Fogo e gasolina: papéis invertidos

Autor

Como a maioria dos homens, sempre quis saber como seria a inversão de papéis com uma parceira. Só que eu esbarrava no fato de isso ser um tabu muito grande, visto com muito preconceito. Jamais tive coragem de tentar algo por medo de ser mal-interpretado, visto como gay ou coisa do tipo. No entanto, nunca tive dúvidas em relação a minha sexualidade, tenho plena convicção de que sou heterossexual, apenas queria explorar todo o meu corpo, além disso, tinha vontade de ver uma mulher no meu papel, e eu no dela.
Até mesmo para a minha esposa, que é completamente aberta e disposta a fazer tudo, não conseguia me abrir. Como vocês já sabem, fomos nos permitindo aos poucos e realizando, consequentemente, as nossas fantasias. Mas falar sobre isso ou tentar algo, era complicado demais para mim, tinha muito medo de ela achar que eu fosse homossexual ou de que essa revelação acabasse estragando o nosso relacionamento. Por isso, acabava guardando essa fantasia só para mim.
Porém, mais uma vez, acabei quebrando a cara por não dividir as coisas com ela… Vamos aos fatos… estávamos assistindo a alguns vídeos pornos e acabamos selecionando um cujo tema era inversão. Fiquei meio apreensivo, mas ela logo disse que nunca havia visto nada do tipo e que queria muito saber como era. Em seguida, já me perguntou o que eu achava sobre o assunto, porque, na verdade, ela tinha o mesmo medo que meu: ser julgada. Colocamos e assistimos ao vídeo sem tocar mais no assunto, pois ambos estavam com medo da reação do outro.Parecia que ela também tinha algum interesse sobre o assunto, mas, como eu, não teve coragem de comentar nada.
Passado alguns dias, enquanto estávamos no êxtase de nossas insanas aventuras noturnas, prestes a gozar, eu pedi para que ela chupasse o meu peito. Com a deliciosa sensação que aquilo me causou, gozei feito doido. Confesso que o que me deixou mais alucinado mesmo foi ver o enorme tesão que ela sentiu ao fazer aquilo. Vê-la ficar completamente possuída de tesão e sentir aquela deliciosa boca carnuda me chupar me fez explodir de tanto tesão. Exaustos, fomos dormir sem comentar nada sobre o que havia acontecido.
Na próxima noitada que tivemos, ela não se conteve e acabou falando que sempre quis saber como era chupar os peitos do seu parceiro durante a transa, queria saber se ele sentiria o mesmo prazer que ela ao ter os seios acariciados. Confessou que havia tentado fazer isso antes, mas que fora barrada e extremamente criticada. Disse que nunca havia sentido tanto prazer como o que sentiu ao realizar, sem ser nada planejado, sua tão secreta fantasia. Ela parecia não conseguir acreditar no que estava acontecendo… Percebi o quanto meu pedido mexeu com ela, pois ficou completamente molhada enquanto rebolava no meu pau feito louca, logo após ter sugado os meus peitos. Não sei dizer se foi a surpresa ou a realização da fantasia dela, só sei que ficou completamente fora si.
Essa troca de intimidade acabou nos encorajando a ir mais além. Ela, ousada como é, mas sempre muito sútil ao mesmo tempo, acabou deixando no ar a derradeira pergunta de até aonde iria entre quatro paredes com ela. Nesse momento, falei que iria até aonde ela quisesse, pois, para mim, entre quatro paredes, vale tudo entre o casal desde que os dois estejam de acordo. Foi quando ela revelou que tinha uma vontade louca de saber como era estar no meu lugar e que queria fazer, talvez um dia, o que havia visto no vídeo a que assistimos.
Nesse dia, fiquei extremamente enlouquecido com o que ela acabou fazendo… Ela estava chupando o meu pau deliciosamente… que sensação fantástica sentir aquela quente e molhada boquinha percorrer da cabeça à base do meu pau. Ora num movimento muito intenso, ora suave. Quando ela era delicada, passando somente os lábios ou a língua por ele ou o abocanhando aos poucos, ficava doido, esperando que ela fosse mais intensa, que o engolisse inteiro… queria sentir ele tocar bem no fundo da sua boca, na sua garganta, enquanto era sugado, chupado e apertado pelos suculentos e macios lábios dela.
