# #

Descobertas com meu irmão

621 palavras | 0 |3.07
Por

As descobertas da infância ocorrem das melhores formas, quando é em família fica muito mais interessante.

Lembro de quando eu tinha 9 ou 10 anos e minha principal companhia era meu irmão, 3 anos mais velho que eu, e estávamos sempre juntos.
um dia durante nossas brincadeiras no quintal de casa ele me pede para ver meu pau, pra conferir se já estava nascendo pelos, e como eu não era tão inocente assim, abaixe o calção e coloquei o pau pra fora.
Meu pau nunca foi grande, atualmente mede 17 centímetros, mas sempre foi grosso com uma cabeça muito grande e um pouco torto para a esquerda. Meu irmão quando viu os pentelhos nascendo colocou a mão no meu pau e começou uma leve punheta e de imediato meu pau ficou muito duro, afinal era a primeira vez que uma outra pessoa batia uma punheta pra mim.
Lembro que ele ficou alguns minutos batendo mas como eu ainda não gozava, logo ele tirou o pau dele pra fora, era bem maior que o meu e apontava para cima, e me pediu pra bater pra ele. Comecei meio sem jeito mas acabei fazendo direitinho até ele gozar muito na minha mão. Logo depois que gozou ele disse que ia me chupar, mas como estava próxima de nossa mãe chegar ficou para outro dia.
Numa certa tarde minha mão saiu com as minhas irmãs mais novas nos deixando em casa sozinhos. Ficamos na varanda vendo minha mãe sumir na rua com minhas e irmãs e logo depois entramos e fechamos toda a casa conforme minha mãe orientou.
Foi o tempo de terminar de fechar tudo e ficamos os dois pelados de pau duro batendo punheta um pro outro e logo depois meu irmão começou a chupar meu pau, e confesso que foi uma experiência maravilhosa mesmo eu não gozando, e depois batia pra ele até ele gozar.
Ficamos nessa brincadeira durante algum tempo sempre que ficávamos sozinhos, era muito bom, mas ele sempre pedia pra que eu o chupasse também, mas eu achava estranho e não fazia (talvez seja por isso que ainda hoje tenho vontade de experimentar uma rola na minha boca) e ele insistia muito. Como eu não fazia achava injusto com ele, então disse a ele que poderia esfregar o pau no meu cu, mas só esfregar, e então começamos a apimentar as brincadeiras, e era punheta, chupada, esfregada de pau no cu mas nunca teve penetração, aliás, uma vez ele tentou colocar em mim, mas o pau dele tem a cabeça grande e doeu um pouco, e como eu reclamei ele desistiu por medo de me machucar. Um dia ele queria experimentar meu pau esfregando no cu dele e fizemos da mesma forma, esfregava e forçava um pouquinho para entrar, mas não penetrava, apenas fazia pressão na entrada do cu, mas era muito gostoso, era uma mistura de sensações que recordo até hoje.
Ficamos com nossas brincadeiras durante quase dois anos, chegamos uma vez a incluir a minha irmã logo abaixo de mim em uma brincadeira, mas isso é outra história.
O tempo passou e meu irmão foi para um seminário e eu fiquei sem meu parceiro de brincadeiras, e para saciar a vontade batia as minhas punhetas todos os dias, e foi quando gozei pela primeira vez …achei o máximo. Mantinha minhas deliciosas punhetas sem pensar em mais nada, até o dia em que minha irmã me chamou pra mostrar a sua linda bucetinha, mas minha irmã fica pra outro conto.
Está mais para um relato do que um conto, mas fez da minha infância totalmente diferente.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,07 de 27 votos)

Por # #

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos