# #

Fui comprar uma casa e ganhei sexo com a dona

2023 palavras | 2 |4.41
Por

Fui adquirir uma propriedade e ganhei boceta molhada e cu quentinho.

Preciso relatar essas experiência surreal. Trabalho com FII ( Fundos de Investimento Imobiliário) e acabei comendo a dona de uma casa que compramos.
Tudo começou na última segunda, quando meu chefe pediu para que eu descesse a serra para avaliar uma casa no litoral. Fui de SP até Bertioga na terça, pela manhã, chegando lá antes do almoço.

Ao chegar na cidade a dona da casa, Sheila, me avisa no ZAP que poderia almoçar lá, e ela fazia questão. Como vamos pagar mais de 20% acima do valor de mercado acho que a dona ficou contente e quis fazer de tudo para fechar o negócio. Vi pela foto em seu contato que era uma mulher jovem, uns 30, 32 anos… não mais do que isso.

Pois bem, cheguei na casa pouco antes do meio dia, faminto… Toco a campainha e sou surpreendido por Sheila, de shortinho e top, sem calcinha e sem sutiã. Estava de chinelo e cabelos presos. Podia ver suas curvas e formas perfeitamente. Ela é morena, estatura média, coxas firmes e bunda durinha…uma mulher gostosa, que dá tesão em qualquer macho.

“Bom dia, Gab né?” disse ela.
“Bom dia… Sheila correto”? respondi.
Nos apresentamos e fiquei encantado com sua gentileza e seu sorriso. Ela me convidou pra entrar e me levou até a cozinha. Havia preparado um baita almoço, com frutos do mar, incluindo mariscos e umas ostras.
Ela estava sozinha e me serviu, enquanto contava sobre sua separação: “Essa casa me faz lembrar meu ex, ele me chifrou, mas a casa é minha…quero vender logo pra mudar-me pra outra cidade”
Sentei na mesa, na sala, de frente para a cozinha…fiquei secando ela de costas, pensando como faria pra comer aquela desquitada.
Logo ela veio por meu prato, tinha peixe, arroz, salada…nessa ela chegou bem perto de mim, e pondo os talheres e etc. ela acabou dando com seu peito enorme em meu rosto…ficou meio sem graça e passou a mão na minha barba quase que instantaneamente: “desculpe querido”…
“Tudo bem” disse eu…
Comemos e ficamos na mesa conversando.
Logo ela serve uma bandeja de ostras…
“Ostras são afrodisíacas” diz ela…
“Eu sei, sempre fodo muito minha namorada quando como ostras”, disse isso logo pra ver qual era a dela.
“Eu adoro…fico muito molhada, confesso que gosto de foder muito após ostras e um vinho” disse ela com um sorriso que pedia pica.
Nessa saímos pra parte externa do terreno, eu vou avaliando mais sua bunda do que a casa, ela vai na frente e eu atrás mordendo a boca cheia de água, doido pra chupa-la e mostrar minha gratidão pelo almoço e sua gentileza.

La fora ela começa a mexer num canto, pra mostrar que tinha uma tubulação rachada. Aproveito e fotografo seu traseiro.

