Sobrinha que Virou Minha Esposa continuação…

Autor

Desculpa a demora pra trazer a continuação, então vamos lá.
Naquele momento na sala ela toda sorridente, minha esposa com a Mel no braço indo dar um abraço nela, e eu travado até ela disser “cadê meu abraço tio”, dei um sorriso meio sem jeito e fui até ela, quando senti aqueles peitos tocando em mim, meu pau virou uma pedra dentro da calça, sorte minha q eu tava com uma cueca mais justa e deu pra dar uma disfarçada, neste restante de dia fiquei só de longe observando ela ajudando a tia nas coisinhas do dia a dia e a dar banho na Mel, após o jantar eu esta assistimos TV, quando aparece a Val com um vestidinho rosa, nossa nessa hora meu saco deu até uma pontada de dor pq passei o dia com o pau duro, não tinha ainda batido nem uma punheta, ela Santa no sofá do lado e eu, minha esposa e a Mel no sofá maior, eu sem poder levantar sempre com uma almofada no colo pra tampar o volume do meu pau duro, os olhos vidrados na TV, mas nem sabia o q passava, só pensava na Val que estava tão gostosa e ao alcance da minha mão, tava até começando a suar. De repente minha esposa fala que vai levar a Mel pra cama e também já ia deitar pq na noite passada a Mel não deixou ela dormir pq tava com pouco de febre, respondi que só ia assistir mais um pouco e também ia dormir.
Quando ouvi a porta fechar, olho para o lado e vejo a Val deitada no sofa, se eu estica a mão eu poderia pegar naqueles peitos perfeito, mas a dúvida se ela ia deixar ou ia dar merda, começo a percorrer o corpo dela com os olhos, se aquele vestido fosse uns 2 centímetros mais curto poderia ver sua calcinha, nao tava mais aguentando já tava pra agarrar ela, até que ouso aquela voz macia perguntando se amanhã poderíamos tomar banho de piscina pq ela sempre gostou de como eu cuidava dela, (pra bom entendedor um pingo e letra), já respondi com outra pergunta, como vc cresceu vc vai deixar o tio cuidar de vc do mesmo jeito?, Ela nem respondeu só sentou no sofá e foi abrindo as pernas me mostrando a calcinha, meu coração disparou, meu pau quase explodindo, ajoelhei na frente dela, deixei ela sentada no sofá e eu no meio das pernas dela, minha cabeça nem raciocinava mais, o medo da minha esposa aparecer sumiu, só via aquele par de peitos e aquela bucetinha, quando baixei o vestido é pude ver aqueles par de peitos ( peitos não é sim uma obra de artes esculpida sem nem um defeito), aquele biquinho pequeno e aquela auréola rosinha nossa perfeitos, quando cai de boca o tesão foi tão grande que quando peguei no meu pau nem deu pra segurar gosei um monte, ela me olhou com um sorrisinho safado nos lábios, tesão tava tanto que meu pau nem baixou continuou duro, decidiram devagar até chegar na quela calcinha que já tava molhada, quando afastei ela para o lado vi aqueles lábios rosados o grilo dela tava apontando, não sabia se admirava ou caixa de boca, quando pus a mão e abri ela um pouco pra começar a chupar ela gostoso, vi aquela membrana quase transparente, olhei para ela e meu coração disparou mais ainda, não acreditava que ela com 14 aninhos havia deixado pra mim tirar a virgindade dela, chupei ela com tanta vontade que nem percebi que ela tava com a cara enfiada na almofada pra não fazer barulho, algum tempinho depois senti ela tremer e trava as pernas na minha cabeça, ela havia gozado, ela tira a almofada da cara é vejo ela toda vermelha e ofegante, ela levanta do sofá e manda eu sentar pega meu pau e começa a fazer um boquete, lembrei a primeira vez que ela havia feito um boquete em mim, nossa desta vez tava perfeito, ela chupava, passava a língua e massagista minhas bolas, perguntei baixinho com a voz trêmula de tesão no ouvido dela onde ela aprendeu a fazer um boquete tão gostoso, ela respondeu sussurrando que sempre assistia videos, o tesão foi lá no teto, sussurrei pra ela que ia gozar, ela só continuou, gozei na boca dela, senti ela sugar cada gota da minha porta, fiquei ali pensando em como eu ia tirar a virgindade dela, pois teria de ser de uma forma especial, dei um beijo nela e fomos dormir, antes tomei um banho pra aliviar pois meu corpo tava fervendo.
