# # #

Sardinha engravidou de seu papai Parte 3 & 4

1186 palavras | 7 |4.50
Por

Hoje é uma data muito importante pra Sara a menina tem 10 anos e sua primeira menstruação desceu. Seu ciclo menstrual acontecer tão cedo pode ser explicado pelo fato de muito cedo ela já ter sido exposta a estímulos sexuais, isso fez com que seu corpinho entendesse que ela já estava pronta.
Sara está descobrindo que ser mulher não é fácil, cólicas estão fazendo a menina choramigar na cama. Seu papai está deitado junto a menina com uma compressa quente contra a barriga dela.
-Papai tá doendo!
-Eu sei amor o remédio logo vai fazer efeito.
As férias dos dois estava arruinada, sua iria passar um mês fora de casa, deixando os dois livres para curtir juntos. Semana passada seu pai tinha decretado a lei sem roupa só os dois nus podendo fazer o que quiser. A rotina consistia nela acordando na cama do casal, com o pai já em cima dela., Antônio a acordava beijando e chupando os dedinhos do pé dela após lambuzar o pezinho levava em direção ao seu pau é um usava para se aliviar, Sara sentia o pau duro conta seu pé, o pai gozava nos pezinhos da filha e os dois iam tomar o café da manhã. Depois do café os dois iam brincar, nesse momento o homem se permitia ser infantil, as brincadeiras começavam inocentes, mas no final sempre terminava em um sexo oral, segunda, quarto e quinta terminou com Sara sentada no rosto do pai, o homem a chupava e a menina gemia rebolando no rosto de seu pai. Após o almoço era a hora de descansar, os dois se deitavam na cama e o pai colocava um pornô para assistir, geralmente o contudo desses vídeos era infantil, depois que a menina dormia o homem aproveitava para abusar dela, Antônio enfiava seu pau dentro da menina devagar para não acorda-lá. Após o jantar Sara e seu pai tomavam banho juntos se preparando para o sexo.
A rotina dos dois teve que ser interrompido pois o corpo de Sara estava se desenvolvendo.
-Agora o papai vai ter que te mais cuidado para não engravidar minha filhinha.
-Crescer é uma droga.
-Eu sei minha nenê, mas é a natureza não podemos mudar isso. A dor já passou?
-Sim não tô sentindo mais nada.
-Então tudo bem o papai gozar dentro de você ? – Antônio perguntou beijando a orelha da menina.
-Mas papai eu ainda tô sangrando o senhor vai ficar sujo.
-Não tem problema
Antônio a deitou no chão para não sujar a cama, forrou o travesseiro e o usou para elevar o bumbum da menina. O sangramento era um ótimo lubrificante, o pau dele entrou com facilidade, mesmo sujando seu penis com o sangue da menina ele continua socando na filha. Gozando dentro o pai admirou a bagunça que a bucetinha da filha se encontrava, com a porra dele vazando dentro dela se misturando com o sangue da menstruação.

(Oi se você leu até aqui tenho algumas avisos. Primeira essa é um história de várias partes onde iremos acompanhar o relacionamento de Sara como seu pai do início até a gravidez dela. Segundo essa é uma história ficcional, só estou expondo para fora pensamentos pervertidos meus então nada de comentários dizendo “Nossa que mentira e bla bla bla”. Terceira nada de julgamentos sou uma pervertida por escrever tudo isso, mas você também é eu sei que gostou. Beijos até a próxima.)