Nessa eu anoto algumas coisas, mas já confirmo que dentro de 15 dias o dinheiro cairia na conta. Bastava assinar o contrato. Entramos e ela assina alguns papéis, eu tbm em nome da empresa, e quando ela se curva na mesa pra assinar eu já colo atrás.
Meu pau já estava duro e eu confronto ele contra a bunda dela…ela não reage, termina de assinar e pega minhas mãos, abraçando ela…
“Já fechamos o negócio, agora vamos comemorar”? Digo eu.
“Vamos gato, vou pegar o vinho” diz ela.
Ela abre uma estante na sala e tira um vinho, duas taças e serve. Eu sento no sofá e não tiro os olhos dela, meu pau já babava…aquelas ostras me deixaram muito duro, meu pau chega doía, precisava meter pra aliviar-me.
Ela volta com as taças e a garrafa, senta no meu colo e vamos bebendo enquanto ela comenta:
“Nossa…você já tá no ponto” enquanto roçava levemente a xota no meu colo.
“Você me deixou muito duro, vai ter que dar conta agora meu bem”, respondi soltando seus cabelos.
Sobe um cheiro gostoso do cabelo dela e eu chego perto da orelha, beijo, passo a língua de leve…
Terminamos as taças e ela põe junto a garrafa no chão.
Sheila se vira e levanta o top expondo suas mamas…que peitos…firmes, joviais, com mamilos grossos e escurinhos…
Ela pressiona seus peitos na minha cara…
Eu começo a me deliciar com eles, mamo, mordo, chupo, beijo…ela tira minha camisa polo.
“Nossa que corpo em”, e vai passando as mãos no meu peito…
Deixo ela toda babada, até que levanto. Não aguento mais meu pau chorando na cueca…tiro meu sapato e calças, fico de cueca que já estava quase rasgando com a cabeça esticando, furando o pano.
Ela elogia meu pau:
“Nossa me dei bem, além de gato é pauzudo”
Ponho pra fora e ela ajoelha, pega nele vai punhetando de leve, dava pra ver em seus olhos como gosta de um caralho rígido. Então ela abocanha, eu sento e ela vai mamando…e que mamada…chupava da cabeça até as bolas, babando muito… Ela começou a engolir meu pau de 18cm e fui relaxando…que delícia…mas não queria gozar… Ela fazia garganta profunda e lambia meus ovos …tirava da boca e abocanhava o saco … Parecia que tirar um pedaço fora…
Fico avaliando ela quase de quatro, e enquanto ela chupa eu puxo o shortinho dela, quase rasgando, feito um estilingue.
Nisso ela me chama pro quarto, pega a garrafa e vamos tomando mais uns goles.
No quarto ela abaixa o shorts, finalmente, e expõe sua buceta lisinha, inchadinha de sangue, avermelhada… Deita na cama de perna aberta e pede:
“Pra comer tem que lamber antes”
Eu vou pra cima e caio de boca em sua buceta, deliciosa…tão boa quanto as ostras … Ela vai gemendo, se fazendo na minha língua, então eu pego a garrafa de vinho e começo a brincar com ela:
Meto a boca da garrafa em sua boceta e brinco com seu grelo, rígido e inchado…estava quentinha e soltando muito mel de xana.
Até que ela anuncia que gozaria, eu tiro a garrafa e boto a cabeça da minha pica.
“Isso, me fode, quero pau de carne” diz ela.
Nem cogitei por camisinha ou perguntar sobre, apenas comecei a penetrar, cada vez mais fundo, o que foi fácil pois ela estava muito molhada.
Fui fodendo, ela gemia como se relaxasse gostoso na minha pica, e eu adorei isso.
“Toma amor, me fez um almocinho gostoso e agora eu te como de sobremesa” falei enquanto apertava seus peitos e fodia.
Ela gozava, se contorcia na minha pica, gemia feito uma virgem e eu suava em cima dela, beijava sua boca e nossas línguas davam nós…
“Me come de quatro gato”…ela vira e empina o cu na minha direção. Antes meto o dedo na sua Xana úmida e ponho na sua boca: “toma, prova da sua xaninha”…passei meu dedo babado de xota na carinha dela e ela adorou, ria e mordia meu dedo com os olhos fechados em puro êxtase. Sempre faço isso quando fodo uma mulher, é minha marca…
Começo a bombar nela de quatro e a sensação absurdamente maravilhosa me faz querer dar uns tapas na sua bunda, ela geme, adora meus tapas…
Fodemos assim um bom tempo, ela começa a dar bundada em mim, mostrando que é treinada e sabe foder uma rola. “Isso, escorrega gostoso no meu caralho” falo eu, e ela responde: “delícia, quero deslizar até me encher de porra”
