# # #

Obsessão por Boquinhas

1518 palavras | 15 |4.14
Por

Desde adolescente, meu maior prazer é amamentar meninas e meninos. Sabe por onde?

Venho fazer aqui uma confissão, na verdade é um desabafo sobre um fetiche, uma obsessão um tanto incomum e que se por um lado as vezes me incomoda bastante, com muito remorso do porque sou assim, por outro me traz um prazer e satisfação que não consigo ter em relacionamentos mais “regulares” que a sociedade impõe. Gostaria sinceramente de saber por outros se eu tenho algum problema ou apenas uma tara incomum.
Com 13 pra 14 anos, percebi que era bem greludinha. Percebi isso principalmente me comparando com fotos pornô que via na internet. Algumas eram greludas, outras não, mas o fato é que me senti orgulhosa por ter xoxota com lábios carnudos e me excito muito fácil com este “dote”.
E ao longo dos anos fiquei mais greluda ainda. No verão seguinte, fomos passar uma semana na praia em uma casa alugada e ao ajeitar minhas roupas no quarto em que ficaria com minhas primas, que viriam só no dia seguinte, em uma das gavetas, achei um estojo, possivelmente esquecido pelo último inquilino. Ao abrir… que surpresa! Um pênis de borracha de tamanho considerável deixado ali.
Aquilo passou a ser meu brinquedinho constante em substituição a alguém de verdade. E se já era greludinha antes, aquela pica deixou minha buceta com lábios mais carnudos ainda.
Foi também aos 13 anos que essa tara louca foi despertada, quando em visita a parentes fucei um quartinho da casa que servia como depósito de quinquilharias. Em um armarinho achei uma pilha de revistas porno. Entre elas algumas de quadrinhos. Gibis eróticos. Eram antigas – acho que meados dos anos 80 – e importadas, com diálogos parecendo ser francês. E uma delas me deixou louquinha: “uma dama com jeito de Malévola e bem gostosa – os quadrinhos eram bem desenhados – obrigava uma menina, que parecia ter menos de 10 anos, a chupar sua buceta”.
Achei delicioso aquilo: “a garotinha de joelhos e mãos atrás das costas mamava o grelo avantajado do que parecia ser sua madrasta.” Pelo que entendi, ela só poderia ir para cama quando terminasse o serviço, ou seja, fazer a mulher gozar em sua boca.
Ao ver aquilo, me deu um desejo enorme de ter uma menina dessas pra mim e dar de mamar a ela pela xoxota.
Até hoje não sei porque tenho tanta atração por isso. É claro que toda mulher gosta de ter sua buceta chupada, mas comigo o prazer maior era se isso fosse feito por uma menina ou menino.
No início, fantasiava com uma boneca que ganhei quando pequena ou com algum bicho de pelúcia. Deitava na cama e esfregava eles na xota até gozar, imaginando um infante de verdade ali entre minhas coxas.
Mas felizmente, ou não, hoje aos 28 anos, confesso já ter realizado essa fantasia louca com três. Exatamente, já dei de mamar pela xoxota a duas meninas e um menino e para mim foram os momentos mais prazerosos que senti até hoje.
É claro que, para seduzi-los, não agi como a dominadora dos quadrinhos. Agi sim com muita sutileza e cuidado para saber se poderia ir adiante ou não.
Percebi que em todas as vezes, ainda há neles contido o instinto de mamar. Era impressionantemente prazeroso a forma como faziam. É claro que eu usava um truquezinho que ajudava muito. Antes de amamentá-los fazia um cremezinho juntando leite em pó com creme de leite ou sorvete ou iogurte… qualquer coisa deixasse a pasta bem grudenta e adocicada. Então passava um pouco na parte interna dos lábios carnudos da minha xana, deixando eles bem grudadinhos.
Minha buceta fica parecendo que tem uma língua saindo dali. E aí não tem jeito. Eles vem como abelhinha indo pro mel. Abocanham a “língua” e mamam que é uma maravilha. E eu tenho que me conter pra não gozar logo porque o prazer, principalmente de ver aquilo é inimaginável. Me sinto uma nutriz amamentando de verdade. Só que pela buceta.
E pensando bem, de certa forma é verdade, pois alimento eles com a mistura da pastinha que preparo junto com o meu néctar. Eles adoram e querem sempre mais. Então sou obrigada a alimentar suas boquinhas famintas com meu grelo.
Não vou entrar em muitos detalhes de cada uma das minhas “prezas” que atraí pra minha xota. Daria um relato a parte de cada uma delas e das inúmeras mamadas.
