Final de Semana e um Flagrante Inesperado

Autor

O PRESENTE QUE INICIOU O PECADO

Olá, me chamem de Rone, tenho hoje 28 anos, tenho 1.78, olhos castanhos, pele parda, gosto de nadar, correr e jogar bola, tenho uma irmã que vou chama-la de Gilmara, que hoje tem 25 anos, tudo aconteceu quando éramos mais jovens na época era mês do aniversário de 18 aninhos, deixa eu descreve-la, Gilamara, pele parda, cabelos até meio das costas lisos, olhos castanhos claros, lábios carnudos e pequenos, na época, fazia academia e estagiava numa empresa de telefonia, com apenas 1.57, já despontava atenção dos marmanjos, eu claro, não tinha maldade alguma, apenas achava ela muito bonita, bumbum arrebitado duro e redondinha, pernas torneadas e lisas, mãos de fada.
O fato se deu quando estávamos passando por uma turbulência na família, nossos pais estavam com problemas numa sociedade de uma loja num shopping da cidade e precisavam viajar sempre para comprar produtos novos, demitir pessoas etc.. então ele precisaram viajar na semana do aniversário de Gilmara, estávamos em férias da faculdade na época, no dia, era um sábado, nossos pais foram para o aeroporto fui leva-los é claro que naquele dia estávamos indo para a praia e como iríamos ficar 7 dias sós avisamos que muito provavelmente iriamos para o litoral passar um pouco das férias.
Eu estava de short e sunga por baixo, Gilmara estava de biquíni branco, uma blusinha curta e uma kanga cobrindo o da cintura para baixo e uma sandália de dedo, bom até aí tudo bem, não havia maldade alguma.
Quando deixamos nossos pais, então fomos para a praia, no caminho ela acaba me dizendo que tinha vestido um biquíni errado um bem menor e que estava muito apertado e que estava incomodando, logo então eu perguntei, “não dá para aguentar com esse mesmo”? Ela respondeu que até daria mais o sol estava muito quente e que poderia machuca-la, e que a parte da frente estava muito abaixo da virilha e mostrava parte dos poucos pelos.

Bom, eu parei o carro numa rua antes de chegar ao condomínio olhei aquela fêmea andando na minha frente, ela passou da porta da sala e foi tirando a kanga, então por curiosidade eu pedir para ela virar para eu ver como estava, foi a gota d´agua, quando olho diretamente vejo a testa da buceta dela com um filete de pelos, tipo bigodinho uma buceta papudinha “inchada” de fato, o biquíni não cobria aquela linda buceta que para completar tinha uma tatuagem na virilha que ninguém nunca tinha visto e ela nunca comentou.
Ela pega um biquíni desta vez pretinho que combina com a pele dela, para minha surpresa ela arranca tudo na minha frete e começa a vestir na minha frente sem cerimônia alguma, nisso, meu caralho começa a dar sinais de pecado e ficar mais duro do que como estava antes já adormecendo meio bambo, eu fiquei sentado no sofá quando ela me pediu para dar um nó nos lados eu ali cara a cara com aquela buceta linha de poucos pelos com uma tatoo de um beija flor na virilha.
Fomos para o carro, eu ali no percurso com a imagem daquela buceta e aquela bunda linda lisa, durinha, redondinha e empinada eu tentando me controlar quando de repente ela me pergunta: “Esta pensando em que?” também não me fiz de rogado e na lada eu mandei “NA SUA BUCETA GILMARA” você acha que sou de ferro? Ela então diz, sou sua irmã, achei que não havia maldade mais agora evitarei até de ficar de biquíni já que você está assim, de sacanagem comigo! Apenas respondi, “você começou, então como faremos?” ela disse: “finge que não viu nada, ou então chegando na casa de praia você dá seu jeito” bom, dar o jeito como? Então ela disse: “bate uma boa punheta do jeito e da forma que você quer”.
Chegamos no local eu já tinha dispensado o caseiro antes de sairmos de nossa casa na cidade e enquanto eu estava no banho já na casa de praia liguei para o caseiro e pedir para ele tirar folga até a sexta feira que eu estava com minha irmã e que estávamos esperando nossos pais chegarem naquela mesmo dia Gilmara ouvindo tudo, então eu comecei a pensar naquela buçanha linda, inchada e de pouco pelo e parecia pouquíssima visitada já que ela estava sem namorado algum a muito tempo, pois se tivesse me falaria.