Ela, para a minha surpresa, não parou aí… com movimentos circulares, foi da cabeça do meu pau às minhas bolas. Nunca havia feito isso antes, o que me deixou com mais tesão ainda. Começou a chupar e a lamber as minhas bolas, só que foi descendo com as suas lambidinhas e chupadas até o períneo, aquela região entre o saco e o ânus. Gemi muito, aquilo me deu um puta tesão. Ao perceber isso, a safadinha ficou mais ousada ainda… dessa vez, foi da cabeça do meu pau ao meu bumbum, lambia, chupava e dada, inclusive, umas mordidinhas no meu bumbum, mas sem tocar a língua no meu ânus, passava a língua bem próxima dele, apenas envolta. Perdi completamente o chão, que tesão, queria que ela passasse logo aquela quente e muito úmida língua nele.
Só que ela, percebendo o meu alto grau excitação (afinal eu estava gemendo demais, cheguei até a levantar um pouco o meu quadril para que ela pudesse me chupar inteirinho), exerceu sobre mim uma insana tortura… apertava o meu bumbum, mordia, lambia, ia do pau ao períneo, parava, começava a chupar o meu pescoço, deixando que eu sentisse a sua ofegante respiração ao pé do meu ouvido… descia do meu pescoço ao bumbum com os seus molhados lábios, percorria todo o meu corpo com o calor do toque das suas mãos, que eram gentis e muito agressivas ao mesmo tempo.
Percebi que ela sentia muito tesão ao exercer aquela deliciosa tortura sobre mim, porque gemia e era muito intensa brincar com o meu corpo. Naquele momento, eu parecia ser para ela uma espécie de brinquedo… consequentemente, integrei-me e deixei tudo nas mãos dela. Não demorou muito para que ela fizesse o que eu tanto estava esperando, ao brincar na região do meu ânus, acabou passando a sua deliciosa língua por ele. Fiquei maluco com a sensação que aquele beijo grego me proporcionou… cheguei urrar de tanto prazer.
Primeiramente, ela apenas passou os lábios e a língua por ele… aos poucos, foi aumentando a velocidade, das lambidinhas, passou a chupá-lo com mais força e intensidade até, por fim, penetrá-lo com a sua quente língua o máximo que pôde. Fazia movimentos circulares com ela dentro do meu cuzinho, tirava e enfiava, simulando os próprios movimentos da penetração. Parava e apenas me provocava para, enfim, voltar com força total.
Aquela safadinha me provocou de tal modo que fiquei totalmente enlouquecido, que sensação incontrolável… era demais vê-la abusando de mim daquele jeito, como se eu fosse um brinquedinho. Fazia de mim o que bem queria e, pior, divertia-se muito com aquela situação… Era, sem sombra de dúvidas, uma verdadeira tortura para mim, enquanto que, para ela, um momento de sádico prazer. Eu não conseguia mais me controlar, de uma forma bem animalesca, meio que brutal, peguei a danadinha de jeito, botei pressão mesmo, sem dó.. Logo, os dois estavam gozando juntos, gemendo feito loucos. Que noite foi aquela, inexplicável! Que tesão fodido foi aquele?! Ou melhor, que foda foi aquela?! Um verdadeiro espetáculo.
Ah, vocês acham mesmo que ela parou por aí?! Que nada, foi apenas o começo… a safada descobriu o que era capaz de fazer comigo… Além disso, o intenso prazer, que sentiu ao estabelecer aquele sádico e intenso jogo com o seu brinquedinho, levou-a à loucura total… Muita insanidade acabou rolando depois disso… Caso queriam saber mais sobre o veio na sequência, aguardem, pois, em breve, publicarei novos contos.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 9 votos)
Loading...