O que posso dizer foi que minha primeira foi com minha priminha Eduarda (Dudinha), então com 7 aninhos. Estava na graduação, então com 19. Alimentei ela por mais de um ano.
Uma de suas manias era as vezes vir ao meu quarto dizendo que não conseguia dormir ou as vezes me chamava do seu quarto quando havia trovoada porque estava com medo. Mas o que ela queria mesmo era mamar. Então preparava meu grudento creme adocicado para amamentá-la.
Em pouco tempo estava ajoelhada na cama na altura de sua cabecinha, elevada por travesseiros e com boa parte da minha “língua” da buceta em sua boca. Adorava vê-la pelo espelho do toucador. Coelhinho de pelúcia em uma das suas mãos, a outra acariciando minha fita de perna que gosto de usar e a boquinha no grelo. Não preciso nem dizer que o gozo era intenso. Dava pra sentir ela sorvendo todo o creme junto com meus sucos. Sugava todo seu lanchinho como uma boa menina.
Depois veio o Marcelinho, com 8, meu meio irmãozinho. O danadinho gostava de assistir TV comigo com minha pélvis servindo de travesseiro pra ele. Um dia estava só de sainha e calcinha transparente (claro que fiz de propósito) e o safadinho me pediu pra tirar a calcinha pra deitar o rostinho em meus pelos. Atendi seu pedido, não sem antes de ir a cozinha e preparar minha pastinha e deixando meu grelo bem pra fora.
Voltei pra sala só de sainha e calcinha na mão. Deitei no sofá, postei uma perna apoiando sobre o encosto e a outra dobrada sobre a almofada. Ele ficou olhando abismado aquela “língua”. Era quase um convite pra botar a boca ali.
Botei a mão na parte superior da minha xota de pelos curtos e disse maldosamente:
– Agora deita aqui. É só pra deitar e dormir entendeu?
Falei só pra ver se ele iria fazer isso mesmo. Claro que não. Sabe quando você pega um cachorrinho que nasceu a pouco tempo e ele fica fuçando, fuçando até achar a teta pra mamar? Foi exatamente isso que ele fez. No escuro da sala iluminada apenas pela TV, o espertinho foi descendo aos pouquinhos até achar o que queria. Primeiro só encostou os lábios no grelo. Depois foi abrindo aos pouquinhos a boca e envolvendo o que podia do meu generoso clitóris, mas sem mamar. Apenas deixando-o na boquinha.
Olhar aquilo era lindo demais. Minha excitação estava a mil. Com uma das mãos, comecei a acariciar levemente seus cabelos castanhos. Foi como se tivesse dado a ele um sinal de que estava liberado. O danado começou então a mamar com volúpia meu grelão e é claro não demorou muito para eu explodir em um gozo avassalador.
O estranho é que quando começaram a crescer eu simplesmente fui perdendo o interesse. E quando achava que esse tipo de coisa jamais voltaria a acontecer comigo surge outra menina em minha vida para me atentar, provocar meus desejos mais insanos.
Uma amiga minha, mãe solteira e um tanto porra-louca, que não cabe aqui detalhar, deixou sua filha comigo por enquanto, pois não se dá bem com a família. Ulyana foi acolhida por mim a pouco mais de seis meses e a cerca de três, venho tratando ela pela xoxota. O que eu posso dizer sobre ela?Mama que é uma beleza. Dos três ela é a mais carente de todas. Adora se aninhar em minhas coxas para mamar e as vezes chega a dormir na minha buceta, com meu grelo em sua boquinha, como se fosse uma chupeta.
É claro que também dou prazer a eles, principalmente no banho. Adoro brincar com eles com o chuveirinho e o esfrega, esfrega da esponja. Mas o que eu quero mesmo e amamentá-los pela boceta.
No entanto me perturbam certas cobranças que eu mesma me faço. Tenho poucos relacionamentos, mesmo porque não sinto a intensidade de satisfação com pessoas da mesma idade. Muitos amigos e a família principalmente acham muito estranho esse meu comportamento, mas nem imaginam porque. E olha que me considero bonita. Cabelos negros, olhos castanhos, rosto um tanto parecido com a Winona Ryder (quando jovem) e um corpo atraente.
Mas o que tenho medo mesmo é que as vezes tenho desejo de ter um filho. Acho que nunca vou ter um. Já pensou? Quando ele ou ela chegar a idade escolar e então passar a amamentá-lo… pela buceta.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,14 de 29 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