No decorrer da semana minha esposa não saiu do lado da Val, levou na escola particular e fez transferência dela para turno da manhã, foram no shopping fazer compras, e eu recém formado começando a trabalhar no escritório de advogados de uns amigos da minha família, chamei minha esposa pra conversar e pedi pra ela ficar na loja no período da tarde e eu ficaria no período da manhã e como tinha a Val em casa ajudaria ela a cuidar da Mel, ( quando casei e me mudei foi pra abrir uma filial da loja que minha família tem no interior e fazer minha faculdade). Ela achou boa a ideia, falando q poderia ficar mais tranquila e ter outros afazeres fora de casa, bingo tava aí a oportunidade para ficar a tarde com a Val e tirar aquele cabacinho, um mês depois minha esposa feliz com o trabalho na loja, a Val com minha filha em casa e eu suando igual tampa de marmita querendo ir pra casa, as 12:30hs meu telefone toca, erra a Val avisando que a tia acabava de sair de casa e ela já ia colocar a Mel pra dormir, avisei pessoal do escritório que tinha uma urgência em casa e Íria ter de ir resolver, cheguei em casa a Val estava me esperando com um vestido florido sem sutiã, ela fala pra mim que hj finalmente ela seria minha, levei ela para o quarto dela pra minha surpresa ela não tá só sem sutiã, mas também tava sem calcinha, nossa meu pau tava duro como pedra, fui delicado com ela chupando aqueles peitos perfeito, massageando aquela bucetinha q já tava ensopada, ela tava dando aquele gemidinho gostoso, de repente sinto que ela tava gozando, ela ofegante olhando para mim e eu para ela, não erra necessário palavras ela sabia que erra a hora, fui me posicionando passando a cabeça do pau naquela bucetinha, massageando grilo dela com meu pai, até sentir que ela tava relachada, coloquei meu pau na entrada da bucetinha e comecei a precionar, ela fazia uma carinha q tava doendo, eu parava e massageava e logo retornava a forçar a entradinha daquela bucetinha, de repente sinto a cabeça do meu pau entrar ela Souta um sussurro de dor eu paro e fico esperando ela melhorar, quando vejo q ela tava melhor penetro mais um pouco, assim foi até sentir que meu pau entrou tudo, nossa eu sentindo aquela bucetinha apertadinha no meu pau, quando vi que ela já tava melhor comecei aquele vai e vem bem devagarinho olhando aquele rostinho com uma mistura de tesão e dor, quando percebi já tava bombando normalmente, tirei pra fora e peguei uma toalha que tava do lado e limpei um pouco do sangue, ela sabia o q significava, ela não erra mais virgem, deitei ela de lado e fui metendo de ladinho, me segurando pra não gozar, mas quando coloquei ela de quatro e comecei a bomba, não consegui me segurar e enchi a bucetinha dela de porra, fiquei ali com ela deitado sentindo a cabeça dela no meu peito, nossa parecia um sonho.
No mesmo dia voltei para o escritório depois passei em uma farmácia e comprei uma pílula do dia seguinte e um anticoncepcional dei pra Val e disse como usar, ficamos assim durante 3 anos, quase todo dia eu dava uma fugida do escritório corria em casa comia aquela bucetinha que erra uma delícia, e vivíamos tranquilo, minha esposa deu ideia de dar um salário para a Val pq ela cuidava da Mel, e não desconfiava, pq ela saia com as amigas e amigos porém nunca levou um namorado em casa, só falava pra tia q não tinha arrumado o homem certo.
Um belo dia tava em casa chupando aquela bucetinha fazendo ela gozar gostoso, ela me pagando um boquete nossa uma delícia, comia aquela bucetinha até encher ela de porra, tava saindo de casa recebo uma ligação dizendo que minha esposa havia passado mal e tá no hospital, infelizmente não vou contar tudo mas ela teve uma doença grave e não resistiu após alguns meses. Dentro de casa ficou um clima não muito bom, eu pedi a Val que já ia entrar na faculdade para morar com as amigas pra não ficar muito na cara nosso relacionamento, mas no decorrer dos meses nos encontrávamos constantemente, após dois anos que minha esposa havia partido, a Val vai visitar a mãe dela e dizendo ela que tava colocando as conversas em dia com a mãe dela, tocaram no assunto de que eu tava novo e já erra viuvo, ela falou pra mãe que ela sempre gostou de mim mas não disse que já estávamos juntos, a mãe dela pra surpresa dela não colocou objeção e disse q até apoiaria, quando ela voltou e me contou tudo senti q já erra a hora, esperamos uns 4 meses e anunciamos para a família dela q tavamos namorando, pra uns foi um choque e para outros até acharam bom, quando ela fez 21 anos nos casamos, e alguns tempo depois a Val estava grávida e a Mel toda feliz que ia ter uma irmãzinha, durante a gravidez da Val ela me fez perceber que a Mel com 9 aninhos foi a mesma idade que ela começou a sentir prazer, isso me deixou com um comichão na mente, e comecei a olhar pra minha filha diferente, A Val percebeu e começou a me atiçar eu meio que querendo dizer não, mas já com aquela coisinha na cabeça já imaginando.
Neste dia a Val me fez uma surpresa pedindo pra ir no quarto, chegando lá vejo ela experimentando roupas na Mel, ela me chama pra entrar e disser se tava bom, a Mel ficou meio q com vergonha mas fiz cara de que erra normal, logo depois das roupas a Val mostrou algumas calcinhas e pediu pra ela experimentar, a meu sem jeito começou a se trocar mas já sem tanta vergonha, eu de pau duro olhando minha filha peladinha e minha esposa ajudando, meu pau já tava melando a cueca e a Mel já tava sem vergonha nenhuma, daí em diante comecei a ter desejo de comer minha filha.
Agora o que aconteceu com minha filha conto depois.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,51 de 35 votos)
Loading...