# # #

Iniciando o enteado

1075 palavras | 7 |4.73
Por

Essa história é uma das mais intensas e diferentes da minha vida. Quando estava com meus 34 anos conheci minha atual esposa. Estamos há 11 anos juntos. Na medida em que pegamos intimidade nos tornamos adeptos a casas de swing, trocas de casais e outras formas de explorar o sexo com mais liberdade. Sempre experimentamos coisas novas. Minha esposa já tinha um filho, que estava com 12 anos quando nos conhecemos. Bruno (nome fictício) era tímido, calado e de poucos amigos. Todos já sabíamos sobre sua orientação sexual. Sempre foi um menino sensível, um pouco afeminado e não escondia seus olhares curiosos quando via homens sem camisa, de sunga ou pelados no vestiário do clube que frequentávamos. Eu sempre achei isso normal e nem eu e nem sua mãe costumávamos reprimir suas atitudes. Até que ele começou a se interessar muito em mim. Ficava me reparando, aumentou o seu contato direto (sempre me abraçava, sentava no meu colo, deitava comigo pra ver TV…). Certo dia minha esposa resolveu falar comigo sobre isso. Começou dizendo que notava como ele se interessava por mim e que o viu me olhar tomar banho pela fechadura. Bruno estava com 14 anos na época. Eu apenas disse que aquilo era normal, curiosidade da idade e que quando encontrasse um parceiro ou parceira isso passaria. Mas Sandra estava indo bem mais além do que eu. Estávamos deitados na cama, ela colocou sua mão por dentro da minha cueca e acariciando meu pau disse que gostaria que eu iniciasse o garoto. Sentia que ele tinha afeto e interesse por mim. Quando meu pau ficou bem duro ela começou um boquete e quando eu estava quase gozando ela parou, olhou nos meus olhos e disse: “Prefiro que seja com alguém de confiança. Vamos deixa-lo chegar até onde quiser. Só não force nada e nem o machuque.” Eu lembro desse dia como se fosse hoje. Fiquei muito excitado. Já tinha várias vezes em nossas trocas de casais ou nos nossos ménages pegado no pau de outros caras e até comido alguns e ela via aquilo e não se incomodava. Percebia que eu também gostava disso. Nossa liberdade sexual transcendia padrões e nunca tivemos problemas. No dia da nossa primeira conversa fui dormir com a cabeça a mil. Disse que não sabia se teria coragem, porém ela realmente estava tranquila e me deixou bem á vontade. E os pensamentos começaram. Fiquei imaginando como seria transar com o garoto de 14 anos. Ele tinha um corpo normal, magro, muito branquinho e os cabelos pretos. É muito bonito até hoje. Eu sou moreno 1,81 de altura, 84kg, forte e me considero boa pinta. Meu pau tem 17 cm e é grosso e cabeçudo. Sabia por que ela pediu pra não o machucar, apesar de que sempre como o cuzinho e ela sabe que sei colocar com carinho. Acordei no outro dia achando a ideia normal e disposto a deixar Bruno chegar até onde quisesse (como ela mesma disse). Eu trabalhava 24 horas e folgava 48h, nesse dia estava de folga. O menino chegou da escola e foi direto para o quarto. Quando passou pelo corredor eu estava tomando banho propositalmente com a porta aberta. Eu o chamei e perguntei como foi a aula. Realmente ele ficava muito interessado em me ver daquele jeito, não conseguia disfarçar o olhar. Respondia e não conseguia desviar o olhar. Comecei a puxar outros assunto e lavar meu pau com bastante calma. Puxei a cabeça pra fora e ia passando a mão ensaboada bem devagar e descia até as bolas. Repeti esse movimento várias vezes, até que meu pau, lógico, ficou meia bomba e bem maior. Quando vi que ele continuava olhando dei um sorriso e me virei de frente, como quem estivesse claramente se exibindo. Continuei conversando sobre várias coisas pra ele não sair da porta. E meu pau começou a ficar cada vez mais duro, principalmente qnd vi que o dele também estava. Perguntei se ele não queria tomar banho também. Não tinha que fazer de cerimônia. A própria mãe me pediu isso, portanto não tinha com o que preocupar. Ele ficou claramente sem graça e disse que depois tomava. Eu comecei a fazer movimentos de punheta bem devagar como se ainda estivesse lavando e olhava pra ele. Nenhum dos dois desviava o olhar. O assunto acabou e ele disse que ia trocar de roupa. Estava impossível esconder sua ereção no uniforme. Sai do banho enrolei na toalha e fui até seu quarto. Cheguei bem devagarinho e vi que ele estava se masturbando. Chamei seu nome, ele subiu a calça correndo e ficou assustado. Sentei na cama e coloquei-o no meu colo (dessa vez com muito mais carinho). Ele estava muito sem graça. Deixei que sua perna encostasse no meu pau, que já estava duro de novo. Puxei ele mais perto dei um beijo no seu rosto, cheguei bem perto da sua orelha e falei baixinho: “Está tudo bem, isso é normal.” Ele se arrepiou todo, consegui ver por seu braço e pescoço. Ele continuou calado. Perguntei se ele estava se masturbando pensando em mim e ele apenas fez que sim com a cabeça. Cheguei a toalha para o lado e deixei meu pau duro a mostra encostando em sua perna, lógico, fiquei pulsando meu pau pra ele ver. Olhei bem em seus olhos e disse: “Quando quiser brincar com ele, é todo seu. Ninguém ficará sabendo.” Peguei sua mãozinha e fiquei passando em minha perna, bem perto da minha virilha. O menino estava em estase, isso era nítido. Porém nessas horas nunca sabemos como agir. Via seu pau bem duro levantando sua calça de uniforme de tecido fino. Mas não fiz nada… ia deixar ele fazer o que quisesse sozinho a partir de então. Tudo o que eu mais queria era comer aquele garoto. Fiz questão apenas de levantar gentilmente seu corpo com as duas mãos o segurando pela cintura, trazer para perto do meu e deixar meu pau encostar na sua bunda. Ele ficou assim, sentando de costas. Deu pra ver que ele empinou um pouco e fechou os olhos. O bote foi dado…

