Fui vitima de racismo tentei me vingar mas acabei envolvido com Thais

Autor

É meu nome é esse mesmo, e o fato de ser negro, careca pois meu pai raspava sempre minha cabeça, eu era alvo de muitas piadas e tirações de sarro, mas o que me irritava mesmo era o meu nome feminino, eu brigava sempre com meus pais que além de tudo me adotaram, na escola até os pretinho me zuavam, mas eu conseguia contornar, e além de ser adiantado no estudo, em 2012 eu com 12 anos estava na oitava série, e era visto como o aluno exemplar, era elogiado por todos os professores, eu estudava de manha, certa vez eu e meus pais fomos a um super mercado meus pais pegando as coisas essenciais e eu em outro corredor pegando as coisas que eu gostava, ai apareceu um casal, uma mulher loira, alta, gorda, mas linda, cabelos lisos, olhos claros, eu fiquei olhando já batia minhas punhetas, e pelo sotaque eu vi que eles eram gaúcho, ai peguei o que queria e fui onde estava meus pais, ai fomos pro caixa eu sai e fui pegar um carrinho e fiquei depois do caixa esperando meus pais, quando eles começaram a colocar as coisas no caixa eu do outro lado embalando e colocando no carrinho, ai chega o casal com o segurança do mercado e a mulher fala. Olha foi este guri preto marginal que roubou minha bolsinha com o dinheiro, O segurança foi falar com meu pai. ele ficou nervoso me deu um tapasso na cara e mandou o segurança me revistar, eu nervoso chorando comecei a tirar a roupa, o segurança me impediu, ai chegou alguem e falou que achou uma bolsinha, e deu a mulher que falou é essa mesmo, o segurança perguntou sobre o que tinha dentro ela falou ai abriu na frente de todos e estava la tudo que era dela, eu nervoso gritei, Ta vendo não sou marginal. E sai correndo, o segurança foi atraz de mim, mas eu atravessei a rua correndo quase fui atropelado, mas o segurança me alcançou e me levou de volta ao mercado, só sei que pediram desculpa pro meu pai, pra mim, mas eu não aceitei, fiquei calado, em casa meu pai me pediu desculpa, mas eu nem quis conversa, no mercado me deram um monte de presentes, mas eu nem quis ver nada, na escola eu passei a ficar mais na minha, não queria conversa, continuava com as notas boas, mas ficava mais no meu canto, os professores notaram chamavam meus pais que começaram a notar meu comportamento calado, pois eu não conseguia esquecer o ocorrido, o tapa que levei sem ter feito nada, ai na sala de aula chegou a nova aluna, Thais 14 anos, gaúcha, metida, nariz impinado, parecia que tinha nojo de todos, não queria amizade com ninguém, as meninas a chamavam pra conversar mas ela não queria, ficava sozinha irritada, do mesmo jeito que eu, os alunos me chamavam pra jogar bola, me zuavam mas todos me queriam no time, pois eu jogava muito bem, mas eu não esquecia o ocorrido, e ficava na minha, minha mae ia de carro me buscar mas eu saia da escola e ia andando, ela me encontrava no caminho e me forçava a entrar no carro, ela implorava perdão mas eu não conseguia esquecer, me levaram a psicólogos, mas nada me fazia esquecer, ai certo dia eu vi o casal que me acusou no mercado, isso já tinha se passado uns 5 meses praterem idéia, na saída da escola, e Thais entrou no carro deles, naquele dia eu comecei a pensar em varias coisas, em encher a menina de porrada, queria fazer algo pra apagar minha raiva, também comecei a pensar em fazer algo em minha casa, sei la incendiar tudo, mas não tinha coragem, mas em relação a menina eu estava decidido, e certo dia no carro com minha mãe eu vi o casal junto com Thais entrando em um prédio, minha mãe acho que nem lembrou, ela conversava comigo, eu não respondia, ela chorava, meu pai pedia perdão mas nada me fazia voltar atraz, ai certa vez na escola, todos na quadra, aula vaga, eu no pátio da escola, sentando jogando no tablete, e Thais do outro lado também sentada, eu olhei vi que não tinha mais ninguém fui até onde ela estava e já fui querendo dar uma bicuda, mas ela com a cara de choro, eu perguntei, O que vc tem? Ela balançou a cabeça, e eu falei, ai também estou odiando esse lugar, alias tudo na vida estou odiando, Ela falou. Eu também, sabe não gosto desse lugar, não sei o pq meus pais vieram pra ca, já estão querendo ate me bater. Eu pensei que ela já sabia que eu queria encher ela de pancada, mas ela estava falando das meninas, que começaram a implicar com ela, ai chegou algumas meninas ela começou a tremer e segurou no meu braço, eu falei com as meninas. Ninguem vai bater nela. Sei la me deu dó de Thais, ela segurando no meu braço chorando tremendo, ai eu fingi que ia dar um chutes nas meninas que saíram correndo, ai Thais me agradeceu, e falou. Você é legal, gostei de você, fica comigo ai ninguém mais vai querer me bater, e começamos a conversar, na sala de aula ela já me pediu pra sentar perto dela, eu sentei e ficamos la conversando, no dia seguinte ela chegou e já veio falar comigo, ai trouxe uma camiseta muito bonita e me deu de presente, os outros alunos começaram a nos zuar dizendo que estávamos namorando, ela loirinha, olhos verdes, magrinha, baixinha, mas era linda, os outros começaram a referir a nós como café com leite, pois passamos