15 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Amante de latinas ID:8d5un33t0d

    Lindo relato e muito gostoso. Adoraria ler mais sobre

  • Responder Tina ID:g3irnks42

    Que fetiche delicioso. Se o relato é verdadeiro, não sei. Mas dar de mamar pela xaninha… já fiz e recomendo.

    • Lala ID:1d9a9j8xa44l

      Deixa eu te mamar? Me chama no ZAP

    • [email protected] ID:40voww32qri

      Lindooo tema lésbico. Também sou do tempo de revistas pornôs..Que saudades! Serás Benvinda Márcia Emo no meu email . Parabéns por ser greluda.

  • Responder John Doe ID:1m9k7gidh

    O conto é bom, é bem escrito e excitante. Mas numa leitura mais crítica, traz alguns indícios de fantasia masculina, o que leva a crer que foi escrito por um homem:

    1. Pela probabilidade, não está entre as fantasias femininas mais comuns. Já vi contos de mulheres que tem fetiche de amamentar pelo peito. Pela xoxota, é no mínimo incomum, por isso o artifício do creminho.

    2. Narrativa muito focada na excitação visual da autora/personagem. As mulheres costumam ser mais guiadas pela emoções/sensações.

    3. Essa é a mais gritante, quem no Brasil se chama Ulyana? Isso é nome feminino do leste europeu rsrs. Juliana passava, mas quando você se inspira nas modelos como personagem sem trocar o nome, transparece a ficção.

    Crítica respeitosa e construtiva, a ididéia e intenção valeram.

  • Responder Karol ID:8cipn16u41

    Que relato maravilhoso, tenho alguns também com minha filha, mas tenho medo de expor aqui. Se tiver e-mail, a gente poderia falar mais sobre isso por lá

    • Fgf1969 ID:1dq2ryr47teo

      Tele:Fgf1969. Adiciona

    • Lala ID:1d9a9j8xa44l

      Karol qual teu e-mail? Para conversarmos sou M

    • Alícia ID:140mxdmzw68z

      Amiga, é um site de contos não tem nada de errado, é só não colocar nenhum conteúdo desse tema e tomar cuidado com as informações pessoais e se tem desejos eu recomendo você a contar ( q eu tbm to curiosa hahaha ) e trocar emails pra ver se as experiências batem.

    • Leitorcasado ID:sc2rz2doq1v

      Eu vejo mais veracidade nos comentários. Só te trocar emails eu já falei com várias daqui mas nenhuma leva a sério a conversa por mais que a gente tente

    • @JVictor0 ID:81re1pbfid

      Poxa Karol, divide sua história gostosa com a gente, queremos gozar

    • bc ID:1eopy05i7uqf

      conta sua historia

    • Márcia Emo ID:g3irnks41

      Relatar por email? Torne público primeiro anonimamente. Depois a gente se contacta.

    • Talita ID:6nzrkvhnmdu

      Tenho muita vontade com meus irmãos e gemia alto pra eles perceberem, recentemente comecei a conversar sobre essas coisas com minha irmã e ela agora fica perguntando e eu já fico com tesão só de conversar.

  • Responder viadinho ID:1eu8i93o4g2y

    Que lindo e excitante…ameeeii