Parte 4

Sara está grávida de 7 meses de seu pai, não é uma situação fácil ter que receber olhares das pessoas a julgando e se questionando como uma garota tão nova engravidou, mas Antônio, seu pai faz com que esse sacrifício valha a pena.
A gravidez era uma situação inevitável para Sara, ela e seu pai constantemente fazem sexo e o homem não consegue se controlar e sempre gozava dentro dela. Mesmo a menina tentando se previnir acabou engravidando. Ela lembra das conversas safas que seu pai gostava de ter durante o sexo.
-Olha com sua bucetinha sugar meu pau, você quer meu leitinho dentro de você quer, quer que o papai goze dentro da putinha dele.
-Sim papai siiiim
-Minha putinha vai engravidar do papai dela.
Agora Sara se encontrava com uma barriga de 7 meses carregando a filha deles, que também era sua irmã. Quando Sara descobriu a gravidez que queria esconder de todas, pós sabia que nunca poderia revelar o pai, mas era inviável que as pessoas descobrirem que ela estava grávida, ela só se permitia se sentir feliz quando estava sozinha com o pai. Sara amava o pai como um homem e carregar um filho de seu homem era uma honra para ela, ver a felicidade do pai ele beijando sua barriga comemorando a chegada de uma menina. O médico anunciando que seu bebê era uma menina Sara chorou, junto ao pai pesquisaram nomes para a menina.
A mudança no corpo de Sara a fazia ficar horas no espelho, o corpinho magrinha agora se encontrava com quilos a mais, a barriga visivelmente grande a deixava orgulhosa, seus seios que antes era difícil achar sutiãs do tamanho pequeno, agora se encontravam maiores por causa do leite que está produzindo para alimentar sua filha. Seus mamilos se encontram tão sensíveis e seu pai se aproveita da situação, os hormônios da garota gritam ela se sente no cio.
Sara se encontrar de cabecinha e top branco sentada na cama enquanto seu pai está sobre ela nu, ele cutuca a cabecinha de seu pau sobre os mamilos delas que está cobertos por uma fina camada de tecido. Antônio devagar passar a cabeça de seu penis nos mamilos da filha, o pré gozo molha o tecido fazendo que ele fique transparente, Antônio tem uma prévia de como a filha vai ficar com os seios vazando leite e deixando o tecido da blusa molhado.
-Papai por favor- geme a filha
-Calma amor.
Ele massageia os bicos de seu seios torturando a menina.
-Mais papai mais aaaaa
O pai levanta o top da menina libertando os seios e os apertar.
-Sim aaaa sim papai sim aaaaa.
Só a brincadeira com os peitos de Sara a fizeram gozar. A calcinha da menina agora está completamente encharcada. O homem a fasta a calcinha e cutucando a cabecinha de seu pau no grelinho dela.
-Papai por favor me come por favor
Antônio continua com a tortura e só esfregar a cabecinha de seu pau no seu clítoris. Quando vê que a filha já está em seu limite o pai finalmente a penetra, ele da o que ela precisa e soca forte dentro dela, logo Sara gozar mais uma vez.
Sexo com a filha grávida é animalesco, necessitado, os hormônios a deixam carente por pau e ele precisa alimentá-la.
Antônio termina de gozar e parece muito satisfeito.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,50 de 36 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

7 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Armando ID:muiq6oxv1

    Sr. Autor!
    Lindo demais! Aqui no CNN encontramos muitos contos de teens e pré…. , mas muito raro teens (ou pré) grávidas ou ao menos tentando… Porque aos 7, 8.. é muito raro… Mas aos 10 ainda é muito lindo e fofo, especialmente quando é uma filha-neta que está na barriga da filha-mulher e já recebe os carrinhos do papai-vovô….

    Lindo. Obrigado! Envia mais, se puder!

    Armando

  • Responder LB ID:1d0o7yz73c11

    Partes 5 e 6?

  • Responder jraju ID:8fdzsci8ytp

    kkkkkk a historia é ate engraçada parece um desenho japones
    eu emgravidei minha esposa ela com 11 anos e a realidade é bem diferente.
    mais o conto é divertido
    tele: josepherreira chama

  • Responder Defensor do incesto ID:1df1c2b0a43o

    Nossa amei esse conto, continue!

  • Responder Adamus ID:16nrho424h2r

    Ridículo

  • Responder @CMoura36 ID:1ck9clcepv59

    Leitinho pra duas putas

  • Responder Mmkk ID:1e2hi9egfoyy

    Kkk