Banho no meu menino 4

Autor

Desculpem a demora em continuar. Pra quem ainda quiser vou seguir de onde parei. Quem chegou agora devia ler antes os relatos anteriores.

Beijo sua boca de leve, apenas um selinho mas ele abre a boca e procura minha língua deixo ele guiar o beijo, ainda sem jeito mas explorando as novidades ele segue, inverto as posições e me deito com ele sentado na minha barriga ainda me beijando.
Mesmo sabendo que tudo isso pode ser mau visto eu ainda não consegui me arrepender, eu o amo e enquanto ele quiser estarei com ele.

Continuando

Ficamos pelados e nos beijando por muito tempo e quando paramos ainda queria mais, estava viciado no meu garoto, fomos comer já muito fora do horário habitual, não me preocupei em por a roupa e Bruno me seguiu também pelado, depois de comer ainda assistimos um pouco de tv com ele nos meus braços como um bebê, ele às vezes me beijava na boca com selinhos mas não repetimos o sexo, ficamos apenas nos carinhos e como namorados. Bruno dormiu ainda no meu colo e eu o levei pro seu quarto, coloquei uma cuequinha nele e o cobri com um lençol. Olhei pra ele e me perdi, o quarto iluminado só com a luz do corredor, podia ver só o contorno do meu filhinho dormindo tranquilo e pesado. Me sentei encostado na parede e fiquei olhando pra ele, eu o amo, não há amor maior, o amo como filho e o amo agora como amante, não posso negar esse sentimento pra mim mesmo, eu o desejo. Fui pra minha cama mas passei a noite em claro pensando em Bruno e tentando decidir se tenho forças pra não continuar. Não cheguei a conclusão nenhuma é só me dei conta da hora quando ouvi Renata entrar em casa, me virei e fingi dormir, ela se deitou ao meu lado e me balançou perguntado se eu ia trabalhar, disse que não, depois ligaria na editora e inventaria algo, disse a ela que deixasse Bruno ficar em casa também, ela concordou e logo adormeceu cansada do plantão noturno.
Que dia incrível tivemos, todos em casa o dia todo, acordamos tarde e ficamos fazendo nada, rindo e brincando juntos os três pela casa, meu filho estava radiante e feliz, Renata notou a mudança de um dia pro outro e eu lhe disse que devia ser por estar com os pais o dia todo e sem escola. Já a noitinha colocamos um colchão na sala e ficamos os três assistindo um desenho de baixo das cobertas, meu filho no meio de nós, bem aconchegado entre os pais, acho q ele foi se desinteressando pelo desenho que ele já tinha visto umas mil vezes e começou a se mexer sem parar até ficar de barriga pra cima bem no meio de nós e ainda de baixo da coberta começou a alisar meu pau. Levei um baita susto com medo de minha mulher perceber alguma coisa, olhei pra ela mas ela continuou vendo o filme, olhei pra Bruno e com carinha de anjinho ele me encarou mas continuou com a mão no meu pau, agora já muito duro e pulsando, doido por uma boquinha quente. Ele apertava mais meu Pinto que dava pulos quase gozando, tirei a mão dele pois ia começar a gemer se ele não parasse, esperei uns minutos pro pau descer e disse a Renata que iria sair pra comprar alguma comida pronta, ela gostou da ideia, disse q tomaria um banho e arrumaria a mesa pra comermos, quando estava saindo chamei meu filho pra ir junto comigo, lógico que ele veio correndo.
No carro eu olhei sério pra ele que ficou assustado e sem entender, esperando uma reprovação, mas eu logo sorri e pegue em seu pauzinho e o beijei, ele sorriu e retribuiu.
Comprei um lanche qualquer na primeira lanchonete que encontrei e fui procurar uma rua mais deserta, precisava gozar com meu menino e já que em casa não ia dar porque minha esposa estava de folga teria que ser no carro mesmo. Parei o carro a umas cinco quadras da nossa casa, afastei meu banco, abaixei o elástico da bermuda e liberei meu pau já duro, na mesma hora Bruno já pegou nele e veio com a boca ao encontro da cabeça da pica. Acho que ainda não disse isso mas meu pau não é dos maiores tem 16cm é uma grossura normal mas pra boquinha dele é enorme, não entra mais do que a cabeça, ele tenta mas o máximo que pode mas não passa mais do que a cabeça, ele chupa como se fosse um sorvete ele gosta da sensação do pau na boca, meu garotinho está viciado na minha rola e eu viciado na