# # #

Primos e Irmãs apaixonados PT 10 (O RETORNO)

3448 palavras | 5 |5.00
Por

Eu voltei, espero que tenham sentido saudades…

Olha só quem voltou? Kkkkkkk. Pra quem não me conhece, meu nome é Vanessa, contei algumas experiências minhas aqui em 2020 e 2021, contando como eu me apaixonei pelo meu primo e iniciei sexualmente minha irmãzinha de 7 anos, Manuela.

Vou ser sincera com vocês, minha vida atualmente não é uma fantasia sexual, atualmente moro com meu primo/esposo Gustavo, e não, não fico 24 horas quicando no pênis dele como alguns contos dão a entender. Nem de longe somos perfeitos, nós temos contas pra pagar, brigamos de vez enquanto, temos problemas ainda de aceitação e muitas vezes (Principalmente da nossa família), chegamos cansados do serviço e nem trepamos (Quem disse que vida de casado é fácil? kkkkk).

Enfim, eu atualmente tenho 24 anos, voltei a ser loira, ainda gosto dos meus cabelos curtos (apesar de ele estar quase no meio das minhas costas), meu corpo é bem definido pois eu faço academia e adoro me cuidar, e sim, ainda sou apaixonada pelo meu primo Gustavo, e ele por mim.

Manu agora com 18, corpo de mulher, sorriso de criança, namora uma amiga de infância chamada Eduarda (Acho que ela contou o primeiro caso delas) e a Manu sim, é uma ninfomaníaca kkkkk (Talvez por ter iniciado muito cedo, ela se apegou ao sexo como se fosse um Hobbie). Eu raramente faço sexo com minha irmã atualmente, já que ambas temos nossas vidas, eu trabalho, ela trabalha, quando nos vemos é no máximo um selinho (Apesar de Manu ainda querer fazer sexo comigo), ela sim deve ter diversas experiências, já que ela já namorou tanto mulheres quanto homens quando mais nova (apesar de sempre ter uma preferência por mulheres).

Gustavo é meu amor proibido, tem atualmente 27 anos e pensa num homi gostoso (Ele me deixa louca as vezes), ele é responsável, ele é gostoso, ele é lindo, ele é gostoso, sensato, gostoso, romântico, gostoso, sarado, gostoso, fofo, gostoso, carinhoso, gostoso, eu já disse gostoso? Kkkkk. A gente não se trata como primos a anos (acho que ele até esqueceu que somos da mesma família kkkk). Desde que viemos morar juntos como um casal, a gente meio que não consegue mais enxergar um relacionamento incestuoso entre nós, é como se fossemos de famílias diferentes e acabamos nos apaixonando e ficando juntos (Se vocês soubessem da desgraça que foi a nossa luta pra ficar junto, minha vó quase infartou, mas isso fica pra outro relato).

Bom, sei que a maioria de vocês não se importa com detalhes, só querem mesmo e ver a chapuletada no pandeiro (É um ditado aqui da minha cidade kkkkk).

Isso aconteceu ano passado, foi num feriado regional da minha cidade, eu acordo era umas 11:30 da manhã e o Gustavo não estava lá, aquele safado. Eu vou pro banheiro, escovo os dentes, lavo meu rosto e vou pra sala, eu vejo o bonito assistindo jogo de futebol internacional (Nunca entendi essa tara dos homens por futebol internacional, não é nem do nosso país, aff). Eu ponho minhas mãos na cintura e faço o meu famoso olhar bravo, e dou aquela coçada de garganta pra ver se ele me nota. Gustavo só me olha como se nada tivesse acontecido e diz:

Gustavo: Eai amor
Eu: COMO ASSIM “EAI AMOR”? POR QUE NÃO FICOU NA CAMA COMIGO?
Gustavo: Sabe que eu acordo cedo, e hoje tinha jogo da chapions (nem sei como escreve)
Eu: Prefere um joguinho besta à sua mulher?

Deu pra ver na cara dele que ele ficou tenso com a pergunta (mulher nota essas coisas) e ele continuou:

Gustavo: Amor, não fica assim, você sabe que nos feriados eu gosto de assistir jogo, que tal você visitar a Manuela pra distrair, faz tempo que vocês não passam tempo juntas.

Eu ainda estava na minha pose de dominante emburrada quando aquele cafajeste me abraça e atinge logo meu ponto fraco:

Gustavo: Quando você voltar, eu faço o que você quiser, meu docinho.