a ficar sempre juntos, os trabalhos em grupo era só eu e Thais, eu comecei a dar presentes a ela também, e ela gostava muito de todos os presentes, no fim do ano, fomos aprovados direto, mas continuávamos a ir pra nos ver, e numa aula vaga eu e ela no pátio, resolvemos ir pra um canto mais reservado, e la ela falou que queria namorar comigo, eu aceitei na hora, e começamos a nos beijar, e foi aquela dia que começamos, os professores falaram pra mãe dela que ela tinha feito amizade comigo, e estava com o semblante melhor, eu também estava mais animado, esquecendo do ocorrido, mesmo sabendo que ela era filha da mulher que me acusou, mas estava encantado por Thais, afinal a primeira namorada, fazíamos juras de amor, ela sabia que os pais dela poderiam agir com racismo, devido eu ser negro, mas estávamos pensando em fugir, fazer mil e uma loucuras pra ficar juntos, ela falava que me amava, e de fato tudo estava muito bom com ela, mas uma professora nos flagrou em meio a um beijo e eu com a mão na bunda dela, pedimos a professora que não contasse, mas a professora falou pra mãe dela, os pais dela foram a escola e a forçaram a entrar no carro, e me mandaram ficar longe dela, eu falei com minha mãe pra me levar no prédio onde ela morava, mas minha mãe não quis, o jeito foi eu ligar pra ela, pois tínhamos o contato um do outro e nos encontrarmos escondidos, ai eu fui até o prédio onde ela morava, o porteiro não queria deixa-la sair, mas ai ela aproveitou a entrada de um carro e fugil pelo portão garagem, e fomos até minha casa, aproveitando que minha mãe não estava, ficamos la, sabíamos que logo os pais dela iriam procura-la, pensamos em varias coisas, mas a única coisa que foi mais viável foi ela engravidar, ai foi onde começamos a namorar, não com força, mas achávamos que era a solução, e também estávamos muito afim de termos mais intimidades, já nos passávamos a mão, ela segurava no meu pau por fora da calça pois namorávamos só na escola, e eram poucos dias de namoro, mas ali transamos gostoso, esquecemos do tempo eu gozei na bucetinha dela, que sangrou, um pouco, mas continuamos ali, no meu quarto, meus pais chegaram, eu a escondi la, levei comida pra ela, no meu quarto tinha banheiro e tudo então ela ficou la, minha mãe só ia no meu quarto poucas vezes pois ela me ensinou a arrumar e a limpar meu quarto, e eu fazia como ela ensinou, assim Thais ficou la no meu quarto aquela noite, o dia seguinte, os pais dela foram na TV falando do sumisso dela, o porteiro não me viu, então não sabia que ela estava comigo, mas o pessoal da escola e a professora falaram que ela só poderia estar comigo, como minha mãe confiava em mim acreditou que eu disse que não sabia, mas a professora falou tudo que viu, já faziam 2 dias que Thais estava no meu quarto os pais dela desesperados, ai os policiais resolveram ir la em casa, eu e Thais dormíamos juntos, transando direto, mas acabaram descobrindo ela la em casa, ela ameaçou se matar se não permitissem nosso namoro, mas os pais dela racistas mesmo, fizeram de tudo, inventaram de se mudar, mas Thais fazia greve de fome, ficava doente, já estávamos a mais de uma semana separados, e fiquei sabendo que ela foi internada, fiquei desesperado tentei ir ao hospital, mas não consegui entrar, ai veio a noticia de que ela estava grávida, e os médicos disseram que era ariscado aborto, a diagnosticaram também com problemas cardíacos, e os preveniram de não a irritarem de manterem ela o mais calma possível, e o único jeito dela ficar calma era comigo, foi ai que foram me minha casa e pediram pra eu ir vê-la, quando cheguei ela se animou, os médicos falaram que impedir nosso namoro poderia ser muito prejudicial, eu tinha que dar comida na boca dela senão ela não comeria, se eu ficasse muito tempo fora ela se agitava, assim mesmo contra foram forçados a nos manterem juntos, enfim ela teve alta, mas acabou sendo internada varias vezes por puro racismo dos pais dela, o ano letivo começou 2013 e foram forçado a deixar a gente juntos, pois só assim ficava tudo bem com ela e comigo também, mas ela estava muito abalada, também pela gravidez, a barriga dela crescendo, ela muito feliz comigo, os médicos advertiam sempre os pais dela sobre nos afastar, de modo que até deixavam eu dormir com ela, forçados e com nojo de mim, mas ela super feliz, e depois dos 9 meses nosso filho nasceu, saudável e branquinho, minha mãe começou a ajudar a cuidar da criança, os psicólogos sempre incentivando so pais dela a não nos afastarem, os médicos também, e assim foram aceitando, até que deixaram Thais ir pra minha casa, la sem preconceitos, tudo era maravilhoso, o conselho tutelar obrigou os pais dela a pagar pensão a ela, meus pais nos sustentavam, e tudo correu bem, hj nosso filho com 5 anos eu trabalhando já com minha independência mas ainda na casa dos meus pais, noentanto os pais de Thais é que vem aki uma vez a cada 2, 3 meses, e só ficam um pouquinho e se vão, mas Thais nem liga, nem eu, somos muito felizes juntos, bom é isso mais um caso de romance do que erotismo, mas esta ai.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,21 de 19 votos)
Loading...