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,73 de 44 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

7 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Castro ID:bf9xgcdoik

    Não iniciei meu enteado, pq um primo já havia feito isso, e tanto a mãe qto à avó que ajudou cria-lo sabiam disso, mas, o que fiz foi meter uma rola de verdade naquele cusinho apertado, e arregaçar suas preguinhas pra valer. Ele tinha 11a qdo deu a bundinha a primeira vez para o primo, que tinha 14a na época. As visitas do primo eram raras, porém qdo ele vinha na casa da avó, pelo que eu sabia, ambas, a mae e à avó, inventavam algo que precisasse sair, e deixava-os a vontade, por pelo menos uma hr, ou pouco mais. Qdo voltavam, eles estavam na sala assistindo tv, ambos com os cabelos molhados, o que ficava claro que tomaram banho, e meu enteado com uma expressão de felicidade estampada no rosto. Quem me contou a história toda, foi a própria mãe, e disse tbm, que já vinha notando à algum tempo a mudança do menino em relação a mim. Ele já não ficava mais emburrado pelos cantos qdo eu ralhava com ele por mexer no meu PC, e estava bem mais apegado tbm. Isso eu já havia notado tbm, mas nunca comentei com ela. Mas perguntei o pq daquela conversa, ao mesmo tempo falei que ele já estava com 13a, e é normal, o comportamento muda com o tempo, e no caso dele, o legal era que estava mudando pra melhor. Foi então que minha mulher falou que achava que era por outro motivo o apego dele por mim. Perguntei o que ela achava que podia ser, ela foi explícita na resposta. Falou que achava que o menino queria “era dar pra mim”, já o que o primo com 17a, estava namorando, e com a partida da avó, nem vinha mais em casa. Ainda riu e falou que ele devia estar subindo pelas paredes por falta de rola. Perguntei o que eu podia fazer ela riu, aertou minha rola e falou.
    – come ele !
    Aquilo me surpreendeu, custei acreditar, mas confesso que me excitei. Ela notou, riu e pediu pra eu ter cuidado. Então ela levantou, se vestiu, disse que ia sair, e voltava mais tarde. Ela saiu, levantei como estava, nu, e fui na cozinha. Eu sabia que o guri estava na sala, e qdo passei que ele me viu…fudeu.

    • Castro ID:bf9xgcdoik

      Me fiz de tonto perguntando pela mãe, ele falou que ela havia saído, mas fez questão de falar que não entendeu pq perguntei, já que ela estava na cama comigo. Falei que tinha dado um cochilo, e qdo acordei ela não estava no quarto. Fiquei ali parado de propósito, e ele não se intimidou, ficou de olhos vidrados na minha rola. Perguntei se estava td bem, ele disse sim, falei que ia tomar banho e chamei pra tomar comigo. Ele sorriu irônico e falou que tinha acabado de tomar. Disse ok, falei que vinha fazer compainha pra ele depois. Ele deu um sorrisinho sacana, perguntei pq o riso, ele disse que não era nada. Perguntei pq aquela cara então, se nunca viu homem pelado. A resposta surpreendeu. Ele foi bem atrevido, disse que já havia visto home. pelado, mas não com “uma pirocona enorme”. Dura já estava, acariciei, e perguntei se estava gostado de olhar. Aí danou de vez. Que adiantava ver com os olhos e lamber com a testa, foi isso que ele falou. Só pensei numa coisa. Eu ia comer aquele loirinho dos olhos cor de mel, da bundinha arrebitada e cintura de menina. Parei de frente pra ele, disse que era toda dele, que não precisava só lamber com a testa. Ele pegou firme, olhou e perguntou.
      – e minha mãe ?
      – vc disse que ela saiu né rs
      Peguei a rola com vontade, passei em seus lábios, e ele não titubeou. Meteu a boca com gosto, e me fez delirar. O safado chupava mais gostoso que a mãe. Foi uma gozada deliciosa naquela boquinha gulosa, e eu queria mais. Levei-o pro quarto, deixei-o peladinho, de bundinha pra cima. Preparei ele bem, passei muito gel, e peguei ele de jeito. Foram duas tentativas antes, e na terceira ele deu um gritinho manhoso.
      – aaaaaaiiiii…tiioooo…
      Chorou um pouquinho sim, mas aguentou firme…e não tinha mais volta. A partir daquele dia, minha mulher passou a me dividir com o filho, que esqueceu o primo de vez. Até os 17a, fui o dono “dele”, então ele começou ir pras baladas, conheceu um rapaz, e começaram a namorar. Mas, vez ou outra vinha pra minha cama.

  • Responder Chama no tel Mil2mil2000 ID:ona2xs920j

    Continua tava muito bom

  • Responder DiegoC ID:6p1ab80fii

    Continua, super curioso

  • Responder Gatofetichistabh ID:469coleshrd

    O mais excitante é a mãe autorizar. Continua contando!

  • Responder Casadobidebh ID:gsu5baphi

    Também sou do meio swinguer, também curto bi e adoro meninos novinhos.
    Gostaria de conversar com voce e com amigos que também curtem
    Meu Telegram: @CS_BH

  • Responder Jura??? ID:gqazevzra

    MUITO BOM, continue cara, começa a dar de mamar no café da manhã