Ele beija meu pescoço e eu dou um leve gemido, o safado sabe que meu pescoço é meu tendão de aquiles, ele sabe como jogar sujo:

Eu: Ok, mas assim que eu voltar, você vai ver só.

Me troco, coloco uma roupa casual, passo um batom básico, eu pego as chaves do carro e vou.
Manu estava na casa da Eduarda, os pais da Eduarda viajaram pra ir a um caso importante no Rio de Janeiro (Eles trabalham na área do direito até onde eu me lembro) e iriam ficar quase 1 mês fora, só que Eduarda é menor de idade (Ela tem 17 gente, DEZESSETE) e pra Eduarda não ficar sozinha, eles pediram pra Manu ficar na casa deles durante esse mês, então imagem o estrago que Manu fez nesse mês kkkkk.

Chego na casa (vulgo mansão, porque se eu mostrar pra vocês a casa deles, vocês vão achar que a Manu ganhou na loteria). Quem abre a porta é a Eduarda, ela parecia estar fazendo o almoço porque as mãos dela estavam cheirando alho (não aquele alho fedido, mas aquele de tempero pra comida):

Eduarda: -Nessa, que surpresa boa.
Eu: -Dudinha, fazia tempo que eu não te via.

Eduarda é um amor de pessoa, educada, doce, meiga, ruiva, já falei que a Manu ganhou na loteria com ela? Kkkkkk:

Eduarda: -Entra Nessa, to fazendo Risoto e carne Moída.
Eu: -Cadê aquela sapeca da minha irmã?
Eduarda: -A Manu? Ta dormindo, ela ficou muito cansada ontem.

Percebi uma leve enrubescida nas bochechas dela e eu como a cunhada malvada que sou, falei na lata:

Eu: -Fizeram sexo né?

Eduarda arregala os olhos e seu rosto fica quase tão vermelho quanto o cabelo dela, a Eduarda é muito certinha e nem mesmo a putisse da Manu, tirou esse lado santinho dela:

Eu: -Quer que eu a acorde pra você?
Eduarda: -Aí por favor Nessa, eu vou colocar os pratos na mesa.

Vou até o quarto onde Manu estava dormindo e entro sem fazer barulho. Eu decido fazer uma surpresa bem legal pra Manu, olho a Eduarda cozinhando ainda e vou ao lado da sapeca e começo a beijar ela na boca. Manu dá um leve sorriso e retribui o beijo, até que ela me agarra e beija meu pescoço, inconscientemente eu dou um gemido baixo (já que meu pescoço é meu ponto fraco). Manu abre os olhos e diz:

Manu: – Você não é a minha Duda.
Eu: – Sou sua irmã ué, não posso dar um beijinho de bom dia.
Manu: – Veio relembrar os velhos tempos quando brincávamos de sexo?
Eu: – Não boba, vim te acordar, e mesmo por que, e se a Dudinha pegar a gente?

Manu pula em cima de mim me imobilizando com aquele sorriso travesso dela e diz:

Manu: – E daí? A Duda sabe que eu não fico só nos beijos.
Eu: – Manu…
Manu: Que? Você não pode me provocar e sair como se nada tivesse acontecido.
Eu: – Manuela, você namora…
Manu: – Você literalmente vive um romance proibido, eu quero ter minhas aventuras.
Eu: – MANUELA, SE CONTROLA GURIA…

Não adiantou nada falar, aquela guria tem fogo na vagina, ela começou a beijar meu pescoço e eu comecei a sentir tudo rodar, Manu também sabe as minhas fraquezas, eu estava imobilizada com a minha irmã em cima de mim de 4, lambendo meu pescoço. Começo a me perder nos pensamentos, eu sabia que aquilo era errado não por ela ser minha irmã, mas porque a Eduarda não sabia que eu e a Manu tivemos relações sexuais, eu não queria desrespeitar a minha cunhada, mas pouco a pouco eu me senti perdendo esse controle e comecei a me entregar ao desejo. A Manu tem o dom de saber me deixar em êxtase sexual.
Ela começa a beijar meus seios por cima da blusa e eu olho pra ela com aquele olhar de desejo e mordo levemente os lábios, quando ela me olha com olhar maldoso e tira a camisola dela e caraca, como aquela garotinha de 7 anos cresceu, seu corpo parecia uma versão sexualizada da Manu de 7 anos.
Inconscientemente eu abocanho os seios gordinhos e suculentos da Manu, e ela solta um leve gemido, quando de repente:

Eduarda: – Meninas, o almoço ta na mesa, coloquei queijo cheddar do jeito que você gosta Manu…

Eu gelei, a Eduarda nos pegou no flagra e eu senti minha alma sair do meu corpo, Eduarda da um soluço de tristeza e diz:

Eduarda: – O que vocês duas estão fazendo na minha cama?
Manu: – Duda, quer brincar com a gente?
Eduarda: – Você chama isso de brincadeira?
Manu: – Qualé Duda, eu te falei que sexo pra mim é uma brincadeira…
Eduarda: – MAS É A NOSSA BRINCADEIRA… ERA A NOSSA… SÓ NOSSA…

Neste momento a Eduarda começa a chorar e pela primeira vez eu vejo a Manu ficar séria e eu na cama com olhar “Agora F#deu”.
Manu vai até a Eduarda e diz:

Manu: – Duda, gatinha, eu sei o que você está pensando, mas sexo pra mim funciona de um jeito diferente.
Eduarda: – E COMO EXPLICA SUA IRMÃ TE EXCITANDO NA MINHA CAMA?
Manu: – Eu não tenho malicia no sexo, eu aprendi sobre isso com 7 anos, pra mim sexo é um jogo, só que com você é real.
Eduarda: – Não caio nesses papinhos meigos de Manuela.
Manu: – Senta aqui, acho que está na hora de te contar tudo.
Eu: – MANU… TEM CERTEZA DISSO?
Manu: – Tenho sim.

Manuela conta tudo, desde nosso primeiro beijo, até quando foi penetrada pelo meu primo e eu via a Eduarda ficar cada vez mais espantada com toda aquela situação:

Manu: – É isso… eu não tenho o discernimento que o sexo é algo só íntimo…
Eduarda: – Sua família é louca…
Manu: – É sim, mas graças as loucuras deles, eu estou aqui com você, minha Duda.
Eduarda: – Você não existe Manuela.
Manu: – Será que não? Quer brincar comigo e com a Nessa?
Eu: – Pera, O QUE?
Eduarda: – Sério que você está pedindo pra sua namorada fazer amor com outra mulher?
Manu: – Na verdade é só uma brincadeira, amor mesmo é só entre nós duas.

Eu dei um suspiro apaixonado, eu nunca tinha visto a Manu tão romântica na minha vida e ambas começaram a se beijar na minha frente só que não era um beijo normal, eu decidi ficar assistindo.
Manu acaricia o corpo da Eduarda com delicadeza enquanto as duas ficam se dando bitocas e eu até achei aquilo fofo demais vindo da Manu. Manuela começa a tirar a blusa da Eduarda e Eduarda levanta os braços pra ajudar, parecia que elas esqueceram que eu estava li, assistindo-as.
Manu olha os seios da Eduarda, e ela tinha sardas nos seios, achei aquilo fascinante. Manu abocanha os seios da Eduarda como se fosse uma gatinha pegando sua presa, e dá pra ouvir o som dela sugando os seios da Eduarda, fazendo a Eduarda começar a gemer.
Neste momento eu desabotoou minhas calças e começo a tocar minha xana, eu estava realmente ficando excitada vendo minha irmã fazer sexo com a namorada dela. Manu apalpa os seios da Eduarda e dá um sorriso fofo pra ela, Eduarda por sua vez mostra língua, como se estivesse mesmo numa brincadeira. Manu aponta pro próprio seio e Eduarda passa a língua no bico da Manu fazendo Manu dar uma risadinha:

Manu: – Faz cócegas.
Eduarda: – Mas você adora isso.
Manu: – Arran, Nessa, chupa meu outro seio.
Eu: – S-Sério?.
Eduarda: – Ahan, é desperdício jogar um fora não é Manu?
Manu: – Minha garota.

Eu começo a chupar o outro seio e Eduarda lambia o que ela já estava e Manu começa a ficar ofegante e diz:

Manu: – Vocês duas sabem como brincar com eles.

Neste momento eu me virei rapidamente e beijei a Eduarda na boca, Manu dá um sorriso boquiaberto do tipo “É O QUE?”, Eduarda arregala os olhos e eu a sinto relutando aquilo no começo, até que a Manu diz:

Manu: – Vai Duda, aproveita o ménage.

