De evangelica a puta em 4 dias

Me chamo priscilla, tenho 21 anos, estudo em uma faculdade. nossa familia é evangelica, não desses radicais,que distorcem as coisas. meu pai é gerente de banco, minha mãe tem uma loja num shopping, as mulheres usam calça, usam maquiagem, etc.
na ocasião do acontecido eu ainda era noiva, faltando 30 a 40 dias para o casamento. marcelinho meu noivo (agora marido), também vem de uma familia evangelica.
meus pais viajaram para passar 15 dias, e ficaria em casa apenas eu e minhas duas irmãs (24 e 18 anos). marcelinho meu noivo vinha sempre em casa. uma tarde ficamos namorando na piscina enquanto minha irmã caçula foi locar um filme. marcelinho e eu ficamos deitados numa espriguiçadeira de piscina e começamos a nos beijar. era um beijo gostoso excitante nossas línguas se tocavam. senti a mão de marcelinho tocando o meu seio, fiz de conta que nada havia de errado. marcelinho foi mais além e tirou a parte de cima do meu biquini. sua mão apertava o meu peito e me excitava. foram 10 segundos de prazer, empurrei meu noivo e disse-lhe que não podíamos fazer aquilo pois não eramos casados. faltando poucos dias para o casamento era melhor nos controlarmos. além do mais minha irmã poderia voltar e se ela contasse para meu pai seria um escandalo. despedi meu noivo para a sua casa. depois conversamos por telefone e ele também se desculpou.
dormi pensando naquela mão em meu peito. no dia seguinte quando cheguei da faculdade após o almoço havia uma correspondencia para mim. ao abrir o envelope gelei… eram duas fotos em claramente dava para ver marcelinho acariciando o meu seio. fiquei desnorteada. como poderia ter acontecido? após alguns minutos o telefone tocou a empregada veio me avisar que era para mim:
– alô. é priscilla, quem fala?
– priscilla, gostou das fotos que recebeu?
– o que vc quer?
– fiquei maravilhado com o seu seio.
– quem é vc?
– fiquei invejando o seu namorado, também.
– diga quem é ou desligo.
– desliga nada, se fizer isso mando umas fotos dessas para seu pai no trabalho dele. vc quer isso?
– tá bom mas me diga o que vc quer.
– quero encontrar vc.
– onde? quando?
– que tal vc vir aqui a minha casa. sou seu vizinho.
neste instante reconheci a voz do meu vizinho da casa ao lado, ricardo, 22 anos, sempre me paquerou, de fato ele é um gato mas por causa dos meus pais e por causa da religião nunca rolou nada.
– ricardo é vc? e que vc quer?
– quero conversar com vc, venha e eu lhe mostrarei.
imediatamente fui a casa de ricardo. ele veio abrir a porta de short e camiseta. pediu para entrar e disse:
-fique tranquila, meus viajaram na mesma excursão que seus pais. estamos sozinhos.
– como tirou aquelas fotos?
– subi no terraço para verificar a antena da tv a cabo e vi vcs namorando. vi que o amasso estava esquentando. peguei minha camera. quase perco o principal. vc tem o peito mais lindo que eu já vi na vida. quero vc.
ruborizei.
– mas eu não posso.
– vamos conversar isso lá em cima. se lembre do trabalho do seu pai.
ricardo me conduziu até o seu quarto. lá tinha uma cama de casal, uma poltrona e um computador. sentei na cama e ricardo quis me beijar eu recusei. ele disse que não iria usar de violencia comigo, mas que se eu não o beijasse ele mandaria as fotos para o trabalho do meu pai, seria um escandalo.
permiti que seus lábios tocassem os meus. começou me beijando suave, aos pouco foi aumentando a intensidade. sua lingua foi tocando os meus lábios, ele começou a morder de leve minha boca, e penetrar a sua lingua na minha boca. de repente estavamos deitados na sua cama. sua lingua tocava a minha que começava a corresponder . ele me chupava comecei a chupar tambem. que beijos gostosos.
senti a sua mão entrar sob a minha blusa, disse-lhe: não, ricardo. mas a minha voz ofegante e tremula não mereceu credito. rapidamente ricardo abriu o meu soutien e apertou e meu peito. eu repetia: pára ricardo, pára ricardo. mas eu não esboça qualquer reação. suas mãos deiciosamente brincavam com os meus mamilos. era delicioso. ricardo ainda me beijando me sentou e tirou a minha blusa deixando os meus peitinhos a mostra. fiquei envergonhada, mas ricardo começou a beija-los e fiquei mais excitada. comecei a ficar com medo de onde iriamos parar. ricardo beijava os meus seios quando tentou introduzir a mão na minha bermuda. desta vez empurrei-o para o lado e disse: não!!!! levantei da cama e comecei a me vestir. ricardo com um sorrisinho malicioso disse:
– quero que vc volte amanhã. vá namorar com seu noivo e pratique o que vc aprendeu hoje aqui. amanhã será melhor ainda.
de fato saí com meu noivo e sugeri irmos a um drive-in. lá começamos a nos beijar, deitei o banco do carro e permiti que ele tocasse os meus seios sem que ele pedisse tirei a blusa disse que não conseguia esquecer das suas mãos em meu peito (na verdade não esquecia era as mãos de ricardo). marcelinho timidamente beijou meu peito e depois pediu para irmos embora.