sua boca, mas paro o boquete se não vou gozar, puxo ele pra sentar no meu colo começo dando beijinhos de leve na sua boca depois vou beijando seu pescoço passando a barba por cada centímetro da sua pele a pele reage começa fica vermelha eu passo a língua e chupo seu pescoço, sinto seus arrepios e eu mesmo tremo de tesão, tiro sua camisetinha e olho seu peitinho magrelo e branquinho sei que é estranho mas fico louco com essa cena, como um menino magrelinho ainda sem forma de homem pode me dar tanto tesao ? Não tenho a resposta mas sinto e beijo aquele peito, chupo seus mamilozinhos e Bruno gargalha com cosegas,chupo com vontade tenho de me controlar pra não deixa lo todo roxo, beijo sua barriguinha, ele está inclinado pra trás sobre o volante sentindo prazer com minha boca explorando seu corpo, descobrindo novas sensações. Preciso sentir seu cuzinho de novo e pergunto a ele se ele quer que eu coloque meu bilau dentro dele, ele diz que quer mas que dói, eu peço por favor digo que é muito gostoso que o papai quer muito então ele finalmente cede e muito rapidamente volta pro seu banco tira o shortinho e a cueca e volta pro meu colo de frente pra mim, uma perninha de cada lado, totalmente peladinho, de pipi durinho. Meu pau já está em seu rego, puxo ele mais pra cima beijo sua boquinha com muita língua e ele está melhor nisso chupa minha língua com vontade e oferece a sua pequena e dura pra eu chupar. Passo saliva no pau e faço uma anotação mental de comprar lubrificante de verdade, passo saliva tbm no cuzinho de Bruno que pisca com o toque dos meus dedos, já não estava raciocinando agora então menos ainda, Miro a cabeça pro cuzinho apertado e forço o corpo dele de encontro ao meu pau, Bruno reclama e geme e choraminga um pouco mas quando começo a beija lo novamente ele relaxa e ao relaxar mais rola entra, ele por instinto se tranca o que aperta meu pau e me faz gemer. Volto a baixar e chupar seu pescocinho branco enquanto tento começar a mexer o pau entro dele mas é muito apertado ainda já estou com pouco mais q a cabeça pra dentro e sei q ele não aguentaria tudo mas forço um pouco mais e começo a punhetar seu pintinho infantil que mesmo com a dor segue durinho, chupo meu dedo e passo ele ainda molhado na cabeça do pipi de Bruno que sente o prazer e volta a relaxar ele me abraça pelo pescoço e fica gemendo e arfando contra meu corpo e eu volto a mexer meu pau dentro dele. Antes que poça gozar sinto que Bruno chegou lá primeiro, seu corpo amolece como de costume, então digo a ele – você gozou né amigão, mas eu ainda não, você podia chupar o pai né . Ele ainda molinho e cansado sai de cima do meu pau, fica de quarto no banco do carona com a bundinha aberta virada pra janela e a boca no meu pau. Não vou aguentar muito e digo. Ele que vai precisar beber o leite que sair porque se não a mamãe vai perceber se tiver sujeira de leite no carro, sem tirar a boca da minha rola ele concorda e segue chupando, brincando de passar a língua na cabeça do pau que começa a pulsar, coloco a mão em seus cabelos r forço um pouco mais e gozo forte na sua garganta ele se assusta mas tenta beber o que pode mas ainda assim escorre porra pelo canto de sua boquinha quando acabo de gozar eu o levanto e olho seu rostinho vermelho com o queixo sujo de saliva e porra, ele me olha cansadinho, guardo o pau agora meia bomba e puxo ele de volta ao meu colo, fico olhando pra ele, que visão, meu garoto tão novinho com a cara suja com minha porra, porra do pau que um dia o fez, estou louco é apaixonado por meu filho e o beijo forte, lambendo e limpando seu rosto, dividindo a minha porra, estou totalmente satisfeito e ele também. Terminado o beijo eu o ajudo a se vestir e a colocar o sinto, abro bem os vidros e dou umas voltas correndo pelo bairro pra que o vento tire o cheiro de sexo do carro pra que seque nosso suor e então voltamos pra casa onde Renata nos espera.
Continuo ?

Pessoal perdoem o sumisso mas dei uma pirada com tudo que está acontecendo na minha vida mas posso voltar a contar como está nossa relação se ainda quiserem. Quem quiser contato deixem e-mails.

Um beijo pra quem quiser!!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 29 votos)
Loading...