Eduarda não rejeitou o beijo, mas obviamente ela não sabia o que fazer naquela situação, então eu ativei as armas secretas, deitei-me em cima dela e comecei a esfregar minha língua na dela, aí sim ela começou a se entregar. Nos abraçamos e os beijos foram ficando mais e mais quentes e molhados e eu só ouvi a Manu dizer:

Manu: – Ok meninas, acho que está bom de beijo.

Mas nós duas continuamos a nossa intensidade, que ruiva gente, que ruiva, logo a Manu diz:

Manu: – Meninas, é só uma brincadeira, podem parar de se beijar assim.

Mesmo assim, continuamos a ficar mais e mais intensas e começamos a passar as nossas mãos pelo corpo um da outra, e nos olhamos com um desejo a ponto da Manu me empurrar:

Eu: QUE ISSO MANUELA?
Manu: ELA É MINHA, MINHA NAMORADA OK? SÓ MINHA.
Eduarda: Calma Manu, não queria que eu brincasse com a sua irmã?
Manu: Mas não assim, vocês estavam fazendo sério, não era brincadeira.
Eu: Agora sabe como a Dudinha se sentiu em pegar a gente brincando de sexo.
Manu: Isso foi maldade…

Eu e Eduarda beijamos a bochecha da Manu, cada uma de um lado, e Manu se virou e começou a beijar a Eduarda, enquanto eu chupava os seios dela com carinho. Depois ela olhou pra mim, e nos beijamos enquanto a Eduarda começou a chupar os seios dela, foi algo tão picante e sensual, que eu quase me senti num vídeo pornô de trisal lésbico kkkkk.
Deci minha língua até a xana da Manu e comecei a lamber como uma cadelinha e Eduarda olhou aquilo com um sorriso, ela estava finalmente gostando do casal incestuoso lésbico kkkkk.

Eduarda: Hmmm, quando vai ser a minha vez de te lamber, Manu?
Manu: Lambe a Nessa, ela ta de 4 prontinha pra você.
Eu e Eduarda: QUE??
Manu: Ah vai gente, só é divertido quando todo mundo brinca.
Eduarda: M-Mas Manu, a única pessoa que eu já fiz isso foi você…
Manu: Tem que tentar coisas novas, é uma experiência…

Nessa hora, a Manu fez aquele olhar sapeca de quando ela tinha 7 anos, ela só usava esse olhar pra tentar convencer alguém a fazer algo novo. Eduarda olha pra mim meio receosa e eu mesmo com todos esses anos de sexo, aquele olhar daquela ruivinha inocente me deixou corada (Será que eu estava começando a me apaixonar pela Dudinha?) e a Manu com aquele sorrisinho sapeca dela, eu já falei pra vocês que minha irmã é uma PUT*?

Eduarda: Tudo bem pra você, Nessa?
Eu: Ãh, claro, só não vale se apaixonar.
Manu: Eu te mato se isso acontecer.

Rapaz, a Manu é ciumenta, ou deve ser o lado dominante já que obviamente a Eduarda era a passiva da relação. Continuamos nossa “brincadeira” e logo eu sinto a língua da Eduarda na minha xana e eu lambendo a xana da Manu, eu olho pra filha da mãe e ela estava com um sorrisinho satisfeito, como se fosse a rainha dominadora e nós as escravas sexuais dela (deu até um medinho, falei que ela era ninfomaníaca). Ela percebeu que eu estava olhando pra ela com olhar meio “WTF” e ela dá um sorriso e diz:

Manu: O que?
Eu: Isso era alguma fantasia sua né?
Manu: Num sei du que você ta falandu.
Eu: Você queria fazer sexo comigo e com a Dudinha ao mesmo tempo.
Eduarda: Oi?
Manu: É você quem está dizendo, não eu…

Que garota sínica kkkk mas admito que eu queria ver até onde ia esse lado obscuro da Manu. Eu peguei a Eduarda (ela é magrinha) e fiz um 69 ali mesmo com ela na frente da Manu, mas eu fiquei numa posição que eu conseguisse ver a Manu e não é que logo a Manu começa a se masturbar na nossa frente? Só que eu decidi aproveitar também e enfiei a língua na Eduarda fazendo aquela ruiva saborosa dar um gemido. Logo eu começo novamente a me perder nos pensamentos, aquele ar excitante, me sentir dominada pela minha irmã caçula, ter minha cunhada me lambendo, enquanto eu lambo ela de volta, eu comecei a revirar os olhos de tesão e dei um gemido relativamente alto. Eu estava numa explosão de prazer que eu não sentia a anos, nem mesmo com o Gustavo, tudo parecia estar rodando e minhas mãos ficam tremulas e Manu pergunta com um sorriso fofo:

Manu: Já vai desistir de brincar de sexo?