começou o meu segundo dia com ricardo. na faculdade não conseguia tirar da cabeça ricardo beijando e chupando o meu peito. ao chegar em casa da faculdade, fiquei esperando ricardo ligar. após 30 minutos de espera, eu liguei. ricardo maldosamente perguntou se eu estava querendo mais. desconversei e disse que precisava falar sobre as fotos. ricardo disse: – venha, estou te esperando. fui imediatamente. vestia um vestido de algodão de alças sem soutien.
ricardo me recebeu com um beijo na boca. me pegou pela mão e imediatamente me levou ao seu quarto. não resisti. deitamos na cama e começamos a nos beijar. correspondi plenamente os seus beijos. nossas linguas se misturavam enquanto nos chupavamos. suas mão procuraram os meus seios e ricardo os apalpou por sobre o vestido. senti os biquinhos se endurecerem. ricardo passou a mão por baixo do meu vestido e o suspendeu e o tirou. fiquei de calcinha. pela primeira vez estava de calcinha na cama com um homem. pedi a ricardo que nos cobrissemos com um lençol. ricardo permitiu e puxei um lençol ficando apenas os meus seios a mostra. ricardo entrou em baixo do lençol. e continuou e beijar meus seios. de repente senti algo quente e duro tocando minhas coxas.
– ricardo, vc está nu? exclamei.
ele me repondeu com um chupão de lingua e levando a minha mão ao seu pinto duro. senti uma coisa grossa, dura e pulsante em minha mão. nesse instante ricardo beijava meu peito e começou a introduzir a sua mão dentro da minha calcinha. senti tocar os meus pelos pubianos segurei a sua mão.
– relaxa, gata. sussurou ao meu ouvido.
abri lentamente as pernas e deixei que a sua mão chegasse a minha vulva. senti seus dedos explorando os meus grandes lábios e meu clitóris. sentia-me encharcada. ricardo começou a me masturbar em movimentos ritmicos. nada dizia, mas a minha respiração denunciava o meu extase. gozei pela primeira vez na vida. ricardo disse ao meu ouvido:
– quero te comer.
– hoje não.
estava consciente que mais cedo ou mais tarde ricardo iria me comer mas queria tentar fazer com meu noivo me tirasse a virgindade.
ricardo me colocou a masturbá-lo. peguei o seu cacete e comecei com movimentos de vai e vem, seguindo as ordens de ricardo fui aumentando o ritmo. ricardo gozou jorrando esperma sobre mim toda, até no meu cabelo.
a noite voltei ao drive-in com o corno do meu noivo decidida a fazer ele me comer. fui com o vestido mais curto que eu tinha e mais fácil de tirar. nos beijavamos e nada. até que tomei a iniciativa e tirei o vestido e fiquei de calcinha meti e mão dentro da calça de marcelinho, mas alem de nervoso e inesperiente que era gozou na minha mão antes mesmo de tirar o seu pinto fora da calça.
no terceiro dia logo cedo encontrei ricardo na academia. quase que não consigo completar os meus exercicios. após a malhaçao, ricardo sugeriu:
– mata essa faculdade hoje e vamos lá para casa.
concordei e fui direto para a sua casa.
ricardo me beijou longamente e me ofereceu o banheiro do seu quarto para tomar banho. aceitei. achei estranho que o banheiro não tinha chave.
tirei a roupa, permaneci com a parte debaixo de um biquini que eu vestia e entrei embaixo do chuveiro. cerca de um minuto depois a porta se abre. é ricardo. ele tirou a sua toalha e completamente nu entrou embaxo do chuveiro. sentia o seu pau toocando minhas coxas enquanto ele me beijava. começou a me ensaboar os peitos, as coxas, minha bunda e colocou a mão dentro do meu biquni. com as suas mãos ele tirou a ultima peça de roupa que me restava. ricardo em levou molhada ainda para a sua cama e tirou toda a agua do meu corpo com a sua língua. deteve-se e, especial com o meu sexo.
me chupou, enfiou a sua lingua, me lambeu me fez gozar. foi subindo, me beijando as virilhas, as coxas, o umbigo, os peitos e me beijou a boca. sussuro ao meu ouvido:
– vou te foder.
– me fode ricardão. me fode.
dizia algo inimaginavel para mim. senti que o seu cacete, resvalou e escoregou, então levei a minha mão até o seu cacete e coloquei na entrada da minha bucetinha virgem e disse:
– mete, meu macho. mete devagar, mas mete.
ricardo obedeceu e foi me rasgando. senti um filete de sangue escorrendo. depois de todo dentro ricardo começou a bombar. o movimento de vai vem me fez gozar gostoso e gemer baixinho. ricardo gozou dizendo no meu ouvido:
– minha putinha, to gozando, te enchendo de porra, minha bucetinha.
tomamos banho ricardo me ensinou a chupar o seu pau dentro do banheiro.
fodemos o dia inteiro. foram mais 5 vezes, em várias posições.
a noite transei com meu noivo no carro e simulei que estava doendo e ele nem desconfiou.
continuo trepando com o meu ricardão apesar de estar casada ha 1 ano e meio.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,50 de 4 votos)
Loading...