Quando e sair do banho apenas de toalha, ela vem em minha direção, de biquíni preto e pergunta se estava melhor e bonito, eu disse que preferia o que ela estava vestida porque mostrava o que ela tem de melhor seguida da bela raba empinada. Ela me disse que era para tomar cuidado, pois somos irmãos e que esse tipo de pensamento não era legal e não tirou a roupa para me provocar e que não poderia fazer nada quando ao meu tezão.
Então eu já estava na merda mesmo revelei que durante o banho eu pensei muito na bucetona dela e que passar quase 7 dias ali vendo o que eu ví sozinhos não seria muita pretensão dela achar que não vou no mínimo bater uma punheta imaginando foder a buceta dela? Então ela responde o que eu posso fazer???? Não sabia que você ficasse com vontade de comer sua irmã!!!!!
Bom, fomos para a cidade comprar as coisas bebidas alimentos ela pegou vinho, skol beats comida congelada e passamos numa churrascaria pegamos churrasco para levar.

Na casa tem tv a cabo, canais livres todos, no quarto de nossos pais uma tv de 60 polegadas, ela ficou no quarto de nossos pais e eu reclamei porque ela sabia que eu já tinha pedido foi quando ela disse que poderíamos dividir.
Já era umas 23 :30 colocamos um pouco de comida nos pratos e fomos ver tv na sala, ela ligava para amigas eu aproveitei para dar uma olhada na casa, o caseiro, na época jovem de 22 anos que ficava a maior parte do tempo na casa por conta dos pais deles serem de fatos os caseiros. Ele tinha deixado a carteira dele um cartão de memoria, peguei o cartão na curiosidade e coloquei num adaptador, fui no quarto dos nossos pais, Gilmara estava deitada com as pernas flexionadas apenas de short doll e uma blusinha sem nada, ela não fala nada, pois estava falando com uma amiga ao celular dizendo que iria aproveitar a praia etc.. e convidou essa amiga, então peguei o adaptador com entrada para pen drive e encaixei na tv não havia nada demais a não ser fotos dele numa academia.

Bom, aproveitei e coloquei num canal de pornor, Gilmara apenas pediu para baixar o volume sua amiga no celular ouviu rsrsr, deitei no lado dela, ela desligou o celular e disse “Minha amiga achou que o gemido era de alguém que você estava comendo” rsrsrsr então eu disse: “só poderia ser você então”.