Eu nem consigo responder de tanto êxtase, a última vez que eu senti tanto prazer assim, foi quando o Gustavo e a Manu fizeram sexo comigo ao mesmo tempo, então essa era sensação de fazer sexo a 3? Eu realmente tinha descoberto algo muito bom, e inconscientemente dei um sorriso de prazer. Logo eu gozo na cara da Eduarda que leva um susto quase caindo da cama, eu estava ofegante, parecia que eu tinha corrido uma maratona, a cama do lado da Eduarda ficou enxarcada pra caramba, e logo eu apaguei.
Quando eu acordei, eu e vi a Manu e a Eduarda me olhando como duas crianças vendo algo muito legal e eu perguntei:

Eu: O que aconteceu?
Manu: Você teve um orgasmo ué, não sabia que ia gostar tanto da nossa brincadeira.
Eduarda: Foi legal, mas acho que 3 é o meu limite.
Eu: Que tal a gente almoçar um pouco, esse tesão todo me deixou exausta e faminta.
Eduarda: Boa ideia Nessa, só vou no banheiro me lavar, você me melou toda.

Assim que a Eduarda saiu do quarto a Manu fez um olhar muito sensual e disse:

Manu: Tenho mais experiência sexual que você.
Eu: Claro, você é viciada em sexo.
Manu: Viciada não, eu apenas adoro bons joguinhos.
Eu: Você é a dominante da relação?
Manu: O que você acha Nessa? Desde pequena eu era a dominante.
Eu: Como é que é?
Manu: Fui eu que induzi você pra me iniciar no sexo, fui eu que pedi pra beijar o primo, sempre fui eu, só que quando eu era criança, eu fazia isso por instinto, hoje eu controlo esse superpoder.
Eu: Você é mesmo uma safada.
Manu: Sou e você e a Duda sabem disso…

Ela sai cantarolando e eu dou risada com toda aquela situação, eu não influenciei a Manu pra fazer amor comigo, foi a putinha que me induziu a isso, ela me dominava sem eu saber, ela me manipulava desde novinha, ela é a dominante da nossa relação e quer saber, isso deixa as coisas ainda mais divertidas pra nós duas…

O que acharam fofos do meu retorno? Infelizmente eu não tenho muitos relatos depois dos meus 18 anos, pois sou uma mulher normal com vida normal. Quando somos crianças, sexo é delicioso e novo, um mundo de fantasias e diversões, mas com o passar do tempo a gente vai se acostumando, vamos ficando meio que sem tempo, me desculpem queridos, mas essa é a vida real, não existem um mundo ideal de puro sexo (Admito que eu até queria que existisse, pois em relações sexuais, sou muito ousada), posso até continuar contando relatos da minha juventude, mas uma hora acaba, tenho casos raros de relatos na vida adulta.
O que eu estou dizendo é, eu curto contar essas experiências pra vocês pois é legal e tals, só que viver apenas de sexo é meio impossível cá entre nós, vou pedir pra Manu escrever pra vocês de novo (Aquela sim é uma tarada 24 horas por dia). Eu gostaria de emendar minhas histórias de vida nos contos (Como o B.O que deu quando eu e meu primo assumimos a relação), mas não sei se vocês iriam querer isso, talvez eu passe a conta pra Manu sei lá.

Bom, espero que tenham curtido esse trisal lésbico incestuoso, beijo molhado pra vocês, nos vemos em breve, meus amores.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 3 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Thiago e família ID:gsu9tbe42

    Vc pensa em ter filhos com seu primorido( mistura de primo e marido)

    • Primos e Irmãs ID:81rg5nqfii

      Não, temos medo e um pouco de traumas por causa da pressão familiar, sofremos demais nas mãos da nossa familia, não iriamos aguentar ter um filho que fosse sofrer pelo resto da vida por causa das nossas escolhas

  • Responder mario ID:g3ipy92zl

    adorei…podemos conversar??.adoro este assntos…[email protected]

  • Responder Nathalia (NATY) ID:830xy01pv1

    Hummmm, que delícia hein, saudades da minha Clarinha . Beijos e nos conte mais !

  • Responder Gêmeas do Prazer ID:g3iwbbe8k

    Nossa, trisal com irmã e cunhada, deve ter sido mesmo uma explosão de prazer