Cristina, pequena e receptiva – Parte II

Autor

No dia seguinte por ser um sábado, eu fechei minha farmácia as 17:00 hs. Passei o dia todo pensando na pequena Cristina (9 anos). Muleca magra, corpo de criancinha ainda. Sem peitos nem pêlo na boceta. Mas uma delicia. Foi exatamente assim que sempre sonhei minha vida toda.
Logo que saí da farmácia, peguei meu carro e fui até o mercado onde eu tinha combinado de encontrar a menina.
Ao chegar eu parei na rua próxima e fui a pé. Andei o mercado todo e nada da menina. Pensei: Deu merda… se ela não veio é porque ela contou para a mãe. Já estava no meu carro, quando avistei a menina vindo correndo até o mercado. Reparei que estava sozinha e fui até ela. Ao me ver veio em minha direção. Entramos no carro e saí rápido dali.
– Meu amor, eu quase fui embora… achei que não vinha mais
– Desculpe tio, eu fiquei brincando e não vi a hora.
– Tudo bem meu amor.
Perguntei o que ela tinha feito com o dinheiro e descobri que a mãe pagou uma conta no bar e não comprou nem o gás nem as fraldas para a bebezinha que tem.
– Tio, o senhor vai me dar quanto ?
– Não sei… o que você vai fazer para o tio ?
– Ahhh o que o senhor quiser eu faço.
– Faz mesmo é ?
– Faço sim tio.
Meu pau já estava muito duro. E enquanto dirigia já fui passando a mão na menina.
Ela vestia a mesma roupa do dia anterior.
Ao chegar eu já fui abraçando e beijando a boquinha da menina. Peguei ela no colo e fui direto para minha cama. Arranquei a camiseta dela e o shorts. Vi a mesma calcinha sujinha que ela estava (ficou com a mesma calcinha durante 5 dias, pensem no cheirinho bom de xixi infantil).
Fiquei pelado e chupei a bocetinha dela com muita calma e carinho. Suguei com vontade. É algo que sou incapaz de descrever a sensação prazerosa de fazer sexo oral em uma criancinha.
Eu quase gozo só chupando a menina. É bom demais. Não sei exato o que ela sente, mas vejo que as meninas gostam muito de sentir uma língua na bocetinhaiei. A Cris se contorce inteira. Ela se contrai, encolhe e estica, abre e fecha as perninhas.
Chupo mesmo e sem dó. Foram mais de 30 minutos que eu brinquei com a menina. A bocetinha já estava toda vermelha, então pedi:
– Cris, chupa meu pau
Ela sentou na cama, segurou meu pau todo babado. Olhou e perguntou:
– Tio seu pau solta cuspe ?
– Não, esta babinha que tem é porque estou com tesão. E quando o tesão aumenta eu gozo e sai um tipo de leitinho branco, que você pode engolir que te faz bem
– Pode tomar isto ? (ela falou pegando um pouco da babinha e mexendo os dedos)
– Pode sim amor. Se beber meu leite, logo seus peitos ficarão bonitos e você vai crescer. Mas só pode tomar de um homem. Se tomar o meu, só vai poder tomar o meu…
– Porque tio ?
– é que se tomar de 2 homens, você pega doença grave… pode não.
– Mas o seu não dá doença né ?
– É meu amor, eu sou limpinho e não tenho doença não… agora chupe vai
A menina pegou e colocou na boca. Ficou paradinha. Eu senti o calor e umidade da sua boquinha pequena. Mal cabia a cabeça do meu pau.
Fui orientando ela como fazer: Passe a língua, chupe como se fosse um picolé. Coloquei a mão na sua nuca e fiz movimentos para ela aprender. Não demorou e vi que ela estava com vontade de aprender.
-tio… vou ganhar quanto ?
– Chupe meu amor e não se preocupe com dinheiro. Vou lhe dar tudo que você precisar… chupe.
Ela se esforçou e chupou bem gostoso até que pedi para ela acelerar que o leite estava vindo.
EXPLODI NUM GOZO INACREDITÁVEL. Foram vários jatos direto para a garanta da menina.
– Não pare amor… chupe.. continue chupando
A menina só soltou meu pau quando eu pedi para ela se deitar em cima de mim.
Fiquei com uma mão na sua bunda, e o dedo bem no pequenino furinho.
Até que ela falou:
– Tio, seu leite tem um cheiro ruim… mas o gosto até que é bom.
– Logo você vai se acostumar com o cheiro.
Vi ali uma criança inocente e pura. De certa forma me deu um pouco de remorso e arrependimento. Até que ela falou:
– Tio é verdade que dói muito quando o homem coloca o pinto aqui ? (falou apontando para a bocetinha).
– Depende meu amor. Se o homem não souber fazer, a menina sente muita dor…
– O senhor sabe fazer ?
– Eu sei sim Cris. Eu uso uma pomadinha e você vai sentir só uma dorzinha… coisa pouca
– ahhh que bom
– Mas amor, porque você está perguntando se dói, alguém te falou alguma coisa ?
– Se eu falar o senhor não conta para ninguém ?
– Eu não conto nada amor… pode falar tudo
– Sabe tio, eu tenho uma amiga que mora perto de minha casa, ela estuda na minha classe a nós ficamos juntas o tempo todo.
– É bom ter amigas mesmo meu amor.
