã, foi acordada com a Aninha e a Say mamando no peitão dela.

– Say – Bom dia mamãe, vc dormiu bem?

Nossa aqueles anjinhos, olhando pra ela, chupando seu peito, ela agarrou seus amores começou a beijar, na boca, buchecha, dava umas mordidinhas nelas, uma delícia.

– Aninha – Não levanta não vamos trazer seu café na cama. (e foram as duas)

– Katherine – Nossa, Si o que foi isso? há anos não tenho um orgasmo, desse jeito então nunca tive, eu não conseguia ter prazer, nossa que delícia, eu me mijei toda.

– Eu – Eu sei, nos te demos um banho na cama com vc desacordada, essa somos nós, suas filhas taradinhas, que adora um sexo, mas tem que ser com amor.

E dei um beijão na boca maravilhosa da minha mãe. Pediu o cel. e ligou.

– Katherine – Olha aqui sua safada, vc esta querendo estragar denovo minha família…, mas nada…, cala a porra da latrina sua vaca…, vc conseguiu tirar o Jr. de casa, ele está aí né? Não? tá eu vou achar ele, vc está proibida de chegar perto do Jr. e da gente…, não quero saber…, cala boca piranha…, vc quase estragou minha família uma vez e está conseguindo dessa…, não me interessa que vc se converteu, duvido, é mais fácil vc converter o pastor a adorar o diabo, foda-se…, fique longe do Jr… não é pra vc fazer mais nada…, não me interssa…, vai lá tranzar com o broxa do seu marido…

Desligou, nunca vi a mamãe falar desse jeito e nem palavrão.

– Katherine – Sua tia não tem jeito, é uma história muito longa, te conto depois.

Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 10 votos)

Por # #

7 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder klj

    quem tiver vídeos de novinhas pra trocar meu telegram é oliveirac

  • Responder PAU-lo

    Por mais que não as conheça, estou apaixonado por essa família. Histórias deliciosas q me fazem gozar sempre. So por curiosidade: existe alguma forma de mantermos contato fora desse site? Obrigado por lembrar e mim mim me citar. Bjs do seu fã número 1

  • Responder PAU-lo

    A monstrinha mostrando p mamãe como é gostosa, na verdade todas vcs são deliciosas. Adoraria ter a oportunidade de passar algumas horas com vcs todas, ir até a lua e voltar. Como eu disse antes sou seu fã. Bjs minha Deusa

  • Responder Rogério

    Estou Trocando incesto com prima e irmã só chama quem prática
    @boltDark telegram

  • Responder Ribeiro

    Si, eu espero que o Lucas trate todas voces melhor do que o Jr. Acho que ele ainda vai tentar reconquistar vcs mas vai ter que dividir com o Lucas. Voces sao muito gostosas, to me apaixonando por cada uma do jeitinho qie sao!!! Parte 14 vem logoooooo!!!

  • Responder Ebannus

    Grato Simone…
    Xerossss em toda vc..

  • Responder Pinguim123

    Q coisa linda a say conseguiu um adimirador