Bom, eu estava apenas de cueca, Gilmara alí de shortinho doll sem calcinha por baixo uma blusinha curtíssima sem sutie e pude notar que os bicos dos seis estavam duros, os poucos pelos das coxas arrepiados, ela vendo uma cena onde 2 caras fodem uma novinha ao mesmo tempo um na xota e outro na raba, ela as vezes fingia não assistir então tomei a dianteira e coloquei meu caralho para fora do contrário eu gozaria na cueca, ela olhou ficou sem dizer nada, eu ali acariciando meu pau, ela ao lado ora olhando para meu pau olha olhava para minha cara e eu fingindo não prestar atenção, quando ela me mandou guardar aquilo, que era melhor ela ir dormir no outro quarto, quando ela levantou eu não aguentei ver aquela raba na minha frente, puxei ela por uma das mãos e joguei na cama, Gilmara ainda tentou levantar quando eu puxei o short doll que rasgou e afundei de vez minha língua naquela buceta inchada ela deu um gritou tão alto que sinceramente nem liguei se alguém poderia ouvir, as casas vizinhas tem uma certa distancia uma das outras então ela poderia gritar muito eu queria meter e meter de com força. Ela fazia força para eu sair dela mais ao mesmo tempo ela gemia e dizia coisas absurdas.
Eu não queria sair dali e o cheiro daquela buceta estava exalando pelo quarto, então eu estava tão alucinado que avisei que iria ser na chapa que era para confiar ela não me disse nada e achei que tinha entendido.
Depois de chupar aquela linda buceta, puxei ela e fomos para a sala, do sofá ficamos ainda naquela putaria desta vez ela com meu pau todo na boca e apertando a cabeça da minha pica ela demonstrava muita experiência eu estava louco e chamava de puta, “quero comer você toda, hoje você vai ter muita rola sua gostosa”.
Gilmara chupava meu pau não sabia o que fazia parece que ela estava na seca, eu não queria gozar alí então a levei para a piscina ela ficou com medo de alguém ver ou ouvir mais os muros são altos demais privacidade é algo que nossos pais prezam muito até imagino porquê.
Então quando chegamos a agua aparentava está muito boa, coloquei ela apoiada numa mesa com as pernas abertas falei no ouvido dela “vou meter na sua rachada sua puta”, quando eu estava metendo ela me manda por a camisinha porque ela poderia engravidar e que tinha meses que não dava a xereca, avisei que seria na chapa e ela desta vez entendeu e me pediu para não gozar dentro, aquilo já estava demais para mim e fui metendo ela gemendo, chorando de tezão me chamando de safado, disse que contaria para todos que eu comi a buceta dela, eu fui metendo com carinho porque realmente eu sentia muito apertada, ela disse que tava virgem, força de expressão então eu disse: “bom ser virgem, porque estou arrebentando seu cabaço” e nesse cú já viu pica? Ela disse que nunca daria e sempre negou para todos os namorados. Bom, meti muito naquela buceta, Gilmara gemia muito com o short doll enfiada na boca, tirei meu pau e caímos na piscina, lá ela me entrelaçou para cintura e encaixou meu pau ela segurando no ferro da escada da piscina, então depois de um tempo pedir para ela ficar de 4 na escada ela disse que não daria aquele rabo, não naquele dia, que era para ser dentro de casa mais não naquele dia, tínhamos muito tempo, então saímos da piscina e fomos direto para o quarto dos nossos pais, lá comecei novamente a chupar a buceta, meter de franga assada, de lado, de coqueirinho linda posição de frente para mim ela com os olhos fechados com medo de me encarar eu chupando aquela língua e os seios, coloquei ela de 4 na cama e mandei rola naquela buceta, derrepente, sinto uma imensa vontade de gozar, então agarrei-a pela cintura e comecei a meter forte como se fosse uma socada ela gritava e rasgou uma fronha eu havia gozado dentro dela, tirei rápido mais era tarde muito leite tinha ficado dentro ela então rapidamente meteu meu pau na boca e começou a chupar e engolir. Ver aquilo me deixou louco, depois de 15 minutos alí, fomos para a piscina, tomamos banho nús eu passando a mão naquela buceta e ela acariciando meu pau, saímos da piscina e fomos para o banheiro, ainda rolou um sexo oral, masturbação gozei nos seis dela, finalizamos o banho e fomos dormir, quando foi as 10 da manhã estávamos nús na cama, ouvimos alguém batendo na porta do quarto que estávamos de repente a porta de abre, era o filho do caseiro que tinha vindo para pegar os pertences que esqueceu e nos pegou alí nús o short dela rasgado na mão dele.
Ele ficava nos olhando meio que espantado tendo a certeza que tínhamos cometido incesto, ele entra, puxa uma cadeira que fica próximo a um armário e perguntou como resolveríamos aquela situação.
Bom, essa parte contarei depois.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 3 votos)
Loading...