– Então, o senhor não vai contar para ela né ?
– Cris eu nem conheço sua amiga… claro que não vou contar nada
– É que ela já deu o ximbiu para o padrasto dela.
– Nossa, quantos anos ela tem ?
– Tem 9 … igual eu
– Sabe Cris, é normal homens fazerem com mulheres e com crianças também. Tem homem que come meninas e até meninos.
– Nossa… eles fazem com meninos ?
– Fazem sim, eles metem aqui atrás (falei colocando o dedo no cúzinho dela).
– Aí dói também tio ?
– Se não souber fazer dói sim…
– O senhor já fez com menino ?
– eu não… eu faço só com meninas. Mas se um dia algum muleque quiser fazer eu meto nele
Aquela conversa me deixou de pau duro.
Levantei e peguei um tubo de KY que eu trouxe da farmácia.
– olha amor, este é um gel que usamos para enfiar e doer só um pouquinho.
Coloquei um pouco de gel na bocetinha e ela falou:
– Aiii tio é gelado
Fiz massagens e deixei ela bem lubrificada.
– Tio… o cheiro é bom né ?
– É meu amor, é bom
Coloquei um travesseiro nas costas dela, de forma que a bocetinha ficasse mais elevada.
Com os dedos eu abri os lábios da xoxotinha. E vi o buraquinho redondinho e bem pequeno.
Encostei o tubo no buraquinho e apertei. Com meu dedo eu empurrei um pouco do gel para dentro dela.
Certamente era a primeira coisa que entrou ali. Menininha bem apertadinha. Ximbiu de criança pequena.
Coloquei meu dedo e fui pressionando.
– Tio, o senhor vai meter o dedo ?
– Um pouco, só um pouco.
Fiz com muito carinho e calma. Não queria machucar a menina.
Até que a ponta do dedo entrou.
– Aiii tio, está doendo… pára, pára
– Calma meu amor, vai parar de doer.
Girei meu dedo e coloquei mais gel. Empurrei até a metade do dedo.
– AIIII AIII AIII … não empurra o dedo não… tira tio
Com a metade do dedo gravado nela eu faleu:
– Amor, se você agüentar firme e sem gritar eu vou te dar muito dinheiro
Vi que ela ficou calada pensando.
– quanto você vai me dar ?
– Se você agüentar meu dedo e depois o meu pau eu vou te dar 4 notas de R$ 50… são duzentos reais… posso continuar ?
Ela só balançou a cabeça em sinal de sim.
Coloquei mais gel e consegui colocar o dedo inteiro dentro dela.
Eu já estava quase gozando.
Sem tirar o dedo eu dei o tubo de gel na mão dela e pedi para passar no meu pau.
Ela passou com carinho e eu quase gozei nas suas mãozinhas.
Orientei a colocar bastante gel… o tudo estava quase vazio já
Me posicionei… tirei o dedo e coloquei a cabeça do meu pau. Fiz pressão até que senti que estava entrando.
Meus amigos isto é uma sensação única e maravilhosa.
Parece que o mundo pára e você sente que escorrega para dentro dela.
AIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII gritou ela com minha mão abafando sua boca.
Vi as lágrimas escorrendo e o olhar de dor que ela estava naquele momento.
Coloquei só a cabeça do meu pau e gozei dentro dela.
GEMI ALTO
Esperei alguns segundo e perguntei se podia tirar a mão da boca dela e ela balançou a cabeça.
Tirei meu pau bem devagar até que deitei ao lado dela.
Vi que estava saindo sangue e isto me deixou muito preocupado. Mesmo só enfiando a cabeça do pau, ela é muito pequena e pode ter uma hemorragia.
De certa forma eu sabia que não tinha chego nem perto do útero, mas por ser uma criancinha frágil a preocupação foi grande.
Limpei ela com uma toalha úmida. Coloquei gelo na toalha deixei encima da bocetinha.
– está doendo amor ?
– agora só um pouco, mas na hora doeu muito
– Desculpe, não era para doer
– ta bom tio, eu desculpo o senhor.
Abracei e fiquei deitado com ela por quase 1 hora. Precisei trocar o gelo umas 5 vezes.
Só então em conferi que já estava parando de sangrar.
A menina reclamou que estava com fome. Olhei no relógio e já eram quase 21:00 hs
Levei ela no banheiro de dei um banho com muito carinho.
Uma antiga namorada tinha deixado um pacote de absorvente e não sei porque eu guardei isto. Mesmo velho estava limpo. Coloquei na calcinha dela e expliquei que era para que se saísse mais sangue, iria segurar e ela não ia se sujar.
Pedi lanches e ficamos vendo desenhos na sala.
Ao chegar eu pedi para ela arrumar a mesa e desci para pegar os lanches.
Subi e lanchamos.
Perguntei se ainda doía e ela disse que não.
Ela vestia só a calcinha. Vi que no absorvente tinha uma pequena manchinha de sangue. Mas era só um pontinho vermelho. Nada importante.
Perguntei se ela queira ir embora e a resposta foi sim.
Dei o dinheiro e pedi para ela nunca contar nada, nem para a amiguinha dela.
Levei a menina de volta e marquei de encontrá-la no dia seguinte mais cedo. Por ser domingo eu fecho a farmácia as 12:00 hs e assim teria mais tempo com ela.
Continua…