Minha amiga Denise

Autor

Minha amiga Denise
O que passo a contar ocorreu na década de 80 mais especificamente no carnaval entre eu e a minha amiga de escola Denise, tínhamos na época 15 anos, mas primeiro que contar como tudo começou; estudávamos na mesma escola, porem em salas diferentes e sempre nos intervalos de aula ficávamos nos olhando de longe, mas nada rolava. Ela era uma morena clara fortinha, não era bonita, mas tinha um corpo de mulher, seios grandes, coxas grossas e uma linda e grande bunda, cabelo cumprido, meio ondulado e uma boca com lábios carnudos, na época usávamos um avental branco por cima da roupa e ela sempre estava de calça de tergal cinza ou de jeans e só conseguimos observar a sua silhueta quando ela estava indo para casa, pois no caminho ela tirava o avental.
Ela morava umas 05 quadras da minha casa e sempre que nos encontrávamos na rua ela dava um sorrisinho e ficava me olhando, mas eu naquela época comecei um namoro com uma vizinha amiga dela, na realidade era apenas papos a noite na frente da casa dela onde contava com a presença dela (Denise) e alguns beijos escondidos dos quais a Denise dava cobertura, portanto ela passou a ser uma amiga confidente, mas sempre percebia os sorrisinhos em minha direção.
Bem, terminei o namoro com a amiga dela e percebia que eu e a Denise ficamos mais próximos, pois sempre procurávamos matar alguma aula e ficar na porta da escola conversando, entre outros colegas.
E assim se deu por um período, só ficamos conversando e muitas vezes entravamos em assunto de sexo, mas sempre falando dos outros dos quais escutávamos falar, mas confesso que a minha experiência era mínima no assunto, apenas com conhecimento através de revistinha de sacanagem. Bem, começou o carnaval e como sempre fui pular no clube do qual eu era sócio, sendo que a maioria era de amigos, primos e primas, portanto bem familiar, naquela noite de sexta-feira por ser o primeiro dia o salão não estava muito cheio, como costumava a ficar e estava tocando diversas marchinhas e eu como meus amigos estávamos nos divertindo muito, mas sem nenhuma sacanagem, mas loucos para que alguma coisa ocorresse (rsrs), bem de repente vejo a Denise, da qual ao me ver vem em minha direção e me dá um gostoso abraço, do qual o seu corpo ficou colado ao meu e não resisti, o meu pau ficou duro que nem pedra e percebi que ela notou e para variar me deu um sorrisinho, neste momento senti que o caminho estava aberto para uma possível investida, mas antes quero contar como ela estava vestida, uma calça branca do tipo corsário, justa no corpo e essa calça não tinha bolso e marcava bem a sua bunda e era perfeitamente visível que ela estava usando uma pequena calcinha, sendo que para aquela época já era um escândalo (rsrs) e a parte de cima com uma blusinha azul de manguinha e de amarrar na frente e com um bonito decote, não era escandaloso, mas nós, os tarados de plantão ficávamos olhando e desejando ter algum tipo de contato, e assim começou a madrugada, marchinhas rolando e foi então que a Denise passou na minha frente fazendo parte dos famosos trenzinhos e passou a mão no meu rosto, bem bastou para que eu quisesse entrar no trenzinho e logo na outra volta eu entrei e fiquei atrás dela, com os braços esticados sobre os ombros dela e conforma o trenzinho andava e parava eu ia encostando nela, roçando o meu pau na sua bunda, no início com muito medo que ela achasse ruim, mas comecei a perceber que ela não ligava e quando eu comecei a encoxá-la de verdade percebia que ela rebolava bem gostoso no meu pau e comecei a ir além, como se nada estivesse ocorrendo comecei a subir a mão e pegar por baixo nos peitos, sendo que a muvuca estava grande no salão e ela por sua vez virou o rosto para traz e com um lindo sorriso passou a mão na minha cabeça, entendi que estava liberado e ela concordava com as minhas investidas e assim ficamos