Minha namorada virou Putinha de zona

Vou relatar uma historia q realmente aconteceu comigo e minha namorada. Ambos somomos jovens (23 anos) adoramos fazer sexo e sempre estamos dispostos a fazer qqer coisa para apimentar o relacionamento desde que seja da vontade dos dois.
A minha gatinha adora que eu chame ela de puta e vadia na cama. Certa vez, enquanto estavamos no auge da trepada, eu susssurei no em seu ouvido q iria fazer dela uma puta de verdade e iria foder ela num prostibulo na frente de todos. Senti que ela adorou aquilo e continuei, detalhando tudo q iria fazer com a minha putinha. Gozamos gostoso, e logo após a transa ela me disse que adorou a historia e perguntou se existia a possibilidade daquilo acontecer, fiquei de pau duro de novo e disse q tinha sim grande possibilidade e acontecer, e trepamos gostoso mais uma vez.
Após esse dia, em todas nossas transas esse assnto vinha a tona e gozavamos q nem loucos.
Resolvi que nao dava mais para esperar. Num feriadao de sete de setembro decidimos viar para o Rio grande do Sul para conhecer as belas cidades de lá. No caminho da viagem disse a ela q eu estava com a real intenção de colocar a fantasia em pratica naquele feriadão e perguntei se ela topava. Ela disse q tinha bastante medo mas o tesão era maior. Chegando no Rio grande nos hospedamos no hotel e nos preparamos para sair para hantar. Pedi pra ela se vestir com o vestido mais curto q tinha e colocar um fio dental daqueles q adoro, e pra minha surpresa ela já tinha deixado a roupa separada, um micro vestido coladinho q mau tapava o bum bum e uma tnaguinha trasnparente e minuscula. Chegamos no restaurante, minha mulher expirava sexo, nao teve um macho q nao secou ela, aquilo me deixou mais excitado pois saberia q a puta seria minha no fim da noite.Ela se insinuou para mim durante todo o jantar e repetindo q nao via a hora de chegar o dia defoder comigo num puteiro, pq lá é lugar de puta q nem ela. Ao fim da janta fomos para o quarto do hotel e fodemos gostoso.
No outro dia saí sozinho a tarde para dar inicio ao plano. Procurei uma rua da cidade onde ficavam varios prosibulos, achei um q nao era mto xique (minha puta queria ser puta baratinha) e nem mto ralé. Adentrei e logo dei de cara com uma bela coroa de +- 40 anos q era a dona do puteiro. Entao pedi para conversar a sós com ela e relatei o meu desejo e pedi sua autorização para receber minha putinha naquela noite. Pedi tbm para protege-la de algum tarado q pudesse atacá-la. Pra minha sorte ela concordou e combinamos tudo direitnho.
Chegando no hotel, contei a novidade para minha putinha que ficou com feliz, excitada, curiosa e um pouco amedrontada ao mesmo tempo.
Passado algumas horas levei-a até o prostibulo. Saiu vestida normalmente e a roupa de guerra levou numa mala.
Passada uma meia hora entrei no prsotibulo e lá estavam uns 2 homens de meia idade e mais uns 3 garotoes de no maximo 20 anos. Quando olho no balcão lá está ela reblando sutilmente e os macho comendo ela com os olhos.
Duas putnhas estava do lado dela e mais tres atendendo os machos.
Entro sento numa mesa no canto e fico observando como ela caiu bem como puta, estava totalmete integrada ao ambiente. Vestida com uma saia vermelha curtissima e um top decotado. Me olhava como se eu fosse realmente um cliente.Veio em minha direção rebolando pelo meio do salão, e os macho de boca aberta. Se apoiou na mesa q eu estava e empinou o rabo para quem quisesse ver sua bundinha de fora com o fio dental minusculo. Perguntei se ela estava gostando, e ela se fez de desentendida e disse q nao me conhecia. Aquilo me deixou com mto tesao. Pedi para trazer uma cerveja, ela prontamente foi, rebolando é claro e na volta com a cerveja na mão, um dos garotoes a tirou para dançar. Naquel momento senti um misto de tesão com ciume, meu pau latejava, a medida q ela ia se esfregando no macho e ele passando a mao por debaixo de sua saia. Ela me olhava com cara de safada, virava e esfregava a bunda no macho e nao tirava os olhos de mim. Até q a musica terminou ( ainda bem) e ela se soltou dele e veio em minha direção com a cerveja e disse no meu ouvido ” se nao resolve me comer rapido, vou dar pra outro aqui na frente de todos “. Foi então q puxei ela pelos cabelos, e fiz sentar no meu colo. Comecei a beijar sua nuca e passar a mao em suas pernas. Ela virou o rosto institivamente para me dar um beijo na boca, e disse a ela q nao beijo puta na boca, isso a deixou com mais tesão.
Ficamos ali naquele amasso, até entao normal numa zona, até q tirei meu pau pra fora e disse ” CHUPA SUA PUTA” ela nao perdeu tempo e caiu de boca. Seus olhos brilhavam, ela estava finalmente realizando sua fantasia de ser puta na frente de todos. Cupava meu pau com gosto, enquanto eu alisava seus peitos. A essa altura todos já nos olhavam com excitação. Então puxei ela coloquei-a em cima da mesa e chupei seus peitos como nunca havia chupado, enquanto ela repetia “me fode … fode a tua putinha..” Levantei sua saia beijei sua barriguinha, coloquei a calcinha e lado e meti gostoso pra alegira e excitação da plateia, inclusive das putas. Eu repetia pra ela : ” tá vendo aquelas putas alî ? Tu é mais puta que elas sua vadia” Ficamos ali naquele vai e vem, sem se importar com os outros. Fiz minha putinha gozar varias vezes até q ela chegou bem pertinho do meu ouvido e sussurrou : ” sou a melhor puta, e faço serviço completo”. Enendi o q ela quis dizer, puxei-a e coloquei-a de quatro no sofá ao lado, tirei a calcinha, dei uma cuspida no seu rego, e fui atolando meu pau aos poucos no rego dela. Surpeendentemente, ela começo a fazer movimentos bruscos, fazendo com q meu pau atolasse mais ainda no seu rabo quase virgem. A excitação da ocasião, fez com q ela esquecesse as dores q ela sentia sempre quando tentavamos o anal.
Ficamos alguns minutos ali, ela de quatro e eu puxando seu cabelo a e atolando minha pica no cuzinho gostoso dela, fazendo-a gozar pelo cú, como nunca havia feito. Até q eu disse agora é minha vez, tirei meu pau do rabo dela e ela trnou a me chupar para ganhar a minha porra q ela tanto adora. Gozei sua cara inteira e fiz ela engolir um monte. Logo nos recompomos, colocamos a roupa, e debaixo de olhares de inveja, ecitação e perplexidade, saímos de maos dadas como um lindo casal.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,28 de 18 votos)
Loading...