Minha Filha não queria só Dormir II

24-01-18 Por 3 ★ 4.67

Levantei e fui ao banheiro, ela levantou e foi atrás de mim, entrou debaixo do chuveiro junto comigo, não falamos uma palavra, apenas nos abraçamos e começamos a nos beijar primeiro com delicadeza depois com volúpia e tesão, minha filha agarrou o meu pau e começou a movimentar que foi endurecendo de novo, e saímos agarrados para a cama novamente, deitamos e fui beijando ela todinha , e comecei a passar a língua na sua bucetinha e agarrava meu cabelo e empurrava minha cabeça de encontro a sua xota, senti ela ir amolecendo e a sua buceta contraindo na minha boca, e o liquido saindo que tomei com prazer, quando percebi que tinha gozado fui pra cima dela e direcionei meu pau bem na rachinha dela e fui colocando de vagar, senti que tinha dificuldade e ela mordia os lábios, perguntei se estava doendo disse que sim mais queria ir ate o fim, e fui bombando só a cabecinha do pau na xota fazendo que ela sentisse prazer ela começou a se mexer e arranhar minha costa, e foi o momento que empurrei fundo ela gritou e me mordeu, disse que sentiu uma dor muito forte, fiquei parado esperando a reação dela, perguntei se tinha passado a dor ela disse que tinha aliviado, fiquei mexendo do os quadris apenas para movimentar, ela foi relaxando e comecei a retirar um pouquinho e meter de novo o movimento da foda, ela começou a se movimentar também e eu comecei a fode-la de verdade, aos poucos fui acelerando, as estocadas e ela gozou no meu pau, ai o foda foi ficando mais forte, retirava o pau todo da buceta dela e metia de novo e ela gozou mais uma vez, ai ela começou a falar fode pai, me fode sei que o senhor queria me foder eu também queria dar meu cabaçinho por senhor, e com aquele delírio dela eu gozei e ela gozou pela terceira vez na minha pica, fiquei parado só fazendo carinho na minha filhinha, meu pau foi amolecendo e sai de cima dela saiu porro a sangue, minha filha olhou o sangue e disse papai o senhor é malvado judiou de sua filhinha, mais foi você que quis não pude evitar.
Levantamos e trocamos a colcha da cama por uma limpa colocamos a suja na maquina de lavar e fomos para o banheiro nos assear e ela começou a me beijar de novo, e também fui beijando o pescoço dela quando o meu pau estava duro de novo disse a ela chupa o pau de papai chupa ela se abaixou no box do banheiro e colocou a boca no meu pau e chupo como se chupa pipo, ai eu tive que ensinar, peguei em sua cabeça e fui movimentando no compasso do boquete, como eu já tinha gozado duas vezes o pau envernizou e não consegui gozar de novo, ela cansou de chupar, mandei ela se escorar na parede do banheiro e fui por trás, meti da buceta pra lubrificar e coloquei na porta do cuzinho, ela reclamou que estava doendo, então peguei o condicionador lambuzei o pau e o cu dela meti o dedo para facilitar e encostei o pau forcei um pouquinho e pronto entrou ate com certa facilidade ela reclamou um pouquinho mais acostumou logo e começou e rebolar como se estivesse dançando funk, e senti o cuzinho dela contraindo o meu pau e não aguentei muito e gozei de novo, quando tirei o pau saiu bosta e porra, tomamos banho e fomos dormir acordamos as 10:40 ele reclamando que doía a bucetinha dele e o cuzinho.
Continua

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,67 de 3 votos)

Por

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Levantei e fui ao banheiro, ela levantou e foi atrás de mim, entrou debaixo do chuveiro junto comigo, não falamos uma palavra, apenas nos abraçamos e começamos a nos beijar primeiro com delicadeza depois com volúpia e tesão, minha filha agarrou o meu pau e começou a movimentar que foi endurecendo de novo, e saímos […] Minha filha tem 9 anhos.

  2. Carlos

    Muito bom, continue.

  3. Miranda

    Muito fantasioso e cansativo.. continua.