boa parte da madrugada, em um momento larguei ela dizendo que ia ao banheiro e tomar uma cuba e ela ficou no salão com as amigas, quando eu sai do banheiro fiquei no balcão tomando a minha cuba e de repente ela vem ao meu encontro e logo puxando papo e sorrindo e ali ficamos conversando, já eram por volta das 02:30 da madrugada, estava calor mas garoando e falei para ela que eu estava afim de ir embora, ela foi logo dizendo que também subiria comigo, pois estava sozinha e visto que morávamos relativamente perto, bem, e assim o fizemos, ao sair do salão a garoa estava forte e logo saímos de mãos dadas e nos dirigimos para casa, no caminho coloquei a mão na cintura dela e ela retribuiu e começou a chover forte, resolvemos parar na marquise de uma loja para se esconder da chuva e esperar passar, a rua estava vazia tudo muito tranquilo, foi então que a encostei na parede ficando ela na minha frente e logo comecei a beija-la e ficamos agarrados um no outro, o nosso beijo era de língua (eu nunca havia beijando dessa forma), mas são coisas que aprendemos automaticamente (rsrs) e comecei a alisar as pernas e coxas dela, como ela não tinha reação negativa cheguei até a bunda e xota e comecei a pegar bem gostoso e ela logo foi procurando o meu pau e ficou segurando por dentro da bermuda, logo virei ela de costas e comecei a encoxar aquela linda e grande bunda, que sempre foi o meu desejo e percebia que ela empinava para traz e eu fiquei revezando com passadas de mão das quais eu consegui atingir a sua xota, depois a virei de frente e tirei os peitos para fora, nossa que maravilha de visão, aqueles peitos grandes duros com as aureolas grandes e rosadas me deixou ainda mais louco de tesão e comecei a chupar bem gostoso, colocando a minha boca naqueles peitos deliciosos e ela só me observando e alisando o meu cabelo, eu maluco de tesão em perceber que ela deixava eu fazer tudo e comecei a revezar as chupadas e beijos calorosos de língua e me deixava louco ainda mais com aquela situação, pois ela não procurava guardar\esconder os peitos ficando soltos ao ar livre; depois de muita pegação ela sem eu pedir, abaixou e logo tirou o meu pau para fora e começou a mamar e também passando a freneticamente a boca na lateral do meu pau indo até o saco e até uma punheta bateu para mim foi quando cheguei ao clímax e gozei todo o leitinho no seu rosto e fiquei sem graça, pois achei que ela iria ficar com raiva, e ela percebendo a minha reação me fez uma revelação sem querer, dizendo que gostava de sentir o leitinho escorrendo pelo seu rosto.
Bem, a chuva parou voltando apenas a garoar, assim, nós nos arrumamos e começamos a caminhada abraçados e conversando, mas fiquei pensando no que ela havia me revelado (que gostava de leitinho no rosto) e foi então que perguntei se ela já tinha feito sexo e para minha surpresa ela me pediu segredo e revelou que já tinha feito sexo com um amigo que tínhamos em comum, sendo ele mais velho, já com 19 anos, vizinho da casa dela e me disse ainda que sempre que dava certo ficava escondida na garagem da casa dele deixando ele fazer o que dava vontade e ele a comia.
Bem, depois desse dia eu sempre procurava ficar com ela, como amigo, mas sempre que surgia a oportunidade lá estávamos nós nos beijando e eu sempre passando a mão e dando para ela punhetar, era muito gostoso, ela ficava por diversas vezes sentada no meu colo quando podíamos estar em algum lugar escondido, sempre a noite, procurávamos alguma praça que fosse tranquila próximo de nossa casa ou no muros e escola e quando íamos fazer trabalho de escola ela sempre dava um jeito, criando situações para que pudéssemos ficar a sós e assim rolava a nossa sacanagem, apenas ainda não tínhamos tido a chance de transarmos, mas essa é uma nova história.
Espero que tenham gostado, tenho outras situações para contar, quem quiser pode me adicionar botafogosp@hotmail.com