Fui atras de algo improvável!

Autor

Quando fiz a ligação em seu comércio , fui atendido por uma funcionaria e perguntei se poderia falar com dona Rose, quando passou a ligação para ela eu nao sabia qual seria sua reação, pois disse a ela que eu era um jovem que a admitava muito, e que gostaria de poder falar com ela pessoalmente, bom; fiz essa tentativa já com o pau na mão, pois se ela me dissesse um não logo de cara, já nao seria perca total,essa atitude ja me proporcionou muito tesão.
Para minha surpresa dona Rose, me passou seu numero pessoal e disse para ligar a noite, não vou mentir para vcs, isso me rendeu uma bela gozada! Agora eu tinha o numero da mulher que tanto desejei, pois meu fetiche com ela era desde sempre, uma mulher linda aos meus olhos, viuva, loira, situação social muito superior algo improvável para conquista de um jovem rapaz.
A noite fiz a ligação e ela me recebeu em sua casa, ao abrir o portão, Rose se depara com um rapaz cujo a mesma ja o conhecia, esse momento foi constrangedor pois ela realmente nao esperava ser marcos neto de uma conhecida, neste momento eu disse: que bom que nao conheceu minha voz no telefone, assim tenho a chance de falar olhando em seus olhos o que prometi dizer mais cedo,. Rose convidou-me a entrar, pois ela sempre muito reservada perante a sociedade não queria ficar na porta e chamar a atenção de vizinhos, ela estava muito vermelha de vergonha pois a mesma me viu crescer e agora estava me recebendo em sua casa como um homem que disse claramente por telefone que a admira muito com pessoa e tambem como mulher, por outro lado eu sabia que esse momento seria constrangedor e tb crucial para alcançar meu objetivo de tal mulher em meus braços, meus labios, para mim o maior fetiche sempre foi possuir mulheres discretas, difíceis e essa seria uma conquista quase improvável, ela era assim: viúva, rica, avó, mulher de admiração social, mas era necessário tentar; ao adentrar em sua casa o assunto não foi direto pois eu tinha que quebrar o gelo, falei de muitas coisas, ate que perguntei a mesma se ela ficou surpresa ao me ver, sua resposta veio junto com um sorriso e disse que sim, pois sempre nos víamos e eu nunca tinha demonstrado nada a ela, mas ela tambem disse que gostou da surpresa e de minha atitude. isso me deixou feliz e tb um pouco mais a vontade, a partir desse momento ja conversava com ela pegando em suas maos e fazendo carinho em seus braços e rosto.
Depois de algum tempo pude sentir seus labios, um beijo diferente das bocas das jovens a quem eu ja tinha beijado, pois com meus dezesseis anos nunca tinha beijado lábios de mulheres mais experientes, Rose era uma coroa com seus 65 anos, vivida, matriarca, o beijo foi gostoso, molhado, comecei a apalpala, com carinho sentindo seus seios, por baixo da blusa, nunca pensei que seria tão agraciado, conseguir realizar um fetiche da conquista de algo improvável, os beijos nao paravam e comecei a passear com meus lábios e mãos sobre seu corpo, quando cheguei em sua doce, lisa e rosada bocetinha, estava tao molhada me convidando a entrar, sem demora, entreiiii!
Olhando em seus olhos, agradecendo por ser uma mulher de mente aberta, receptiva e com disposição a ouvir os desejos de um rapaz, ela por sua vez disse: não sei como deixei acontecer, jurei não me entregar a mais ninguem, porém esta acontecendo não sei porque, vc é um menino, porque veio atrás de mim? eu disse eu sempre desejo o improvável isso muito me atraí, e vc é linda, independente, cheirosa e agora sei que relamente é tão saborosa quanto eu pensava.
Transamos muito gostoso, foi uma transa de muito contato e beijo, a primeira transa, nao teve boquete, nem anal, foi gostoso, foi intenso; surreal!
A partir desse dia começou algo proibido, encontros as escondidas, aventuras vividas pro uma viúva e seu jovem amante!
identificaram-se com tal depoimento? fala nos comentarios

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,71 de 7 votos)
Loading...