Dito isso eu tiro o pau de dentro e puxo ela, dou uma paulada no seu rostinho, que fica sujo de suco de xana e marcado pela violencia com que bati. Ela é proativa e põe a língua pra fora: “vai me dar leitinho na boca”?!? Já estávamos ali há quase duas horas, mas eu não gozava, as ostras haviam me deixado insanamente rígido e afim de sexo.
Ponho ela pra mamar e vou pensando, até que puxo a garrafa e pergunto se ela faria uma DP…
“Não amor, meu cuzinho é virgem” diz ela
“Vamos, preciso ejacular…vou botar só a cabeça e gozar no seu cuzinho bem”…respondo.
Boto ela de bruços na cama e enfio a boca da garrafa na Xana, começo então a chupar seu cuzinho. Ela vai relaxando e eu vejo que já está no ponto, com a garrafa socada na boceta eu então começo a pressionar a cabeça contra seu brioquinho selado e lisinho.
“Aiii”, “uiii”, ela vai gemendo até que rompo o esfincter de seu ânus. “Ahhh ela geme mais alto, e vejo caminho aberto pra botar tudo”… Vou cuspindo e encaixando, e logo já estou com as bolas tocando sua boceta…podia sentir com o saco sua Xana molhada… Começo a foder mais intensamente, vou gemendo junto com Sheila…há muito tempo não fodia um cú tão apertadinho e quentinho. A garrafa sai de sua xota com o movimento.
“Amor goza logo, não vou aguentar” disse ela, e eu com os olhos fechados, botando e tirando, quando eu tirava, deixava a ponta da cabeça dentro pra manter o caminho aberto pro pau, e ela suspirava de alívio, logo eu metia de volta, esfregando meu saco em sua bunda.
“Goza amor, não vou aguentar”, diz ela novamente, já quase chorando.
Eu então esporro com sua súplica, e gozo muito…há uma semana não comia minha namorada que estava gripada e menstruada…”caralho gozei muito”, e ela relaxada, agarrando a roupa de cama: “amor to sentindo tudo, quentinho na minha bunda” fala com ar de alívio, pois acabara de ser arrombada.
Eu tiro a pica meia bomba de dentro e tenho a surpresa: a cabeça de minha pica suja de porra e merda… Escorre porra grossa meio amarelada de fezes…
Sobe um cheiro de cocô e ela fala: “desculpa, nunca tinha feito anal, não assim””
“Relaxa amor”, eu abraço ela com a pica sujinha, por traz, e digo no pé do ouvido: “o importante é que gozamos muito né”!? Ela responde que sim e me beija, sorrindo.
Vamos até o banheiro, ela senta no trono e libera o resultado de nossa foda anal. “Não precisa se envergonhar, quem quer cu tem que lidar com essas coisas” digo eu, enquanto entro no box do chuveiro. Ela agradece a minha compreensão e vem me abraçando, e vamos nos lavando. No banho eu ensaboo ela e ela lava meu caralho. Enquanto punhetava meu pau com sabão acabou ficando durasso novamente, e ela diz que precisamos ser rápidos pois estava quase anoitecendo. Ponho ela contra parede e digo: “você queria porra na Xana né “???
“Isso”, ela pede, enquanto abro suas pernas enquanto a água cai em suas costas. Boto a pica FACILMENTE em sua buceta e torno a fode-la. Vou fodendo e ela vai brincando com o grelo enquanto eu meto.
Logo gozo, finalizamos com um abraço gostoso e nos secamos.
“Adoro ficar com a Xana assim, gozada” ela me conta.
“Estava com saudade de um macho”, ela diz isso olhando nos meus olhos, quase pedindo pra eu ficar, morar com ela para podermos todo dia.
Após me vestir ela ainda me deu o perfume que era do ex, disse que não precisava mais. Eu dou um beijo longo e molhado nela antes de entrar no carro pra subir a serra…e que viagem, refletindo sobre a tarde maravilhosa.
Chegando em casa ainda estava cheio de tesão das ostras mágicas de Sheila e fui atrás de minha namorada, confesso que fodi ela pensando em Sheila, quem sabe não nos vemos novamente…

Espero ligar pra ela, próximo feriado descer a serra e foder novamente. Ela ficará na casa mais 30 dias e vou lá entregar linguiça e leite pra desquitada.

IMG-20231119-221946

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,41 de 27 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Dante17y ID:dloxfsj43

    Cara ótimo conto muito bom

  • Responder Marcio ID:1eqe5zvwcbrf

    Caralho q delicia em